Almeida Revista e Corrigida (1969) (RC69)
17

171DISSE mais Aquitófel a Absalão: Deixa-me escolher doze mil homens, e me levantarei e seguirei após Davi esta noite. 2E irei sobre ele, pois está cansado e fraco das mãos: e o espantarei, e fugirá todo o povo que está com ele; e então ferirei o rei só. 3E farei tornar a ti todo o povo: pois o homem a quem tu buscas é como se tornassem todos; assim todo o povo estará em paz. 4E esta palavra pareceu boa aos olhos de Absalão, e aos olhos de todos os anciãos de Israel. 5Disse porém Absalão: Chamai agora também a Husai, o arquita: e ouçamos também o que ele dirá. 6E, chegando Husai a Absalão, lhe falou Absalão, dizendo: Desta maneira falou Aquitófel: faremos conforme à sua palavra? Se não, fala tu. 7Então disse Husai a Absalão: O conselho que Aquitófel esta vez aconselhou não é bom. 8Disse mais Husai: Bem conheces tu a teu pai, e a seus homens, que são valorosos e que estão com o espírito amargurado, como a ursa no campo, roubada dos cachorros: também teu pai é homem de guerra, e não passará a noite com o povo. 9Eis que agora estará escondido nalguma cova, ou em qualquer outro lugar: e será que caindo no princípio alguns dentre eles, cada um que ouvir então dirá: Houve derrota no povo que segue Absalão. 10Então até o homem valente, cujo coração é como o coração de leão, sem dúvida desmaiará; porque todo o Israel sabe que teu pai é valoroso, e homens valentes os que estão com ele. 11Eu porém aconselho que com toda a pressa se ajunte a ti todo o Israel desde Dã até Berseba, em multidão como a areia do mar: e que tu em pessoa vás à peleja. 12Então iremos a ele, em qualquer lugar que se achar, e facilmente viremos sobre ele, como o orvalho cai sobre a terra; e não ficará dele e de todos os homens que estão com ele nem ainda um só. 13E, se ele se retirar para alguma cidade, todo o Israel trará cordas àquela cidade: e arrastá-la-emos até ao ribeiro, até que não se ache ali nem uma só pedrinha. 14Então disse Absalão e todos os homens de Israel: Melhor é o conselho de Husai, o arquita, do que o conselho de Aquitófel (porém assim o Senhor o ordenara, para aniquilar o bom conselho de Aquitófel, para que o Senhor trouxesse o mal sobre Absalão). 15E disse Husai a Zadoque e a Abiatar, sacerdotes: Assim e assim aconselhou Aquitófel a Absalão e aos anciãos de Israel; porém assim e assim aconselhei eu. 16Agora, pois, enviai apressadamente, e avisai a Davi, dizendo: Não passes esta noite nas campinas do deserto, mas passa depressa à outra banda, para que o rei e todo o povo que com ele está não seja devorado. 17Estavam pois Jônatas e Aimaás junto à fonte de Rogel: e foi uma criada, e lho disse, e eles foram, e disseram ao rei Davi, porque não podiam ser vistos entrar na cidade. 18Mas viu-os todavia um moço, e avisou a Absalão; porém ambos logo partiram apressadamente, e entraram em casa de um homem, em Baurim, o qual tinha um poço no seu pátio, e para ali desceram. 19E tomou a mulher a tampa, e a estendeu sobre a boca do poço, e espalhou grão descascado sobre ela: assim nada se soube. 20Chegando pois os servos de Absalão à mulher, àquela casa, disseram: Onde estão Aimaás e Jônatas? E a mulher lhes disse: Já passaram o vau das águas. E, havendo-os buscado, e não os achando, voltaram para Jerusalém. 21E sucedeu que, depois que partiram, saíram do poço, e foram, e anunciaram a Davi; e disseram a Davi: Levantai-vos, e passai depressa as águas, porque assim aconselhou contra vós Aquitófel. 22Então Davi e todo o povo que com ele estava se levantou, e passaram o Jordão: e pela luz da manhã nem ainda faltava um só que não passasse o Jordão. 23Vendo pois Aquitófel que se não tinha seguido o seu conselho, albardou o jumento e levantou-se, e foi para sua casa e para a sua cidade, e pôs em ordem a sua casa, e se enforcou: e morreu, e foi sepultado na sepultura de seu pai. 24E Davi veio a Maanaim; e Absalão passou o Jordão, ele e todo o homem de Israel com ele. 25E Absalão constituiu a Amasa em lugar de Joabe sobre o arraial: e era Amasa filho de um homem cujo nome era Jetra, o israelita, o qual entrara a Abigail, filha de Naás, irmã de Zeruia, mãe de Joabe. 26Israel, pois, e Absalão acamparam na terra de Gileade.

