Nova Tradução na Linguagem de Hoje (2000) (NTLH)
13

Abrão e Ló se separam

131Abrão saiu do Egito com a sua mulher e com tudo o que tinha e foi para o sul de Canaã. E Ló, o seu sobrinho, foi com ele. 2Abrão era muito rico; tinha gado, prata e ouro. 3Ele foi de um lugar para outro até chegar à cidade de Betel; e dali foi para o lugar que fica entre Betel e Ai, onde já havia acampado antes. 4Abrão chegou ao altar que ele havia construído e adorou a Deus, o Senhor.

5Ló, que ia com Abrão, também levava ovelhas, cabras, gado, empregados e a sua família. 6Não havia pastos que dessem para os dois ficarem juntos, pois eles tinham muitos animais. 7Por isso os homens que cuidavam dos animais de Abrão brigavam com os que tomavam conta dos animais de Ló. E nesse tempo os cananeus e os perizeus ainda estavam vivendo ali. 8Um dia Abrão disse a Ló:

— Nós somos parentes chegados, e não é bom que a gente fique brigando, nem que os meus empregados briguem com os seus. 9Vamos nos separar. Escolha! A terra está aí, toda ela. Se você for para a esquerda, eu irei para a direita; se você for para a direita, eu irei para a esquerda.

10Ló olhou em volta e viu que o vale do Jordão, até chegar à cidade de Zoar, tinha bastante água. Era como o Jardim do Senhor13.10 Referência ao Jardim do Éden (ver Gn 2.8-14). ou como a terra do Egito. O vale era assim antes de o Senhor haver destruído as cidades de Sodoma e de Gomorra.

13.10
Gn 2.10
11Ló escolheu todo o vale do Jordão e foi na direção leste. E assim os dois se separaram. 12Abrão ficou na terra de Canaã, e Ló foi morar nas cidades do vale. Ló foi acampando até chegar a Sodoma, 13onde vivia uma gente má, que cometia pecados horríveis contra o Senhor.

Promessa de Deus a Abrão

14Depois que Ló foi embora, o Senhor Deus disse a Abrão:

— De onde você está, olhe bem para o norte e para o sul, para o leste e para o oeste. 15Eu vou dar a você e aos seus descendentes, para sempre, toda a terra que você está vendo.

13.15
At 7.5
16Farei com que os seus descendentes sejam tantos como o pó da terra. Assim como ninguém pode contar os grãozinhos de pó, assim também não será possível contar os seus descendentes. 17Agora vá e ande por esta terra, de norte a sul e de leste a oeste, pois eu a darei a você.

18Assim, Abrão desarmou o seu acampamento e foi morar perto das árvores sagradas de Manre, na cidade de Hebrom. E ali Abrão construiu um altar para Deus, o Senhor.

14

Abrão liberta Ló

141Nesse tempo Anrafel era rei de Sinar, Arioque era rei de Elasar, Quedorlaomer era rei de Elão, e Tidal era rei de Goim. 2Esses quatro fizeram guerra contra os seguintes reis: Bera, de Sodoma; Birsa, de Gomorra; Sinabe, de Admá; Semeber, de Zeboim; e contra o rei de Bela, cidade que também se chamava Zoar. 3Esses cinco reis juntaram os seus exércitos no vale de Sidim, onde fica o mar Morto. 4O rei Quedorlaomer os havia dominado por doze anos, mas no décimo terceiro ano eles se revoltaram contra ele. 5No décimo quarto ano Quedorlaomer e os seus aliados derrotaram os refains em Asterote-Carnaim, os zuzins em Hã, os emins em Savé-Quiriataim 6e os horeus nas montanhas de Seir, perseguindo-os até El-Parã, onde começa o deserto. 7Depois voltaram até Cades, que naquele tempo se chamava En-Mispate. Eles arrasaram a terra dos amalequitas e derrotaram os amorreus que viviam em Hazazão-Tamar. 8Então os reis de Sodoma, de Gomorra, de Admá, de Zeboim e de Bela saíram com os seus exércitos para o vale de Sidim a fim de lutar 9contra os reis de Elão, de Goim, de Sinar e de Elasar. Eram quatro reis contra cinco. 10Acontece que o vale de Sidim era cheio de buracos em que havia piche; e, quando tentaram fugir da batalha, os reis de Sodoma e de Gomorra caíram nesses buracos. Mas os outros reis fugiram para as montanhas. 11Os quatro reis pegaram todo o mantimento e os objetos de valor que havia em Sodoma e em Gomorra e foram embora. 12Ló, o sobrinho de Abrão, vivia em Sodoma e por isso também foi levado como prisioneiro. E levaram também tudo o que era dele.

