Nova Tradução na Linguagem de Hoje (2000) (NTLH)
19

Jesus fala sobre o divórcio

Mateus 5.31-32; Marcos 10.1-12; Lucas 16.18

191Depois de dizer isso, Jesus saiu da Galileia e foi para a região da Judeia que fica no lado leste do rio Jordão. 2Uma grande multidão o seguiu, e ali ele curou os doentes.

3Alguns fariseus chegaram perto dele e, querendo conseguir alguma prova contra ele, perguntaram:

— Será que pela nossa Lei um homem pode, por qualquer motivo, mandar a sua esposa embora?

4Jesus respondeu:

— Por acaso vocês não leram o trecho das Escrituras que diz: “No começo o Criador os fez homem e mulher”?

19.4
Gn 1.27
5.2
5E Deus disse: “Por isso o homem deixa o seu pai e a sua mãe para se unir com a sua mulher, e os dois se tornam uma só pessoa.”
19.5
Gn 2.24
6Assim já não são duas pessoas, mas uma só. Portanto, que ninguém separe o que Deus uniu.

7Os fariseus perguntaram:

— Nesse caso, por que é que Moisés permitiu ao homem mandar a sua esposa embora se der a ela um documento de divórcio?

19.7
Dt 24.1-4
Mt 5.31

8Jesus respondeu:

— Moisés deu essa permissão por causa da dureza do coração de vocês; mas no princípio da criação não era assim. 9Portanto, eu afirmo a vocês o seguinte: o homem que mandar a sua esposa embora, a não ser em caso de adultério, se tornará adúltero se casar com outra mulher.

19.9
1Co 7.10-11

10Os discípulos de Jesus disseram:

— Se é esta a situação entre o homem e a sua esposa, então é melhor não casar.

11Jesus respondeu:

— Este ensinamento não é para todos, mas somente para aqueles a quem Deus o tem dado. 12Pois há razões diferentes que tornam alguns homens incapazes para o casamento: uns, porque nasceram assim; outros, porque foram castrados; e outros ainda não casam por causa do Reino do Céu. Quem puder, que aceite este ensinamento.

Jesus e as crianças

Marcos 10.13-16; Lucas 18.15-17

13Depois disso, algumas pessoas levaram as suas crianças para Jesus pôr as mãos sobre elas e orar, mas os discípulos repreenderam as pessoas que fizeram isso. 14Aí ele disse:

— Deixem que as crianças venham a mim e não proíbam que elas façam isso, pois o Reino do Céu é das pessoas que são como estas crianças.

15Então Jesus pôs as mãos sobre elas e foi embora.

O moço rico

Marcos 10.17-31; Lucas 18.18-30

16Certa vez um homem chegou perto de Jesus e perguntou:

— Mestre, o que devo fazer de bom para conseguir a vida eterna?

17Jesus respondeu:

— Por que é que você está me perguntando a respeito do que é bom? Bom só existe um. Se você quer entrar na vida eterna, guarde os mandamentos.

18— Que mandamentos? — perguntou ele.

Jesus respondeu:

— “Não mate, não cometa adultério, não roube, não dê falso testemunho contra ninguém,

19.18 a
Êx 20.13
Dt 5.17
19respeite o seu pai e a sua mãe e ame os outros como você ama a você mesmo.”
19.19 a
Êx 20.12
Dt 5.16

20— Eu tenho obedecido a todos esses mandamentos! — respondeu o moço. — O que mais me falta fazer?

21Jesus respondeu:

— Se você quer ser perfeito, vá, venda tudo o que tem, e dê o dinheiro aos pobres, e assim você terá riquezas no céu. Depois venha e me siga.

22Quando o moço ouviu isso, foi embora triste, pois era muito rico. 23Jesus então disse aos discípulos:

— Eu afirmo a vocês que isto é verdade: é muito difícil um rico entrar no Reino do Céu. 24E digo ainda que é mais difícil um rico entrar no Reino de Deus do que um camelo passar pelo fundo de uma agulha.

25Quando ouviram isso, os discípulos ficaram muito admirados e perguntavam:

— Então, quem é que pode se salvar?

26Jesus olhou para eles e respondeu:

— Para os seres humanos isso não é possível; mas, para Deus, tudo é possível.

27Aí Pedro disse:

— Veja! Nós deixamos tudo e seguimos o senhor. O que é que nós vamos ganhar?

28Jesus respondeu:

— Eu afirmo a vocês que isto é verdade: quando chegar o tempo em que Deus vai renovar tudo e o Filho do Homem se sentar no seu trono glorioso, vocês, os meus discípulos, também vão sentar-se em doze tronos para julgar as doze tribos do povo de Israel.