A vitória do exército de Davi sobre o de Absalão

27E sucedeu que, chegando Davi a Maanaim, Sobi, filho de Naás, de Rabá, dos filhos de Amom, e Maquir, filho de Amiel, de Lo-Debar, e Barzilai, o gileadita, de Rogelim, 28Tomaram camas e bacias, e vasilhas de barro, e trigo, e cevada, e farinha, e grão torrado, e favas, e lentilhas, também torradas, 29E mel, e manteiga, e ovelhas, e queijos de vacas, e os trouxeram a Davi e ao povo que com ele estava, para comerem, porque disseram: Este povo no deserto está faminto, e cansado, e sedento.

18

181E DAVI contou o povo que tinha consigo, e pôs sobre eles capitães de cem. 2E Davi enviou o povo, um terço debaixo da mão de Joabe, e outro terço debaixo da mão de Abisai, filho de Zeruia, irmão de Joabe, e outro terço debaixo da mão de Itai, o geteu; e disse o rei ao povo: Eu também juntamente sairei convosco. 3Porém o povo disse: Não sairás, porque, se formos obrigados a fugir não porão o coração em nós; e, ainda que metade de nós morra, não porão o coração em nós, porque ainda, tais como nós somos, ajuntarás dez mil: melhor será, pois que da cidade nos sirvas de socorro. 4Então Davi lhes disse: O que bem parecer aos vossos olhos, farei. E o rei se pôs da banda da porta, e todo o povo saiu em centenas e em milhares. 5E o rei deu ordem a Joabe, e a Abisai, e a Itai, dizendo: Brandamente tratai por amor de mim ao mancebo, a Absalão. E todo o povo ouviu quando o rei deu ordem a todos os capitães acerca de Absalão. 6Saiu pois o povo ao campo, a encontrar-se com Israel, e deu-se a batalha no bosque de Efraim. 7E ali foi ferido o povo de Israel, diante dos servos de Davi: e naquele mesmo dia houve ali uma grande derrota de vinte mil. 8Porque ali se estendeu a batalha sobre a face de toda aquela terra; e foram mais os do povo que consumiu o bosque do que a espada consumiu naquele dia.

