Almeida Revista e Corrigida (1969) (RC69)
16

161ENTÃO veio a palavra do Senhor

16.1:
1Rs 16.7
2Cr 19.2
20.34
a Jeú, filho de Hanani, contra Baasa, dizendo: 2Porquanto
16.2:
1Rs 14.7
15.34
te levantei do pó, e te pus por chefe sobre o meu povo Israel, e tu andaste no caminho de Jeroboão, e fizeste pecar a meu povo Israel, irritando-me com os seus pecados, 3Eis que tirarei
16.3:
1Rs 14.10
15.29
16.11
os descendentes de Baasa, e os descendentes da sua casa, e farei à tua casa como à casa de Jeroboão, filho de Nebate. 4Quem
16.4:
1Rs 14.11
morrer a Baasa na cidade os cães o comerão; e o que dele morrer no campo as aves do céu o comerão. 5Quanto ao mais dos sucessos de Baasa, e ao que fez, e ao seu poder, porventura não está
16.5:
2Cr 16.1
escrito no livro das crônicas dos reis de Israel? 6E Baasa dormiu com seus pais, e foi sepultado em Tirzá:
16.6:
1Rs 14.17
15.21
e Ela, seu filho, reinou em seu lugar. 7Assim veio também a palavra do Senhor, pelo ministério do profeta Jeú,
16.7:
1Rs 16.1
filho de Hanani, contra Baasa e contra a sua casa; e isso por todo o mal que fizera aos olhos do Senhor, irritando-o com a obra de suas mãos, para ser como a casa de Jeroboão; e por isso
16.7:
1Rs 15.27,29
Os 1.4
o ferira.

A conspiração de Zinri

8No ano vinte e seis de Asa, rei de Judá, Ela, filho de Baasa, começou a reinar em Tirzá sobre Israel: e reinou dois anos. 9E Zinri, seu servo, chefe de metade dos carros, conspirou

16.9:
2Rs 9.31
contra ele, estando ele em Tirzá bebendo e embriagando-se em casa de Arsa, mordomo em Tirzá. 10Entrou pois Zinri, e o feriu, e o matou, no ano vigésimo sétimo de Asa, rei de Judá: e reinou em seu lugar. 11E sucedeu que, reinando ele, e estando assentado no seu trono feriu
16.11:
1Sm 25.2
a toda a casa de Baasa; não lhe deixou homem algum, nem a seus parentes, nem a seus amigos. 12Assim destruiu Zinri toda a casa de Baasa, conforme
16.12:
1Rs 16.1,3
à palavra do Senhor que falara pelo ministério do profeta Jeú, sobre Baasa, 13Por todos os pecados de Baasa, e os pecados de Ela, seu filho, com que pecaram, e com que fizeram pecar a Israel, irritando ao Senhor Deus de Israel com as
16.13:
Dt 32.21
1Sm 12.21
Is 41.29
Jn 2.8
1Co 8.4
10.19
suas vaidades. 14Quanto ao mais dos sucessos de Ela, e a tudo quanto fez, não está escrito no livro das crônicas dos reis de Israel? 15No ano vigésimo sétimo de Asa, rei de Judá, reinou Zinri sete dias em Tirzá: e o povo estava acampado contra
16.15:
1Rs 15.27
Gibetom, que era dos filisteus. 16E ouviu dizer o povo que estava acampado: Zinri tem conspirado, e até feriu o rei. Todo o Israel pois no mesmo dia fez rei sobre Israel a Onri, chefe do exército no arraial. 17E subiu Onri, e todo o Israel com ele, de Gibetom, e cercaram a Tirzá. 18E sucedeu, que Zinri, vendo que a cidade era tomada, se foi ao paço da casa do rei: e queimou sobre si a casa do rei a fogo, e morreu, 19Por causa dos seus pecados que cometera, fazendo o que parecia mal aos olhos do Senhor, andando no
16.19:
1Rs 12.28
15.20,34
caminho de Jeroboão, e no seu pecado que fizera, fazendo pecar a Israel. 20Quanto ao mais dos sucessos de Zinri, e à conspiração que fez porventura não está escrito no livro das crônicas dos reis de Israel?

