Nova Tradução na Linguagem de Hoje (2000) (NTLH)
30

Promessas e juramentos

301Moisés disse aos chefes das tribos dos israelitas o seguinte:

— O que o Senhor Deus ordenou é isto: 2Quando alguém prometer dar alguma coisa ao Senhor ou jurar que fará ou deixará de fazer qualquer coisa, deverá cumprir a palavra e fazer tudo o que tiver prometido.

30.2
Dt 23.21-23
Mt 5.33

3— Quando uma moça que ainda estiver morando na casa do seu pai prometer dar alguma coisa a Deus, o Senhor, ou jurar que fará ou deixará de fazer qualquer coisa, 4se o pai, sabendo disso, não disser nada, então ela deverá fazer tudo o que prometeu ou jurou. 5Mas, se o pai, logo que souber disso, a proibir de cumprir o que havia prometido, então ela não precisará cumprir a sua palavra. O Senhor a perdoará, pois o pai não a deixou cumprir o que ela havia prometido.

6— Se uma moça solteira prometer alguma coisa a Deus, sabendo o que está fazendo ou sem pensar, ou jurar que fará ou deixará de fazer qualquer coisa, e depois casar, 7e, se o marido, sabendo disso, não disser nada, então ela deverá fazer tudo o que prometeu ou jurou. 8Mas, se o marido, logo que souber disso, a proibir de cumprir o que tinha prometido, então ela não precisará cumprir a sua palavra. O Senhor a perdoará.

9— Tanto as viúvas como as divorciadas deverão dar o que prometeram a Deus, o Senhor, e cumprir o que juraram que fariam ou deixariam de fazer.

10— Se uma mulher casada prometer alguma coisa a Deus ou jurar que fará ou deixará de fazer qualquer coisa, 11e, se o marido, sabendo disso, não disser nada, então ela deverá cumprir tudo o que prometeu ou jurou. 12Mas, se o marido, logo que souber disso, a proibir de cumprir o que prometeu, então ela não precisará cumprir a sua palavra. O Senhor a perdoará, pois o marido não a deixou cumprir o que ela havia prometido. 13O marido tem o direito de confirmar ou de anular qualquer promessa ou juramento que ela tenha feito. 14Mas, se até o dia seguinte o marido não disser nada a ela a respeito do assunto, então ela deverá fazer tudo o que prometeu ou jurou. O marido confirmou o juramento, pois não disse nada a ela logo que soube do caso. 15Porém, se mais tarde o marido anular o que ela prometeu, será ele o castigado, e não ela.

16São esses os regulamentos que o Senhor deu a Moisés a respeito de promessas feitas por moças solteiras e por mulheres casadas.

31

A batalha contra os midianitas

311O Senhor Deus disse a Moisés:

2— Mande que os israelitas se vinguem do mal que os midianitas lhes fizeram. Depois disso você vai morrer.

3Então Moisés disse ao povo:

— Preparem homens para a batalha, ataquem os midianitas e se vinguem deles pelo que fizeram contra Deus, o Senhor. 4Cada tribo deve mandar mil soldados para esta guerra.

5Assim, dos milhares de israelitas foram mandados de cada tribo mil soldados armados, doze mil ao todo. 6Moisés mandou esses soldados para a batalha, debaixo do comando de Fineias, filho do sacerdote Eleazar, que levou também os objetos sagrados e as cornetas para dar os sinais. 7Eles atacaram os midianitas, como o Senhor havia ordenado a Moisés, e mataram todos os homens. 8Entre os mortos estavam Evi, Requém, Zur, Hur e Reba, os cinco reis midianitas. Também mataram à espada Balaão, filho de Beor.

9Os israelitas levaram presas as mulheres e as crianças dos midianitas. Pegaram também as suas ovelhas e cabras, o seu gado e todos os seus bens. 10Incendiaram todas as cidades onde os midianitas moravam e queimaram todos os acampamentos. 11Eles pegaram o que haviam tomado dos midianitas e também os prisioneiros e os animais 12e levaram tudo a Moisés, ao sacerdote Eleazar e ao povo de Israel, que estavam acampados nas planícies de Moabe, perto do rio Jordão, na altura de Jericó, que ficava no outro lado do rio.

