Nova Tradução na Linguagem de Hoje (2000) (NTLH)
6

61O Senhor Deus deu a Moisés estas ordens para o povo de Israel:

2Para tirar a sua culpa, precisará fazer uma oferta o homem que pecar e ofender a Deus, o Senhor, nos seguintes casos: se ficar com aquilo que alguém lhe entregou para guardar; se não devolver o que alguém deixou como garantia de pagamento de uma dívida; se roubar alguma coisa de alguém; se usar de violência contra qualquer pessoa; 3se jurar que não achou um objeto perdido quando, de fato, achou; ou se fizer contra alguém qualquer outra coisa parecida com estas. 4Para ficar livre da sua culpa, quem cometer um desses pecados deverá devolver aquilo que pertence ao outro, ou dar de volta o depósito, ou devolver aquilo que ganhou por meios violentos, ou entregar ao dono o objeto perdido que achou, 5ou acertar qualquer outra coisa a respeito da qual jurou falso. No dia em que oferecer o sacrifício para tirar a sua culpa, ele entregará ao outro o valor total daquilo que roubou, mais um quinto. 6E oferecerá um carneiro sem defeito como sacrifício para tirar a sua culpa. O valor do animal será calculado de acordo com a tabela usada no santuário. 7O sacerdote oferecerá a Deus, o Senhor, o sacrifício para conseguir o perdão de pecados, e o homem será perdoado de qualquer pecado que tiver cometido.

6.1-7
Nm 5.5-8

Ofertas completamente queimadas

8O Senhor Deus mandou que Moisés 9desse a Arão e aos seus filhos as seguintes leis a respeito das ofertas que são completamente queimadas:

A oferta que é completamente queimada precisará ficar no altar a noite toda, e durante esse tempo o fogo do altar deverá ficar aceso. 10Depois que o fogo queimar todo o sacrifício, o sacerdote, vestido com calções de linho e uma túnica também de linho, tirará as cinzas e as colocará ao lado do altar. 11Depois trocará de roupa e levará as cinzas para um lugar puro, fora do acampamento.

12O fogo do altar nunca se apagará; deverá ficar sempre aceso. Todas as manhãs o sacerdote porá lenha no fogo, arrumará em cima a oferta que vai ser completamente queimada e queimará a gordura das ofertas de paz. 13O fogo nunca se apagará no altar; deverá ficar sempre aceso.

Ofertas de cereais

14São estas as leis a respeito das ofertas de cereais.

Os sacerdotes apresentarão a Deus, o Senhor, as ofertas de cereais, em frente do altar. 15Um dos sacerdotes pegará um punhado da farinha com o azeite e o incenso que foram misturados com ela e o queimará no altar para lembrar que a oferta toda é dada a Deus. O cheiro da oferta é agradável ao Senhor. 16Os sacerdotes, que são descendentes de Arão, ficarão com o resto da oferta de cereais. Com a farinha da oferta eles farão pão sem fermento e comerão o pão num lugar sagrado, no pátio da Tenda Sagrada. 17Não usarão fermento para fazer esse pão. Essa parte das ofertas de cereais, que fica para os sacerdotes, pertence a Deus e por isso é muito sagrada, como também são sagradas as ofertas para tirar pecados e as ofertas para tirar culpas. 18Todos os homens que sejam descendentes de Arão têm para sempre o direito de comer desse pão. É a parte que lhes pertence das ofertas de alimento dadas a Deus, o Senhor. Mas acontecerá uma desgraça6.18 As pessoas que Deus não havia escolhido para lidar com os objetos sagrados corriam o perigo de morrer se tocassem neles (ver Nm 4.15). a qualquer outra pessoa que tocar nessas ofertas, pois são sagradas.

Oferta na ordenação dos sacerdotes

19O Senhor Deus deu a Moisés 20as seguintes leis a respeito da ordenação dos descendentes de Arão para serem sacerdotes:

Quando um sacerdote for ordenado, oferecerá a Deus, o Senhor, um quilo de farinha, como se faz na oferta diária de cereais. Uma metade será oferecida de manhã, e a outra metade, à tarde. 21A farinha deverá ser bem misturada com azeite, e o pão deverá ser assado numa grelha. Depois o pão será partido em pedaços, e o sacerdote o apresentará a Deus como uma oferta de cereais. O cheiro dessa oferta é agradável ao Senhor. 22Esta é uma lei que vale para sempre: todo descendente de Arão que servir como Grande Sacerdote fará a mesma coisa. Essa oferta será completamente queimada como sacrifício a Deus, o Senhor. 23Nenhuma parte de qualquer oferta de cereais apresentada por um sacerdote poderá ser comida; a oferta toda será queimada.

