Nova Tradução na Linguagem de Hoje (2000) (NTLH)
2

Jesus vai a um casamento

21Dois dias depois, houve um casamento no povoado de Caná, na região da Galileia, e a mãe de Jesus estava ali. 2Jesus e os seus discípulos também tinham sido convidados para o casamento. 3Quando acabou o vinho, a mãe de Jesus lhe disse:

— O vinho acabou.

4Jesus respondeu:

— Não é preciso que a senhora diga o que eu devo fazer. Ainda não chegou a minha hora.

5Então ela disse aos empregados:

— Façam o que ele mandar.

6Ali perto estavam seis potes de pedra; em cada um cabiam entre oitenta e cento e vinte litros de água. Os judeus usavam a água que guardavam nesses potes nas suas cerimônias de purificação. 7Jesus disse aos empregados:

— Encham de água estes potes.

E eles os encheram até a boca. 8Em seguida Jesus mandou:

— Agora tirem um pouco da água destes potes e levem ao dirigente da festa.

E eles levaram. 9Então o dirigente da festa provou a água, e a água tinha virado vinho. Ele não sabia de onde tinha vindo aquele vinho, mas os empregados sabiam. Por isso ele chamou o noivo 10e disse:

— Todos costumam servir primeiro o vinho bom e, depois que os convidados já beberam muito, servem o vinho comum. Mas você guardou até agora o melhor vinho.

11Jesus fez esse seu primeiro milagre em Caná da Galileia. Assim ele revelou a sua natureza divina, e os seus discípulos creram nele.

12Depois disso, Jesus, a sua mãe, os seus irmãos e os seus discípulos foram para a cidade de Cafarnaum e ficaram alguns dias ali.

2.12
Mt 4.13

Jesus vai ao Templo

Mateus 21.12-17; Marcos 11.15-19; Lucas 19.45-48

13Alguns dias antes da Páscoa dos judeus, Jesus foi até a cidade de Jerusalém.

2.13
Êx 12.1-27
14No pátio do Templo encontrou pessoas vendendo bois, ovelhas e pombas; e viu também os que, sentados às suas mesas, trocavam dinheiro para o povo. 15Então ele fez um chicote de cordas e expulsou toda aquela gente dali e também as ovelhas e os bois. Virou as mesas dos que trocavam dinheiro, e as moedas se espalharam pelo chão. 16E disse aos que vendiam pombas:

— Tirem tudo isto daqui! Parem de fazer da casa do meu Pai um mercado!

17Então os discípulos dele lembraram das palavras das Escrituras Sagradas que dizem: “O meu amor pela tua casa, ó Deus, queima dentro de mim como fogo.”

2.17
Sl 69.9

18Aí os líderes judeus perguntaram:

— Que milagre você pode fazer para nos provar que tem autoridade para fazer isso?

19Jesus respondeu:

— Derrubem este Templo, e eu o construirei de novo em três dias!

2.19
Mt 26.61
27.40
Mc 14.58
15.29

20Eles disseram:

— A construção deste Templo levou quarenta e seis anos, e você diz que vai construí-lo de novo em três dias?

21Porém o templo do qual Jesus estava falando era o seu próprio corpo. 22Quando Jesus foi ressuscitado, os seus discípulos lembraram que ele tinha dito isso e então creram nas Escrituras Sagradas e nas palavras dele.

Jesus sabe o que as pessoas pensam

23Quando Jesus estava em Jerusalém, durante a Festa da Páscoa, muitos creram nele porque viram os milagres que ele fazia. 24Mas Jesus não confiava neles, pois os conhecia muito bem. 25E ninguém precisava falar com ele sobre qualquer pessoa, pois ele sabia o que cada pessoa pensava.

3

Jesus e Nicodemos

31Havia um fariseu chamado Nicodemos, que era líder dos judeus. 2Uma noite ele foi visitar Jesus e disse:

— Rabi, nós sabemos que o senhor é um mestre que Deus enviou, pois ninguém pode fazer esses milagres se Deus não estiver com ele.