A volta do exército israelita

13Moisés, o sacerdote Eleazar e todas as autoridades do povo saíram do acampamento e foram ao encontro do exército. 14Moisés ficou muito zangado com os oficiais que haviam voltado da batalha, isto é, os comandantes dos batalhões e das companhias. 15Moisés perguntou:

— Por que vocês deixaram vivas todas as mulheres? 16Lembrem que foram as mulheres que, seguindo os conselhos de Balaão, fizeram com que os israelitas fossem infiéis a Deus, o Senhor, adorando o deus Baal-Peor. Foi por isso que houve uma epidemia no meio do povo de Deus.

31.16
Nm 25.1-9
17Agora matem todos os meninos e todas as mulheres que não forem virgens. 18Mas deixem viver todas as meninas e as moças que forem virgens; elas pertencem a vocês. 19Agora todos os que tiverem matado alguém ou que tiverem tocado em algum morto devem ficar fora do acampamento sete dias. No terceiro dia e no sétimo, vocês e as prisioneiras devem se purificar. 20Purifiquem também todas as roupas, todos os objetos feitos de couro, tudo o que é feito de pelos de cabra e tudo o que é feito de madeira.

21Então o sacerdote Eleazar disse aos homens que tinham voltado da batalha:

— A lei que o Senhor Deus ordenou a Moisés é esta: 22-23Tudo o que o fogo não destrói, como ouro, prata, bronze, ferro, estanho e chumbo, deverá ser purificado pelo fogo. Mas tudo o que o fogo pode destruir será purificado com água. 24No sétimo dia, para se purificarem, vocês deverão lavar as roupas que estiverem vestindo. Depois disso vocês poderão entrar no acampamento.

A divisão das coisas tomadas dos midianitas

25O Senhor Deus disse a Moisés:

26— Você, com a ajuda do sacerdote Eleazar e das autoridades do povo, faça uma lista de tudo o que foi tomado na batalha, incluindo as pessoas e os animais. 27Divida em duas partes iguais o que foi tomado: uma parte para os soldados e a outra para o resto do povo. 28Da parte que pertence aos soldados que estiveram na batalha, separe um imposto para Deus, o Senhor: uma pessoa de cada quinhentas e a mesma coisa quanto aos bois, jumentos, ovelhas e cabras. 29Pegue esse imposto e entregue ao sacerdote Eleazar, como oferta ao Senhor. 30Da parte que pertence ao povo, pegue um de cada cinquenta, tanto de pessoas como de bois, de jumentos, de ovelhas, de cabras e de qualquer outro animal, e dê aos levitas, que cuidam da Tenda do Senhor.

31Moisés e Eleazar fizeram o que o Senhor havia ordenado.

32-35Esta é a lista do que foi tomado pelos soldados, sem contar o que eles pegaram para si mesmos: seiscentas e setenta e cinco mil ovelhas e cabras, setenta e dois mil bois e vacas, sessenta e um mil jumentos e trinta e duas mil pessoas. 36-40A metade que ficou para os soldados foi de trezentas e trinta e sete mil e quinhentas ovelhas e cabras, das quais seiscentas e setenta e cinco foram o imposto para Deus, o Senhor; trinta e seis mil bois e vacas para os soldados, dos quais setenta e dois foram o imposto para o Senhor; trinta mil e quinhentos jumentos para os soldados, dos quais sessenta e um foram o imposto para Deus; e dezesseis mil virgens para os soldados, das quais trinta e duas foram o imposto para Deus. 41Assim, Moisés deu a Eleazar o imposto como uma oferta especial a Deus, o Senhor, como o Senhor havia ordenado.

