Nova Tradução na Linguagem de Hoje (2000) (NTLH)
16

Agar e Ismael

161Sarai, a mulher de Abrão, não lhe tinha dado filhos. Ela possuía uma escrava egípcia, que se chamava Agar. 2Um dia Sarai disse a Abrão:

— Já que o Senhor Deus não me deixa ter filhos, tenha relações com a minha escrava; talvez assim, por meio dela, eu possa ter filhos.

Abrão concordou com o plano de Sarai, 3e assim ela lhe deu Agar para ser sua concubina. Isso aconteceu quando já fazia dez anos que Abrão estava morando em Canaã. 4Abrão teve relações com Agar, e ela ficou grávida. Quando descobriu que estava grávida, Agar começou a olhar com desprezo para Sarai, a sua dona. 5Aí Sarai disse a Abrão:

— Por sua culpa Agar está me desprezando. Eu mesma a entreguei nos seus braços; e, agora que sabe que está grávida, ela fica me tratando com desprezo. Que o Senhor Deus julgue quem é culpado, se é você ou se sou eu!

6Abrão respondeu:

— Está bem. Agar é sua escrava, você manda nela. Faça com ela o que quiser.

Aí Sarai começou a maltratá-la tanto, que ela fugiu. 7Mas o Anjo do Senhor a encontrou no deserto, perto de uma fonte que fica no caminho de Sur, 8e perguntou:

— Agar, escrava de Sarai, de onde você vem e para onde está indo?

— Estou fugindo da minha dona — respondeu ela.

9Então o Anjo do Senhor deu a seguinte ordem:

— Volte para a sua dona e seja obediente a ela em tudo.

10E o Anjo do Senhor disse também:

“Eu farei com que o número

dos seus descendentes seja grande;

eles serão tantos, que ninguém

poderá contá-los.

11Você está grávida, e terá um filho,

e porá nele o nome de Ismael16.11 Ismael em hebraico quer dizer “Deus escuta”.,

pois o Senhor Deus ouviu o seu grito de aflição.

12Esse filho será

como um jumento selvagem;

ele lutará contra todos,

e todos lutarão contra ele.

E ele viverá longe de todos

os seus parentes.”

13Então Agar deu ao Senhor este nome: “O Deus que Vê.” Isso porque ele havia falado com ela, e ela havia perguntado a si mesma: “Será verdade que eu vi Aquele que Me Vê?” 14É por isso que esse poço, que fica entre Cades e Berede, é chamado16.14 Isto é, era chamado na época em que este texto foi escrito. de “Poço Daquele que Vive e Me Vê”.

15Agar deu um filho a Abrão, e ele pôs no menino o nome de Ismael.

16.15
Gl 4.22
16Abrão tinha oitenta e seis anos quando Ismael nasceu.

17

A aliança e a circuncisão

171Quando Abrão tinha noventa e nove anos, o Senhor Deus apareceu a ele e disse:

— Eu sou o Deus Todo-Poderoso. Viva uma vida de comunhão comigo e seja obediente a mim em tudo. 2Eu farei a minha aliança com você e lhe darei muitos descendentes.

3Então Abrão se ajoelhou, encostou o rosto no chão, e Deus lhe disse:

4— Eu faço com você esta aliança: prometo que você será o pai de muitas nações. 5Daqui em diante o seu nome será Abraão17.5 Abraão em hebraico soa parecido com a palavra que quer dizer “pai de muita gente”. e não Abrão17.5 Abrão em hebraico quer dizer “antepassado famoso”., pois eu vou fazer com que você seja pai de muitas nações.

17.5
Rm 4.17
6Farei com que os seus descendentes sejam muito numerosos, e alguns deles serão reis. 7A aliança que estou fazendo para sempre com você e com os seus descendentes é a seguinte: eu serei para sempre o Deus de você e o Deus dos seus descendentes.
17.7
Lc 1.55
8Darei a você e a eles a terra onde você está morando como estrangeiro. Toda a terra de Canaã será para sempre dos seus descendentes, e eu serei o Deus deles.
17.8
At 7.5

9Deus continuou:

— Você, Abraão, será fiel à minha aliança, você e os seus descendentes, para sempre. 10Pela aliança que estou fazendo com você e com os seus descendentes, todos os homens entre vocês deverão ser circuncidados.

