Nova Tradução na Linguagem de Hoje (2000) (NTLH)
8

Jesus perdoa uma mulher apanhada em adultério

81[Depois todos foram para casa, mas Jesus foi para o monte das Oliveiras. 2De madrugada ele voltou ao pátio do Templo, e o povo se reuniu em volta dele. Jesus estava sentado, ensinando a todos. 3Aí alguns mestres da Lei e fariseus levaram a Jesus uma mulher que tinha sido apanhada em adultério e a obrigaram a ficar de pé no meio de todos. 4Eles disseram:

— Mestre, esta mulher foi apanhada no ato de adultério. 5De acordo com a Lei que Moisés nos deu, as mulheres adúlteras devem ser mortas a pedradas. Mas o senhor, o que é que diz sobre isso?

8.5
Lv 20.10
Dt 22.22-24

6Eles fizeram essa pergunta para conseguir uma prova contra Jesus, pois queriam acusá-lo. Mas ele se abaixou e começou a escrever no chão com o dedo. 7Como eles continuaram a fazer a mesma pergunta, Jesus endireitou o corpo e disse a eles:

— Quem de vocês estiver sem pecado, que seja o primeiro a atirar uma pedra nesta mulher!

8Depois abaixou-se outra vez e continuou a escrever no chão. 9Quando ouviram isso, todos foram embora, um por um, começando pelos mais velhos. Ficaram só Jesus e a mulher, e ela continuou ali, de pé. 10Então Jesus endireitou o corpo e disse:

— Mulher, onde estão eles? Não ficou ninguém para condenar você?

11— Ninguém, senhor! — respondeu ela.

Jesus disse:

— Pois eu também não condeno você. Vá e não peque mais!]

Jesus, a luz do mundo

12De novo Jesus começou a falar com eles e disse:

— Eu sou a luz do mundo; quem me segue nunca andará na escuridão, mas terá a luz da vida.

8.12
Mt 5.14
Jo 9.5

13Os fariseus disseram a Jesus:

— Agora você está falando a favor de você mesmo. Por isso o que você diz não tem valor.

8.13
Jo 5.31

14Jesus respondeu:

— Embora eu esteja falando a favor de mim mesmo, o que digo tem valor porque é a verdade. Pois eu sei de onde vim e para onde vou, mas vocês não sabem de onde vim, nem para onde vou. 15Vocês julgam de modo puramente humano; mas eu não julgo ninguém. 16E, se eu julgar, o meu julgamento é verdadeiro porque não julgo sozinho, pois o Pai, que me enviou, está comigo. 17Na Lei de vocês está escrito que, quando duas testemunhas concordam, o que dizem é verdade. 18Eu dou testemunho a respeito de mim mesmo, e o Pai, que me enviou, também dá testemunho a meu respeito.

19— Onde está o seu pai? — perguntaram.

Jesus respondeu:

— Vocês não me conhecem e também não conhecem o meu Pai. Se, de fato, me conhecessem, conheceriam também o meu Pai.

20Jesus disse essas coisas quando estava ensinando no pátio do Templo, perto da caixa das ofertas. Ninguém o prendeu porque ainda não tinha chegado a sua hora.

Quem é Jesus?

21Jesus disse outra vez:

— Eu vou embora, e vocês vão me procurar, porém morrerão sem o perdão dos seus pecados. Para onde eu vou vocês não podem ir.

22Os líderes judeus disseram:

— Ele diz que nós não podemos ir para onde ele vai! Será que ele vai se matar?

23Jesus continuou:

— Vocês são daqui debaixo, e eu sou lá de cima. Vocês são deste mundo, mas eu não sou deste mundo. 24Por isso eu disse que vocês vão morrer sem o perdão dos seus pecados. De fato, morrerão sem o perdão dos seus pecados se não crerem que “Eu Sou Quem Sou”.

25— Quem é você? — perguntaram a Jesus.

