Nova Tradução na Linguagem de Hoje (2000) (NTLH)
3

Primeiro diálogo

Caps. 3—14

A queixa de Jó

Cap. 3

31-2Finalmente Jó quebrou o silêncio e amaldiçoou o dia do seu nascimento. Jó disse:

3“Maldito o dia em que nasci!

Maldita a noite em que disseram:

‘Já nasceu! É homem!’

4Que aquele dia vire escuridão!

Que Deus, lá do alto, não se importe com ele,

e que nunca mais a luz o ilumine!

5Que a escuridão e as trevas o dominem;

que as nuvens o cubram e apaguem a luz do sol!

6Que aquela noite fique sempre escura

e que desapareça do calendário!

7Que seja solitária e triste aquela noite,

e que nela não se escutem gritos de alegria!

8Que seja amaldiçoada pelos feiticeiros,

aqueles que têm poder sobre o monstro Leviatã3.8 Para os povos antigos, o monstro Leviatã representava as forças do mal e era dominado pelos feiticeiros. Jó faz uso dessa imagem, desejando que os feiticeiros façam o monstro devorar a noite em que ele nasceu (ver Jó 26.13; Is 27.1).!

9Que escureçam as estrelas da sua manhã;

que ela espere a luz, e a luz não venha;

e que a sua madrugada não chegue,

10pois ela deixou que minha mãe me desse à luz

e não me poupou de todo este sofrimento!

Por que não nasci morto?

11“Por que não nasci morto?

Por que não morri ao nascer?

12Por que a minha mãe me segurou no colo?

Por que me deu o seio e me amamentou?

13Se eu tivesse morrido naquele momento,

agora estaria dormindo,

descansando em paz.

14Estaria com reis e altas autoridades

que reconstruíram palácios antigos

15ou estaria com governadores

que encheram as suas casas de ouro e de prata.

16Se a minha mãe tivesse tido um aborto, às escondidas,

eu não teria existido

e seria como as crianças que nunca viram a luz do dia.

17Na sepultura acaba a agitação dos maus,

e ali repousam os que estão cansados.

18Ali os prisioneiros descansam juntos

e já não ouvem mais os gritos do capataz.

19Ali estão os importantes e os humildes,

e os escravos ficam livres dos seus donos.

3.1-19
Jr 20.14-18

Por que os infelizes continuam vivendo?

20“Por que os infelizes continuam vendo a luz?

Por que deixar que vivam os que têm o coração amargurado?

21Eles esperam a morte, e ela não vem,

embora a desejem mais do que riquezas.

3.21
Ap 9.6

22Eles ficam muito alegres e felizes

quando por fim descem para a sepultura.

23Deus os faz caminhar às cegas

e os cerca de todos os lados.

24“Em vez de comer, eu choro,

e os meus gemidos se derramam como água.

25Aquilo que eu temia foi o que aconteceu,

e o que mais me dava medo me atingiu.

26Não tenho paz, nem descanso, nem sossego;

só tenho agitação.”