Nova Tradução na Linguagem de Hoje (2000) (NTLH)
7

O jejum falso

71No dia quatro do mês nove, chamado quisleu, do quarto ano do reinado de Dario, o Senhor Deus me deu uma mensagem. 2Isso aconteceu quando o povo de Betel enviou Sarezer e Regém-Meleque, com os seus companheiros, ao Templo do Senhor Todo-Poderoso para pedirem a ajuda dele. 3E deviam também fazer aos sacerdotes do Templo e aos profetas a seguinte pergunta:

— Faz muitos anos que nós choramos e jejuamos no quinto mês, o mês em que o Templo foi destruído. Devemos continuar fazendo isso?

4Então o Senhor Todo-Poderoso falou comigo 5e mandou que eu dissesse o seguinte ao povo e aos sacerdotes:

— Já faz setenta anos7.5 Ver Zc 1.12, nota. que vocês choram e jejuam no quinto mês e também no sétimo. Mas não é em minha honra que vocês fazem isso. 6E, quando comem e bebem, é só para satisfazer os seus próprios desejos.

7Essa mensagem foi a mesma que o Senhor Deus tinha dado antes por meio dos profetas antigos, quando Jerusalém estava em paz e tinha muitos moradores. E o mesmo acontecia nas cidades ao redor e nas cidades da região sul e nas planícies de Judá.

A causa do cativeiro

8O Senhor Deus falou com Zacarias e disse:

9— Eu, o Senhor Todo-Poderoso, tinha ordenado isto ao povo: “Sejam honestos e corretos e tratem uns aos outros com bondade e compaixão. 10Não explorem as viúvas, nem os órfãos, nem os estrangeiros que moram com vocês, nem os pobres. E não façam planos para prejudicar os seus patrícios.” 11Porém eles se revoltaram e não quiseram obedecer. Viraram as costas para mim e taparam os ouvidos para não ouvir as minhas ordens. 12Tornaram os corações deles duros como o diamante a fim de não obedecer à Lei e às mensagens que eu, por meio do meu Espírito, dei aos profetas antigos. Por isso, eu fiquei muito irado com eles. 13E assim como eles não quiseram ouvir quando eu falei, assim também eu não vou escutar quando eles orarem a mim. Sou eu, o Senhor Todo-Poderoso, quem está falando. 14Como um furacão, eu os espalhei por todos os países estrangeiros, e a terra de onde saíram ficou tão arrasada, que ninguém podia viver lá. Uma terra tão boa e tão rica virou um deserto!

8

Promessas de Deus

81O Senhor Todo-Poderoso falou comigo e disse:

2— Eu tenho um grande amor por Jerusalém, um amor que me faz ficar irado contra os seus inimigos. 3Eu voltarei para Jerusalém e ali morarei. Então Jerusalém será chamada de “Cidade Fiel”, e o monte do Senhor Todo-Poderoso será chamado de “Monte Santo”. 4Mais uma vez, os velhinhos e as velhinhas, com as suas bengalas na mão, vão se sentar nas praças de Jerusalém. 5E as praças ficarão cheias de meninos e meninas brincando. 6Isso pode parecer impossível aos que voltaram do cativeiro na Babilônia, mas não é impossível para mim, o Senhor Todo-Poderoso. 7Vou salvar o meu povo; eu os tirarei dos países do Leste e do Oeste, para onde foram levados como prisioneiros, 8e os trarei de volta para Jerusalém, onde ficarão morando. Eles serão o meu povo, e eu serei o seu Deus e os governarei com justiça e fidelidade.

9O Senhor Todo-Poderoso diz:

— Portanto, tenham coragem, todos os que estão ouvindo agora o mesmo que os profetas disseram quando se começou a reconstrução do Templo do Senhor Todo-Poderoso e foram colocados os seus alicerces. 10Pois até aquele tempo não havia dinheiro para pagar os trabalhadores, e os animais de carga não rendiam dinheiro para os seus donos. Havia tantos inimigos, que ninguém vivia seguro, pois eu fiz com que todos fossem inimigos uns dos outros. 11Mas eu, o Senhor Todo-Poderoso, prometo que agora não vou tratar os que restam deste povo como fiz no passado. 12Eles semearão as suas terras em paz; as parreiras darão uvas, a terra dará boas colheitas, e cairá chuva do céu. Darei tudo isso aos que restarem do meu povo. 13Moradores de Judá e de Israel! No passado os povos de outras nações maldiziam uns aos outros assim: “Que Deus os castigue como castigou o povo de Judá e de Israel!” Mas eu vou salvar vocês, e no futuro aqueles mesmos povos dirão uns aos outros: “Que Deus os abençoe como abençoou o povo de Judá e de Israel!” Não fiquem com medo! Tenham coragem!

14O Senhor Todo-Poderoso diz ao povo:

— Quando os seus antepassados me fizeram ficar irado, eu os castiguei, como havia resolvido antes. Não mudei de ideia. 15E agora resolvi abençoar o povo de Jerusalém e de Judá e não vou mudar de ideia. Portanto, não fiquem com medo. 16São estas as coisas que vocês devem fazer: digam todos a verdade uns aos outros e decidam com justiça os casos nos tribunais a fim de que haja paz.