19.28 a
Mt 25.31
29E todos os que, por minha causa, deixarem casas, irmãos, irmãs, pai, mãe, filhos ou terras receberão cem vezes mais e também a vida eterna. 30Muitos que agora são os primeiros serão os últimos, e muitos que agora são os últimos serão os primeiros.
19.30
Mt 20.16
Lc 13.30

20

Os trabalhadores da plantação de uvas

201Jesus disse:

— O Reino do Céu é como o dono de uma plantação de uvas que saiu de manhã bem cedo para contratar trabalhadores para a sua plantação. 2Ele combinou com eles o salário de costume, isto é, uma moeda de prata por dia, e mandou que fossem trabalhar na sua plantação. 3Às nove horas, saiu outra vez, foi até a praça do mercado e viu ali alguns homens que não estavam fazendo nada. 4Então disse: “Vão vocês também trabalhar na minha plantação de uvas, e eu pagarei o que for justo.”

5— E eles foram. Ao meio-dia e às três horas da tarde o dono da plantação fez a mesma coisa com outros trabalhadores. 6Eram quase cinco horas da tarde quando ele voltou à praça. Viu outros homens que ainda estavam ali e perguntou: “Por que vocês estão o dia todo aqui sem fazer nada?”

7— “É porque ninguém nos contratou!” — responderam eles.

— Então ele disse: “Vão vocês também trabalhar na minha plantação.”

8— No fim do dia, ele disse ao administrador: “Chame os trabalhadores e faça o pagamento, começando com os que foram contratados por último e terminando pelos primeiros.”

20.8
Lv 19.13
Dt 24.15

9— Os homens que começaram a trabalhar às cinco horas da tarde receberam uma moeda de prata cada um. 10Então os primeiros que tinham sido contratados pensaram que iam receber mais; porém eles também receberam uma moeda de prata cada um. 11Pegaram o dinheiro e começaram a resmungar contra o patrão, 12dizendo: “Estes homens que foram contratados por último trabalharam somente uma hora, mas nós aguentamos o dia todo debaixo deste sol quente. No entanto, o pagamento deles foi igual ao nosso!”

13— Aí o dono disse a um deles: “Escute, amigo! Eu não fui injusto com você. Você não concordou em trabalhar o dia todo por uma moeda de prata? 14Pegue o seu pagamento e vá embora. Pois eu quero dar a este homem, que foi contratado por último, o mesmo que dei a você. 15Por acaso não tenho o direito de fazer o que quero com o meu próprio dinheiro? Ou você está com inveja somente porque fui bom para ele?”

16E Jesus terminou, dizendo:

— Assim, aqueles que são os primeiros serão os últimos, e os últimos serão os primeiros.

20.16
Mt 19.30
Mc 10.31
Lc 13.30

Jesus anuncia outra vez a sua morte e a sua ressurreição

Marcos 10.32-34; Lucas 18.31-34

17Quando Jesus estava subindo para Jerusalém, chamou os discípulos para um lado e falou com eles em particular, enquanto caminhavam. Ele disse:

18— Escutem! Nós estamos indo para Jerusalém, onde o Filho do Homem será entregue aos chefes dos sacerdotes e aos mestres da Lei. Eles o condenarão à morte 19e o entregarão aos não judeus. Estes vão zombar dele, bater nele e crucificá-lo; mas no terceiro dia ele será ressuscitado.

O pedido de uma mãe

Marcos 10.35-45

20Então a mãe dos filhos de Zebedeu chegou com os seus filhos perto de Jesus, curvou-se e pediu a ele um favor.

21— O que é que você quer? — perguntou Jesus.

Ela respondeu:

— Prometa que, quando o senhor se tornar Rei, estes meus dois filhos sentarão à sua direita e à sua esquerda.

22Jesus disse aos dois filhos dela:

— Vocês não sabem o que estão pedindo. Por acaso vocês podem beber o cálice que eu vou beber?

— Podemos! — responderam eles.

23Então Jesus disse:

— De fato, vocês beberão o cálice que eu vou beber, mas eu não tenho o direito de escolher quem vai sentar à minha direita e à minha esquerda. Pois foi o meu Pai quem preparou esses lugares e ele os dará a quem quiser.

24Quando os outros dez discípulos ouviram isso, ficaram zangados com os dois irmãos. 25Então Jesus chamou todos para perto de si e disse:

— Como vocês sabem, os governadores dos povos pagãos têm autoridade sobre eles, e os poderosos mandam neles. 26Mas entre vocês não pode ser assim. Pelo contrário, quem quiser ser importante, que sirva os outros,

20.25-26
Lc 22.25-26
27e quem quiser ser o primeiro, que seja o escravo de vocês.
20.26-27
Mt 23.11
Mc 9.35
Lc 22.26
28Porque até o Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida para salvar muita gente.