Oferta para tirar pecados

24O Senhor Deus mandou que Moisés 25desse a Arão e aos seus filhos as seguintes leis a respeito da oferta para tirar pecados:

O animal usado no sacrifício para tirar pecados deverá ser morto na presença de Deus, o Senhor, no lado norte do altar, onde são mortos os animais que são queimados em sacrifício a Deus. Essa oferta é muito sagrada. 26O sacerdote que oferecer o animal comerá a carne num lugar sagrado, no pátio da Tenda Sagrada. 27Mas acontecerá uma desgraça6.27 Ver Lv 6.18, nota. a qualquer outra pessoa que tocar na carne do animal, pois a oferta é sagrada. Se, por acaso, cair sangue do animal na roupa de alguém, ela deverá ser lavada num lugar santo. 28Deverá ser quebrada qualquer panela de barro em que a carne do animal for cozida; se a carne for cozida numa panela de metal, a panela deverá ser esfregada e lavada com água. 29Qualquer homem que seja de uma família de sacerdotes poderá comer da carne desse sacrifício; é uma coisa muito sagrada. 30Se o sangue do animal sacrificado para tirar pecados for levado para dentro da Tenda Sagrada a fim de conseguir o perdão de pecados, a carne desse animal não poderá ser comida, mas será toda queimada.

7

Oferta para tirar culpas

71São estas as leis a respeito da oferta para tirar as culpas das pessoas. Essa oferta é muito sagrada. 2Neste sacrifício o animal será morto no lado norte do altar, no lugar onde se matam os animais que são queimados; o sangue será borrifado nos quatro lados do altar. 3Toda a gordura do animal será queimada em sacrifício a Deus; serão queimados também o rabo, a gordura que cobre os miúdos, 4os dois rins, a gordura que os cobre e a melhor parte do fígado. 5O sacerdote queimará tudo isso no altar como oferta de alimento a Deus, o Senhor. Esta é a oferta para tirar as culpas, 6e todo homem que seja de uma família de sacerdotes poderá comer dela. Deverá ser comida num lugar sagrado, pois é uma oferta muito sagrada.

7A lei da oferta para tirar pecados e da oferta para tirar culpas é a mesma: a carne do animal pertence ao sacerdote que oferece o sacrifício para conseguir o perdão de pecados. 8Antes de oferecer um animal que vai ser completamente queimado, o sacerdote tirará o couro, que será seu. 9Todas as ofertas de cereais assadas no forno, na frigideira ou na grelha são do sacerdote que as oferece a Deus. 10Mas toda oferta de cereais que não é cozida, seja ela preparada com azeite ou sem azeite, pertence a todos os sacerdotes; cada um receberá a sua parte.

As ofertas de paz

11São estas as leis para as ofertas de paz que são apresentadas a Deus, o Senhor.

12Se o sacrifício é de gratidão a Deus, então, além do animal que é sacrificado, a pessoa oferecerá também pães feitos de farinha misturada com azeite, mas sem fermento; ou pães achatados, feitos sem fermento, passando-se um pouco de azeite por cima; ou pães grandes, feitos de farinha bem misturada com azeite. 13Além disso, com essa oferta de paz feita para agradecer a Deus, a pessoa oferecerá pão feito com fermento. 14Desses pães ela apresentará um pão de cada tipo como oferta especial a Deus, o Senhor; e eles pertencerão ao sacerdote que borrifar o altar com o sangue do animal. 15Toda a carne do animal deverá ser comida no mesmo dia em que for oferecida em sacrifício; não poderá sobrar nada para o dia seguinte.

16Se alguém trouxer uma oferta de paz para pagar uma promessa ou se a trouxer por vontade própria, não será preciso que a carne seja toda comida no dia em que se faz a oferta; o que sobrar poderá ser comido no dia seguinte. 17Mas, se no terceiro dia ainda sobrar carne, então ela deverá ser queimada. 18Quem comer a carne dessa oferta no terceiro dia não será aceito por Deus, e a oferta que fez não vale. Essa carne é impura, e quem a comer merecerá castigo. 19Se a carne tocar em qualquer coisa impura, então deverá ser queimada; não poderá ser comida.

