Nova Tradução na Linguagem de Hoje (2000) (NTLH)
2

21Eu sou a rosa dos campos de Sarom;

sou o lírio dos vales.

Ele

2Como um lírio entre os espinhos,

assim é a minha amada entre as outras mulheres.

Ela

3Como a macieira entre as árvores da floresta,

assim é o meu amado entre os outros homens.

Eu me sinto feliz nos seus braços,

e os seus carinhos são doces para mim.

4Ele me levou ao salão de festas,

e ali nós nos entregamos ao amor.

5Tragam passas para eu recuperar as minhas forças

e maçãs para me refrescar,

pois estou desmaiando de amor.

6A sua mão esquerda está debaixo da minha cabeça,

e a direita me abraça.

7Mulheres de Jerusalém,

prometam e jurem,

pelas gazelas e pelas corças selvagens,

que vocês não vão perturbar o nosso amor.

Segunda canção

Ela

8Estou ouvindo a voz do meu amor.

Ele vem depressa, descendo as montanhas,

correndo pelos montes.

9O meu amado é como uma gazela;

é como um filhote de corço.

O meu querido está ali, do lado de fora da nossa casa.

Ele está olhando para dentro, pelas janelas;

está me espiando pelas grades.

10O meu amor está falando comigo.

Ele

Venha então, minha querida;

venha comigo, meu amor.

11O inverno já foi, a chuva passou,

12e as flores aparecem nos campos.

É tempo de cantar;

ouve-se nos campos o canto das rolinhas.

13Os figos estão começando a amadurecer,

e já se pode sentir o perfume das parreiras em flor.

Venha então, meu amor.

Venha comigo, minha querida.

14Você está escondida como uma pomba

na fenda de uma rocha.

Mostre-me o seu rosto;

deixe-me ouvir a sua voz;

pois a sua voz é suave,

e o seu rosto é lindo.

15Peguem as raposas, apanhem as raposinhas,

antes que elas estraguem a nossa plantação de uvas,

que está em flor.

Ela

16O meu querido é meu, e eu sou dele.

Ele leva as suas ovelhas para pastarem entre os lírios,

17enquanto o dia ainda está fresco

e a escuridão está desaparecendo.

Meu querido, volte depressa,

correndo como uma gazela,

como um filhote de corço nos montes de Beter.

3

31Noites e noites, na minha cama,

eu procurei o meu amado;

procurei, porém não o encontrei.

2Então me levantei e andei por toda a cidade,

pelas ruas e pelas praças.

Eu procurei o meu amado;

procurei, mas não o pude achar.

3Os guardas que patrulham a cidade me encontraram,

e eu perguntei: “Vocês viram o meu amado?”

4E, logo que saí de perto deles,

eu o encontrei.

Eu abracei o meu amado e não o deixei ir embora

até que ele foi comigo à casa da minha mãe,

ao quarto daquela que me deu à luz.

5Mulheres de Jerusalém,

prometam e jurem,

pelas gazelas e pelas corças selvagens,

que vocês não vão perturbar o nosso amor.

Terceira canção

Ela

6O que é aquilo que vem subindo do deserto?

Parece uma nuvem de fumaça de mirra, e de incenso,

e de todo tipo de perfumes vendidos pelos mercadores.

7É a liteira3.7 Cadeira coberta, sustentada por dois cabos de madeira e carregada por dois animais ou dois homens, um na frente e o outro atrás. do rei Salomão;

sessenta soldados, os melhores de Israel,

formam a sua guarda pessoal.

8Todos eles sabem usar bem a espada

e são treinados para a guerra.

Cada um está armado com uma espada,

por causa dos perigos da noite.

9A liteira que o rei Salomão mandou fazer

era de madeira da melhor qualidade.

10As suas colunas eram cobertas de prata,

e o seu teto era de tecido bordado a ouro.

As suas almofadas, forradas de fino tecido vermelho,

foram feitas com carinho pelas mulheres de Jerusalém.

11Mulheres de Sião, venham ver o rei!

O rei Salomão está usando a coroa

que recebeu da sua mãe

no dia do seu casamento,

naquele dia de tanta felicidade.

4
Ele

41Como você é bela, minha querida!

Como você é linda!

Como os seus olhos brilham de amor atrás do véu!

Os seus cabelos ondulados são como um rebanho de cabras

descendo as montanhas de Gileade.

2Os seus dentes são brancos como ovelhas com a lã cortada,

que acabaram de ser lavadas.

Nenhum deles está faltando,

e todos são bem-alinhados.

3Os seus lábios são como uma fita vermelha,

e a sua boca é linda.

O seu rosto corado brilha atrás do véu.

4Você tem o pescoço roliço e macio,

elegante como a torre de Davi,

onde estão pendurados mil escudos,

parte das armaduras de soldados valentes.

5Os seus seios parecem duas crias,

crias gêmeas de uma gazela, pastando entre os lírios.

6Eu irei até a montanha da mirra,

até a montanha do incenso,

enquanto o dia ainda está fresco

e a escuridão está desaparecendo.

7Como você é linda, minha querida!

Como você é perfeita!

8Desça comigo dos montes Líbanos, minha noiva!

Desça do alto dos montes,

do Amana, do Senir e do Hermom,

onde vivem os leões e os leopardos.

9Com um só olhar, minha noiva, meu amor,

com uma só pérola do seu colar,

você me roubou o coração.

10Como são deliciosas as suas carícias,

minha namorada, minha noiva!

O seu amor é melhor do que o vinho;

o seu perfume é o mais agradável que existe.

11Os seus lábios têm gosto de mel, minha querida.

A sua língua é para mim como leite e mel,

e os seus vestidos têm o cheiro dos montes Líbanos.

12Minha noiva, meu amor, você é como um jardim cercado e fechado;

é uma fonte particular.

13Nesse jardim as plantas crescem bem.

Crescem como um pomar de romãs

e dão as melhores frutas.

Nele existe hena e nardo;

14existe nardo e açafrão, canela e jasmim-azul

e todas as espécies de incenso.

Há também mirra e aloés

e outras plantas perfumosas.

15Você é a fonte do meu jardim,

a corrente de água doce,

o ribeirão que corre dos montes Líbanos.

Ela

16Levante-se, vento norte!

Venha, vento sul! Sopre sobre o meu jardim

e encha o ar de perfume.

Deixe que o meu querido venha ao seu jardim

e coma as suas melhores frutas.

Utilizamos cookies de acordo com o nossa Política de Privacidade, respeitando todos as suas informações pessoais.[ocultar]