Nova Tradução na Linguagem de Hoje (2000) (NTLH)
4

As doze pedras comemorativas

41Quando todo o povo de Israel acabou de atravessar o rio Jordão, o Senhor disse a Josué:

2— Escolha doze homens, um de cada tribo, 3e dê esta ordem: “Peguem doze pedras do meio do rio Jordão, do lugar onde os sacerdotes ficaram parados. Levem essas pedras e coloquem onde acamparem hoje à noite.”

4Então Josué chamou os doze homens que havia escolhido 5e disse:

— Passem adiante da arca da aliança do Senhor, o Deus de vocês, e sigam até o meio do Jordão. Cada um ponha no ombro uma pedra, uma para cada tribo de Israel. 6Essas pedras ajudarão o povo a lembrar daquilo que o Senhor tem feito. No futuro, quando os seus filhos perguntarem o que essas pedras querem dizer, 7vocês contarão que as águas do Jordão pararam de correr no dia em que a arca da aliança atravessou o rio. Essas pedras farão com que o povo de Israel lembre sempre desse dia.

8Os homens fizeram o que Josué mandou. Como o Senhor Deus tinha dito a Josué, eles pegaram do meio do rio Jordão doze pedras, uma para cada tribo de Israel, e as levaram e colocaram no acampamento.

9Josué também pôs doze pedras no meio do Jordão, no lugar onde os sacerdotes que carregavam a arca haviam parado. Essas pedras ainda estão4.9 Isto é, ainda estavam na época em que este texto foi escrito. lá. 10Os sacerdotes ficaram parados no meio do Jordão até que foi feito tudo o que o Senhor, por meio de Moisés, havia mandado Josué falar ao povo.

Então o povo se apressou e atravessou o rio. 11Quando todos já haviam passado, a arca da aliança e os sacerdotes também passaram e ficaram na frente do povo. 12Os homens das tribos de Rúben, de Gade e de Manassés do Leste atravessaram antes do resto do povo, prontos para a batalha, conforme Moisés tinha dito. 13Mais ou menos quarenta mil homens preparados para guerrear marcharam diante de Deus, o Senhor, indo para o lado da planície de Jericó. 14Naquele dia o Senhor fez com que o povo de Israel ficasse sabendo que Josué era um grande homem. E, durante a vida de Josué, eles o respeitaram assim como haviam respeitado a Moisés.

15E o Senhor Deus disse a Josué:

16— Mande sair do rio Jordão os sacerdotes que estão carregando a arca da aliança.

17Josué fez isso. 18E, depois que os sacerdotes saíram do Jordão e pisaram a terra seca, o rio começou a correr de novo e cobriu as margens como antes.

19O povo atravessou o Jordão no dia dez do primeiro mês e acampou em Gilgal, a leste de Jericó. 20Ali Josué fez um monumento com as doze pedras que havia tirado do Jordão. 21E disse ao povo de Israel:

— Quando no futuro os filhos perguntarem aos pais o que estas pedras querem dizer, 22vocês explicarão que o povo de Israel atravessou o rio Jordão em terra seca. 23O Senhor, o Deus de vocês, secou o Jordão para vocês atravessarem, assim como secou o mar Vermelho para nós passarmos. 24Por causa disso todos os povos da terra vão conhecer o poder do Senhor, o Deus de vocês, e vocês o respeitarão para sempre.

5

51Todos os reis amorreus do lado oeste do rio Jordão e todos os reis cananeus que viviam no litoral do mar Mediterrâneo ficaram sabendo que o Senhor havia secado o Jordão para o povo de Israel passar. E, como o povo de Israel estava chegando, eles ficaram com medo e perderam toda a coragem.

A circuncisão em Gilgal

2O Senhor Deus disse a Josué:

— Prepare algumas facas de pedra e faça uma segunda cerimônia de circuncisão no meio do povo.

3Josué fez as facas e circuncidou os israelitas no monte da Circuncisão. 4Ele fez isso porque todos os homens que tinham idade para guerrear quando saíram do Egito haviam morrido pelo caminho, no deserto. 5Todos os homens que saíram do Egito tinham sido circuncidados, mas isso não foi feito com nenhum dos que nasceram durante a viagem pelo deserto. 6O povo de Israel havia andado quarenta anos pelo deserto. Durante esse tempo todos os homens que saíram do Egito em idade de guerrear tinham morrido porque haviam desobedecido a Deus, o Senhor. Deus tinha dito que não ia deixá-los ver a terra boa e rica que ele havia jurado dar aos seus antepassados.

5.6
Nm 14.28-35
7Mas os filhos, que tomaram o lugar dos pais, não haviam sido circuncidados durante a viagem pelo deserto. Esta foi a nova geração que Josué circuncidou.

8A nação inteira ficou acampada até que sararam todos os que foram circuncidados. 9E o Senhor disse a Josué:

— Hoje eu tirei de vocês a vergonha de terem sido escravos no Egito.

Foi por isso que chamaram aquele lugar de Gilgal5.9 Gilgal em hebraico quer dizer “tirar”.. E este nome continua até hoje.

10Os israelitas estavam acampados em Gilgal, na planície em volta da cidade de Jericó, e ali comemoraram a Páscoa na noite do dia catorze do primeiro mês.

