Nova Tradução na Linguagem de Hoje (2000) (NTLH)
86

Pedido de socorro em tempos de angústia

Oração de Davi.

861Ó Senhor Deus, escuta-me e responde-me,

pois estou fraco e necessitado!

2Salva-me da morte, pois sou fiel a ti;

salva-me porque sou teu servo

e confio em ti.

3Tu és o meu Deus.

Tem compaixão de mim, Senhor,

pois eu oro a ti o dia inteiro!

4Ó Senhor, alegra o coração

deste teu servo,

pois os meus pensamentos sobem a ti!

5Ó Senhor, tu és bom e perdoador

e tens muito amor

por todos os que oram a ti.

6Escuta, ó Senhor, a minha oração

e ouve os meus gritos pedindo socorro!

7Em tempos de angústia eu te chamo,

pois tu me respondes.

8Não há nenhum deus como tu, Senhor;

não há nenhum que possa fazer

o que tu fazes.

9Todos os povos que criaste virão

e se curvarão diante de ti.

Eles louvarão a tua grandeza

86.9
Ap 15.4

10porque tu és poderoso

e fazes coisas maravilhosas.

Só tu és Deus.

11Ó Senhor Deus, ensina-me

o que queres que eu faça,

e eu te obedecerei fielmente!

Ensina-me a te servir

com toda a devoção.

12Senhor, meu Deus, eu te louvarei

com todo o coração

e anunciarei a tua grandeza

para sempre.

13Como é grande o teu amor por mim!

Tu não deixaste que eu fosse levado

para o fundo do mundo dos mortos.

14Ó Deus, estou sendo atacado

por gente orgulhosa.

Um bando de pessoas violentas

está querendo me matar,

pessoas que não querem saber de ti.

15Mas tu, Senhor, és Deus de compaixão

e de amor;

és sempre paciente, bondoso e fiel.

16Olha de novo para mim

e tem misericórdia de mim;

dá-me a tua força e salva-me,

pois eu te sirvo,

como te serviu também a minha mãe.

17Ó Senhor Deus, dá-me uma prova

da tua bondade!

Então os que me odeiam verão

que tu tens me ajudado e consolado

e ficarão envergonhados.

87

Jerusalém, a cidade de Deus

Salmo do grupo de Corá. Canção.

871O Senhor Deus construiu a sua cidade

sobre o monte sagrado;

2ele ama a cidade de Jerusalém

mais do que qualquer outro lugar

de Israel.

3Ó cidade de Deus, escute

estas coisas maravilhosas

que ele diz a seu respeito:

4“Quando eu fizer a lista das nações

que me obedecem,

vou pôr nela o nome do Egito

e da Babilônia.

Os povos da Filisteia, de Tiro

e da Etiópia

eu tratarei como se eles

tivessem nascido em Jerusalém.”

5A respeito de Jerusalém as pessoas dirão

que todos os povos são dali

e que o Deus Altíssimo a tornará

uma cidade forte.

6O Senhor escreverá uma lista

dos povos,

e nela todos eles serão cidadãos

de Jerusalém.

7Os que moram ali vão dançar e cantar,

dizendo:

“A fonte da nossa felicidade,

ó Jerusalém, está em você.”

88

Oração de um sofredor

Salmo do grupo de Corá. Canção. Ao regente do coro — para instrumento de cordas e para dois coros. Poesia de Hemã, o ezraíta.

881Ó Senhor, meu Deus e Salvador,

dia e noite, na tua presença,

eu clamo a ti.

2Ouve a minha oração;

escuta o meu grito pedindo socorro.

3Pois as aflições que caíram sobre mim

são tantas,

que já estou perto da morte.

4Sou como aqueles que estão para morrer;

já perdi todas as minhas forças.

5Estou abandonado no meio dos mortos;

sou como os soldados mortos

jogados nas covas;

sou como aqueles que foram

completamente esquecidos por ti

e que não têm mais a tua proteção.

6Tu me atiraste no mundo dos mortos,

lá no fundo, na escuridão.

7A tua ira pesa sobre mim,

e as tuas ondas me esmagam.

8Tu fizeste com que os meus amigos

me abandonassem

e olhassem com nojo para mim.

Sou como o preso que não pode escapar.

9Tenho sofrido tanto,

que quase já não enxergo.

Ó Senhor Deus, dia após dia

eu te chamo

e levanto as mãos em oração.

10Será que fazes milagres

em favor dos mortos?

Será que eles se levantam e te louvam?

11Será que no mundo dos mortos

se fala do teu amor?

Será que naquele lugar de destruição

se fala da tua fidelidade?

12Será que naquela escuridão

são vistos os teus milagres?

Será que na terra do esquecimento

se pode ver a tua fidelidade?

13Ó Senhor Deus, eu te chamo

pedindo ajuda;

todas as manhãs eu oro a ti.

14Por que me rejeitas, ó Senhor?

Por que te escondes de mim?

15Desde moço tenho sofrido

e estado perto da morte;

ando esgotado com o peso

dos teus castigos.

16A tua ira e o teu furor

caem sobre mim;

os teus ataques terríveis

acabam comigo.

17O dia todo eles me cercam

como uma enchente;

eles me rodeiam por todos os lados.

18Tu fizeste com que os meus queridos

e os meus vizinhos me abandonassem,

e agora tenho como companhia

a escuridão.

Utilizamos cookies de acordo com o nossa Política de Privacidade, respeitando todos as suas informações pessoais.[ocultar]