Absalão fica suspenso de uma árvore e Joabe mata-o

9E Absalão se encontrou com os servos de Davi; e Absalão ia montado num mulo; e, entrando o mulo debaixo da espessura dos ramos de um grande carvalho, pegou-se-lhe a cabeça no carvalho, e ficou pendurado entre o céu e a terra: e o mulo, que estava debaixo dele, passou adiante. 10O que vendo um homem, o fez saber a Joabe, e disse: Eis que vi a Absalão pendurado dum carvalho. 11Então disse Joabe ao homem que lho fizera saber: Pois que o viste, por que o não feriste logo ali em terra? E forçoso seria eu dar-te dez moedas de prata e um cinto. 12Disse porém aquele homem a Joabe: Ainda que eu pudesse pesar nas minhas mãos mil moedas de prata, não estenderia a minha mão contra o filho do rei, pois bem ouvimos que o rei te deu ordem a ti, e a Abisai, e a Itai, dizendo: Guardai-vos, cada um, de tocar no mancebo, em Absalão. 13Ainda que proferisse mentira com risco da minha vida, nem por isso cousa nenhuma se esconderia ao rei; e tu mesmo te oporias. 14Então disse Joabe: Não me demorarei assim contigo aqui. E tomou três dardos, e traspassou com eles o coração de Absalão, estando ele ainda vivo no meio do carvalho. 15E o cercaram dez mancebos que levavam as armas de Joabe. E feriram a Absalão, e o mataram. 16Então tocou Joabe a buzina, e voltou o povo de perseguir a Israel, porque Joabe deteve o povo. 17E tomaram a Absalão, e o lançaram no bosque, numa grande cova, e levantaram sobre ele um mui grande montão de pedras: e todo o Israel fugiu, cada um para a sua tenda. 18Ora Absalão, quando ainda vivia, tinha tomado e levantado para si uma coluna, que está no vale do rei, porque dizia: Filho nenhum tenho para conservar a memória do meu nome. E chamou aquela coluna pelo seu próprio nome; pelo que até ao dia de hoje se chama o Pilar de Absalão.

Davi, sabendo da morte de Absalão, chora amargamente

19Então disse Aimaás, filho de Zadoque: Deixa-me correr, e anunciarei ao rei que já o Senhor o vingou da mão de seus inimigos. 20Mas Joabe lhe disse: Tu não serás hoje o portador de novas, porém outro dia as levarás; mas hoje não darás a nova, porque é morto o filho do rei. 21E disse Joabe a Cusi: Vai tu, e dize ao rei o que viste. E Cusi se inclinou a Joabe, e correu. 22E prosseguiu Aimaás, filho de Zadoque, e disse a Joabe: Seja o que for, deixa-me também correr após Cusi. E disse Joabe: Para que agora correrias tu, meu filho, pois não tens mensagem conveniente? 23Seja o que for, disse Aimaás, correrei. E Joabe lhe disse: Corre. E Aimaás correu pelo caminho da planície, e passou a Cusi. 24E Davi estava assentado entre as duas portas; e a sentinela subiu ao terraço da porta junto ao muro: e levantou os olhos e olhou, e eis que um homem corria só. 25Gritou pois a sentinela, e o disse ao rei: Se vem só, novas em sua boca. E vinha andando e chegando. 26Então viu a sentinela outro homem que corria, e a sentinela gritou ao porteiro, e disse: Eis que lá vem outro homem correndo só. Então disse o rei: Também este traz novas. 27Disse mais a sentinela: Vejo o correr do primeiro que parece ser o correr de Aimaás, filho de Zadoque. Então disse o rei: Este é homem de bem, e virá com boas novas. 28Gritou pois Aimaás, e disse ao rei: Paz. E inclinou-se ao rei com o rosto em terra, e disse: Bendito seja o Senhor, que entregou os homens que levantaram a mão contra o rei meu senhor. 29Então disse o rei: Vai bem com o mancebo, com Absalão? E disse Aimaás: Vi um grande alvoroço, quando Joabe mandou o servo do rei, e a mim teu servo; porém não sei o que era. 30E disse o rei: Vira-te, e põe-te aqui. E virou-se, e parou. 31E eis que vinha Cusi: e disse Cusi: Anunciar-se-á ao rei meu senhor que hoje o Senhor te vingou da mão de todos os que se levantaram contra ti. 32Então disse o rei a Cusi: Vai bem com o mancebo, com Absalão? E disse Cusi: Sejam como aquele mancebo os inimigos do rei meu senhor, e todos os que se levantaram contra ti para mal. 33Então o rei se perturbou, e subiu à sala que estava por cima da porta, e chorou; e andando, dizia assim: Meu filho Absalão, meu filho, meu filho, Absalão! quem me dera que eu morrera por ti, Absalão, meu filho, meu filho!