8.16
Ef 4.25
17Porém não façam planos para prejudicar uns aos outros e não jurem falso, pois eu, o Senhor, odeio tudo isso.

18O Senhor Todo-Poderoso falou comigo e disse:

19— Os jejuns do quarto, quinto, sétimo e décimo meses de cada ano vão virar dias de alegria, dias de festa para o povo de Judá. Portanto, amem a verdade e a paz.

20O Senhor Todo-Poderoso diz:

— Vai chegar o dia em que moradores de muitas cidades virão até Jerusalém. 21Os moradores de uma cidade dirão aos de outra cidade: “Nós vamos adorar o Senhor Todo-Poderoso e pedir que ele nos abençoe!” E os outros responderão: “Pois nós vamos com vocês!” 22Muitos povos e nações poderosas virão a Jerusalém para adorar o Senhor Todo-Poderoso e pedirem que ele os abençoe. 23Naqueles dias, dez estrangeiros irão agarrar um judeu para lhe dizer: “Nós queremos seguir a sua religião, pois ouvimos dizer que Deus está com vocês.”

9

O castigo das nações vizinhas

91Esta é a mensagem de Deus, o Senhor: ele anuncia que a terra de Hadraque e a cidade de Damasco serão castigadas. Tanto as cidades da Síria como as tribos de Israel são do Senhor.

9.1
Is 17.1-3
Jr 49.23-27
Am 1.3-5
2A cidade de Hamate, que fica perto daquelas cidades, também é do Senhor, e as cidades de Tiro e de Sidom, com toda a sua cultura, também são dele. 3O povo de Tiro construiu fortalezas para se proteger e amontoou tanta prata como se fosse pó e tanto ouro como se fosse lama. 4Mas o Senhor vai levar tudo embora; ele jogará no mar as riquezas de Tiro, e a cidade será destruída por um incêndio.
9.1-4
Is 23.1-18
Ez 26.1—28.26
Jl 3.4-8
Am 1.9-10
Mt 11.21-22
Lc 10.13-14
5Quando os moradores da cidade de Asquelom souberem disso, ficarão com medo. O povo de Gaza também vai sofrer muito, e o povo de Ecrom perderá toda a esperança. O rei de Gaza morrerá, e Asquelom ficará sem moradores. 6Mestiços morarão em Asdode.

O Senhor diz:

— Eu vou humilhar esses filisteus orgulhosos. 7Não vou deixar que comam carne com sangue nem qualquer outra comida impura. Os que sobrarem desse povo serão meus e farão parte da tribo de Judá. Os moradores de Ecrom também farão parte do meu povo, como aconteceu com os jebuseus9.7 Os primeiros moradores de Jerusalém, que foram dominados pelo rei Davi quando ele conquistou a cidade (ver 1Cr 11.4-9)..

9.5-7
Is 14.29-31
Jr 47.1-7
Ez 25.15-17
Jl 3.4-8
Am 1.6-8
8Vou defender o meu povo dos seus inimigos e não vou deixar que os exércitos deles invadam a minha terra. Nunca mais haverá um chefe cruel dominando o meu povo, pois eu tenho visto como tem sofrido.

O futuro rei de Israel

9Alegre-se muito, povo de Sião!

Moradores de Jerusalém, cantem de alegria,

pois o seu rei está chegando.

Ele vem triunfante e vitorioso;

mas é humilde, e está montado num jumento,

num jumentinho, filho de jumenta.

9.9
Mt 21.5
Jo 12.15

10Ele acabará com os carros de guerra de Israel

e com a cavalaria de Jerusalém;

os arcos e as flechas serão destruídos.

Ele fará com que as nações vivam em paz;

o seu reino irá de um mar a outro,

e desde o rio Eufrates até os fins da terra.

9.10
Sl 72.8

A futura grandeza de Israel

11O Senhor Deus diz:

“Moradores de Jerusalém,

eu fiz uma aliança com vocês,

que foi selada com sangue.

Por isso, vou tirar o seu povo do cativeiro,

daquele poço sem água.

9.11
Êx 24.8

12Prisioneiros, voltem para a sua fortaleza;

voltem todos os que ainda têm esperança.

Pois vou lhes dar duas vezes mais bênçãos

do que os castigos que vocês receberam.

13Vou usar Judá como arco de guerra,

e o povo de Israel será as flechas.

Os homens de Jerusalém serão a minha espada,

e com ela vou fazer guerra contra a Grécia.”

14O Senhor aparecerá sobre o seu povo

e atirará as suas flechas como se fossem relâmpagos.

O Senhor tocará a corneta

e avançará no meio das tempestades do Sul.

15O Senhor Todo-Poderoso protegerá o seu povo;

eles derrotarão os soldados inimigos

e destruirão as suas armas;

beberão o sangue dos inimigos como se fosse vinho

e ficarão cheios como uma taça de vinho

quando é derramado em cima do altar.

16Naquele dia, o Senhor salvará o seu povo

como um pastor salva as suas ovelhas;

eles brilharão no seu país

como pedras preciosas numa coroa.

17Como será bom e belo esse país!

Haverá trigo e vinho com fartura,

e os moços e as moças crescerão fortes e bonitos.