Ele respondeu:

— Desde o começo eu disse quem sou. 26Existem muitas coisas a respeito de vocês das quais eu preciso falar e as quais eu preciso julgar. Porém quem me enviou é verdadeiro, e eu digo ao mundo somente o que ele me disse.

27Eles não entenderam que ele estava falando a respeito do Pai. 28Por isso Jesus disse:

— Quando vocês levantarem o Filho do Homem, saberão que “Eu Sou Quem Sou”. E saberão também que não faço nada por minha conta, mas falo somente o que o meu Pai me ensinou. 29Quem me enviou está comigo e não me deixou sozinho, pois faço sempre o que lhe agrada.

30Quando Jesus disse isso, muitos creram nele.

Os escravos e os livres

31Então Jesus disse para os que creram nele:

— Se vocês continuarem a obedecer aos meus ensinamentos, serão, de fato, meus discípulos 32e conhecerão a verdade, e a verdade os libertará.

33Eles responderam:

— Nós somos descendentes de Abraão e nunca fomos escravos de ninguém. Como é que você diz que ficaremos livres?

8.33
Mt 3.9
Lc 3.8

34Jesus disse a eles:

— Eu afirmo a vocês que isto é verdade: quem peca é escravo do pecado. 35O escravo não fica sempre com a família, mas o filho sempre faz parte da família. 36Se o Filho os libertar, vocês serão, de fato, livres. 37Eu sei que vocês são descendentes de Abraão; porém estão tentando me matar porque não aceitam os meus ensinamentos. 38Eu falo das coisas que o meu Pai me mostrou, mas vocês fazem o que aprenderam com o pai de vocês.

39— O nosso pai é Abraão! — responderam eles.

Então Jesus disse:

— Se vocês fossem, de fato, filhos de Abraão, fariam o que ele fez. 40Mas eu lhes tenho dito a verdade que ouvi de Deus, e assim mesmo vocês estão tentando me matar. Abraão nunca fez uma coisa assim! 41Vocês estão fazendo o que o pai de vocês fez.

Eles responderam:

— Nós não somos filhos ilegítimos; nós temos um Pai, que é Deus!

42Jesus disse a eles:

— Se Deus fosse, de fato, o Pai de vocês, então vocês me amariam, pois eu vim de Deus e agora estou aqui. Eu não vim por minha própria conta, mas foi Deus que me enviou. 43Por que é que vocês não entendem o que eu digo? É porque não querem ouvir a minha mensagem. 44Vocês são filhos do Diabo e querem fazer o que o pai de vocês quer. Desde a criação do mundo ele foi assassino e nunca esteve do lado da verdade porque nele não existe verdade. Quando o Diabo mente, está apenas fazendo o que é o seu costume, pois é mentiroso e é o pai de todas as mentiras. 45Mas, porque eu digo a verdade, vocês não creem em mim. 46Qual de vocês pode provar que eu tenho algum pecado? Se digo a verdade, por que não creem em mim? 47A pessoa que é de Deus escuta as palavras de Deus. Vocês não escutam as palavras de Deus porque vocês não são dele.

Jesus e Abraão

48Eles disseram a Jesus:

— Por acaso não temos razão quando dizemos que você é samaritano e está dominado por um demônio?

49Jesus respondeu:

— Eu não estou dominado por nenhum demônio. Respeito o meu Pai, mas vocês me desrespeitam. 50Não procuro conseguir elogios para mim mesmo; mas existe alguém que procura consegui-los para mim, e ele é o Juiz. 51Eu afirmo a vocês que isto é verdade: quem obedecer aos meus ensinamentos não morrerá nunca.

52Então eles disseram:

— Agora temos a certeza de que você está dominado por um demônio! Abraão e todos os profetas morreram, mas você diz: “Quem obedecer aos meus ensinamentos não morrerá nunca.” 53Será que você é mais importante do que Abraão, o nosso pai, que morreu? E os profetas também morreram! Quem você pensa que é?