19

191E DISSERAM a Joabe: Eis que o rei anda chorando, e lastima-se por Absalão. 2Então a vitória se tornou naquele mesmo dia em tristeza para todo o povo: porque naquele mesmo dia o povo ouvira dizer: Mui triste está o rei por causa de seu filho. 3E aquele mesmo dia o povo entrou às furtadelas na cidade, como o povo de vergonha se escoa quando foge da peleja. 4Estava pois o rei com o rosto coberto; e o rei gritava a alta voz: Meu filho Absalão, Absalão meu filho, meu filho! 5Então entrou Joabe ao rei em casa, e disse: Hoje envergonhaste as caras de todos os teus servos, que livraram hoje a tua vida, e a vida de teus filhos, e de tuas filhas, e a vida de tuas mulheres, e a vida de tuas concubinas; 6Amando tu aos que te aborrecem, e aborrecendo aos que te amam: porque hoje dás a entender que nada valem para contigo capitães e servos: porque entendo hoje que se Absalão vivesse, e todos nós hoje fôssemos mortos, então bem te parecera aos teus olhos. 7Levanta-te pois agora; sai, e fala conforme ao coração de teus servos: porque pelo Senhor te juro que, se não saíres, nem um homem ficará contigo esta noite; e maior mal te será isto que todo o mal que tem vindo sobre ti desde a tua mocidade até agora. 8Então o rei se levantou, e se assentou à porta: e fizeram saber a todo o povo, dizendo: Eis que o rei está assentado à porta. Então todo o povo veio apresentar-se diante do rei; porém Israel fugiu cada um para as suas tendas. 9E todo o povo, em todas as tribos de Israel, andava altercando entre si, dizendo: O rei nos tirou das mãos de nossos inimigos, e ele nos livrou das mãos dos filisteus; e agora fugiu da terra por causa de Absalão. 10E Absalão, a quem ungimos sobre nós, morreu na peleja: agora, pois, por que vos calais, e não fazeis voltar o rei?

Davi volta para Jerusalém

11Então o rei Davi enviou a Zadoque e a Abiatar, sacerdotes, dizendo: Falai aos anciãos de Judá, dizendo: Por que seríeis vós os últimos em tornar a trazer o rei para a sua casa? (porque as palavras de todo o Israel chegaram ao rei, até à sua casa.) 12Vós sois meus irmãos, meus ossos e minha carne sois vós: por que pois seríeis os últimos em tornar a trazer o rei? 13E a Amasa direis: Porventura não és tu meu osso e minha carne? assim me faça Deus, e outro tanto, se não fores chefe do arraial diante de mim para sempre, em lugar de Joabe. 14Assim moveu o coração de todos os homens de Judá, como o dum só homem: e enviaram ao rei, dizendo: Volta tu com todos os teus servos. 15Então o rei voltou, e chegou até ao Jordão; e Judá veio a Gilgal, para ir encontrar-se com o rei, à outra banda do Jordão. 16E apressou-se Simei, filho de Gera, filho de Jemini, que era de Baurim: e desceu com os homens de Judá a encontrar-se com o rei Davi. 17E com ele mil varões de Benjamim, como também Ziba, servo da casa de Saul, e seus quinze filhos, e seus vinte servos com ele; e prontamente passaram o Jordão adiante do rei. 18E, passando a barca, para fazer passar a casa do rei e para fazer o que bem parecesse aos seus olhos, então Simei, filho de Gera, se prostrou diante do rei, passando ele o Jordão. 19E disse ao rei: Não me impute meu senhor a minha culpa, e não te lembres do que tão perversamente fez teu servo, no dia em que o rei meu senhor saiu de Jerusalém; não conserve o rei isso no coração. 20Porque teu servo deveras confessa que eu pequei: porém eis que eu sou o primeiro que de toda a casa de José desci a encontrar-me com o rei meu senhor. 21Então respondeu Abisai, filho de Zeruia, e disse: Não morreria pois Simei por isto, havendo amaldiçoado ao ungido do Senhor? 22Porém Davi disse: Que tenho eu convosco, filhos de Zeruia, para que hoje me sejais adversários? morreria alguém hoje em Israel? porque porventura não sei que hoje fui feito rei sobre Israel? 23E disse o rei a Simei: Não morrerás. E o rei lho jurou.