Qualquer pessoa que estiver pura poderá comer a carne da oferta de paz; 20mas, se alguém que estiver impuro comer, então será expulso do meio do povo. 21E quem tocar em qualquer coisa impura, seja uma impureza humana ou um animal impuro, e depois comer a carne do sacrifício de paz, será expulso do meio do povo.

A gordura e o sangue

22O Senhor Deus mandou que Moisés 23dissesse ao povo o seguinte:

Não comam gordura de gado, de carneiros e de cabritos. 24A gordura de um animal que tiver morte natural ou que for morto por animais selvagens não poderá ser comida, mas poderá ser usada para outros fins. 25Será expulsa do meio do povo qualquer pessoa que comer a gordura de um animal que for sacrificado a Deus, o Senhor, como oferta de alimento. 26Em todos os lugares onde morarem, os israelitas estarão proibidos de comer o sangue de animais ou de aves. 27Quem comer sangue será expulso do meio do povo.

7.26-27
Gn 9.4
Lv 17.10-14
19.26
Dt 12.16,23
15.23

A parte dos sacerdotes

28O Senhor Deus mandou que Moisés 29desse ao povo as seguintes leis:

Quando alguém apresentar o seu sacrifício de paz, deverá oferecer ao Senhor parte do sacrifício como oferta especial. 30Com as próprias mãos ele dará a Deus essa oferta de alimento; o peito do animal e a gordura que cobre o peito serão apresentados ao Senhor como oferta especial. 31O sacerdote queimará a gordura no altar, mas o peito pertencerá aos sacerdotes. 32A coxa direita do animal morto como oferta de paz será do sacerdote 33que oferece a Deus o sangue e a gordura do animal. 34O peito e a coxa do animal são uma oferta especial que o Senhor toma dos israelitas e dá aos sacerdotes, que são descendentes de Arão. Eles terão direito para sempre a essas partes das ofertas de paz.

35São essas as partes dos animais oferecidos em sacrifício a Deus, o Senhor, que pertencem a Arão e aos seus descendentes, a partir do dia em que foram escolhidos para servirem como sacerdotes. 36No dia em que o Senhor os ordenou como sacerdotes, ele mandou que os israelitas dessem a eles essas partes dos sacrifícios. É uma lei que deverá ser obedecida para sempre por vocês e pelos seus descendentes.

37São essas, portanto, as leis a respeito das ofertas que são completamente queimadas, das ofertas de cereais, das ofertas para tirar pecados, das ofertas para tirar culpas, das ofertas da ordenação dos sacerdotes e das ofertas de paz. 38O Senhor deu essas leis a Moisés no monte Sinai, no deserto, na ocasião em que Moisés mandou que o povo de Israel oferecesse os seus sacrifícios a Deus, o Senhor.

8

A ordenação de Arão e dos seus filhos

Êxodo 29.1-37

81O Senhor Deus disse a Moisés:

2— Leve Arão e os filhos dele até a entrada da Tenda Sagrada. Pegue as roupas sacerdotais, o azeite de ungir, o touro novo da oferta para tirar pecados, dois carneiros e uma cesta cheia de pães feitos sem fermento. 3E mande que o povo todo se reúna em frente da Tenda.

4Moisés fez o que o Senhor mandou, e o povo todo se reuniu em frente da Tenda. 5Aí Moisés lhes disse:

— Vou fazer agora o que o Senhor mandou.

6Moisés fez com que Arão e os seus filhos chegassem perto dele e mandou que se lavassem. 7Depois ele vestiu Arão com a túnica, prendeu-a com o cinto e por cima colocou a sobrepeliz8.7 Ver Êx 28.31-35.. Em seguida pôs o manto sacerdotal em Arão e o prendeu em volta da cintura com o cinto. 8Colocou também o peitoral e nele pôs o Urim e o Tumim. 9Pôs também a mitra na cabeça de Arão e na parte da frente da mitra colocou a placa de ouro que era o sinal da ordenação de Arão como sacerdote. Tudo isso Moisés fez como o Senhor havia mandado.

10Em seguida Moisés pegou o azeite sagrado, e ungiu a Tenda Sagrada e tudo o que havia lá dentro, e dessa maneira separou tudo para o serviço de Deus. 11Sete vezes ele borrifou o altar com o azeite, ungindo assim o altar e todos os seus objetos; ungiu também a pia e a sua base, para dedicá-las a Deus.

