Nova Tradução na Linguagem de Hoje (2000) (NTLH)

241Desta vez Balaão viu que o Senhor queria mesmo que ele abençoasse o povo de Israel. Por isso não foi, como antes, procurar sinais para saber qual era a vontade de Deus. Pelo contrário, ele se virou para o deserto 2e viu o povo de Israel acampado tribo por tribo. O Espírito de Deus tomou conta de Balaão, 3e ele fez esta profecia:

“Esta é a mensagem de Balaão,

filho de Beor,

são estas as palavras do homem

que pode ver claramente

4e que pode ouvir o que Deus

está dizendo.

Eu caio, os meus olhos se abrem,

e eu tenho uma visão

do Deus Todo-Poderoso.

5Como é bonito o acampamento

do povo de Israel!

Como são belas as suas barracas!

6Elas parecem filas de palmeiras,

são como jardins na beira dos rios,

como aloés plantados

por Deus, o Senhor,

ou como cedros perto das águas.

7Israel terá muita água para beber

e para regar as suas sementeiras.

O seu rei será mais poderoso

do que Agague,

e o seu reino será famoso.

8Deus tirou os israelitas do Egito

e luta por eles como um touro selvagem.

Eles devoram as nações inimigas,

quebram os ossos dos seus soldados

e os matam com as suas flechas.

9Israel é como um leão poderoso:

quando está dormindo, ninguém tem

coragem para acordá-lo.

Quem abençoar o povo de Israel

será abençoado;

e quem o amaldiçoar

será amaldiçoado.”

24.9 a
Gn 49.9

10Aí Balaque ficou com muita raiva de Balaão. Com uma das mãos deu um soco na outra em sinal de ódio e disse:

— Eu o chamei para amaldiçoar os meus inimigos, mas nestas três vezes você só os abençoou. 11Agora vá embora para a sua casa. Prometi pagar bem a você, porém o Senhor Deus não está deixando que você receba o pagamento.

12Então Balaão respondeu:

— Eu disse aos seus mensageiros que, 13mesmo que você me desse toda a sua prata e todo o seu ouro, eu não poderia desobedecer à ordem de Deus, o Senhor. Eu disse que não faria nada por minha própria conta e somente diria aquilo que o Senhor me ordenasse.

As últimas profecias de Balaão

14Balaão disse a Balaque:

— Agora vou voltar para o meu próprio povo; mas, antes de ir, quero avisá-lo do que os israelitas vão fazer com o seu povo no futuro.

15Então ele fez esta profecia:

“Esta é a mensagem de Balaão,

filho de Beor,

são estas as palavras do homem

que pode ver claramente,

16que pode ouvir o que Deus

está dizendo

e receber o conhecimento

que vem do Altíssimo.

Eu caio, os meus olhos se abrem,

e eu tenho uma visão

do Deus Todo-Poderoso.

17Olho para o futuro

e vejo o povo de Israel.

Um rei, como uma estrela brilhante,

vai aparecer naquela nação;

como um cometa ele virá de Israel.

Ele derrotará os chefes dos moabitas

e acabará com esse povo orgulhoso.

18Ele conquistará os inimigos

de Israel, os edomitas,

e fará que a terra deles

seja sua propriedade.

O povo de Israel mostrará

a sua força.

19Dos descendentes de Jacó

sairá o dominador

que acabará com os que ficarem

com vida nas cidades.”

20Aí, em sua visão, Balaão viu os amalequitas e fez esta profecia:

“Amaleque era o povo mais poderoso

de todos,

mas no fim será destruído

para sempre.”

21Balaão viu também os queneus e fez esta profecia:

“O lugar onde vocês moram é seguro,

o seu ninho está colocado na rocha.

22Mas vocês serão destruídos

quando a Assíria os levar

como prisioneiros.”

23Balaão fez mais esta profecia:

“Quem são estes povos

reunidos no Norte?

24De Chipre virão os inimigos

nos seus navios;

eles conquistarão a Assíria e Héber,

mas depois eles mesmos

serão destruídos para sempre.”

25Depois Balaão se aprontou e voltou para casa. E Balaque também foi embora.