17.10
At 7.8
Rm 4.11
11A circuncisão servirá como sinal da aliança que há entre mim e vocês. 12De hoje em diante vocês circuncidarão todos os meninos oito dias depois de nascidos, e também os escravos que nascerem nas casas de vocês, e os que forem comprados de estrangeiros. 13Tanto uns como outros deverão ser circuncidados, sem falta. Esse será um sinal que vai ficar no seu corpo para mostrar que a minha aliança com vocês é para sempre. 14Quem não for circuncidado não poderá morar no meio de vocês, pois não respeitou a minha aliança.

15Depois Deus disse a Abraão:

— De hoje em diante não chame mais a sua mulher de Sarai, mas de Sara17.15 Sara em hebraico quer dizer “princesa”.. 16Eu a abençoarei e darei a você um filho, que nascerá dela. Sim, eu a abençoarei, e ela será mãe de nações; e haverá reis entre os seus descendentes.

17Abraão se ajoelhou, encostou o rosto no chão e começou a rir ao pensar assim: “Por acaso um homem de cem anos pode ser pai? E será que Sara, com os seus noventa anos, poderá ter um filho?” 18Então Abraão disse a Deus o seguinte:

— Quem dera que Ismael vivesse abençoado por ti!

19Mas Deus respondeu:

— O que eu disse foi que Sara, a sua mulher, lhe dará um filho. E você o chamará de Isaque17.19 Isaque em hebraico quer dizer “ele ri”.. Eu manterei a minha aliança com ele e com os seus descendentes, para sempre. 20Também ouvi o seu pedido a respeito de Ismael; e eu o abençoarei e lhe darei muitos filhos e muitos descendentes. Ele será pai de doze príncipes, e eu farei com que os descendentes dele sejam uma grande nação. 21Mas a minha aliança eu manterei com Isaque, o seu filho, que Sara dará à luz nesta mesma época, no ano que vem.

22Quando acabou de falar com Abraão, Deus subiu e o deixou. 23Naquele mesmo dia Abraão fez como Deus havia mandado. Ele circuncidou o seu filho Ismael e todos os outros homens da sua casa, incluindo os escravos nascidos na sua casa e os que tinham sido comprados de estrangeiros. 24Abraão tinha noventa e nove anos quando foi circuncidado, 25e o seu filho Ismael tinha treze. 26Os dois foram circuncidados no mesmo dia. 27E foram circuncidados também todos os escravos de Abraão, tanto os nascidos na sua casa como os que tinham sido comprados de estrangeiros.

18

Deus promete um filho a Abraão

181O Senhor Deus apareceu a Abraão no bosque sagrado de Manre. Era a hora mais quente do dia, e Abraão estava sentado na entrada da sua barraca. 2Ele olhou para cima e viu três homens, de pé na sua frente. Quando os viu, correu ao encontro deles. Ajoelhou-se, encostou o rosto no chão

18.2
Hb 13.2
3e disse:

— Senhores, se eu mereço a sua atenção, não passem pela minha humilde casa sem me fazerem uma visita. 4Vou mandar trazer água para lavarem os pés, e depois os senhores descansarão aqui debaixo da árvore. 5Também vou trazer um pouco de comida, e assim terão forças para continuar a viagem. Os senhores me honraram com a sua visita; portanto, deixem que eu os sirva.

Eles responderam:

— Está bem, nós aceitamos.

6Abraão correu para dentro da barraca e disse a Sara:

— Depressa! Pegue uns dez quilos de farinha e faça pão.

7Em seguida ele correu até onde estava o gado, escolheu um bom bezerro novo e o entregou a um dos empregados, que o preparou para ser comido. 8Abraão pegou coalhada, leite e a carne preparada e pôs tudo diante dos visitantes. Ali, debaixo da árvore, ele mesmo serviu a comida e ficou olhando. 9Então eles perguntaram:

— Onde está Sara, a sua mulher?