12Depois Moisés derramou o azeite sagrado na cabeça de Arão e assim o ordenou como sacerdote. 13Em seguida fez com que os filhos de Arão chegassem perto dele. Moisés os vestiu com as túnicas, prendeu-as com os cintos e colocou as mitras na cabeça deles, conforme o Senhor havia mandado.

14Então Moisés pegou o bezerro da oferta para tirar pecados, e Arão e os seus filhos puseram as mãos na cabeça do animal. 15Moisés matou o bezerro, pegou uma parte do sangue e com o dedo pôs o sangue nas quatro pontas do altar. Assim, ele purificou o altar. Em seguida derramou o resto do sangue na base do altar. Dessa maneira Moisés dedicou e purificou o altar. 16Depois ele pegou a gordura dos miúdos, a melhor parte do fígado, os rins com a gordura que os cobria e queimou tudo no altar. 17Levou o resto do animal, incluindo o couro, a carne e as tripas, e queimou tudo num lugar fora do acampamento, conforme o Senhor havia mandado.

18Depois Moisés pegou o carneiro que ia ser morto para a oferta queimada, e Arão e os seus filhos puseram as mãos na cabeça do animal. 19Moisés matou o carneiro e com o sangue borrifou os quatro lados do altar. 20-21Ele cortou o animal em pedaços, lavou os miúdos e as pernas traseiras e queimou a cabeça, a gordura e todo o resto do carneiro no altar, como o Senhor havia mandado. Essa oferta queimada, uma oferta de alimento para o Senhor, produziu um cheiro agradável ao Senhor.

22Aí Moisés pegou o outro carneiro, o animal para a ordenação dos sacerdotes, e Arão e os seus filhos puseram as mãos na cabeça do carneiro. 23Moisés matou o animal e com o dedo pôs uma parte do sangue na ponta da orelha direita de Arão, no dedo polegar da mão direita e no dedão do pé direito. 24Depois ele fez com que os filhos de Arão chegassem mais perto e pôs sangue na ponta da orelha direita deles, no dedo polegar da mão direita e no dedão do pé direito. Em seguida com o resto do sangue borrifou os quatro lados do altar. 25Pegou a gordura, o rabo, a gordura que cobria os miúdos, a melhor parte do fígado, os dois rins com a gordura que os cobria e a coxa direita. 26Pegou também um pão da cesta cheia de pães sem fermento que tinham sido oferecidos a Deus, o Senhor, um pão feito com azeite e um pão pequeno e colocou os três pães sobre a gordura e sobre a coxa direita. 27Moisés pôs tudo isso nas mãos de Arão e dos seus filhos e apresentou como oferta especial ao Senhor. 28Depois pegou tudo isso das mãos deles e queimou no altar, em cima da oferta queimada, como uma oferta de ordenação ao sacerdócio. Foi uma oferta de alimento apresentada ao Senhor e produziu um cheiro agradável a Deus. 29Em seguida Moisés pegou o peito do animal e o apresentou ao Senhor como oferta especial. Moisés ficou com essa parte do carneiro, conforme o Senhor havia mandado.

30Moisés pegou uma parte do azeite sagrado e uma parte do sangue que estava no altar e os borrifou sobre Arão e a sua roupa e sobre os filhos de Arão e as suas roupas. Assim, ele dedicou ao serviço de Deus Arão e a sua roupa e os filhos de Arão e as suas roupas.

31Moisés disse a Arão e aos seus filhos:

— Levem a carne até a entrada da Tenda Sagrada e ali cozinhem e comam a carne junto com o pão que está na cesta das ofertas feitas para a ordenação. Façam isso conforme as ordens que Deus mandou que eu desse a vocês. 32Queimem a carne e o pão que sobrarem. 33Fiquem sete dias ali em frente da Tenda, até se completarem os dias da ordenação ao sacerdócio. São sete dias ao todo. 34Fizemos hoje o que o Senhor Deus mandou a fim de conseguir o perdão dos pecados de vocês. 35Fiquem sete dias e sete noites em frente da Tenda Sagrada. Obedeçam a tudo o que o Senhor mandou a fim de que não morram. Foi isso o que Deus me mandou dizer.

36Arão e os seus filhos fizeram tudo o que o Senhor havia mandado por meio de Moisés.