Nova Tradução na Linguagem de Hoje (2000) (NTLH)
3

31Noites e noites, na minha cama,

eu procurei o meu amado;

procurei, porém não o encontrei.

2Então me levantei e andei por toda a cidade,

pelas ruas e pelas praças.

Eu procurei o meu amado;

procurei, mas não o pude achar.

3Os guardas que patrulham a cidade me encontraram,

e eu perguntei: “Vocês viram o meu amado?”

4E, logo que saí de perto deles,

eu o encontrei.

Eu abracei o meu amado e não o deixei ir embora

até que ele foi comigo à casa da minha mãe,

ao quarto daquela que me deu à luz.

5Mulheres de Jerusalém,

prometam e jurem,

pelas gazelas e pelas corças selvagens,

que vocês não vão perturbar o nosso amor.

Terceira canção

Ela

6O que é aquilo que vem subindo do deserto?

Parece uma nuvem de fumaça de mirra, e de incenso,

e de todo tipo de perfumes vendidos pelos mercadores.

7É a liteira3.7 Cadeira coberta, sustentada por dois cabos de madeira e carregada por dois animais ou dois homens, um na frente e o outro atrás. do rei Salomão;

sessenta soldados, os melhores de Israel,

formam a sua guarda pessoal.

8Todos eles sabem usar bem a espada

e são treinados para a guerra.

Cada um está armado com uma espada,

por causa dos perigos da noite.

9A liteira que o rei Salomão mandou fazer

era de madeira da melhor qualidade.

10As suas colunas eram cobertas de prata,

e o seu teto era de tecido bordado a ouro.

As suas almofadas, forradas de fino tecido vermelho,

foram feitas com carinho pelas mulheres de Jerusalém.

11Mulheres de Sião, venham ver o rei!

O rei Salomão está usando a coroa

que recebeu da sua mãe

no dia do seu casamento,

naquele dia de tanta felicidade.

4
Ele

41Como você é bela, minha querida!

Como você é linda!

Como os seus olhos brilham de amor atrás do véu!

Os seus cabelos ondulados são como um rebanho de cabras

descendo as montanhas de Gileade.

2Os seus dentes são brancos como ovelhas com a lã cortada,

que acabaram de ser lavadas.

Nenhum deles está faltando,

e todos são bem-alinhados.

3Os seus lábios são como uma fita vermelha,

e a sua boca é linda.

O seu rosto corado brilha atrás do véu.

4Você tem o pescoço roliço e macio,

elegante como a torre de Davi,

onde estão pendurados mil escudos,

parte das armaduras de soldados valentes.

5Os seus seios parecem duas crias,

crias gêmeas de uma gazela, pastando entre os lírios.

6Eu irei até a montanha da mirra,

até a montanha do incenso,

enquanto o dia ainda está fresco

e a escuridão está desaparecendo.

7Como você é linda, minha querida!

Como você é perfeita!

8Desça comigo dos montes Líbanos, minha noiva!

Desça do alto dos montes,

do Amana, do Senir e do Hermom,

onde vivem os leões e os leopardos.

9Com um só olhar, minha noiva, meu amor,

com uma só pérola do seu colar,

você me roubou o coração.

10Como são deliciosas as suas carícias,

minha namorada, minha noiva!

O seu amor é melhor do que o vinho;

o seu perfume é o mais agradável que existe.

11Os seus lábios têm gosto de mel, minha querida.

A sua língua é para mim como leite e mel,

e os seus vestidos têm o cheiro dos montes Líbanos.

12Minha noiva, meu amor, você é como um jardim cercado e fechado;

é uma fonte particular.

13Nesse jardim as plantas crescem bem.

Crescem como um pomar de romãs

e dão as melhores frutas.

Nele existe hena e nardo;

14existe nardo e açafrão, canela e jasmim-azul

e todas as espécies de incenso.

Há também mirra e aloés

e outras plantas perfumosas.

15Você é a fonte do meu jardim,

a corrente de água doce,

o ribeirão que corre dos montes Líbanos.

Ela

16Levante-se, vento norte!

Venha, vento sul! Sopre sobre o meu jardim

e encha o ar de perfume.

Deixe que o meu querido venha ao seu jardim

e coma as suas melhores frutas.

5
Ele

51Já entrei no meu jardim,

minha noiva, minha querida.

Estou colhendo mirra e outras plantas perfumosas;

estou comendo o meu favo de mel

e bebendo o meu vinho e o meu leite.

Coro

Vocês que se amam,

comam e bebam,

até ficarem embriagados de amor!

Quarta canção

Ela

2Eu dormia, mas o meu coração estava acordado.

Então ouvi o meu amado bater na porta.

Ele

Deixe-me entrar, minha querida, meu amor,

minha pombinha sem defeito.

A minha cabeça está molhada de sereno,

e o meu cabelo está úmido de orvalho.

Ela

3Eu já tirei a roupa;

será que preciso me vestir de novo?

Já lavei os pés;

por que sujá-los outra vez?

4O meu amor passou a mão pela abertura da porta,

e o meu coração estremeceu.

5Eu já estava pronta para deixar o meu querido entrar.

As minhas mãos estavam cobertas de mirra,

e os meus dedos também,

e eu segurava o trinco da porta.

6Então abri a porta para o meu amor,

mas ele já havia ido embora.

Como eu queria ouvir a sua voz!

Procurei-o, porém não o pude achar;

chamei-o, mas ele não respondeu.

7Os guardas que patrulhavam a cidade me encontraram;

eles me bateram e me machucaram;

e os guardas das muralhas da cidade me arrancaram a capa.

8Prometam, mulheres de Jerusalém:

se vocês encontrarem o meu amado,

digam que estou morrendo de amor.

Coro

9Você, a mais bela das mulheres, responda:

será que o seu amado é melhor do que os outros?

O que é que ele tem de tão maravilhoso

para fazermos essa promessa a você?

Ela

10-11Entre dez mil homens,

o meu amado é o mais bonito e o mais forte.

O seu belo rosto é corado;

os seus cabelos são compridos, e ondulados,

e pretos como as penas de um corvo.

12Os seus olhos são como os olhos das pombas

na beira de um riacho;

pombas brancas como leite,

banhando-se ao lado da correnteza.

13O seu rosto é bonito como um jardim

de plantas perfumosas.

Os seus lábios são como lírios

que deixam cair pingos de mirra preciosa.

14As suas mãos são bem-feitas

e enfeitadas com anéis de ouro e pedras preciosas.

A sua cintura é como marfim polido,

coberto de safiras.

15As suas pernas são colunas de mármore

assentadas sobre bases de ouro puro.

O meu amado parece um dos montes Líbanos

e é elegante como os cedros.

16É doce beijar a sua boca,

e tudo nele me agrada.

Assim é o meu amado, assim é o meu noivo,

mulheres de Jerusalém.