42-46A parte do povo foi igual à parte dos soldados, isto é, trezentas e trinta e sete mil e quinhentas ovelhas e cabras, trinta e seis mil bois e vacas, trinta mil e quinhentos jumentos e dezesseis mil virgens. 47Como o Senhor havia ordenado, dessa metade que pertencia ao povo, Moisés pegou um de cada cinquenta, tanto de pessoas como de animais, e deu aos levitas, que cuidavam da Tenda Sagrada.

A oferta dos oficiais

48Os oficiais do exército, isto é, os comandantes dos batalhões e das companhias, foram falar com Moisés 49e disseram:

— Contamos os soldados que estão debaixo do nosso comando, e não está faltando nenhum. 50Assim trouxemos o que cada um pegou: objetos de ouro, correntinhas, pulseiras, anéis, brincos e colares. Nós os oferecemos a Deus, o Senhor, como pagamento pela nossa vida, para que ele nos proteja.

51Moisés e o sacerdote Eleazar receberam todas essas joias de ouro. 52O peso total do ouro que foi separado e oferecido a Deus, o Senhor, pelos oficiais foi de cento e noventa e um quilos. 53Os que não eram oficiais ficaram com as coisas que tiraram dos inimigos. 54Assim, Moisés e o sacerdote Eleazar receberam o ouro dos oficiais e o levaram para a Tenda Sagrada a fim de que o Senhor protegesse o povo de Israel.

32

As tribos que ficaram a leste do rio Jordão

Deuteronômio 3.12-22

321As tribos de Rúben e de Gade tinham gado em grande quantidade. Quando viram que a terra de Jazer e a terra de Gileade eram boas para a criação de gado, 2foram falar com Moisés, com o sacerdote Eleazar e com as autoridades do povo. Eles disseram o seguinte:

3-4— Esta região que o Senhor Deus conquistou para os israelitas, isto é, as cidades de Atarote, Dibom, Jazer, Ninra, Hesbom, Eleal, Sebã, Nebo e Beom, é terra boa para a criação de gado. E nós temos muito gado. 5Se o senhor está contente com a gente, então nos dê essa terra para ser nossa propriedade e não nos faça ir para o outro lado do rio Jordão.

6Porém Moisés disse às tribos de Gade e de Rúben:

— Vocês querem ficar aqui enquanto os seus patrícios vão para a guerra? 7Será que vocês querem desanimar o povo de Israel para que não entre na terra que o Senhor lhe está dando? 8Os pais de vocês fizeram a mesma coisa quando os enviei de Cades-Barneia para espionar esta terra. 9Eles chegaram até o vale de Escol e viram a terra; mas, quando voltaram, desanimaram o povo para que não entrasse na terra que o Senhor lhe estava dando.

32.8-9
Nm 13.17-33

10— Então, naquele dia, o Senhor ficou muito irado e disse: 11“Os homens que vieram do Egito, de vinte anos para cima, deixaram de ser fiéis a mim, e por isso juro que eles não verão a terra que prometi dar a Abraão, a Isaque e a Jacó.” 12Somente Calebe, filho de Jefoné, o quenezeu, e Josué, filho de Num, continuaram fiéis ao Senhor. 13O Senhor ficou irado com o povo de Israel e os fez andar pelo deserto quarenta anos, até que morresse toda a gente daquele tempo, isto é, o povo que havia desagradado a Deus, o Senhor.

32.10-13
Nm 14.26-35
14E agora vocês, raça de gente pecadora, estão tomando o lugar dos seus pais a fim de aumentar ainda mais a ira do Senhor contra o povo de Israel. 15Se vocês não quiserem segui-lo, ele abandonará novamente todo o povo no deserto, e eles serão destruídos por causa de vocês.

