Nova Tradução na Linguagem de Hoje (2000) (NTLH)
39

Quem fez cada animal com o seu jeito de ser?

391“Você sabe quando nascem os cabritos selvagens

ou já viu nascerem as corças?

2Você sabe quantos meses as suas fêmeas levam para darem cria

ou qual é o momento do parto?

3Você sabe quando elas se abaixam para dar cria,

trazendo a este mundo os seus filhotes?

4Os filhotes crescem fortes, no campo;

depois vão embora e não voltam mais.

5“Quem deu a liberdade aos jumentos selvagens?

Quem os deixou andar soltos, à vontade?

6Eu lhes dei o deserto para ser a sua casa

e os deixei viver nas terras salgadas.

7Eles não querem saber do barulho das cidades;

não podem ser domados, nem obrigados a levar cargas.

8Eles pastam nas montanhas,

onde procuram qualquer erva verde para comer.

9“Será que um touro selvagem vai querer trabalhar para você?

Será que ele vai passar a noite no seu curral?

10Será que você consegue prendê-lo com cordas ao arado

a fim de arar a terra ou puxar o rastelo?

11Será que você pode confiar na grande força que ele tem,

deixando por conta dele o trabalho pesado que há para fazer?

12Você espera que ele traga o trigo que você colher

e o amontoe no terreiro?

13“Como batem rápidas as asas da avestruz!

Mas nenhuma avestruz voa como a cegonha.

14A avestruz põe os seus ovos no chão

para que a areia quente os faça chocar.

15Ela nem pensa que alguém vai pisá-los

ou que algum animal selvagem pode esmagá-los.

16Ela age como se os ovos não fossem seus

e não se importa que os seus esforços fiquem perdidos.

17Fui eu que a fiz assim, sem juízo,

e não lhe dei sabedoria.

18Porém, quando ela corre, corre tão depressa,

que zomba de qualquer cavalo e cavaleiro.

19“Jó, por acaso, foi você quem fez os cavalos tão fortes?

Foi você quem enfeitou o pescoço deles com a crina?

20É você quem os faz pular como gafanhotos

e assustar as pessoas com os seus rinchos?

21Impacientes, eles cavoucam o chão com as patas

e correm para a batalha com todas as suas forças.

22Eles não têm medo. Nada os assusta,

e a espada não os faz recuar.

23Por cima deles, as flechas assobiam,

e as lanças e os dardos brilham.

24Tremendo de impaciência, eles saem galopando

e, quando a corneta soa, não podem parar quietos.

25Eles respondem com rinchos aos toques das cornetas;

de longe sentem o cheiro da batalha

e ouvem a gritaria e as ordens de comando.

26“É você quem ensina o gavião a voar

e abrir as asas no seu voo para o Sul?

27Será que a águia espera que você dê ordem

a fim de que ela faça o seu ninho lá no alto?

28Ela mora nas pedras mais altas

e no alto das rochas constrói o seu ninho seguro.

29Dali enxerga o animal que ela vai atacar,

os seus olhos o avistam de longe.

30Onde há um animal morto, aí se ajuntam as águias,

e os filhotes chupam o sangue.”

39.30
Mt 24.28
Lc 17.37

40

401Então o Senhor disse:

2“Jó, você desafiou a mim, o Deus Todo-Poderoso.

Vai desistir ou vai me dar uma resposta?”

Primeira resposta de Jó a Deus

40.3-5

3Então, em resposta ao Senhor, Jó disse:

4“Eu não valho nada;

que posso responder?

Prefiro ficar calado.

5Já falei mais do que devia

e agora não tenho nada para dizer.”

Segunda e última resposta de Deus a Jó

40.6—41.34

Será que a sua força pode ser comparada à minha?

6Então, do meio da tempestade, Deus respondeu a Jó assim:

7“Mostre agora que é valente

e responda às perguntas que lhe vou fazer.

8Será que você está querendo provar que sou injusto,

que eu sou culpado, e você é inocente?

9Será que a sua força pode ser comparada com a minha?

Será que você pode trovejar com voz tão forte como eu?

10Se você pode, então vista-se de glória e grandeza

e enfeite-se com majestade e esplendor.

11Olhe para todos os orgulhosos;

faça explodir a sua raiva contra eles e humilhe-os.

12Sim, olhe para eles e humilhe-os;

esmague os perversos no lugar onde estão.

13Sepulte-os todos na terra;

amarre-os na prisão dos mortos.

14Se você fizer isso, eu serei o primeiro a louvá-lo

e a reconhecer que você venceu pelas suas próprias forças.

Quem é capaz de agarrar o monstro Beemote?