3Jesus respondeu:

— Eu afirmo ao senhor que isto é verdade: ninguém pode ver o Reino de Deus se não nascer de novo.

4Nicodemos perguntou:

— Como é que um homem velho pode nascer de novo? Será que ele pode voltar para a barriga da sua mãe e nascer outra vez?

5Jesus disse:

— Eu afirmo ao senhor que isto é verdade: ninguém pode entrar no Reino de Deus se não nascer da água e do Espírito. 6Quem nasce de pais humanos é um ser de natureza humana; quem nasce do Espírito é um ser de natureza espiritual. 7Por isso não fique admirado porque eu disse que todos vocês precisam nascer de novo. 8O vento sopra onde quer, e ouve-se o barulho que ele faz, mas não se sabe de onde ele vem, nem para onde vai. A mesma coisa acontece com todos os que nascem do Espírito.

9— Como pode ser isso? — perguntou Nicodemos.

10Jesus respondeu:

— O senhor é professor do povo de Israel e não entende isso? 11Pois eu afirmo ao senhor que isto é verdade: nós falamos daquilo que sabemos e contamos o que temos visto, mas vocês não querem aceitar a nossa mensagem. 12Se vocês não creem quando falo das coisas deste mundo, como vão crer se eu falar das coisas do céu? 13Ninguém subiu ao céu, a não ser o Filho do Homem, que desceu do céu.

14— Assim como Moisés, no deserto, levantou a cobra de bronze numa estaca, assim também o Filho do Homem tem de ser levantado,

3.14
Nm 21.9
15para que todos os que crerem nele tenham a vida eterna. 16Porque Deus amou o mundo tanto, que deu o seu único Filho, para que todo aquele que nele crer não morra, mas tenha a vida eterna. 17Pois Deus mandou o seu Filho para salvar o mundo e não para julgá-lo.

18— Aquele que crê no Filho não é julgado; mas quem não crê já está julgado porque não crê no Filho único de Deus. 19E é assim que o julgamento é feito: Deus mandou a luz ao mundo, mas as pessoas preferiram a escuridão porque fazem o que é mau. 20Pois todos os que fazem o mal odeiam a luz e fogem dela, para que ninguém veja as coisas más que eles fazem. 21Mas os que vivem de acordo com a verdade procuram a luz, a fim de que possa ser visto claramente que as suas ações são feitas de acordo com a vontade de Deus.

Jesus e João Batista

22Depois disso, Jesus e os seus discípulos foram para a região da Judeia. Ele ficou algum tempo com eles ali e batizava as pessoas. 23João também estava batizando em Enom, perto de Salim, porque lá havia muita água. 24(João ainda não tinha sido preso.)

3.24
Mt 14.3
Mc 6.17
Lc 3.19-20

25Alguns discípulos de João tiveram uma discussão com um judeu sobre a cerimônia de purificação. 26Eles foram dizer a João:

— Mestre, aquele homem que estava com o senhor no outro lado3.26 Isto é, o lado leste. do rio Jordão está batizando as pessoas. O senhor falou sobre ele, lembra? E todos estão indo atrás dele.

27João respondeu:

— Ninguém pode ter alguma coisa se ela não for dada por Deus. 28Vocês são testemunhas de que eu disse: “Eu não sou o Messias, mas fui enviado adiante dele.”

3.28
Jo 1.20
29Num casamento, o noivo é aquele a quem a noiva pertence. O amigo do noivo está ali, e o escuta, e se alegra quando ouve a voz dele. Assim também o que está acontecendo com Jesus me faz ficar completamente alegre. 30Ele tem de ficar cada vez mais importante, e eu, menos importante.