16Mas a gente das tribos de Rúben e de Gade chegou perto de Moisés e disse:

— Nós mesmos vamos construir aqui currais para as nossas ovelhas e vacas e também cidades para as nossas famílias. 17Depois estaremos prontos para marchar para a guerra na frente dos nossos patrícios israelitas, até fazê-los tomar posse da terra que será deles. Porém as nossas famílias ficarão aqui nas cidades cercadas de muralhas e assim estarão a salvo dos moradores da terra. 18Não voltaremos para as nossas casas até que todos os outros israelitas tomem posse da terra que será deles. 19Não tomaremos posse de nenhuma propriedade no meio deles no outro lado do rio Jordão, pois receberemos a nossa parte aqui, a leste do Jordão.

20Aí Moisés respondeu:

— Se vocês vão fazer isso, então na presença de Deus, o Senhor, preparem-se para a batalha. 21E que todos os seus homens armados atravessem o rio Jordão debaixo das ordens do Senhor, até que os nossos inimigos sejam expulsos diante dele, 22e nós conquistemos a terra. Depois vocês poderão voltar porque já terão cumprido a sua obrigação para com Deus, o Senhor, e para com os seus patrícios israelitas. E o Senhor reconhecerá esta terra a leste do rio Jordão como propriedade de vocês. 23Porém, se vocês não cumprirem o que estão prometendo, estarão pecando contra o Senhor. E fiquem sabendo que vocês serão castigados por causa dos seus próprios pecados. 24Construam as cidades para as suas famílias e façam currais para as suas ovelhas e vacas. E cumpram o que prometeram.

25Os homens de Gade e de Rúben disseram a Moisés o seguinte:

— Nós faremos o que o senhor mandar. 26As nossas crianças, as nossas mulheres, as nossas ovelhas, as nossas cabras e todo o gado ficarão aqui nas cidades de Gileade. 27Mas todos nós estamos prontos para a guerra. Conforme a sua ordem, atravessaremos o Jordão e batalharemos, debaixo do comando do Senhor Deus.

28Então Moisés deu ordens a respeito dos homens das tribos de Rúben e de Gade ao sacerdote Eleazar, a Josué, filho de Num, e aos chefes das famílias das tribos dos israelitas. 29Ele disse assim:

— Debaixo do comando de Deus, o Senhor, os homens de Gade e de Rúben deverão atravessar com vocês o rio Jordão, cada um armado para a batalha. Quando vocês tiverem conquistado as terras que ficam no lado oeste do Jordão, deem a região de Gileade para ser propriedade deles. 30Porém, se eles não atravessarem armados o rio Jordão, junto com vocês, então deverão receber a parte deles na terra de Canaã.

31Os homens de Gade e de Rúben responderam:

— Senhor, nós faremos o que o Senhor Deus ordenou. 32Debaixo do comando dele atravessaremos o Jordão, armados, e lutaremos na terra de Canaã; e assim as terras deste lado do rio Jordão serão nossa propriedade.

32.28-32
Js 1.12-15

33Então Moisés deu às tribos de Gade e de Rúben e a uma metade da tribo de Manassés, filho de José, a região de Seom, o rei dos amorreus, e a região de Ogue, rei de Basã, junto com as cidades e as terras que havia em redor delas. 34Os homens da tribo de Gade construíram de novo as cidades de Dibom, Atarote, Aroer, 35Atarote-Sofã, Jazer, Jogbeá, 36Bete-Ninra e Bete-Harã. Construíram muralhas ao redor delas e também currais. 37Os homens de Rúben construíram de novo Hesbom, Eleal, Quiriataim, 38Nebo, Baal-Meom (alguns nomes foram mudados) e Sibma. E deram outros nomes às cidades que eles construíram de novo.

39O grupo de famílias de Maquir, filho de Manassés, foi para Gileade, e a conquistou, e expulsou os amorreus que estavam ali. 40Portanto, Moisés deu Gileade ao grupo de famílias de Maquir, e eles moraram ali. 41Jair, descendente de Manassés, foi e conquistou alguns povoados dos amorreus e os chamou de “povoados de Jair”. 42Noba foi e conquistou a cidade de Quenate e os seus povoados. E pôs o nome nela de Noba, que era o nome dele mesmo.