54Ele respondeu:

— Se eu elogiasse a mim mesmo, os meus elogios não valeriam nada. Quem me elogia é o meu Pai, o mesmo que vocês dizem que é o Deus de vocês. 55Vocês nunca conheceram a Deus, mas eu o conheço. Se eu disser que não o conheço, serei mentiroso como vocês; mas eu o conheço e obedeço ao que ele manda. 56Abraão, o pai de vocês, ficou alegre ao ver o tempo da minha vinda. Ele viu esse tempo e ficou feliz.

57— Você não tem nem cinquenta anos e viu Abraão? — perguntaram eles.

58— Eu afirmo a vocês que isto é verdade: antes de Abraão nascer, “Eu Sou”! — respondeu Jesus.

8.58
Êx 3.14

59Então eles pegaram pedras para atirar em Jesus, mas ele se escondeu e saiu do pátio do Templo.

9

Jesus e um cego

91Jesus ia caminhando quando viu um homem que tinha nascido cego. 2Os seus discípulos perguntaram:

— Mestre, por que este homem nasceu cego? Foi por causa dos pecados dele ou por causa dos pecados dos pais dele?

3Jesus respondeu:

— Ele é cego, sim, mas não por causa dos pecados dele nem por causa dos pecados dos pais dele. É cego para que o poder de Deus se mostre nele. 4Precisamos trabalhar enquanto é dia, para fazer as obras daquele que me enviou. Pois está chegando a noite, quando ninguém pode trabalhar. 5Enquanto estou no mundo, eu sou a luz do mundo.

9.5
Jo 8.12

6Depois de dizer isso, Jesus cuspiu no chão, fez um pouco de lama com a saliva, passou a lama nos olhos do cego 7e disse:

— Vá lavar o rosto no tanque de Siloé. (Este nome quer dizer “Aquele que Foi Enviado”.)

O cego foi, lavou o rosto e voltou vendo. 8Os seus vizinhos e as pessoas que costumavam vê-lo pedindo esmola perguntavam:

— Não é este o homem que ficava sentado pedindo esmola?

9— É! — diziam alguns.

— Não, não é. Mas é parecido com ele! — afirmavam outros.

Porém ele dizia:

— Sou eu mesmo.

10— Como é que agora você pode ver? — perguntaram.

11Ele respondeu:

— O homem chamado Jesus fez um pouco de lama, passou a lama nos meus olhos e disse: “Vá ao tanque de Siloé e lave o rosto.” Então eu fui, lavei o rosto e fiquei vendo.

12— Onde está esse homem? — perguntaram.

— Não sei! — respondeu ele.

Os fariseus fazem perguntas

13Então levaram aos fariseus o homem que havia sido cego. 14O dia em que Jesus havia feito lama e curado o homem da cegueira era um sábado. 15Aí os fariseus também perguntaram como ele tinha sido curado.

— Ele pôs lama nos meus olhos, eu lavei o rosto e agora estou vendo — respondeu o homem.

16Alguns fariseus disseram:

— O homem que fez isso não é de Deus porque não respeita a lei do sábado.

E outros perguntaram:

— Como pode um pecador fazer milagres tão grandes?

E por causa disso houve divisão entre eles. 17Então os fariseus tornaram a perguntar ao homem:

— Você diz que ele curou você da cegueira. E o que é que você diz dele?

— Ele é um profeta! — respondeu o homem.

18Os líderes judeus não acreditavam que ele tinha sido cego e que agora podia ver. Por isso chamaram os pais dele 19e perguntaram:

— Esse homem é filho de vocês? Vocês dizem que ele nasceu cego. E como é que agora ele está vendo?

20Os pais responderam:

— Sabemos que ele é nosso filho e que nasceu cego. 21Mas não sabemos como é que ele agora pode ver e não sabemos também quem foi que o curou. Ele é maior de idade; perguntem, e ele mesmo poderá explicar.