15“Olhe para o monstro Beemote,40.15 Beemote ou hipopótamo.

que eu criei, como também criei você.

Ele come capim como o boi,

16mas veja quanta força tem

e como são poderosos os seus músculos!

17O seu rabo levantado é duro como um galho de cedro,

e nos músculos das suas pernas ele tem muita força.

18Os seus ossos são fortes como canos de bronze,

e as suas pernas são como barras de ferro.

19Ele é a mais espantosa das minhas criaturas.

Só eu, o seu Criador, sou capaz de vencê-lo.

20O capim que o alimenta cresce nas montanhas,

onde as feras se divertem.

21Ele se deita debaixo dos espinheiros

e se esconde no brejo, entre as taboas.

22Os espinheiros lhe dão sombra;

os salgueiros do ribeirão o rodeiam.

23Se há uma enchente, ele não se assusta;

e fica tranquilo mesmo que a água do rio Jordão suba até o seu focinho.

24Quem é capaz de cegá-lo e agarrá-lo

ou de prender o seu focinho numa armadilha?

41

Quem pode enfrentar o monstro Leviatã?

411“E, quanto ao monstro Leviatã41.1 Ver Jó 3.8, nota., será que você pode pescá-lo com um anzol

ou amarrar a sua língua com uma corda?

41.1
Sl 74.14
104.26
Is 27.1

2Você é capaz de passar uma corda pelo nariz dele

ou furar o seu queixo com um gancho?

3Será que ele vai pedir que você o solte

ou implorar que tenha dó dele?

4Será que ele vai fazer um trato com você,

prometendo trabalhar para você o resto da vida?

5Será que você vai brincar com ele, como se fosse um passarinho?

Você vai amarrá-lo, a fim de servir como um brinquedo para as suas empregadas?

6Será ele vendido por um grupo de pescadores?

Será que para isso o cortarão em pedaços?

7Será que você pode enterrar lanças no seu couro

ou fincar arpões de pesca na sua cabeça?

8Tente encostar a mão nele, e será uma vez só,

pois você nunca mais esquecerá a luta.

9Só de olhar para o monstro Leviatã

as pessoas perdem toda a coragem e desmaiam de medo.

10Se alguém o provoca, ele fica furioso.

Quem se arriscaria a desafiá-lo?

11Quem pode enfrentá-lo sem sair ferido?

Ninguém, no mundo inteiro.

12“Agora vou falar das pernas do Leviatã,

do seu tamanho e da sua força sem igual.

13Quem pode arrancar o couro que o cobre

ou furar a sua dupla couraça?

14Quem é capaz de fazê-lo abrir a sua queixada

rodeada de dentes terríveis?

15As suas costas são cobertas de fileiras de escamas

ligadas umas com as outras e duras como pedras.

16Estão coladas tão bem umas nas outras,

que nem o ar passa entre elas.

17Estão ligadas entre si e bem-coladas,

de modo que ninguém pode separá-las.

18Quando o Leviatã espirra, saem faíscas;

os seus olhos brilham como o sol ao amanhecer.

19A sua boca lança chamas,

e dela saltam faíscas de fogo.

20O seu nariz solta fumaça,

como a de galhos que queimam debaixo de uma panela.

21O seu sopro acende o fogo,

e da sua boca saem chamas.

22A sua força está no pescoço,

e a cara dele mete medo em todo mundo.

23No seu couro não existe ponto fraco;

ele é firme e duro como ferro.

24O seu coração cruel não tem medo;

é duro como uma pedra de moinho.

25Quando ele se levanta, até os mais fortes ficam apavorados;

o medo os impede de agir.

26Não há espada que consiga feri-lo,

nem lança, nem flecha, nem arpão.

27Para ele, o ferro é como palha,

e o bronze, como pau podre.

28As flechas não o fazem fugir.

Jogar pedras nele é como jogar capim.

29Bater nele com um porrete

é o mesmo que bater com uma torcida de palha;

ele zomba dos homens que lhe atiram lanças.

30A sua barriga é coberta de cacos pontudos,

que reviram a lama como se fossem uma grade de ferro.

31Ele agita o mar e o faz ficar como água que ferve na panela,

como o óleo fervendo no caldeirão.

32Ele vai deixando na água um rastro luminoso,

como se o mar tivesse uma cabeleira branca.

33Não há nada neste mundo que se compare com ele,

pois foi feito para não ter medo.

34O Leviatã olha para tudo com desprezo

e entre todas as feras orgulhosas ele é rei.”

Utilizamos cookies de acordo com o nossa Política de Privacidade, respeitando todos as suas informações pessoais.[ocultar]