Nova Tradução na Linguagem de Hoje (2000) (NTLH)
72

Oração em favor do rei

De Salomão.

721Ó Deus, ensina o rei a julgar

de acordo com a tua justiça!

Dá-lhe a tua justiça

2para que governe o teu povo

com honestidade

e trate com justiça os explorados.

3Que haja prosperidade no país,

pois o povo faz o que é direito!

4Que o rei julgue os pobres

honestamente!

Que ele ajude os necessitados

e derrote os que exploram o povo!

5Que o rei viva enquanto o sol durar

e a lua existir,

por gerações sem fim!

6Que o rei seja como a chuva

que cai sobre os campos,

como os aguaceiros que regam a terra!

7Que a justiça floresça

durante a sua vida,

e que haja prosperidade

enquanto a lua brilhar!

8O seu reino irá de um mar a outro

e desde o rio Eufrates

até os fins da terra.

72.8
Zc 9.10

9Os povos do deserto se curvarão

diante dele,

e os seus inimigos se humilharão

aos seus pés.

10Os reis da Espanha e das ilhas

lhe oferecerão presentes,

e assim também os reis

da Arábia e da Etiópia.

11Todos os reis se curvarão diante dele,

e todas as nações lhe obedecerão.

12O rei ajuda os pobres

que lhe pedem socorro;

ele ajuda os necessitados

e os abandonados.

13Ele tem pena dos fracos

e dos necessitados

e salva a vida

dos que precisam de auxílio.

14Ele os livra da exploração

e da violência;

a vida deles é preciosa para ele.

15Viva o rei!

Que ele receba ouro da Arábia!

Que todos os dias sejam feitas

orações em favor dele,

e que Deus sempre o abençoe!

16Que no país haja fartura de cereais!

Que os montes fiquem cobertos

de colheitas

e produzam tanto

quanto os montes Líbanos!

Que as cidades fiquem cheias de gente

como o capim cobre os campos!

17Que o nome do rei

nunca seja esquecido,

e que a sua fama dure

enquanto o sol existir!

Que todos os povos peçam

que Deus os abençoe

assim como ele tem abençoado o rei!

18Louvem o Senhor, o Deus de Israel,

pois é ele quem faz

essas coisas maravilhosas.

19Louvem para sempre

o seu nome glorioso,

e que a sua glória

encha o mundo inteiro!

Amém! Amém!

20Aqui terminam as orações de Davi,

filho de Jessé.

73

Terceiro livro

Salmos 73—89

A justiça de Deus

Salmo de Asafe.

731Na verdade, Deus é bom

para o povo de Israel,

ele é bom para aqueles que têm

um coração puro.

2-3Porém, quando vi que tudo ia bem

para os orgulhosos e os maus,

quase perdi a confiança em Deus

porque fiquei com inveja deles.

4Os maus não sofrem;

eles são fortes e cheios de saúde.

5Eles não sofrem como os outros sofrem,

nem têm as aflições que os outros têm.

6Por isso, usam o orgulho

como se fosse um colar

e a violência, como uma capa.

7O coração deles está cheio de maldade,

e a mente deles só vive fazendo

planos perversos.

8Eles gostam de caçoar

e só falam de coisas más.

São orgulhosos e fazem planos

para explorar os outros.

9Falam mal de Deus, que está no céu,

e com orgulho dão ordens às pessoas

aqui na terra.

10Assim o povo de Deus vai atrás deles

e crê no que eles dizem.

11Eles afirmam:

“Deus não vai saber disso;

o Altíssimo não descobrirá nada!”

73.11
Sl 10.11
Sf 1.12

12Os maus são assim:

eles têm muito

e ficam cada vez mais ricos.

13Parece que não adiantou nada

eu me conservar puro

e ter as mãos limpas de pecado.

14Pois tu, ó Deus, me tens feito sofrer

o dia inteiro,

e todas as manhãs me castigas.

15Se eu tivesse falado como os maus,

teria traído o teu povo.

16Então eu me esforcei para entender

essas coisas,

mas isso era difícil demais para mim.