22Os pais disseram isso porque estavam com medo, pois os líderes judeus tinham combinado expulsar da sinagoga quem afirmasse que Jesus era o Messias. 23Foi por isso que os pais disseram: “Ele é maior de idade; perguntem a ele.”

24Então os líderes judeus chamaram pela segunda vez o homem que tinha sido cego e disseram:

— Jure por Deus que você vai dizer a verdade. Nós sabemos que esse homem é pecador.

25Ele respondeu:

— Se ele é pecador, eu não sei. De uma coisa eu sei: eu era cego e agora vejo!

26— O que foi que ele fez a você? Como curou você da cegueira? — tornaram a perguntar.

27O homem respondeu:

— Eu já disse, e vocês não acreditaram. Por que querem ouvir isso outra vez? Por acaso vocês também querem ser seguidores dele?

28Então eles o xingaram e disseram:

— Você é que é seguidor dele! Nós somos seguidores de Moisés. 29Sabemos que Deus falou com Moisés; mas este homem, nós nem mesmo sabemos de onde ele é.

30Ele respondeu:

— Que coisa esquisita! Vocês não sabem de onde ele é, mas ele me curou. 31Sabemos que Deus não atende pecadores, mas ele atende os que o respeitam e fazem a sua vontade. 32Desde que o mundo existe, nunca se ouviu dizer que alguém tivesse curado um cego de nascença. 33Se esse homem não fosse enviado por Deus, não teria podido fazer nada.

34Eles disseram:

— Você nasceu cheio de pecado e é você que quer nos ensinar?

E o expulsaram da sinagoga.

A cegueira espiritual

35Jesus ficou sabendo que tinham expulsado o homem da sinagoga. Foi procurá-lo e, quando o encontrou, perguntou:

— Você crê no Filho do Homem?

36Ele respondeu:

— Senhor, quem é o Filho do Homem para que eu creia nele?

37Jesus disse:

— Você já o viu! É ele que está falando com você!

38— Eu creio, Senhor! — disse o homem. E se ajoelhou diante dele.

39Então Jesus afirmou:

— Eu vim a este mundo para julgar as pessoas, a fim de que os cegos vejam e que fiquem cegos os que veem.

40Alguns fariseus que estavam com ele ouviram isso e perguntaram:

— Será que isso quer dizer que nós também somos cegos?

41— Se vocês fossem cegos, não teriam culpa! — respondeu Jesus. — Mas, como dizem que podem ver, então continuam tendo culpa.

10

Jesus, o pastor verdadeiro

101Jesus disse:

— Eu afirmo a vocês que isto é verdade: quem não entra no curral das ovelhas pela porta, mas pula o muro é um ladrão e bandido. 2Mas quem entra pela porta é o pastor do rebanho. 3O porteiro abre a porta para ele. As ovelhas reconhecem a sua voz quando ele as chama pelo nome, e ele as leva para fora do curral. 4Quando todas estão do lado de fora, ele vai na frente delas, e elas o seguem porque conhecem a voz dele. 5Mas de jeito nenhum seguirão um estranho! Pelo contrário, elas fugirão, pois não conhecem a voz de estranhos.

6Jesus fez esta comparação, mas ninguém entendeu o que ele queria dizer.

Jesus, a porta

7Então Jesus continuou:

— Eu afirmo a vocês que isto é verdade: eu sou a porta por onde as ovelhas passam. 8Todos os que vieram antes de mim são ladrões e bandidos, mas as ovelhas não deram atenção à voz deles. 9Eu sou a porta. Quem entrar por mim será salvo; poderá entrar e sair e achará comida. 10O ladrão só vem para roubar, matar e destruir; mas eu vim para que as ovelhas tenham vida, a vida completa.

