Almeida Revista e Corrigida (1969) (RC69)
2

O caráter da pregação de Paulo em Corinto

21E EU, irmãos, quando fui ter convosco, anunciando-vos o testemunho de Deus, não fui com sublimidade de palavras ou de sabedoria. 2Porque nada me propus saber entre vós, senão a Jesus Cristo, e este crucificado. 3E eu estive convosco em fraqueza, e em temor, e em grande tremor. 4A minha palavra, e a minha pregação, não consistiu em palavras persuasivas de sabedoria humana, mas em demonstração de Espírito e de poder; 5Para que a vossa fé não se apoiasse em sabedoria dos homens, mas no poder de Deus. 6Todavia falamos sabedoria entre os perfeitos; não porém a sabedoria deste mundo, nem dos príncipes deste mundo que se aniquilam; 7Mas falamos a sabedoria de Deus oculta em mistério, a qual Deus ordenou antes dos séculos para nossa glória; 8A qual nenhum dos príncipes deste mundo conheceu; porque, se a conhecessem, nunca crucificariam ao Senhor da glória. 9Mas, como está escrito: As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, e não subiram ao coração do homem, são as que Deus preparou para os que o amam. 10Mas Deus no-las revelou pelo seu Espírito; porque o Espírito penetra todas as coisas, ainda as profundezas de Deus. 11Porque, qual dos homens sabe as coisas do homem, senão o espírito do homem, que nele está? assim também ninguém sabe as coisas de Deus, senão o Espírito de Deus. 12Mas nós não recebemos o espírito do mundo, mas o Espírito que provém de Deus, para que pudéssemos conhecer o que nos é dado gratuitamente por Deus. 13As quais também falamos, não com palavras de sabedoria humana, mas com as que o Espírito Santo ensina, comparando as coisas espirituais com as espirituais. 14Ora o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente. 15Mas o que é espiritual discerne bem tudo, e ele de ninguém é discernido. 16Porque, quem conheceu a mente do Senhor, para que possa instruí-lo? Mas nós temos a mente de Cristo.

3

O espírito mundano causa dissensões nas igrejas

31E EU, irmãos, não vos pude falar como a espirituais, mas como a carnais, como a meninos em Cristo. 2Com leite vos criei, e não com manjar, porque ainda não podíeis, nem tão pouco ainda agora podeis; 3Porque ainda sois carnais: pois, havendo entre vós inveja, contendas e dissensões, não sois porventura carnais, e não andais segundo os homens? 4Porque, dizendo um: Eu sou de Paulo; e outro: Eu de Apolos: porventura não sois carnais? 5Pois quem é Paulo, e quem é Apolos, senão ministros pelos quais crestes, e conforme o que o Senhor deu a cada um? 6Eu plantei; Apolos regou; mas Deus deu o crescimento. 7Pelo que, nem o que planta é alguma coisa, nem o que rega, mas Deus, que dá o crescimento. 8Ora o que planta e o que rega são um; mas cada um receberá o seu galardão segundo o seu trabalho. 9Porque nós somos cooperadores de Deus: vós sois lavoura de Deus e edifício de Deus. 10Segundo a graça de Deus que me foi dada, pus eu, como sábio arquiteto, o fundamento, e outro edifica sobre ele; mas veja cada um como edifica sobre ele. 11Porque ninguém pode pôr outro fundamento, além do que está posto, o qual é Jesus Cristo. 12E, se alguém sobre este fundamento formar um edifício de ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha, 13A obra de cada um se manifestará: na verdade o dia a declarará, porque pelo fogo será descoberta; e o fogo provará qual seja a obra de cada um. 14Se a obra que alguém edificou nessa parte permanecer, esse receberá galardão. 15Se a obra de alguém se queimar, sofrerá detrimento; mas o tal será salvo, todavia como pelo fogo. 16Não sabeis vós que sois o templo de Deus, e que o Espírito de Deus habita em vós? 17Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá; porque o templo de Deus, que sois vós, é santo. 18Ninguém se engane a si mesmo: se alguém dentre vós se tem por sábio neste mundo, faça-se louco para ser sábio. 19Porque a sabedoria deste mundo é loucura diante de Deus; pois está escrito: Ele apanha os sábios na sua própria astúcia. 20E outra vez: O Senhor conhece os pensamentos dos sábios, que são vãos. 21Portanto ninguém se glorie nos homens; porque tudo é vosso; 22Seja Paulo, seja Apolos, seja Cefas, seja o mundo, seja a vida, seja a morte, seja o presente, seja o futuro, tudo é vosso, 23E vós de Cristo, e Cristo de Deus.

4

Os ministros e despenseiros dos mistérios de Deus

41QUE os homens nos considerem como ministros de Cristo, e despenseiros dos mistérios de Deus. 2Além disso requer-se nos despenseiros que cada um se ache fiel. 3Todavia, a mim mui pouco se me dá de ser julgado por vós, ou por algum juízo humano; nem eu tão pouco a mim mesmo me julgo. 4Porque em nada me sinto culpado; mas nem por isso me considero justificado; pois quem me julga é o Senhor. 5Portanto nada julgueis antes de tempo, até que o Senhor venha, o qual também trará à luz as coisas ocultas das trevas, e manifestará os desígnios dos corações; e então cada um receberá de Deus o louvor.

A vanglória dos coríntios. A humildade e autoridade do apóstolo

6E eu, irmãos, apliquei estas coisas, por semelhança, a mim e a Apolos, por amor de vós; para que em nós aprendais a não ir além do que está escrito, não vos ensoberbecendo a favor de um contra outro. 7Porque, quem te diferença? E que tens tu que não tenhas recebido? E, se o recebeste, por que te glorias como se não o houveras recebido? 8Já estais fartos! já estais ricos! sem nós reinais! e oxalá reinásseis para que também nós reinemos convosco! 9Porque tenho para mim, que Deus a nós, apóstolos, nos pôs por últimos, como condenados à morte; pois somos feitos espetáculo ao mundo, aos anjos, e aos homens. 10Nós somos loucos por amor de Cristo, e vós sábios em Cristo: nós fracos, e vós fortes: vós ilustres, e nós vis. 11Até esta presente hora sofremos fome, e sede, e estamos nus, e recebemos bofetadas, e não temos pousada certa. 12E nos afadigamos, trabalhando com nossas próprias mãos: somos injuriados, e bendizemos: somos perseguidos, e sofremos: 13Somos blasfemados, e rogamos: até ao presente temos chegado a ser como o lixo deste mundo, e como a escória de todos. 14Não escrevo estas coisas para vos envergonhar; mas admoesto-vos como meus filhos amados. 15Porque ainda que tivésseis dez mil aios em Cristo não teríeis contudo muitos pais; porque eu pelo evangelho vos gerei em Jesus Cristo. 16Admoesto-vos portanto a que sejais meus imitadores. 17Por esta causa vos mandei Timóteo, que é meu filho amado, e fiel no Senhor: o qual vos lembrará os meus caminhos em Cristo, como por toda a parte ensino em cada igreja. 18Mas alguns andam inchados, como se eu não houvesse de ir ter convosco. 19Mas em breve irei ter convosco, se o Senhor quiser, e então conhecerei, não as palavras dos que andam inchados, mas a virtude. 20Porque o reino de Deus não consiste em palavras, mas em virtude. 21Que quereis? Irei ter convosco com vara ou com amor e espírito de mansidão?