Nova Tradução na Linguagem de Hoje (2000) (NTLH)
6

Arrependimento fingido

61O povo de Israel diz:

— Venham, voltemos todos para Deus, o Senhor. Ele nos feriu, mas com certeza vai nos curar; ele nos castigou, mas certamente nos perdoará. 2Daqui a uns dois ou três dias, no máximo, ele nos dará novas forças e nos porá de pé, e nós sempre faremos a sua vontade. 3Vamos nos dedicar mais e mais ao Senhor! Tão certo como nasce o sol, ele virá nos ajudar; virá tão certamente como vêm as chuvas da primavera, que regam a terra.

4Mas o Senhor Deus responde:

— O que é que vou fazer com você, Israel? E com você, Judá, o que é que eu faço? Pois o amor de vocês é tão passageiro como a cerração ao nascer do sol; é como o orvalho, que seca logo de manhã. 5Foi por isso que mandei os meus profetas anunciar que eu vou castigar e matar vocês. E o que exijo de vocês é claro como a luz do sol. 6Eu quero que vocês me amem e não que me ofereçam sacrifícios; em vez de me trazer ofertas queimadas, eu prefiro que o meu povo me obedeça.

6.6
Mt 9.13
12.7

7— Mas na cidade de Adã o meu povo quebrou a aliança que fiz com ele e ali foi infiel a mim. 8Gileade é uma cidade cheia de malfeitores e assassinos. 9Os sacerdotes são como assaltantes que esperam escondidos para roubar os outros. Na estrada que vai para Siquém eles matam e cometem crimes horrorosos. 10Tenho visto uma coisa horrível na terra de Israel: o meu povo adora ídolos e por isso está impuro.

11— E já marquei o dia em que vou castigar também o povo de Judá.

7

71— Quando tento curar o povo de Israel e fazê-lo ficar rico de novo, a única coisa que vejo são os seus pecados e a sua maldade. São mentirosos, são ladrões que roubam as casas e assaltam pessoas nas ruas. 2Eles pensam que eu esqueço todos os seus pecados. Estão rodeados pelas suas maldades, e não posso deixar de vê-las.

Mentiras, ódio e traição

3O Senhor Deus diz:

— O meu povo é malicioso, e com as suas mentiras eles enganam o rei e os governadores. 4Todos eles são traidores. O ódio queima neles como o fogo no forno, que o padeiro não atiça até que a massa tenha crescido e esteja pronta para assar. 5No dia da festa do rei, eles deram tanto vinho a ele e aos governadores, que eles ficaram bêbados, e o rei fez todo tipo de tolices. 6O ódio continuou a queimar nos corações deles, enquanto planejavam intrigas contra o rei. A noite toda, abafaram o seu ódio, mas de manhã ele acendeu como fogo. 7Queimando de raiva, eles mataram os seus chefes; todos os seus reis foram mortos, um depois do outro. Mas não há ninguém que ore a mim.

Israel e as outras nações

8O Senhor diz:

— O povo de Israel faz acordos com outros povos e agora parece um pão mal assado. 9O povo não percebe que a nação está perdendo o seu poder por causa desses acordos com estrangeiros. A nação está ficando fraca como um velho de cabelos brancos, mas o povo não percebe isso. 10O orgulho do povo é testemunha contra si mesmo. Todas essas coisas aconteceram, mas mesmo assim eles não se voltam para mim, nem procuram a ajuda do Senhor, seu Deus. 11Israel parece uma pombinha tola: procura primeiro a ajuda do Egito e depois vai pedir socorro na Assíria. 12Mas eu os pegarei, como quem pega passarinhos com uma rede. Eu os castigarei de acordo com as mensagens que ouviram nas suas reuniões.

13— Eles estão perdidos e serão destruídos, pois fugiram e se revoltaram contra mim. Eu queria salvá-los, mas eles dizem mentiras a meu respeito. 14As orações que me fazem não são sinceras; ao fazê-las, eles se jogam no chão, gritando como os pagãos. Quando oram pedindo trigo e vinho, eles se cortam, como os outros povos fazem. Todos se revoltaram contra mim. 15Fui eu que os ensinei e lhes dei forças, mas eles planejam maldades contra mim. 16Como uma flecha atirada por um arco defeituoso não atinge o alvo, assim também o meu povo se desviou de mim e começou a adorar ídolos. Os seus chefes falam com orgulho e por isso serão mortos à espada. Aí o povo do Egito zombará deles.

8

Deus condena a idolatria do povo

81O Senhor Deus diz:

— Toquem a corneta! O inimigo ataca a minha terra como uma águia porque o meu povo quebrou a aliança que fiz com eles e não obedece às minhas leis. 2Eles oram a mim, dizendo: “Tu és o nosso Deus, e nós somos dedicados a ti.” 3Mas eles rejeitaram o que é bom e por isso serão perseguidos pelo inimigo.

4— O meu povo escolheu reis sem me consultar e nomeou governadores sem a minha aprovação. Com a sua prata e com o seu ouro, fizeram ídolos e por isso serão destruídos. 5Eu odeio o bezerro de ouro que o povo da cidade de Samaria adora e estou irado com eles. Até quando eles vão continuar adorando ídolos? 6Um israelita fez o bezerro; esta estátua não é Deus e será quebrada em pedaços. 7Eles semearam ventos e colherão tempestades. O trigo não produzirá espigas; mas, se houver espigas, elas serão devoradas por estrangeiros. 8Israel está perdido! As outras nações consideram Israel um objeto sem valor. 9Os israelitas são como um jumento bravo que teima em andar sozinho. Eles foram pedir a ajuda da Assíria e pagaram outras nações para protegê-los. 10Mas eu vou pegá-los e castigá-los, e por algum tempo eles sofrerão debaixo do poder cruel do imperador da Assíria.

11— O povo de Israel construiu muitos altares para conseguir o perdão dos seus pecados, mas esses altares só servem para que o povo peque ainda mais. 12Escrevi milhares de leis para o povo, mas eles as rejeitaram como se não tivessem valor. 13Eles me oferecem sacrifícios e gostam de comer dos animais sacrificados. Mas eu, o Senhor Deus, não estou contente com eles. Eu lembrarei dos seus pecados e os castigarei. Vou mandá-los de volta para o Egito, 14pois o povo de Israel esqueceu o seu Criador. O povo de Israel construiu palácios, e o povo de Judá construiu cidades cercadas de muralhas; mas eu vou mandar um fogo que queimará as cidades e destruirá as fortalezas.