Jesus, o bom pastor

11— Eu sou o bom pastor; o bom pastor dá a vida pelas ovelhas. 12Um empregado trabalha somente por dinheiro; ele não é pastor, e as ovelhas não são dele. Por isso, quando vê um lobo chegando, ele abandona as ovelhas e foge. Então o lobo ataca e espalha as ovelhas. 13O empregado foge porque trabalha somente por dinheiro e não se importa com as ovelhas. 14-15Eu sou o bom pastor. Assim como o Pai me conhece, e eu conheço o Pai, assim também conheço as minhas ovelhas, e elas me conhecem. E estou pronto para morrer por elas.

10.14-15
Mt 11.27
Lc 10.22
16Tenho outras ovelhas que não estão neste curral. Eu preciso trazer essas também, e elas ouvirão a minha voz. Então elas se tornarão um só rebanho com um só pastor.

17— O Pai me ama porque eu dou a minha vida para recebê-la outra vez. 18Ninguém tira a minha vida de mim, mas eu a dou por minha própria vontade. Tenho o direito de dá-la e de tornar a recebê-la, pois foi isso o que o meu Pai me mandou fazer.

19Quando ouviu isso, o povo se dividiu outra vez. Muitos diziam:

20— Ele está dominado por um demônio! Está louco! Por que é que vocês escutam o que ele diz?

21Outros afirmavam:

— Quem está dominado por um demônio não fala assim! Será que um demônio pode dar vista aos cegos?

O povo rejeita Jesus

22Era inverno, e em Jerusalém estavam comemorando a Festa da Dedicação. 23Jesus estava andando pelo pátio do Templo, perto da entrada chamada “Alpendre de Salomão”. 24Então o povo se ajuntou em volta dele e perguntou:

— Até quando você vai nos deixar na dúvida? Diga com franqueza: você é ou não é o Messias?

25Jesus respondeu:

— Eu já disse, mas vocês não acreditaram. As obras que eu faço pelo poder do nome do meu Pai falam a favor de mim, 26mas vocês não creem porque não são minhas ovelhas. 27As minhas ovelhas escutam a minha voz; eu as conheço, e elas me seguem. 28Eu lhes dou a vida eterna, e por isso elas nunca morrerão. Ninguém poderá arrancá-las da minha mão. 29O poder que o Pai me deu é maior do que tudo, e ninguém pode arrancá-las da mão dele. 30Eu e o Pai somos um.

31Então eles tornaram a pegar pedras para matar Jesus. 32E ele disse:

— Eu fiz diante de vocês muitas coisas boas que o Pai me mandou fazer. Por causa de qual delas vocês querem me matar?

33Eles responderam:

— Não é por causa de nenhuma coisa boa que queremos matá-lo, mas porque, ao dizer isso, você está blasfemando contra Deus. Pois você, que é apenas um ser humano, está se fazendo de Deus.

10.33
Lv 24.16

34Então Jesus afirmou:

— Na Lei de vocês está escrito que Deus disse: “Vocês são deuses.”

10.34
Sl 82.6
35Sabemos que as Escrituras Sagradas sempre dizem a verdade, e sabemos que, de fato, Deus chamou de deuses aqueles que receberam a sua mensagem. 36Quanto a mim, o Pai me escolheu e me enviou ao mundo. Então por que vocês dizem que blasfemo contra Deus quando afirmo que sou Filho dele? 37Se não faço o que o meu Pai manda, não creiam em mim. 38Mas, se eu faço, e vocês não creem em mim, então creiam pelo menos nas coisas que faço. E isso para que vocês fiquem sabendo de uma vez por todas que o Pai vive em mim e que eu vivo no Pai.

39A essa altura tentaram novamente prendê-lo, mas Jesus escapou das mãos deles.

40Ele voltou de novo para o lado leste do rio Jordão, foi para o lugar onde João Batista tinha batizado antes e ficou lá.

10.40
Jo 1.28
41E muita gente ia vê-lo, dizendo:

— João não fez nenhum milagre, mas tudo o que ele disse sobre Jesus é verdade.

42E naquele lugar muita gente creu em Jesus.