Jesus cura dois cegos

Marcos 10.46-52; Lucas 18.35-43

29Quando Jesus e os discípulos estavam saindo de Jericó, uma grande multidão seguia Jesus. 30Dois cegos, sentados na beira do caminho, ouviram alguém dizer que ele estava passando e começaram a gritar:

— Senhor, Filho de Davi, tenha pena de nós!

31A multidão os repreendeu e mandou que calassem a boca, mas eles gritaram ainda mais:

— Senhor, Filho de Davi, tenha pena de nós!

32Então Jesus parou, chamou os cegos e perguntou:

— O que é que vocês querem que eu faça?

33— Senhor, queremos poder enxergar! — responderam eles.

34Jesus teve pena dos cegos e tocou nos olhos deles. No mesmo instante eles puderam ver e então seguiram Jesus.

21

Jesus entra em Jerusalém

Marcos 11.1-11; Lucas 19.28-40; João 12.12-19

211Quando Jesus e os discípulos estavam chegando a Jerusalém, pararam no povoado de Betfagé, que fica perto do monte das Oliveiras. Dali Jesus enviou dois discípulos na frente, 2com a seguinte ordem:

— Vão até o povoado que fica ali adiante e, logo que vocês entrarem lá, encontrarão uma jumenta presa e um jumentinho com ela. Desamarrem os dois e os tragam aqui. 3Se alguém falar alguma coisa, digam que o Mestre precisa deles. Assim deixarão vocês trazerem logo os animais.

4Isso aconteceu para se cumprir o que o profeta tinha dito:

5“Digam ao povo de Jerusalém:

Agora o seu rei está chegando.

Ele é humilde e está montado num jumento

e num jumentinho, filho de jumenta.”

21.5
Zc 9.9

6Então os discípulos foram e fizeram o que Jesus havia mandado. 7Levaram a jumenta e o jumentinho, jogaram as suas capas sobre eles, e Jesus montou. 8Da grande multidão que ia com eles, alguns estendiam as suas capas no chão, e outros espalhavam no chão ramos que tinham cortado das árvores. 9Tanto os que iam na frente como os que vinham atrás começaram a gritar:

Hosana ao Filho de Davi!

Que Deus abençoe aquele que vem

em nome do Senhor!

Hosana a Deus nas alturas do céu!

21.9
Sl 118.25-26

10Quando Jesus entrou em Jerusalém, toda a cidade ficou agitada, e o povo perguntava:

— Quem é ele?

11A multidão respondia:

— Este é o profeta Jesus, de Nazaré da Galileia.

Jesus no Templo

Marcos 11.15-19; Lucas 19.45-48; João 2.13-22

12Jesus entrou no pátio do Templo e expulsou todos os que compravam e vendiam naquele lugar. Derrubou as mesas dos que trocavam dinheiro e as cadeiras dos que vendiam pombas. 13Ele lhes disse:

— Nas Escrituras Sagradas está escrito que Deus disse o seguinte: “A minha casa será chamada de ‘Casa de Oração’.” Mas vocês a transformaram num esconderijo de ladrões!

21.13
Is 56.7
Jr 7.11

14Cegos e coxos iam encontrar Jesus no pátio do Templo, e ele os curava. 15Os chefes dos sacerdotes e os mestres da Lei ficaram zangados quando viram as coisas maravilhosas que ele fazia e ouviram as crianças gritando no pátio do Templo:

Hosana ao Filho de Davi!

16E eles disseram a Jesus:

— Você está ouvindo o que estão dizendo?

Jesus respondeu:

— Claro que sim! Será que vocês nunca leram a passagem das Escrituras Sagradas que diz: “Deus ensinou as crianças e as criancinhas a oferecerem o louvor perfeito”?

21.16
Sl 8.2

17Então Jesus os deixou, saiu da cidade e foi para o povoado de Betânia. E passou a noite ali.

Jesus e a figueira

Marcos 11.12-14,20-25

18No dia seguinte, quando estava voltando para a cidade, Jesus teve fome. 19Ele viu uma figueira na beira da estrada e foi até lá, mas não encontrou nada; só folhas. Aí disse para a figueira:

— Nunca mais dê figos!

E na mesma hora a figueira secou. 20Os discípulos viram isso, ficaram muito admirados e disseram:

— Como a figueira secou depressa!

21Então Jesus disse:

— Eu afirmo a vocês que isto é verdade: se tiverem fé e não duvidarem, vocês poderão fazer a mesma coisa que eu fiz com esta figueira. E não somente isso, mas vocês poderão dizer a este monte: “Levante-se e jogue-se no mar”, e isso acontecerá.