Aquele que vem do céu

31Aquele que vem de cima é o mais importante de todos, e quem vem da terra é da terra e fala das coisas terrenas. Quem vem do céu é o mais importante de todos. 32Ele fala daquilo que viu e ouviu, mas ninguém aceita a sua mensagem. 33Quem aceita a sua mensagem dá prova de que o que Deus diz é verdade. 34Aquele que Deus enviou diz as palavras de Deus porque Deus dá do seu Espírito sem medida. 35O Pai ama o Filho e pôs tudo nas mãos dele.

3.35
Mt 11.27
Lc 10.22
36Por isso quem crê no Filho tem a vida eterna; porém quem desobedece ao Filho nunca terá a vida eterna, mas sofrerá para sempre o castigo de Deus.

4

Jesus e a mulher samaritana

41Os fariseus ouviram dizer que Jesus estava ganhando mais discípulos e batizava mais pessoas do que João. 2(De fato, não era Jesus quem batizava, e sim os seus discípulos.) 3Quando Jesus ficou sabendo disso, saiu da Judeia e voltou para a Galileia. 4No caminho, ele tinha de passar pela região da Samaria.

5Ele chegou a uma cidade da Samaria, chamada Sicar, que ficava perto das terras que Jacó tinha dado ao seu filho José.

4.5
Gn 33.19
Js 24.32
6Ali ficava o poço de Jacó. Era mais ou menos meio-dia quando Jesus, cansado da viagem, sentou-se perto do poço.

7Uma mulher samaritana veio tirar água, e Jesus lhe disse:

— Por favor, me dê um pouco de água.

8(Os discípulos de Jesus tinham ido até a cidade comprar comida.)

9A mulher respondeu:

— O senhor é judeu, e eu sou samaritana. Então como é que o senhor me pede água? (Ela disse isso porque os judeus não se dão com os samaritanos.)

4.9
Ed 4.1-5
Ne 4.1-2

10Então Jesus disse:

— Se você soubesse o que Deus pode dar e quem é que está lhe pedindo água, você pediria, e ele lhe daria a água da vida.

11Ela respondeu:

— O senhor não tem balde para tirar água, e o poço é fundo. Como é que vai conseguir essa água da vida? 12Nosso antepassado Jacó nos deu este poço. Ele, os seus filhos e os seus animais beberam água daqui. Será que o senhor é mais importante do que Jacó?

13Então Jesus disse:

— Quem beber desta água terá sede de novo, 14mas a pessoa que beber da água que eu lhe der nunca mais terá sede. Porque a água que eu lhe der se tornará nela uma fonte de água que dará vida eterna.

15Então a mulher pediu:

— Por favor, me dê dessa água! Assim eu nunca mais terei sede e não precisarei mais vir aqui buscar água.

16— Vá chamar o seu marido e volte aqui! — ordenou Jesus.

17— Eu não tenho marido! — respondeu a mulher.

Então Jesus disse:

— Você está certa ao dizer que não tem marido, 18pois já teve cinco, e este que você tem agora não é, de fato, seu marido. Sim, você falou a verdade.

19A mulher respondeu:

— Agora eu sei que o senhor é um profeta! 20Os nossos antepassados adoravam a Deus neste monte4.20 O monte Gerizim, que ficava perto da cidade de Siquém., mas vocês, judeus, dizem que Jerusalém é o lugar onde devemos adorá-lo.

21Jesus disse:

— Mulher, creia no que eu digo: chegará o tempo em que ninguém vai adorar a Deus nem neste monte nem em Jerusalém. 22Vocês, samaritanos, não sabem o que adoram, mas nós sabemos o que adoramos porque a salvação vem dos judeus. 23Mas virá o tempo, e, de fato, já chegou, em que os verdadeiros adoradores vão adorar o Pai em espírito e em verdade. Pois são esses que o Pai quer que o adorem. 24Deus é Espírito, e por isso os que o adoram devem adorá-lo em espírito e em verdade.

25A mulher respondeu:

— Eu sei que o Messias, chamado Cristo, tem de vir. E, quando ele vier, vai explicar tudo para nós.

26Então Jesus afirmou:

— Pois eu, que estou falando com você, sou o Messias.

