Nova Tradução na Linguagem de Hoje (2000) (NTLH)
12

Canções de louvor

121Naquele dia, todos cantarão assim:

“Eu te louvo, ó Senhor!

Tu estavas irado comigo,

mas a tua ira já passou,

e agora tu me consolas.

2Deus é o meu Salvador;

eu confiarei nele e não terei medo.

Pois o Senhor me dá força e poder,

ele é o meu Salvador.

12.2
Êx 15.2
Sl 118.14

3Cheios de alegria, todos irão até as fontes

e beberão da água que os salvará.”

4Naquele dia, todos cantarão esta canção:

“Louvem o Senhor!

Gritem pedindo a ajuda de Deus!

Digam a todos os povos o que ele tem feito

e anunciem a sua grandeza.

5Cantem hinos de louvor ao Senhor,

pois ele fez coisas maravilhosas.

Que o mundo inteiro saiba disso!

12.4-5
Sl 105.1-2

6Moradores de Sião, alegrem-se e louvem a Deus,

pois o santo e poderoso Deus de Israel

mora no meio do seu povo.”

13

Profecia contra a Babilônia

131Esta é a mensagem a respeito da Babilônia que Isaías, filho de Amoz, recebeu numa visão:

13.1—14.23
Is 47.1-15
Jr 50.1—51.64

2Em cima de um monte pelado,

levantem a bandeira de guerra!

Deem ordem para os inimigos atacarem

e levantem a mão como sinal

para que eles entrem pelos portões da cidade majestosa.

3O Senhor está chamando os seus soldados fiéis,

os seus homens valentes, que se alegram com a vitória.

Ele os está chamando para que castiguem aqueles com quem ele está irado.

4Ouve-se uma gritaria nas montanhas!

São exércitos que estão se ajuntando!

Soldados de muitas nações se reúnem para a guerra;

o Senhor Todo-Poderoso está preparando um exército para a batalha.

5As tropas vêm da Pérsia, um país distante,

vêm lá do fim do mundo.

Na sua ira, o Senhor

vai usá-las para destruir a Babilônia inteira.

6Chorem e gritem, pois está chegando o Dia do Senhor;

a destruição enviada pelo Todo-Poderoso está perto!

13.6
Ez 30.2-3
Jl 1.15
Sf 1.14-18
Ml 3.2
Ap 6.17

7Os braços de todos ficarão sem força,

e de medo os corações deles baterão mais rápido,

8pois o pavor tomará conta deles.

Sofrerão e chorarão como uma mulher com dores de parto,

se torcerão como uma mulher que está dando à luz.

Olharão uns para os outros, cheios de medo,

e os rostos deles ficarão vermelhos de vergonha.

9Está chegando o Dia do Senhor,

dia terrível da sua ira violenta e furiosa.

A terra será arrasada,

e os pecadores serão mortos.

10Todas as estrelas deixarão de brilhar;

logo ao nascer, o sol ficará escuro,

e a lua também não brilhará mais.

13.10
Ez 32.7
Mt 24.29
Mc 13.24-25
Lc 21.25
Ap 6.12-13
8.12

11O Senhor Deus diz:

“Eu vou castigar o mundo por causa das suas maldades;

vou castigar as pessoas perversas por causa dos seus pecados.

Acabarei com o orgulho dos vaidosos

e humilharei as pessoas violentas.

12Quando eu acabar de castigá-los,

as pessoas que ficarem vivas serão mais raras do que o ouro,

do que o ouro puro de Ofir.

13No dia em que eu, o Senhor Todo-Poderoso,

mostrar a minha ira e o meu furor,

farei com que os céus tremam

e com que a terra saia do seu lugar.

14“Os estrangeiros que moram na Babilônia fugirão

e voltarão para os seus próprios países.

Serão como gazelas que fogem dos caçadores,

como ovelhas que não têm pastor.

15Os que forem alcançados e forem presos

serão mortos à espada.

16Diante dos seus próprios olhos,

os seus filhos serão esmagados,

as suas casas serão assaltadas,

e as suas mulheres, violentadas.

17“Contra os babilônios vou atiçar os medos13.17 Povo que morava ao nordeste da Babilônia (pronuncia-se médos). A Média se tornou parte do império da Pérsia.,

um povo que não faz caso de prata nem de ouro.

18Com as suas flechas, eles matarão os jovens;

matarão crianças e bebês

sem dó nem piedade.

19Babilônia é a glória e o orgulho do seu povo,

a mais bela cidade de todos os reinos;

mas ela vai ficar como Sodoma e Gomorra

quando eu as destruí.

13.19
Gn 19.24

20Babilônia ficará completamente vazia,

e nunca mais ninguém morará ali.

Os viajantes árabes não armarão ali as suas barracas,

e nenhum pastor levará as suas ovelhas para pastarem lá.

21Os animais do deserto viverão na cidade,

e as casas ficarão cheias de corujas;

avestruzes morarão ali,

e cabras selvagens saltarão entre as ruínas.

13.21
Is 34.14
Sf 2.14
Ap 18.2

22Nas torres e nos palácios,

uivarão as hienas e as raposas.

Está chegando a hora da Babilônia;

os seus dias já estão contados.”

14

A volta do povo de Israel para o seu país

141Mais uma vez, o Senhor Deus terá compaixão de Israel e o escolherá para ser o seu próprio povo. Fará com que os israelitas voltem para a sua própria terra, e estrangeiros irão morar ali com eles. 2Pessoas de várias nações irão com os israelitas para a sua terra, a terra do Senhor, e ali se tornarão escravos e escravas do povo de Israel. Os israelitas terão como escravos aqueles que antigamente eram seus donos e dominarão aqueles que antes os dominavam.