Mefibosete encontra-se com Davi

24Também Mefibosete, filho de Saul, desceu a encontrar-se com o rei, e não tinha lavado os pés, nem tinha feito a barba, nem tinha lavado os seus vestidos desde o dia em que o rei tinha saído até ao dia em que voltou em paz. 25E sucedeu que, vindo ele a Jerusalém a encontrar-se com o rei, disse-lhe o rei: Por que não foste comigo, Mefibosete? 26E disse ele: Ó rei meu senhor, o meu servo me enganou; porque o teu servo dizia: Albardarei um jumento, e nele montarei, e irei com o rei; pois o teu servo é coxo. 27De mais disto, falsamente acusou o teu servo diante do rei meu senhor; porém o rei meu senhor é como um anjo de Deus; faze pois o que parecer bem aos teus olhos. 28Porque toda a casa de meu pai não era senão de homens dignos de morte diante do rei meu senhor; e contudo puseste a teu servo entre os que comem à tua mesa: e que mais direito tenho eu de clamar ao rei? 29E disse-lhe o rei: Por que ainda falas mais de teus negócios? disse eu: Tu e Ziba reparti as terras. 30E disse Mefibosete ao rei: Tome ele também tudo: pois já veio o rei meu senhor em paz à sua casa.

Barzilai encontra-se com Davi

31Também Barzilai, o gileadita, desceu de Rogelim, e passou com o rei o Jordão, para o acompanhar à outra banda do Jordão. 32E era Barzilai mui velho, da idade de oitenta anos; e ele tinha sustentado o rei, quando tinha a sua morada em Maanaim, porque era homem mui grande. 33E disse o rei a Barzilai: Passa tu comigo, e sustentar-te-ei comigo em Jerusalém. 34Porém Barzilai disse ao rei: Quantos serão os dias dos anos da minha vida, para que suba com o rei a Jerusalém? 35Da idade de oitenta anos sou eu hoje; poderia eu discernir entre bom e mau? poderia o teu servo ter gosto no que comer e beber? poderia eu mais ouvir a voz dos cantores e cantoras? e por que será o teu servo ainda pesado ao rei meu senhor? 36Com o rei passará teu servo ainda um pouco mais além do Jordão: e por que me recompensará o rei com tal recompensa? 37Deixa voltar o teu servo, e morrerei na minha cidade junto à sepultura de meu pai e de minha mãe: mas eis aí está o teu servo Quimã; que passe com o rei meu senhor, e faze-lhe o que bem parecer aos teus olhos. 38Então disse o rei: Quimã passará comigo, e eu lhe farei como bem parecer aos teus olhos, e tudo quanto me pedires te farei. 39Havendo pois todo o povo passado o Jordão, e passando também o rei, beijou o rei a Barzilai, e o abençoou: e ele voltou para o seu lugar. 40E dali passou o rei a Gilgal, e Quimã passou com ele: e todo o povo de Judá conduziu o rei, como também a metade do povo de Israel. 41E eis que todos os homens de Israel vieram ao rei, e disseram ao rei: Por que te furtaram nossos irmãos, os homens de Judá, e conduziram o rei e a sua casa por sobre o Jordão, e todos os homens de Davi com eles? 42Então responderam todos os homens de Judá aos homens de Israel: Porquanto o rei é nosso parente; e por que vos irais por isso? Porventura comemos à custa do rei, ou nos apresentou algum presente? 43E responderam os homens de Israel aos homens de Judá, e disseram: Dez partes temos no rei, e até em Davi mais temos nós do que vós; porque pois fizestes pouca conta de nós, para que a nossa palavra não fosse a primeira, para tornar a trazer o nosso rei? Porém a palavra dos homens de Judá foi mais forte do que a palavra dos homens de Israel.