Onri vence a Tibni e reina

21Então o povo de Israel se dividiu em dois partidos: metade do povo seguia a Tibni, filho de Ginate para o fazer rei, e a outra metade seguia a Onri. 22Mas o povo que seguia a Onri foi mais forte do que o povo que seguia a Tibni, filho de Ginate: e Tibni morreu, e Onri reinou. 23No ano trinta e um de Asa, rei de Judá, Onri começou a reinar sobre Israel, e reinou doze anos: e em Tirzá reinou seis anos. 24E de Sêmer comprou o monte de Samaria por dois talentos de prata: e 16.24: ou fortificou o monteedificou em o

16.24:
1Rs 13.32
2Rs 17.24
Jo 4.4
monte, e chamou o nome da cidade que edificou do nome de Sêmer, senhor do monte de Samaria. 25E fez Onri
16.25:
Mq 6.16
o que parecia mal aos olhos do Senhor; e fez pior do que todos quantos foram antes dele. 26E andou
16.26:
1Rs 16.19
em todos os caminhos de Jeroboão, filho de Nebate, como também nos seus pecados com que tinha feito pecar a Israel, irritando ao Senhor Deus de Israel com as
16.26:
1Rs 16.13
suas vaidades. 27Quanto ao mais dos sucessos de Onri, ao que fez, e ao seu poder que manifestou, porventura não está escrito no livro das crônicas dos reis de Israel? 28E Onri dormiu com seus pais, e foi sepultado em Samaria: e Acabe, seu filho, reinou em seu lugar.

Acabe reina e casa com Jezabel

29E Acabe, filho de Onri, começou a reinar sobre Israel no ano trigésimo oitavo de Asa, rei de Judá: e reinou Acabe, filho de Onri, sobre Israel em Samaria, vinte e dois anos. 30E fez Acabe, filho de Onri, o que parecia mal aos olhos do Senhor, mais do que todos os que foram antes dele. 31E sucedeu que (como se fora cousa leve andar nos pecados de Jeroboão, filho de Nebate), ainda tomou

16.31:
Dt 7.3
Jz 18.7
1Rs 21.25-26
2Rs 10.18
17.16
por mulher a Jezabel, filha de Etbaal, rei dos sidônios: e foi e serviu a Baal, e se encurvou diante dele. 32E levantou um altar a
16.32:
2Rs 10.21,26-27
Baal, na casa de Baal que edificara em Samaria. 33Também Acabe fez um bosque: de maneira que Acabe
16.33:
1Rs 16.30
21.25
2Rs 13.6
17.10
21.3
Jr 17.2
fez muito mais para irritar ao Senhor Deus de Israel do que todos os reis de Israel que foram antes dele. 34Em seus dias Hiel, o betelita, edificou a Jericó: morrendo Abirão, seu primogênito, a fundou, e morrendo Segube, seu último, pôs as suas portas: conforme
16.34:
Js 6.26
à palavra do Senhor, que falara pelo ministério de Josué, filho de Num.

17

Elias prediz contra Acabe, e é sustentado pelos corvos

171ENTÃO Elias, o tesbita, dos moradores de Gileade, disse a Acabe: Vive o Senhor,

17.1:
Dt 10.8
2Rs 3.14
Lc 4.25
Tg 5.17
Deus de Israel, perante cuja face estou, que nestes anos nem orvalho nem chuva haverá senão segundo a minha palavra. 2Depois veio a ele a palavra do Senhor, dizendo: 3Vai-te daqui, e vira-te para o oriente, e esconde-te junto ao ribeiro de Carite, que está diante do Jordão. 4E há de ser que beberás do ribeiro: e eu tenho ordenado aos corvos que ali te sustentem. 5Foi pois, e fez conforme à palavra do Senhor: porque foi, e habitou junto ao ribeiro de Carite, que está diante do Jordão. 6E os corvos lhe traziam pão e carne pela manhã; como também pão e carne à noite: e bebia do ribeiro. 7E sucedeu que, passados dias, o ribeiro se secou; porque não tinha havido chuva na terra.

