Nova Tradução na Linguagem de Hoje (2000) (NTLH)
139

A presença de Deus

Salmo de Davi. Ao regente do coro.

1391Ó Senhor Deus, tu me examinas

e me conheces.

2Sabes tudo o que eu faço

e, de longe, conheces

todos os meus pensamentos.

3Tu me vês quando estou trabalhando

e quando estou descansando;

tu sabes tudo o que eu faço.

4Antes mesmo que eu fale,

tu já sabes o que vou dizer.

5Estás em volta de mim,

por todos os lados,

e me proteges com o teu poder.

6Eu não consigo entender

como tu me conheces tão bem;

o teu conhecimento é profundo demais

para mim.

7Aonde posso ir a fim de escapar

do teu Espírito?

Para onde posso fugir da tua presença?

8Se eu subir ao céu, tu lá estás;

se descer ao mundo dos mortos,

lá estás também.

9Se eu voar para o Oriente

ou for viver nos lugares mais distantes

do Ocidente,

10ainda ali a tua mão me guia,

ainda ali tu me ajudas.

11Eu poderia pedir que a escuridão

me escondesse

e que em volta de mim

a luz virasse noite;

12mas isso não adiantaria nada

porque para ti a escuridão

não é escura,

e a noite é tão clara como o dia.

Tu não fazes diferença entre a luz

e a escuridão.

13Tu criaste cada parte do meu corpo;

tu me formaste na barriga da minha mãe.

14Eu te louvo porque deves ser temido.

Tudo o que fazes é maravilhoso,

e eu sei disso muito bem.

15Tu viste quando os meus ossos

estavam sendo feitos,

quando eu estava sendo formado

na barriga da minha mãe,

crescendo ali em segredo,

16tu me viste antes de eu ter nascido.

Os dias que me deste para viver

foram todos escritos no teu livro

quando ainda nenhum deles existia.

17Ó Deus, como é difícil entender

os teus pensamentos!

E eles são tantos!

18Se eu os contasse,

seriam mais do que os grãos de areia.

Quando acordo, ainda estou contigo.

19Ó Deus, como eu gostaria

que tu acabasses com os maus!

Gostaria que os homens violentos

me deixassem em paz!

20Eles falam mal de ti;

contra ti falam coisas ruins.

21Ó Senhor Deus, como odeio

os que te odeiam!

Como desprezo os que são contra ti!

22Eu os odeio

com todas as minhas forças;

eles são meus inimigos.

23Ó Deus, examina-me e conhece

o meu coração!

Prova-me e conhece os meus pensamentos.

24Vê se há em mim algum pecado

e guia-me pelo caminho eterno.

140

Oração pedindo a proteção de Deus

Salmo de Davi. Ao regente do coro.

1401Ó Senhor Deus, salva-me dos maus!

Livra-me dos homens violentos.

2Eles vivem planejando o mal

e estão sempre provocando brigas.

3A língua deles parece a língua

das cobras venenosas,

e as suas palavras são como o veneno

das serpentes.

140.3
Rm 3.13

4Ó Senhor Deus, protege-me

do poder dos maus!

Livra-me dos homens violentos,

daqueles que procuram fazer com que eu

caia na desgraça.

5Homens orgulhosos armaram uma armadilha

e estenderam uma rede no meu caminho;

eles puseram armadilhas

para me pegar.

6Eu digo ao Senhor: “Tu és o meu Deus.”

Ó Senhor, escuta o meu pedido

de ajuda!

7Ó Senhor, meu Deus e meu Salvador,

tu me protegeste na batalha.

8Não dês aos maus o que eles querem,

ó Senhor!

Não deixes que os seus planos perversos

se realizem.

9Não deixes que os meus inimigos

consigam a vitória;

faze com que as suas ameaças contra mim

caiam sobre eles mesmos.

10Que caiam brasas em cima deles!

Que sejam jogados num poço

e nunca mais possam sair de lá!

11Que os caluniadores

não consigam progredir!

Que a maldade persiga, pegue e destrua

os homens violentos!

12Ó Senhor Deus, eu sei que tu defendes

o direito dos pobres

e a causa dos necessitados.

13Os que te obedecem certamente

te louvarão

e os que são corretos viverão

na tua presença.

141

Oração da tarde

Salmo de Davi.

1411Ó Senhor Deus, eu clamo a ti;

vem depressa me socorrer!

Escuta-me quando peço a tua ajuda.

2Recebe a minha oração

como se fosse incenso,

e que as minhas mãos levantadas

sejam como a oferta da tarde!

141.2
Ap 5.8

3Ó Senhor, controla a minha boca

e não me deixes falar o que não devo!

4Não permitas que o meu coração

deseje fazer o mal,

nem que eu ande

com os que são perversos

ou tome parte na maldade deles.

E que eu nunca esteja presente

nas suas festas!

5Eu aceito que uma pessoa direita

me repreenda ou castigue,

pois isso é um gesto de amizade;

mas eu nunca aceitarei elogios

dos perversos

e continuarei a orar

contra a ruindade deles.

6Quando os seus chefes forem atirados

do alto dos rochedos,

então o povo saberá

que eu dizia a verdade.

7Como a lenha é rachada e cortada

em pedaços,

assim os seus ossos serão espalhados

na beira da sepultura deles.

8Mas eu, ó Senhor, meu Deus,

continuo confiando em ti

e buscando a tua proteção.

Não me deixes morrer.

9Livra-me das redes

que os perversos estendem

para me pegar,

livra-me das armadilhas

dos que fazem o mal.

10Que os maus caiam

nas suas próprias armadilhas,

e que eu consiga escapar são e salvo!