17Porém, quando fui ao teu Templo,

entendi o que acontecerá no fim

com os maus.

18Tu os pões em lugares

onde eles escorregam

e fazes com que caiam mortos.

19Eles são destruídos num momento

e têm um fim horrível.

20Quando te levantas, Senhor,

tu não lembras dos maus,

pois eles são como um sonho

que a gente esquece

quando acorda de manhã.

21O meu coração estava cheio

de amargura,

e eu fiquei revoltado.

22Eu não podia compreender, ó Deus;

era como um animal, sem entendimento.

23No entanto, estou sempre contigo,

e tu me seguras pela mão.

24Tu me guias com os teus conselhos

e no fim me receberás com honras.

25No céu, eu só tenho a ti.

E, se tenho a ti,

que mais poderia querer na terra?

26Ainda que a minha mente e o meu corpo

enfraqueçam,

Deus é a minha força,

ele é tudo o que sempre preciso.

27Os que se afastam de ti

certamente morrerão,

e tu destruirás os que são infiéis a ti.

28Mas, quanto a mim, como é bom

estar perto de Deus!

Faço do Senhor Deus o meu refúgio

e anuncio tudo o que ele tem feito.

74

Ó Deus, lembra do teu povo!

Poesia de Asafe.

741Ó Deus, por que nos abandonaste

para sempre?

Por que estás irado

com as ovelhas do teu rebanho?

74.1
Sl 10.1

2Lembra do teu povo,

que há tanto tempo escolheste

para ser teu

e que livraste da escravidão

para ser a tua própria gente.

Lembra do monte Sião, onde moraste.

3Vem e anda sobre estas ruínas sem fim;

os nossos inimigos destruíram

tudo o que estava no Templo.

4No teu Templo os teus inimigos

gritaram de alegria

e ali puseram as suas bandeiras

como sinal de vitória.

5Eles pareciam lenhadores

cortando árvores com os seus machados.

6Com os seus machados e marretas,

destruíram todos os enfeites

de madeira.

7Arrasaram e incendiaram o teu Templo;

profanaram o lugar onde és adorado.

8Eles resolveram nos esmagar

completamente;

queimaram todos os lugares santos

da terra de Israel.

9Já não temos os milagres

que esperávamos,

não há mais profetas,

e ninguém sabe quanto tempo

isso vai durar.

10Ó Deus, até quando os nossos inimigos

vão zombar de nós?

Será que eles vão te insultar

para sempre?

11Por que não quiseste nos ajudar?

Por que ficas de braços cruzados?

12Mas tu, ó Deus, tens sido o nosso Rei

desde o princípio

e nos salvaste muitas vezes.

13Com o teu grande poder,

dividiste o Mar74.13 Ver Jó 9.8, nota; Sl 89.9; 93.3; 104.6; 148.7.

e esmagaste as cabeças

dos monstros marinhos.

74.13
Êx 14.21

14Esmagaste as cabeças

do monstro Leviatã74.14 Monstro que representava as forças da desordem e do mal (Jó 3.8; Sl 104.26).

e deste o seu corpo

para os animais do deserto comerem.

15Fizeste com que corressem

fontes e riachos

e secaste grandes rios.

16Criaste o dia e a noite,

puseste o sol, a lua e as estrelas

nos seus lugares.

17Marcaste os limites da terra

e fizeste o verão e o inverno.

18Ó Senhor Deus, lembra

que os teus inimigos zombam de ti!

Lembra que eles não têm juízo

e xingam o teu nome.

19Não entregues o teu povo explorado

aos seus inimigos cruéis.

Não esqueças para sempre

do teu povo perseguido.

20Lembra da aliança que fizeste,

pois há violência

em cada canto escuro do país.

21Não deixes que os perseguidos

sejam humilhados,

mas permite que os pobres

e os necessitados te louvem.

22Levanta-te, ó Deus, e defende

a tua causa!

Lembra que gente sem juízo zomba de ti

o dia todo.

23Não esqueças os gritos de raiva

dos teus inimigos

nem do barulho constante

dos teus adversários.