Nova Tradução na Linguagem de Hoje (2000) (NTLH)
30

Ação de graças de uma pessoa salva da morte

Salmo de Davi. Canção para a dedicação do Templo.

301Ó Senhor Deus, eu te louvo

porque me socorreste

e não deixaste que os meus inimigos

zombassem de mim.

2Ó Senhor, meu Deus,

eu gritei pedindo ajuda,

e tu me curaste,

3tu me salvaste da morte.

Eu estava entre aqueles que iam

para o mundo dos mortos,

mas tu me fizeste viver novamente.

4Cantem louvor a Deus, o Senhor,

vocês, o seu povo fiel!

Lembrem do que o Santo Deus tem feito

e lhe deem graças.

5A sua ira dura só um momento,

mas a sua bondade

é para a vida toda.

O choro pode durar a noite inteira,

mas de manhã vem a alegria.

6Eu me senti seguro e pensei:

“Nunca terei dificuldades.”

7Ó Senhor Deus, tu foste bom para mim

e me protegeste como uma fortaleza

nas montanhas.

Depois tu te escondeste de mim,

e eu fiquei com medo.

8Ó Senhor Deus, eu te chamei

e pedi a tua ajuda.

9Se eu morrer,

que lucrarás com isso?

Será que os mortos podem te louvar?

Será que eles podem anunciar

que és fiel?

10Ó Deus, escuta-me

e tem compaixão de mim!

Ajuda-me, ó Senhor Deus!

11Tu mudaste o meu choro

em dança alegre,

afastaste de mim a tristeza

e me cercaste de alegria.

12Por isso, não ficarei calado,

mas cantarei louvores a ti.

Ó Senhor, tu és o meu Deus;

eu te darei graças para sempre.

31

Confiança em Deus

Ao regente do coro. Salmo de Davi.

311Ó Senhor Deus,

em ti eu busco proteção;

livra-me da vergonha de ser derrotado.

Tu és justo;

eu te peço que me ajudes.

2Ouve-me e salva-me agora.

Peço que sejas uma rocha de abrigo,

uma defesa para me salvar.

3Tu és a minha rocha

e a minha fortaleza;

guia-me e orienta-me

como prometeste.

4Não me deixes cair na armadilha

que armaram para mim,

pois tu és o meu refúgio;

5nas tuas mãos entrego

a minha vida.

Tu me salvarás, ó Senhor,

porque tu és Deus fiel.

31.5
Lc 23.46

6Tu detestas os que adoram

deuses falsos;

eu, porém, ponho em ti

a minha confiança.

7Ficarei contente e me alegrarei

por causa do teu amor.

Tu vês que estou sofrendo

e conheces as minhas aflições.

8Não deixaste que os meus inimigos

me pegassem

e me livraste do perigo.

9Ó Senhor Deus, tem compaixão de mim,

pois estou aflito!

Os meus olhos estão cansados

de tanto chorar;

estou esgotado de corpo e alma.

10A tristeza acabou

com as minhas forças;

as lágrimas encurtam a minha vida.

Estou fraco por causa

das minhas aflições;

até os meus ossos estão se gastando.

11Os meus inimigos zombam de mim,

e os meus vizinhos também caçoam.

Os meus conhecidos têm medo de mim

e fogem quando me veem na rua.

12Todos esqueceram de mim,

como se eu tivesse morrido;

sou como uma coisa

que foi jogada fora.

13Ouço muitos inimigos cochichando;

há gente me ameaçando

de todos os lados.

Eles fazem planos contra mim,

procurando um jeito de me matar.

14Porém a minha confiança

está em ti, ó Senhor;

tu és o meu Deus.

15Tu estás sempre cuidando de mim.

Salva-me dos meus inimigos,

daqueles que me perseguem.

16Olha com bondade para mim,

teu servo;

salva-me por causa do teu amor.

17Ó Senhor Deus, eu estou te chamando.

Livra-me da vergonha de ser derrotado.

Que os maus sofram essa vergonha

e que desçam em silêncio

para o mundo dos mortos!

18Que fiquem calados

aqueles mentirosos,

aqueles orgulhosos e arrogantes,

que falam com desprezo

contra as pessoas honestas!

19Como são maravilhosas as coisas boas

que guardas para aqueles

que te temem!

Todos podem ver como tu és bom

e como proteges os que confiam em ti.

20Com a proteção da tua presença,

tu os livras dos planos dos maus.

Num esconderijo seguro, tu os escondes

das ofensas dos seus inimigos.

21Louvado seja Deus, o Senhor!

Quando os meus inimigos

me cercaram e me atacaram,

ele mostrou, de modo maravilhoso,

o seu amor por mim.

22Fiquei com medo

e pensei que ele havia me expulsado

da sua presença.

Mas ele ouviu o meu grito

quando o chamei pedindo ajuda.

23Amem o Senhor,

todos os que lhe são fiéis!

Ele protege os que são sinceros,

mas os orgulhosos ele castiga

como merecem.

24Sejam fortes e tenham coragem,

todos vocês que põem

a sua esperança em Deus, o Senhor!

32

Confissão e perdão

Poesia de Davi.

321Feliz aquele cujas maldades

Deus perdoa

e cujos pecados ele apaga!

2Feliz aquele que o Senhor Deus

não acusa de fazer coisas más

e que não age com falsidade!

32.1-2
Rm 4.7-8

3Enquanto não confessei o meu pecado,

eu me cansava,

chorando o dia inteiro.

4De dia e de noite,

tu me castigaste, ó Deus,

e as minhas forças se acabaram

como o sereno que seca

no calor do verão.

5Então eu te confessei o meu pecado

e não escondi a minha maldade.

Resolvi confessar tudo a ti,

e tu perdoaste

todos os meus pecados.

6Por isso, nos momentos de angústia,

todos os que são fiéis a ti

devem orar.

Assim, quando as grandes ondas

de sofrimento vierem,

não chegarão até eles.

7Tu és o meu esconderijo;

tu me livras da aflição.

Eu canto bem alto a tua salvação,

pois me tens protegido.

8O Senhor Deus me disse:

“Eu lhe ensinarei o caminho

por onde você deve ir;

eu vou guiá-lo e orientá-lo.

9Não seja uma pessoa sem juízo

como o cavalo ou a mula,

que precisam ser guiados

com cabresto e rédeas

para que obedeçam.”

10Os maus sofrem muito,

mas os que confiam em Deus, o Senhor,

são protegidos pelo seu amor.

11Todos vocês que são corretos,

alegrem-se e fiquem contentes

por causa daquilo que o Senhor

tem feito!

Cantem de alegria, todos vocês

que são obedientes a ele!

Utilizamos cookies de acordo com o nossa Política de Privacidade, respeitando todos as suas informações pessoais.[ocultar]