21.21
Mt 17.20
1Co 13.2
22Se crerem, receberão tudo o que pedirem em oração.

A autoridade de Jesus

Marcos 11.27-33; Lucas 20.1-8

23Jesus chegou ao Templo, e, quando já estava ensinando, alguns chefes dos sacerdotes e alguns líderes judeus chegaram perto dele e perguntaram:

— Com que autoridade você faz essas coisas? Quem lhe deu essa autoridade?

24Jesus respondeu:

— Eu também vou fazer uma pergunta a vocês. Se me derem a resposta certa, eu direi com que autoridade faço essas coisas. 25Respondam: quem deu autoridade a João para batizar? Foi Deus ou foram pessoas?

Aí eles começaram a dizer uns aos outros:

— Se dissermos que foi Deus, ele vai perguntar: “Então por que vocês não creram em João?” 26Mas, se dissermos que foram pessoas, temos medo do que o povo pode fazer, pois todos acham que João era profeta.

27Por isso responderam:

— Não sabemos.

— Então eu também não digo com que autoridade faço essas coisas! — disse Jesus.

Os dois filhos

28Jesus continuou:

— E o que é que vocês acham disto? Certo homem tinha dois filhos. Ele foi falar com o mais velho e disse: “Filho, hoje você vai trabalhar na minha plantação de uvas.”

29— Ele respondeu: “Eu não quero ir.” Mas depois mudou de ideia e foi.

30— O pai foi e deu ao outro filho a mesma ordem. E este disse: “Sim, senhor.” Mas depois não foi.

31— Qual deles fez o que o pai queria? — perguntou Jesus.

E eles responderam:

— O filho mais velho.

Então Jesus disse a eles:

— Eu afirmo a vocês que isto é verdade: os cobradores de impostos e as prostitutas estão entrando no Reino de Deus antes de vocês. 32Pois João Batista veio para mostrar a vocês o caminho certo, e vocês não creram nele; mas os cobradores de impostos e as prostitutas creram. Porém, mesmo tendo visto isso, vocês não se arrependeram e não creram nele.

21.32
Lc 3.12
7.29-30

Os lavradores maus

Marcos 12.1-12; Lucas 20.9-19

33Jesus disse:

— Escutem outra parábola: certo agricultor fez uma plantação de uvas e pôs uma cerca em volta dela. Construiu um tanque para pisar as uvas e fazer vinho e construiu uma torre para o vigia. Em seguida, arrendou a plantação para alguns lavradores e foi viajar.

21.33
Is 5.1-2
34Quando chegou o tempo da colheita, o dono mandou alguns empregados a fim de receber a parte dele. 35Mas os lavradores agarraram os empregados, bateram num, assassinaram outro e mataram ainda outro a pedradas. 36Aí o dono mandou mais empregados do que da primeira vez. E os lavradores fizeram a mesma coisa. 37Depois de tudo isso, ele mandou o seu próprio filho, pensando: “O meu filho eles vão respeitar.” 38Mas, quando os lavradores viram o filho, disseram uns aos outros: “Este é o filho do dono; ele vai herdar a plantação. Vamos matá-lo, e a plantação será nossa.”

39— Então agarraram o filho, e o jogaram para fora da plantação, e o mataram.

40Aí Jesus perguntou:

— E agora, quando o dono da plantação voltar, o que é que ele vai fazer com aqueles lavradores?

41Eles responderam:

— Com certeza ele vai matar aqueles lavradores maus e vai arrendar a plantação a outros. E estes lhe darão a parte da colheita no tempo certo.

42Jesus então perguntou:

— Vocês não leram o que as Escrituras Sagradas dizem?

“A pedra que os construtores rejeitaram

veio a ser a mais importante de todas.

Isso foi feito pelo Senhor

e é uma coisa maravilhosa!”

21.42
Sl 118.22-23

43E Jesus terminou:

— Eu afirmo a vocês que o Reino de Deus será tirado de vocês e será dado para as pessoas que produzem os frutos do Reino. 44Quem cair em cima dessa pedra ficará em pedaços. E, se a pedra cair sobre alguém, essa pessoa vai virar pó.

45Os chefes dos sacerdotes e os fariseus ouviram as parábolas que Jesus contou e sabiam que ele estava falando a respeito deles. 46Por isso queriam prendê-lo, mas tinham medo da multidão porque o povo achava que Jesus era profeta.

Utilizamos cookies de acordo com o nossa Política de Privacidade, respeitando todos as suas informações pessoais.[ocultar]