A viúva de Sarepta

8Então veio a ele a palavra do Senhor, dizendo: 9Levanta-te, e vai a

17.9:
Ob 20
Lc 4.26
Sarepta, que é de Sidom, e habita ali, eis que eu ordenei ali a uma mulher viúva que te sustente. 10Então ele se levantou, e se foi a Sarepta; e, chegando à porta da cidade, eis que estava ali uma mulher viúva apanhando lenha; e ele a chamou, e lhe disse: Traze-me, peço-te, num vaso um pouco de água que beba. 11E, indo ela a buscá-la, ele a chamou e lhe disse: Traze-me agora também um bocado de pão na tua mão. 12Porém ela disse: Vive o Senhor teu Deus, que nem um bolo tenho, senão somente um punhado de farinha numa panela, e um pouco de azeite numa botija; e vês aqui, apanhei dois cavacos, e vou prepará-lo para mim e para o meu filho, para que o comamos, e morramos. 13E Elias lhe disse: Não temas; vai, faze conforme à tua palavra: porém faze disso primeiro para mim um bolo pequeno e traze-mo para fora; depois farás para ti e para teu filho. 14Porque assim diz o Senhor Deus de Israel: A farinha da panela não se acabará, e o azeite da botija não faltará, até ao dia em que o Senhor dê chuva sobre a terra. 15E foi ela, e fez conforme à palavra de Elias: e assim comeu ela, e ele, e a sua casa muitos dias. 16Da panela a farinha se não acabou, e da botija o azeite não faltou: Conforme à palavra do Senhor, que falara pelo ministério de Elias. 17E depois destas cousas sucedeu que, adoeceu o filho desta mulher, da dona da casa: e a sua doença se agravou muito, até que nele nenhum fôlego ficou. 18Então ela disse a Elias:
17.18:
Lc 5.8
Que tenho eu contigo, homem de Deus? Vieste tu a mim para trazeres à memória a minha iniquidade, e matares a meu filho? 19E ele lhe disse: Dá-me o teu filho. E ele o tomou do seu regaço, e o levou para cima, ao quarto, onde ele mesmo habitava, e o deitou em sua cama, 20E clamou ao Senhor e disse: Ó Senhor meu Deus, também até a esta viúva, com quem eu moro, afligiste, matando-lhe seu filho? 21Então
17.21:
2Rs 4.34-35
se mediu sobre o menino três vezes, e clamou ao Senhor, e disse: Ó Senhor meu Deus, rogo-te que torne a alma deste menino a entrar nele. 22E o Senhor ouviu a voz de Elias; e a alma do menino tornou a entrar nele,
17.22:
Hb 11.35
e reviveu. 23E Elias tomou o menino, e o trouxe do quarto à casa, e o deu a sua mãe; e disse Elias: Vês , teu filho vive. 24Então a mulher disse a Elias: Nisto conheço
17.24:
Jo 3.2
16.30
agora que tu és homem de Deus, e que a palavra do Senhor na tua boca é verdade.

