Nova Tradução na Linguagem de Hoje (2000) (NTLH)
47

471Então José foi dar a notícia ao rei. Ele disse:

— O meu pai e os meus irmãos vieram da terra de Canaã e estão na região de Gosém com as suas ovelhas e cabras, o seu gado e tudo o que têm.

2Depois levou cinco dos seus irmãos e os apresentou ao rei. 3O rei perguntou:

— Qual é o trabalho de vocês?

Eles responderam:

— Senhor, nós somos criadores de ovelhas, como foram os nossos antepassados. 4Viemos morar neste país porque na terra de Canaã não há pastos para os animais, e a fome lá está terrível. Por favor, deixe que a gente fique morando na região de Gosém.

5O rei disse a José:

— Agora que o seu pai e os seus irmãos vieram ficar com você, 6a terra do Egito está às ordens deles. Dê a eles a região de Gosém, que é a melhor do país, para que fiquem morando lá. E, se na sua opinião houver entre eles homens capazes, ponha-os como chefes dos que cuidam do meu gado.

7Depois José levou Jacó, o seu pai, e o apresentou ao rei. Jacó deu a sua bênção ao rei, 8e este perguntou:

— Qual é a sua idade?

9Jacó respondeu:

— Já estou com cento e trinta anos de idade e sempre tenho andado de um lado para outro. A minha vida tem passado rapidamente, e muitos anos foram difíceis. E eu não tenho conseguido viver tanto quanto os meus antepassados, que tiveram uma vida tão dura como a que eu tive.

10Jacó deu a sua bênção ao rei e foi embora. 11E José deu ao pai e aos irmãos terras na melhor região do Egito, perto da cidade de Ramessés, como o rei havia ordenado. Essas terras se tornaram propriedade deles, e eles ficaram morando ali. 12José dava mantimentos ao pai, aos irmãos e aos parentes, conforme as necessidades de cada família.

José como governador do Egito

13Não havia alimento em lugar nenhum, e a fome aumentava cada vez mais. Os moradores do Egito e de Canaã ficaram fracos de tanto passar fome. 14O povo comprava mantimentos, e José ajuntava todo o dinheiro e o levava para o palácio. 15Quando acabou todo o dinheiro do Egito e de Canaã, os egípcios foram falar com José. Eles disseram:

— Por favor, nos dê comida! Não nos deixe morrer só porque o nosso dinheiro acabou!

16José respondeu:

— Se vocês não têm mais dinheiro, tragam o seu gado, que eu trocarei por mantimento.

17Os egípcios levaram a José cavalos, ovelhas, cabras, bois e jumentos, e em troca ele lhes deu mantimento durante todo aquele ano. 18O ano passou, e no ano seguinte foram dizer a José:

19— Senhor, não podemos esconder o fato de que o nosso dinheiro acabou e que os nossos animais agora são seus. Não temos mais nada para entregar a não ser os nossos corpos e as nossas terras. Não deixe a gente morrer. Compre a nós e as nossas terras em troca de alimentos. Seremos escravos do rei, e ele será dono das nossas terras. Dê-nos mantimento para que possamos viver e também sementes para plantarmos, e assim a terra não se tornará um deserto.

20Então José comprou todas as terras do Egito para o rei. Todos os egípcios tiveram de vender as suas terras, pois a fome era terrível. Assim, a terra ficou sendo do rei, 21e José fez dos egípcios escravos no país inteiro. 22José só não comprou as terras dos sacerdotes. Eles não tiveram de vendê-las, pois o rei lhes dava certa quantidade de alimentos; e assim eles tinham o que comer.

23Então José disse ao povo:

— Agora vocês e as suas terras são do rei, pois eu os comprei para ele. Peguem aqui sementes para semearem nos campos. 24Do que colherem, deem a quinta parte ao rei; usem as outras quatro partes para semear e para alimentar vocês, os seus filhos e as pessoas que moram com vocês.

25Eles responderam:

— O senhor salvou a nossa vida e tem sido bom para nós. Seremos escravos do rei.

26Assim, José fez uma lei que existe até hoje. A lei é a seguinte: em todo o Egito a quinta parte das colheitas pertence ao rei. Só as terras dos sacerdotes não ficaram para o rei.

O último pedido de Jacó

27Os israelitas ficaram vivendo no Egito, na região de Gosém, onde compraram terras e tiveram muitos filhos. 28Jacó viveu dezessete anos no Egito, chegando à idade de cento e quarenta e sete anos. 29Quando sentiu que ia morrer, Jacó mandou chamar o seu filho José e disse:

— Se lhe posso pedir um favor, ponha a mão por baixo da minha coxa47.29 Ver Gn 24.2, nota. e jure que será fiel e honesto comigo nisto que vou pedir: não me sepulte no Egito. 30Quando eu morrer, tire o meu corpo do Egito e me coloque na sepultura dos meus antepassados, a fim de que eu descanse com eles.

José respondeu:

— Eu farei o que o senhor está pedindo.

47.29-30
Gn 49.29-32
50.6

31— Então jure — disse Jacó.

José jurou, e aí Jacó se inclinou sobre a cabeceira da cama e orou.