Nova Tradução na Linguagem de Hoje (2000) (NTLH)
5

Conselhos contra o adultério

51Filho, preste atenção no que eu digo com a minha sabedoria e compreensão. 2Então você saberá como se comportar, e as suas palavras mostrarão que você tem conhecimento das coisas. 3Os lábios da mulher imoral podem ser tão doces como o mel, e os seus beijos, tão suaves como o azeite; 4porém, quando tudo termina, o que resta é amargura e sofrimento. 5Ela está descendo para o mundo dos mortos; a estrada em que ela anda é o caminho da morte. 6Essa mulher não anda na estrada da vida; ela caminha sem rumo, mas não sabe disso.

7Agora escute, meu filho, e não esqueça o que eu estou dizendo! 8Afaste-se desse tipo de mulher. Não chegue nem perto da porta da sua casa! 9Se não, outros passarão a ter o bom nome que você tinha antes, e você morrerá ainda moço, nas mãos de homens cruéis. 10Sim, pessoas estranhas tomarão toda a sua riqueza, e o que você ganhou com o seu trabalho acabará nas mãos dos outros. 11Você ficará gemendo no seu leito de morte enquanto todo o seu corpo vai sendo destruído pouco a pouco. 12Então você dirá:

— Como eu tinha raiva de conselhos! Nunca aceitei conselhos de ninguém. 13Não ouvi os meus mestres, nem dei atenção a eles 14e quase caí na desgraça diante de todos.

15Seja fiel à sua mulher e dê o seu amor somente a ela. 16Os filhos que você tiver com outras mulheres não lhe farão nenhum bem. 17Os seus filhos devem crescer para ajudar você e não para ajudar os outros. 18Portanto, alegre-se com a sua mulher, seja feliz com a moça com quem você casou, 19amorosa como uma corça, graciosa como uma cabra selvagem. Que ela cerque você com o seu amor, e que os seus encantos sempre o façam feliz! 20Filho, por que dar o seu amor a uma mulher imoral? Por que preferir os encantos da mulher de outro homem? 21Deus sabe por onde você anda e vê tudo o que você faz. 22As injustiças que um homem mau comete são uma armadilha; ele é apanhado na rede do seu próprio pecado. 23Morre porque não se controla: a sua grande loucura o levará à cova.

6

Outros conselhos

61Filho, você é fiador de alguém? 2Deu a sua palavra e ficou preso na promessa que fez? 3Então, meu filho, agora você está nas mãos dessa pessoa. Mas há um jeito de sair disso: vá logo e peça que ela livre você dessa obrigação. 4Não durma, nem descanse; 5saia dessa armadilha, como um passarinho ou uma gazela escapa do caçador.

6Preguiçoso, aprenda uma lição com as formigas! 7Elas não têm líder, nem chefe, nem governador, 8mas guardam comida no verão, preparando-se para o inverno. 9Preguiçoso, até quando você vai ficar deitado? Quando vai se levantar?

10Então o preguiçoso diz: “Eu vou dormir somente um pouquinho, vou cruzar os braços e descansar mais um pouco.”

11Mas, enquanto ele dorme, a pobreza o atacará como um ladrão armado.

6.10-11
Pv 24.33-34

12Os homens maus e sem valor vivem dizendo mentiras. 13Piscam e fazem gestos para enganar os outros. 14As suas mentes perversas estão sempre planejando o mal, e eles espalham confusão por toda parte. 15Por isso a desgraça cairá de repente sobre eles, e não poderão escapar.

16-19Existem sete coisas que o Senhor Deus detesta e que não pode tolerar:

o olhar orgulhoso,

a língua mentirosa,

mãos que matam gente inocente,

a mente que faz planos perversos,

pés que se apressam para fazer o mal,

a testemunha falsa que diz mentiras

e a pessoa que provoca brigas entre amigos.