27Naquele momento chegaram os seus discípulos e ficaram admirados, pois ele estava conversando com uma mulher. Mas nenhum deles perguntou à mulher o que ela queria. E também não perguntaram a Jesus por que motivo ele estava falando com ela.

28Em seguida, a mulher deixou ali o seu pote, voltou até a cidade e disse a todas as pessoas:

29— Venham ver o homem que disse tudo o que eu tenho feito. Será que ele é o Messias?

30Muitas pessoas saíram da cidade e foram para o lugar onde Jesus estava.

31Enquanto isso, os discípulos pediam a Jesus:

— Mestre, coma alguma coisa!

32Jesus respondeu:

— Eu tenho para comer uma comida que vocês não conhecem.

33Então os discípulos começaram a perguntar uns aos outros:

— Será que alguém já trouxe comida para ele?

34— A minha comida — disse Jesus — é fazer a vontade daquele que me enviou e terminar o trabalho que ele me deu para fazer. 35Vocês costumam dizer: “Daqui a quatro meses teremos a colheita.” Mas olhem e vejam bem os campos: o que foi plantado já está maduro e pronto para a colheita. 36Quem colhe recebe o seu salário, e o resultado do seu trabalho é a vida eterna para as pessoas. E assim tanto o que semeia como o que colhe se alegrarão juntos. 37Porque é verdade o que dizem: “Um semeia, e outro colhe.” 38Eu mandei vocês colherem onde não trabalharam; outros trabalharam ali, e vocês aproveitaram o trabalho deles.

39Muitos samaritanos daquela cidade creram em Jesus porque a mulher tinha dito: “Ele me disse tudo o que eu tenho feito.” 40Quando os samaritanos chegaram ao lugar onde Jesus estava, pediram a ele que ficasse com eles, e Jesus ficou ali dois dias.

41E muitos outros creram por causa da mensagem dele. 42Eles diziam à mulher:

— Agora não é mais por causa do que você disse que nós cremos, mas porque nós mesmos o ouvimos falar. E sabemos que ele é, de fato, o Salvador do mundo.

Jesus cura o filho de um funcionário público

43Depois de ficar dois dias ali, Jesus foi para a região da Galileia. 44Pois, como ele mesmo disse: “Um profeta não é respeitado na sua própria terra.”

4.44
Mt 13.57
Mc 6.4
Lc 4.24
45Quando chegou à Galileia, os moradores dali o receberam bem. É que eles tinham ido à Festa da Páscoa, em Jerusalém, e tinham visto tudo o que Jesus havia feito lá.
4.45
Jo 2.23

46Jesus voltou a Caná da Galileia, onde havia transformado água em vinho. Estava ali um alto funcionário público que morava em Cafarnaum. Ele tinha em casa um filho doente.

4.46
Jo 2.1-11
47Quando ouviu dizer que Jesus tinha vindo da Judeia para a Galileia, foi pedir a ele que fosse a Cafarnaum e curasse o seu filho, que estava morrendo. 48Jesus disse ao funcionário:

— Vocês só creem quando veem grandes milagres!

49Ele respondeu:

— Senhor, venha depressa, antes que o meu filho morra!

50— Volte para casa! O seu filho vai viver! — disse Jesus.

Ele creu nas palavras de Jesus e foi embora. 51No caminho encontrou-se com os seus empregados, que disseram:

— O seu filho está vivo!

52Então ele perguntou a que horas o filho havia começado a melhorar. Os empregados responderam:

— Ontem, à uma da tarde, a febre passou.

53Aí o pai lembrou que havia sido naquela mesma hora que Jesus tinha dito: “O seu filho vai viver.” Então ele e toda a família creram em Jesus.

54Esse foi o segundo milagre que Jesus fez depois de ter ido da Judeia para a Galileia.

Utilizamos cookies de acordo com o nossa Política de Privacidade, respeitando todos as suas informações pessoais.[ocultar]