O rei da Babilônia no mundo dos mortos

3Povo de Israel, chegará o dia em que o Senhor Deus vai livrá-los da escravidão, e assim vocês ficarão livres dos sofrimentos e dos trabalhos pesados que são forçados a fazer. 4Quando esse dia chegar, zombem do rei da Babilônia, recitando esta poesia:

Vejam como desapareceu o rei cruel!

Vejam como acabou a sua violência!

5O Senhor tirou o poder dos maus;

ele quebrou o bastão dos governadores cruéis,

6que na sua ira maltratavam os povos

e na sua fúria perseguiam as nações que haviam conquistado.

7Agora o mundo inteiro está calmo e em paz,

e todos cantam de alegria.

8Até os ciprestes e os cedros14.8 Ver Is 2.13, nota. do Líbano

estão contentes com a queda do rei da Babilônia e dizem:

“Desde o dia em que ele caiu,

não apareceu ninguém para nos derrubar.”

9Lá embaixo, no mundo dos mortos,

os seus moradores se preparam para receber o rei da Babilônia.

As sombras daqueles que eram poderosos na terra acordam,

os que foram reis se levantam dos seus tronos.

10Todos eles dirão ao rei:

“Você também perdeu as forças!

Agora você é igual a nós!

11Aonde foi parar a sua vaidade?

Onde está agora a música das suas harpas?

Elas estão aqui no mundo dos mortos,

onde você vai se deitar em cima de vermes

e vai se cobrir com bichos.”

12Rei da Babilônia, brilhante estrela da manhã,

você caiu lá do céu!

Você, que dominava as nações,

foi derrubado no chão!

14.12
Ap 8.10
9.1

13Antigamente você pensava assim:

“Subirei até o céu

e me sentarei no meu trono,

acima das estrelas de Deus.

Reinarei lá longe, no Norte,

no monte onde os deuses se reúnem.

14Subirei acima das nuvens mais altas

e serei como o Deus Altíssimo.”

15Mas você foi jogado no mundo dos mortos,

no abismo mais profundo.

14.13-15
Mt 11.23
Lc 10.15

16Os mortos vão olhar espantados para você

e vão perguntar:

“Será este o homem que fazia os reinos tremerem,

que fazia o mundo inteiro tremer de medo?

17Será este o homem que fez o mundo virar um deserto,

que arrasava cidades

e não deixava os seus prisioneiros voltarem para casa?”

18Todos os reis do mundo foram sepultados com homenagens,

cada um na sua própria sepultura,

19mas você não foi sepultado.

Como se fosse um aborto nojento,

o seu corpo foi jogado fora14.19 Naquele tempo o aborto não era enterrado, mas jogado fora. e pisado.

Está coberto de corpos de soldados mortos na batalha,

daqueles que desceram até a cova cheia de pedras.

20Você não foi sepultado como os outros reis,

pois arrasou o seu próprio país

e matou o seu próprio povo.

Que morram todos os descendentes desse rei maldito!

21Por causa da maldade dos seus antepassados,

matem logo os seus filhos

a fim de que eles nunca venham a governar a terra,

nem encham o mundo de cidades.

22O Senhor Todo-Poderoso diz:

— Vou atacar e arrasar a cidade de Babilônia. Vou acabar com todos: pais e filhos, avós e netos. Sou eu, o Senhor, quem está falando. 23Farei com que a Babilônia vire um lamaçal, um lugar onde viverão as corujas. Vou varrê-la com a minha vassoura, e ela desaparecerá. Eu, o Senhor Todo-Poderoso, falei.

Deus destruirá a Assíria

24O Senhor Todo-Poderoso jurou:

“Vou fazer o que resolvi;

vou realizar o meu plano.

25Vou acabar com os assírios

que estão na minha terra de Israel,

vou pisá-los nas minhas montanhas.

Livrarei o meu povo da escravidão,

quebrarei as correntes com que os assírios o prenderam

e tirarei das suas costas as suas cargas pesadas.

26É este o plano que tenho para o mundo inteiro;

a minha mão está levantada para castigar as nações.”

27O Senhor Todo-Poderoso resolveu fazer isso;

haverá alguém que o faça parar?

Ele levantou a mão para castigar;

haverá quem a faça abaixar?

14.24-27
Is 10.5-34
Na 1.1—3.19
Sf 2.13-15

Deus destruirá a Filisteia

28No ano em que o rei Acaz morreu, veio de Deus esta mensagem:

14.28
2Rs 16.20
2Cr 28.27

29“Povo da Filisteia, não fique alegre

por estar quebrada a Assíria, o bastão que os castigava.

Pois, quando uma cobra desaparece, vem outra pior,

e do ovo de uma cobra sai um dragão voador.

30Como um pastor cuida das ovelhas,

assim eu cuidarei dos pobres do meu povo

e farei com que vivam em segurança.

Porém farei com que vocês, filisteus, morram de fome;

não deixarei nenhum vivo.

31Chorem e gritem de dor, cidades dos filisteus!

Fiquem todas apavoradas!

Pois do Norte vem uma nuvem de pó:

é um exército que não tem nenhum covarde nas suas fileiras.”

14.29-31
Jr 47.1-7
Ez 25.15-17
Jl 3.4-8
Am 1.6-8
Sf 2.4-7
Zc 9.5-7

32Que resposta será dada aos mensageiros que vieram da Filisteia?

A resposta será esta:

“O Senhor Deus fundou Sião,

e ali os pobres do seu povo encontram abrigo.”