Nova Tradução na Linguagem de Hoje (2000) (NTLH)
3

Castigo, arrependimento e esperança

31Eu sou aquele que sabe o que é sofrer os golpes da ira de Deus.

2Ele me levou para a escuridão

e me fez andar por caminhos sem luz.

3Com a sua mão, me bateu muitas vezes,

o dia inteiro.

4Deus fez envelhecer a minha carne e a minha pele

e quebrou os meus ossos.

5Em volta de mim, ele construiu um muro de sofrimento e amargura.

6Ele me fez morar na escuridão,

como se eu estivesse morto há muito tempo.

7Deus me amarrou com pesadas correntes;

estou na prisão e não posso escapar.

8Grito pedindo socorro,

mas ele não quer ouvir a minha oração.

9Não posso seguir em frente,

pois, com grandes blocos de pedra, ele fechou o meu caminho.

10Deus tem sido para mim como um leão de tocaia,

como um urso pronto para atacar.

11Ele me afastou do caminho,

me fez em pedaços e depois me abandonou.

12Ele armou o seu arco

e fez de mim o alvo das suas flechas.

13As flechas atiradas por Deus

entraram fundo na minha carne.

14O dia inteiro as pessoas riem de mim;

elas zombam de mim nas suas canções.

15Deus me encheu de comidas amargas

e me fez beber fel

até eu não poder mais.

16Ele esfregou o meu rosto no chão

e quebrou os meus dentes nas pedras.

17Já não sei mais o que é paz

e esqueci o que é felicidade.

18Não tenho muito tempo de vida,

e a minha esperança no Senhor acabou.

19Eu lembro da minha tristeza e solidão,

das amarguras e dos sofrimentos.

20Penso sempre nisso

e fico abatido.

21Mas a esperança volta

quando penso no seguinte:

22O amor do Senhor Deus não se acaba,

e a sua bondade não tem fim.

23Esse amor e essa bondade são novos todas as manhãs;

e como é grande a fidelidade do Senhor!

24Deus é tudo o que tenho;

por isso, confio nele.

25O Senhor é bom para todos os que confiam nele.

26O melhor é ter esperança

e aguardar em silêncio a ajuda do Senhor.

27E é bom que as pessoas aprendam a sofrer com paciência

desde a sua juventude.

28Quando Deus nos faz sofrer,

devemos ficar sozinhos, pacientes

e em silêncio.

29Devemos nos curvar, humildes,

pois ainda pode haver esperança.

30Quando somos ofendidos, não devemos reagir,

mas sim suportar todos os insultos.

31O Senhor não rejeita ninguém para sempre.

32Ele pode fazer a gente sofrer,

mas também tem compaixão

porque o seu amor é imenso.

33Não é com prazer que ele nos causa sofrimento ou dor.

34Deus sabe quando neste país

os prisioneiros são massacrados sem compaixão.

35O Deus Altíssimo sabe quando são desrespeitados os direitos humanos,

que ele mesmo nos deu.

36Sim, o Senhor sabe quando torcem a justiça num processo.

37Ninguém pode fazer acontecer nada

se Deus não quiser.

38Tanto as coisas boas como as más acontecem por ordem do Deus Altíssimo.

39Por que nos queixarmos da vida

quando somos castigados por causa dos nossos pecados?

40Examinemos seriamente o que temos feito

e voltemos para o Senhor.

41Abramos o nosso coração a Deus, que está no céu,

e oremos assim:

42“Ó Deus, nós pecamos, nos revoltamos,

e não nos perdoaste.

43“Tu ficaste irado conosco,

nos perseguiste,

nos mataste sem dó nem piedade.

44Tu te cercaste de nuvens

para que as nossas orações não chegassem a ti.

45Fizeste com que as nações olhassem para nós

como se fôssemos um monte de lixo e refugos.

46“Somos insultados por todos os nossos inimigos.

47Temos vivido no meio de medos, perigos, desgraças e destruição.”

48Dos meus olhos correm rios de lágrimas

por causa da destruição do meu povo.

49Sem parar, os meus olhos vão derramar lágrimas

50até que o Senhor olhe lá do céu

e nos veja.

51O meu coração sofre muito quando penso

no que vi acontecer com as mulheres da minha cidade.

52Os meus inimigos,

que não tinham razão para me odiar,

me caçaram como se eu fosse um passarinho.

53Eles me jogaram vivo num poço

e o taparam com uma pedra.

54A água subiu acima da minha cabeça,

e eu pensei: “Estou perdido!”

55Do fundo do poço, gritei

pedindo a tua ajuda, ó Senhor.

56Roguei que me escutasses,

e tu ouviste o meu grito.

57No dia em que te chamei,

chegaste perto de mim e disseste:

“Não tenha medo!”

58Ó Senhor, tu vieste me socorrer

e salvaste a minha vida.

59Julga a meu favor, ó Senhor,

pois conheces as injustiças que tenho sofrido.

60Tu sabes como os meus inimigos são vingativos

e conheces os planos que fazem contra mim.

61Ó Senhor Deus, tu ouviste os seus insultos

e conheces todos os seus planos.

62Tu sabes que o dia inteiro falam contra mim

e planejam me prejudicar.

63Tu vês que, em todos os momentos,

eles zombam de mim.

64Ó Senhor, dá-lhes o que merecem,

castiga-os pelo que têm feito.

65Amaldiçoa-os

e faze com que eles caiam no desespero.

66Persegue-os na tua ira, ó Senhor,

e acaba com eles aqui na terra!