— Está na barraca — respondeu Abraão.

10Um deles disse:

— No ano que vem eu virei visitá-lo outra vez. E nessa época Sara, a sua mulher, terá um filho.

18.10
Rm 9.9

Sara estava atrás dele, na entrada da barraca, escutando a conversa. 11Abraão e Sara eram muito velhos, e Sara já havia passado da idade de ter filhos. 12Por isso riu por dentro e pensou assim:

— Como poderei ter prazer sexual agora que eu e o meu senhor estamos velhos?

18.12
1Pe 3.6

13Então o Senhor perguntou a Abraão:

— Por que Sara riu? Por que disse que está velha demais para ter um filho? 14Será que para o Senhor há alguma coisa impossível? Pois, como eu disse, no ano que vem virei visitá-lo outra vez. E nessa época Sara terá um filho.

18.14
Lc 1.37

15Ao escutar isso, Sara ficou com medo e quis negar.

— Eu não estava rindo — disse ela.

Mas o Senhor respondeu:

— Não é verdade; você riu mesmo.

Abraão pede em favor de Sodoma

16Depois os visitantes se levantaram e foram para um lugar de onde podiam ver a cidade de Sodoma. E Abraão os acompanhou para lhes mostrar o caminho. 17Aí o Senhor Deus disse a si mesmo: “Não vou esconder de Abraão o que pretendo fazer. 18Os seus descendentes se tornarão uma nação grande e poderosa, e por meio dele eu abençoarei todas as nações da terra. 19Eu o escolhi para que ele mande que os seus filhos e os seus descendentes obedeçam aos meus ensinamentos e façam o que é correto e justo. Se eles obedecerem, farei por Abraão tudo o que prometi.”

20Aí o Senhor disse a Abraão:

— Há terríveis acusações contra Sodoma e Gomorra, e o pecado dos seus moradores é muito grave. 21Preciso descer até lá para ver se as acusações que tenho ouvido são verdadeiras ou não.

22Então dois dos visitantes saíram, indo na direção de Sodoma; porém Abraão ficou ali com Deus, o Senhor. 23Abraão chegou um pouco mais perto e perguntou:

— Será que vais destruir os bons junto com os maus? 24Talvez haja cinquenta pessoas direitas na cidade. Nesse caso, vais destruir a cidade? Será que não a perdoarias por amor aos cinquenta bons? 25Não é possível que mates os bons junto com os maus, como se todos tivessem cometido os mesmos pecados. Não faças isso! Tu és o juiz do mundo inteiro e por isso agirás com justiça.

26O Senhor Deus respondeu:

— Se eu achar cinquenta pessoas direitas em Sodoma, perdoarei a cidade inteira por causa delas.

27Abraão voltou a dizer:

— Perdoa o meu atrevimento de continuar falando contigo, pois tu és o Senhor, e eu sou um simples mortal. 28Pode acontecer que haja apenas quarenta e cinco pessoas direitas. Destruirás a cidade por causa dessa diferença de cinco?

Deus respondeu:

— Se eu achar quarenta e cinco, não destruirei a cidade.

29Abraão continuou:

— E se houver somente quarenta bons?

— Por amor a esses quarenta, não destruirei a cidade — Deus respondeu.

30Abraão disse:

— Não fiques zangado comigo, Senhor, por eu continuar a falar. E se houver só trinta?

Deus respondeu:

— Se houver trinta, eu perdoarei a cidade.

31Abraão tornou a insistir:

— Estou sendo atrevido, mas me perdoa, Senhor. E se houver somente vinte?

— Por amor a esses vinte, não destruirei a cidade — Deus respondeu.

32Finalmente Abraão disse:

— Não fiques zangado, Senhor, pois esta é a última vez que vou falar. E se houver só dez?

— Por causa desses dez, não destruirei a cidade — Deus respondeu.

33Quando o Senhor Deus acabou de falar com Abraão, ele foi embora, e Abraão voltou para casa.