18

Elias apresenta-se diante de Acabe

181E SUCEDEU que, depois

18.1:
Dt 28.12
Lc 4.25
Tg 5.17
de muitos dias a palavra do Senhor veio a Elias no terceiro ano, dizendo: Vai, mostra-te a Acabe; porque darei chuva sobre a terra. 2E foi Elias mostrar-se a Acabe: e a fome era extrema em Samaria. 3E Acabe chamou a Obadias, o mordomo: e Obadias temia muito ao Senhor, 4Porque sucedeu que, destruindo Jezabel os profetas do Senhor, Obadias tomou cem profetas, e de cinquenta em cinquenta os escondeu, numa cova, e os sustentou com pão e água. 5E dissera Acabe a Obadias: Vai pela terra a todas as fontes de água, e a todos os rios: pode ser que achemos erva, para que em vida conservemos os cavalos e mulas, e não estejamos privados dos animais. 6E repartiram entre si a terra, para passarem por ela: Acabe foi à parte por um caminho, e Obadias também foi à parte por outro caminho. 7Estando pois Obadias já em caminho, eis que Elias o encontrou; e, conhecendo-o ele, prostrou-se sobre o seu rosto e disse: És tu o meu senhor Elias? 8E disse-lhe ele: Eu sou: vai, e dize a teu senhor: Eis que aqui está Elias. 9Porém ele disse: Em que pequei, para que entregues teu servo na mão de Acabe, para que me mate? 10Vive o Senhor teu Deus, que não houve nação nem reino aonde o meu senhor não mandasse em busca de ti; e dizendo eles: Aqui não está, então ajuramentava os reinos e as nações, se eles te não tinham achado. 11E agora dizes tu: Vai, dize a teu senhor: Eis que aqui está Elias. 12E poderia ser que, apartando-me eu de ti,
18.12:
2Rs 2.16
Ez 3.12,14
Mt 4.1
At 8.39
o Espírito do Senhor te tomasse, não sei para onde, e, vindo eu a dar as novas a Acabe, e não te achando ele, me mataria: porém eu, teu servo, temo ao Senhor desde a minha mocidade. 13Porventura não disseram a meu senhor o que fiz, quando Jezabel matava os profetas do Senhor, como escondi a cem homens dos profetas do Senhor, de cinquenta em cinquenta, numas covas, e os sustentei com pão e água? 14E agora dizes tu: Vai, dize a teu senhor: Eis que aqui está Elias: e me mataria. 15E disse Elias: Vive o Senhor dos Exércitos, perante cuja face estou, que deveras hoje me mostrarei a ele. 16Então foi Obadias encontrar-se com Acabe, e lho anunciou: e foi Acabe encontrar-se com Elias. 17E sucedeu que, vendo Acabe a Elias, disse-lhe Acabe:
18.17:
Js 7.25
1Rs 21.20
At 16.20
És tu o perturbador de Israel? 18Então disse ele: Eu não tenho perturbado a Israel, mas tu e a casa de teu pai, porque deixastes
18.18:
2Cr 15.2
os mandamentos do Senhor, e seguistes a Baalim. 19Agora pois envia, ajunta a mim todo o Israel no monte Carmelo; como também os quatrocentos e cinquenta profetas de Baal
18.19:
1Rs 16.33
e os quatrocentos profetas de Asera, que comem da mesa de Jezabel. 20Então enviou Acabe a todos os filhos de Israel: e ajuntou os
18.20:
1Rs 22.6
profetas no monte Carmelo. 21Então Elias se chegou a todo o povo, e disse: Até quando
18.21:
Js 24.15
2Rs 17.41
Mt 6.24
coxeareis entre dois pensamentos? Se o Senhor é Deus, segui-o; e se Baal, segui-o. Porém o povo lhe não respondeu nada.