5.10
Êx 12.1-13
11No dia seguinte comeram alimentos daquela terra: cereais torrados e pão sem fermento. 12Depois disso os israelitas não tiveram mais o maná porque ele parou de cair do céu. Desse ano em diante, eles começaram a comer os alimentos da terra de Canaã.
5.12
Êx 16.35

O comandante do exército de Deus

13Josué estava perto da cidade de Jericó. De repente, viu um homem com uma espada na mão parado na sua frente. Josué chegou perto dele e perguntou:

— Você é do nosso exército ou é inimigo?

14— Não sou nem uma coisa nem outra — respondeu ele. — Estou aqui como comandante do exército de Deus, o Senhor.

Josué ajoelhou-se, encostou o rosto no chão e o adorou. E disse:

— Estou às suas ordens, meu senhor. O que quer que eu faça?

15O comandante do exército do Senhor respondeu:

— Tire as sandálias porque a terra que você está pisando é santa.

E Josué obedeceu.

6

A conquista de Jericó

61Os portões da cidade de Jericó estavam muito bem-fechados, para não deixar que os israelitas entrassem. Ninguém podia entrar, nem sair da cidade.

2O Senhor Deus disse a Josué:

— Olhe! Eu estou entregando a você a cidade de Jericó, o seu rei e os seus corajosos soldados. 3Agora você e os soldados israelitas marcharão em volta da cidade uma vez por dia, durante seis dias. 4Na frente da arca da aliança, irão sete sacerdotes, cada um levando uma corneta de chifre de carneiro. No sétimo dia você e os seus soldados marcharão sete vezes em volta da cidade, e os sacerdotes tocarão as cornetas. 5Quando eles derem um toque longo, todo o povo gritará bem alto, e então a muralha da cidade cairá. Aí cada um avançará diretamente para a cidade.

6Josué chamou os sacerdotes e disse:

— Carreguem a arca da aliança, e na frente fiquem sete sacerdotes levando cornetas.

7E disse ao povo:

— Comecem a marchar em volta da cidade! E que os soldados marchem na frente da arca da aliança de Deus, o Senhor!

8Então, seguindo as ordens de Josué, os sete sacerdotes ficaram na frente da arca e começaram a tocar as cornetas. 9Os soldados iam na frente dos sacerdotes que tocavam cornetas, e um grupo de guardas seguia a arca. Durante esse tempo as cornetas tocavam. 10Mas Josué tinha dado ordem ao povo para não gritar, nem fazer barulho até que ele mandasse. 11Aí Josué ordenou que os sacerdotes dessem uma volta ao redor da cidade, carregando a arca da aliança. Depois voltaram ao acampamento e passaram a noite lá.

12No dia seguinte Josué se levantou de madrugada, e os sacerdotes carregaram a arca. 13Os sete sacerdotes que levavam as sete cornetas iam na frente, tocando sem parar. Os soldados iam na frente deles, e um grupo de guardas seguia a arca. As cornetas não paravam de tocar. 14No segundo dia marcharam de novo uma vez em volta da cidade e voltaram ao acampamento. E fizeram isso durante seis dias.

15No sétimo dia levantaram-se de madrugada e marcharam em volta da cidade sete vezes no mesmo dia. Foi só nesse dia que deram sete voltas em redor da cidade. 16Na sétima volta, quando os sacerdotes acabaram de tocar as cornetas, Josué disse ao povo:

— Gritem agora! O Senhor Deus está entregando Jericó a vocês! 17A cidade deve ser destruída, junto com tudo o que há nela, como oferta para Deus. Somente ficará viva a prostituta Raabe e a sua família porque ela escondeu os nossos espiões. 18Mas não peguem em nada daquilo que vai ser destruído. Se ficarem com qualquer coisa que eu mandei destruir, vocês vão trazer desgraça e destruição ao acampamento israelita. 19Mas os objetos de prata, ouro, bronze e ferro serão separados para o Senhor e colocados no seu tesouro.

20Então os sacerdotes tocaram as cornetas. Logo que o povo ouviu este som, gritou com toda a força, e a muralha caiu. Aí todos subiram, entraram na cidade e a tomaram.

6.20
Hb 11.30
21E mataram, com as suas espadas, todos os que estavam na cidade: homens e mulheres, crianças e velhos. Também mataram os bois, as ovelhas e os jumentos.

22Depois Josué disse aos dois homens que haviam servido como espiões:

— Entrem na casa de Raabe, a prostituta, e tragam a família dela para fora, conforme vocês prometeram.

23Eles foram e fizeram sair Raabe, o seu pai, a sua mãe, os seus irmãos e o resto da família. Tiraram todas as pessoas da casa e as puseram do lado de fora do acampamento israelita. 24Então incendiaram a cidade e queimaram tudo o que havia nela, menos os objetos de ouro, prata, bronze e ferro. Essas coisas foram colocadas no tesouro da casa de Deus, o Senhor. 25Josué deixou que Raabe, a prostituta, e todos os seus parentes ficassem vivos porque ela havia escondido os espiões que ele havia mandado a Jericó. E os descendentes dela vivem no meio do povo de Israel até hoje.

6.25
Hb 11.31

26Nessa ocasião Josué amaldiçoou a cidade em nome de Deus, dizendo:

— Quem tentar construir de novo esta cidade de Jericó

será amaldiçoado pelo Senhor!

Quem puser os alicerces

perderá o filho mais velho!

Quem colocar os portões

perderá o filho mais moço!

6.26
1Rs 16.34

27Assim o Senhor Deus esteve com Josué, e a fama de Josué se espalhou por todo o país.