Os perigos do adultério

20Filho, faça o que o seu pai diz e nunca esqueça o que a sua mãe ensinou. 21Guarde sempre as suas palavras bem-gravadas no coração. 22Os seus ensinamentos o guiarão quando você viajar, protegerão você de noite e aconselharão de dia. 23As suas instruções são uma luz brilhante, e a sua correção ensina a viver. 24Elas livrarão você da mulher imoral e das suas palavras sedutoras. 25Não seja tentado pela sua beleza, nem caia na armadilha dos seus olhos tentadores. 26Qualquer homem pode ter uma prostituta por pouco dinheiro, mas o adultério custará a ele a sua própria vida.

27Será que você pode carregar fogo no colo sem queimar a roupa? 28Será que você pode andar em cima de brasas sem queimar os pés? 29O homem que dorme com a mulher de outro corre esse mesmo perigo. Quem fizer isso terá de sofrer muito. 30Quem rouba comida para matar a fome não é desprezado. 31Porém, se é apanhado, tem de pagar sete vezes mais: ele precisa entregar tudo o que tem. 32No entanto o homem que comete adultério não tem juízo; ele está se destruindo a si mesmo. 33Passará vergonha, levará uma surra e ficará desmoralizado para sempre. 34Porque o ciúme faz o marido ficar furioso, e a sua vingança não tem limites. 35Ele não aceitará nenhum pagamento; e mesmo uma porção de presentes não acabará com a sua raiva.

7

71Filho, lembre do que eu digo e nunca esqueça os meus conselhos. 2Faça o que eu digo e você viverá. Siga as minhas instruções com o mesmo cuidado com que você protege os olhos. 3Guarde sempre os meus ensinamentos bem-gravados no coração. 4Trate a Sabedoria como sua irmã e o Entendimento, como o seu melhor amigo. 5Eles conservarão você longe das mulheres imorais, das mulheres de palavras sedutoras.

A mulher imoral

6Uma vez eu estava olhando pela janela da minha casa 7e vi vários rapazes sem experiência; mas notei que um deles era mesmo sem juízo. 8Esse rapaz estava andando pela rua, perto da esquina onde morava uma certa mulher. Ele passava por perto da casa dela, 9ao anoitecer, quando já estava escuro. 10E aconteceu que essa mulher foi encontrar-se com ele, vestida como uma prostituta e cheia de malícia. 11Ela era espalhafatosa e sem-vergonha e estava sempre andando pelas ruas. 12Ficava esperando em alguma esquina, às vezes numa rua, outras vezes na praça. 13Ela chegou perto do rapaz, e o abraçou, e beijou. Então, com um olhar atrevido, disse:

14— Paguei hoje os meus votos, e a carne da oferta de paz7.14 A mulher havia oferecido oferta de paz, cabendo-lhe parte da carne, que devia ser comida no mesmo dia, em banquete familiar (ver Lv 7.11-15). está comigo. 15Por isso saí procurando você. Eu queria encontrá-lo, e você está aqui! 16Já forrei a minha cama com lençóis de linho colorido do Egito. 17Eu a perfumei com mirra, aloés e flor de canela. 18Venha, vamos amar a noite toda. Passaremos momentos felizes nos braços um do outro. 19O meu marido não está em casa; ele foi fazer uma longa viagem. 20Levou bastante dinheiro e só voltará daqui a alguns dias.

21Assim, ela o tentou com os seus encantos, e ele caiu na sua conversa. 22E, num instante, lá foi ele com ela, como um boi que vai para o matadouro, como um animal que corre para a armadilha, 23onde uma flecha atravessará o seu coração. Era como um pássaro que entra num alçapão, sem saber que a sua vida está em perigo.

24Agora, meu filho, escute! Preste atenção no que vou dizer. 25Não deixe que uma mulher como essa ganhe o seu coração; não ande atrás dela. 26Pois ela tem sido a desgraça de muitos homens e tem causado a morte de tantos, que nem dá para contar. 27Se você for à casa dessa mulher, estará caminhando para o mundo dos mortos, pelo caminho mais curto.

Utilizamos cookies de acordo com o nossa Política de Privacidade, respeitando todos as suas informações pessoais.[ocultar]