Elias e os profetas de Baal

22Então disse Elias ao povo: Eu só

18.22:
1Rs 18.19
19.10,14
fiquei por profeta do Senhor e os profetas de Baal são quatrocentos e cinquenta homens. 23Deem-se-nos pois dois bezerros, e eles escolham para si um dos bezerros, e o dividam em pedaços, e o ponham sobre a lenha, porém não lhe metam fogo, e eu prepararei o outro bezerro, e o porei sobre a lenha, e não lhe meterei fogo. 24Então invocai o nome do vosso deus, e eu invocarei o nome do Senhor: e há de ser que o deus que responder por fogo
18.24:
1Rs 18.38
1Cr 21.23
esse será Deus. E todo o povo respondeu, e disseram: É boa esta palavra. 25E disse Elias aos profetas de Baal: Escolhei para vós um dos bezerros, e preparai-o primeiro, porque sois muitos, e invocai o nome do vosso deus, e não lhe metais fogo. 26E tomaram o bezerro que lhes dera, e o prepararam; e invocaram o nome de Baal, desde a manhã até ao meio-dia, dizendo: Ah! Baal, responde-nos! Porém nem havia
18.26:
Jr 10.5
1Co 8.4
12.2
voz, nem quem respondesse: e saltavam sobre o altar que se tinha feito. 27E sucedeu que ao meio-dia Elias zombava deles, e dizia: Clamai em altas vozes, porque ele é um deus; pode ser que esteja falando, ou que tenha alguma cousa que fazer, ou que intente alguma viagem; porventura dorme, e despertará. 28E eles clamavam a grandes vozes, e se retalhavam com facas
18.28:
Lv 19.28
Dt 14.1
e com lancetas, conforme ao seu costume, até derramarem sangue sobre si. 29E sucedeu que, passado o meio-dia, profetizaram
18.29:
1Rs 18.26
1Co 11.4-5
eles, até que a oferta de manjares se oferecesse: porém não houve voz, nem resposta, nem atenção alguma, 30Então Elias disse a todo o povo: Chegai-vos a mim. E todo o povo se chegou a ele; e reparou
18.30:
1Rs 19.10
o altar do Senhor, que estava quebrado. 31E Elias tomou doze pedras, conforme ao número das tribos dos filhos de Jacó, ao qual veio a palavra do Senhor, dizendo:
18.31:
Gn 32.28
35.10
2Rs 17.34
Israel será o teu nome. 32E com aquelas pedras edificou o altar em nome
18.32:
Cl 3.17
do Senhor: depois fez um rego em redor do altar, segundo a largura de duas medidas de semente. 33Então armou a lenha, e dividiu o bezerro em pedaços, e o pôs sobre
18.33:
Lv 1.6-8
a lenha, 34E disse: Enchei de água quatro cântaros, e derramai-a
18.34:
Jz 6.20
sobre o holocausto e sobre a lenha. E disse: Fazei-o segunda vez: e o fizeram segunda vez. Disse ainda: Fazei-o terceira vez: e o fizeram terceira vez: 35De maneira que a água corria ao redor do altar: e ainda até o
18.35:
1Rs 18.32,38
rego encheu de água. 36Sucedeu pois que, oferecendo-se a oferta de manjares, o profeta Elias se chegou, e disse: Ó Senhor, Deus de Abraão,
18.36:
Êx 3.6
Nm 16.28
1Rs 8.43
2Rs 19.19
de Isaque e de Israel, manifeste-se hoje que tu és Deus em Israel, e que eu sou teu servo, e que conforme à tua palavra fiz todas estas cousas. 37Responde-me, Senhor, responde-me, para que este povo conheça que tu, Senhor, és Deus, e que tu fizeste tornar o seu coração para trás. 38Então caiu fogo
18.38:
Lv 9.24
Jz 6.21
1Cr 21.26
2Cr 7.1
do Senhor, e consumiu o holocausto, e a lenha, e as pedras, e o pó, e ainda lambeu a água que estava no rego. 39O que vendo todo o povo, caíram sobre os seus rostos, e disseram: o Senhor é Deus!
18.39:
1Rs 18.24
o Senhor é Deus! 40E Elias lhes disse:
18.40:
2Rs 10.25
Lançai mão dos profetas de Baal, que nenhum deles escape. E lançaram mão deles: e Elias os fez descer ao ribeiro de Quisom, e ali os
18.40:
Dt 13.5
18.20
matou. 41Então disse Elias a Acabe: Sobe, come e bebe, porque ruído há duma abundante chuva. 42E Acabe subiu a comer e a beber: mas Elias subiu ao cume do Carmelo, e se inclinou
18.42:
Tg 5.17-18
por terra, e meteu o seu rosto entre os seus joelhos. 43E disse ao seu moço: sobe agora, e olha para a banda do mar. E subiu, e olhou, e disse: Não há nada. Então disse ele: Torna sete vezes. 44E sucedeu que, à sétima vez, disse: Eis aqui uma pequena nuvem, como a mão dum homem, subindo do mar. Então disse ele: Sobe, e dize a Acabe: Aparelha o teu carro, e desce, para que a chuva te não apanhe. 45E sucedeu que, entretanto, os céus se enegreceram com nuvens e vento, e veio uma grande chuva: e Acabe subiu ao carro, e foi para Jezreel. 46E a mão do Senhor estava sobre Elias, o qual cingiu
18.46:
2Rs 4.29
9.1
os lombos, e veio correndo perante Acabe, até à entrada de Jezreel.