13Mas um homem escapou e foi contar tudo a Abrão, o hebreu, que morava perto das árvores sagradas que pertenciam a Manre, o amorreu. Manre e os seus irmãos Escol e Aner eram aliados de Abrão. 14Quando Abrão ficou sabendo que o seu sobrinho tinha sido levado como prisioneiro, reuniu os seus homens treinados para a guerra, todos eles nascidos na sua casa. Eram trezentos e dezoito ao todo. Abrão foi com eles, perseguindo os quatro reis até a cidade de Dã. 15Ali Abrão dividiu os seus homens em dois grupos, atacou os inimigos de noite e os derrotou. Ele continuou a persegui-los até Hoba, que fica ao norte da cidade de Damasco, 16e trouxe de volta tudo o que os inimigos haviam levado. Abrão trouxe também o seu sobrinho Ló, e tudo o que era dele, e também as suas mulheres, e o resto da sua gente.

Melquisedeque abençoa Abrão

17Depois de haver derrotado Quedorlaomer e os outros reis, Abrão estava voltando para casa quando o rei de Sodoma foi encontrar-se com ele no vale de Savé, também chamado de vale do Rei. 18E Melquisedeque, que era rei de Salém14.18 Salém: o mesmo que Jerusalém. e sacerdote do Deus Altíssimo, trouxe pão e vinho. 19Melquisedeque abençoou Abrão, dizendo:

“Abrão seja abençoado

pelo Deus Altíssimo,

que criou o céu e a terra!

20Seja louvado o Deus Altíssimo,

que entregou os inimigos de você

nas suas mãos!”

14.18-20
Hb 7.1-10

Aí Abrão deu a Melquisedeque a décima parte de tudo o que havia trazido de volta.

21Depois o rei de Sodoma disse a Abrão:

— Fique com as coisas e me devolva somente as pessoas.

22Mas Abrão respondeu:

— Eu levanto a mão diante do Senhor, o Deus Altíssimo, criador do céu e da terra, 23e juro que não ficarei com nada do que é seu, nem um fio de linha ou uma tira de sandália. Assim você nunca poderá dizer: “Eu fiz com que Abrão ficasse rico.” 24Não quero nada para mim, a não ser a comida que os meus empregados comeram. Mas os meus aliados Aner, Escol e Manre podem ficar com a parte deles.

15

Deus faz uma aliança com Abrão

151Depois disso Abrão teve uma visão, e nela o Senhor lhe disse:

— Abrão, não tenha medo. Eu o protegerei de todo perigo e lhe darei uma grande recompensa.

2Abrão respondeu:

— Ó Senhor, meu Deus! De que vale a tua recompensa se eu continuo sem filhos? Eliézer, de Damasco, é quem vai herdar tudo o que tenho. 3Tu não me deste filhos, e por isso um dos meus empregados, nascido na minha casa, será o meu herdeiro.

4Então o Senhor falou de novo e disse:

— O seu próprio filho será o seu herdeiro, e não o seu empregado Eliézer.

5Aí o Senhor levou Abrão para fora e disse:

— Olhe para o céu e conte as estrelas se puder. Pois bem! Será esse o número dos seus descendentes.

15.5
Rm 4.18
Hb 11.12

6Abrão creu em Deus, o Senhor, e por isso o Senhor o aceitou.

15.6
Rm 4.3
Gl 3.6
Tg 2.23
7O Senhor disse também:

— Eu sou Deus, o Senhor; eu o tirei da Babilônia, da cidade de Ur, a fim de lhe dar esta terra para ser sua propriedade.

8— Ó Senhor, meu Deus! — disse Abrão. — Como posso ter certeza de que esta terra será minha?

9O Senhor respondeu:

— Traga para mim uma vaca, uma cabra e uma ovelha, todas de três anos, e também uma rolinha e um pombo.

10Abrão levou esses animais para o Senhor, cortou-os pelo meio e colocou as metades uma em frente à outra, em duas fileiras; porém as aves ele não cortou. 11Então os urubus começaram a descer sobre os animais mortos, mas Abrão os enxotava. 12Quando começou a anoitecer, Abrão caiu num sono profundo. De repente, ficou com medo, e o pavor tomou conta dele.

15.12
Jó 4.13-14
13Então o Senhor disse:

— Fique sabendo, com certeza, que os seus descendentes viverão num país estrangeiro; ali serão escravos e serão maltratados durante quatrocentos anos.

15.13
Êx 1.1-14
At 7.6
14Mas eu castigarei a nação que os escravizar. E os seus descendentes, Abrão, sairão livres, levando muitas riquezas.
15.14
Êx 12.40-41
At 7.7
15Você terá uma velhice abençoada, morrerá em paz, será sepultado e irá se reunir com os seus antepassados no mundo dos mortos. 16Depois de quatro gerações, os seus descendentes voltarão para cá; pois eu não expulsarei os amorreus até que eles se tornem tão maus, que mereçam ser castigados.

17A noite caiu, e veio a escuridão. De repente, apareceu um braseiro, que soltava fumaça, e uma tocha de fogo. E o braseiro e a tocha passaram pelo meio dos animais partidos. 18Nessa mesma ocasião o Senhor Deus fez uma aliança com Abrão. Ele disse:

— Prometo dar aos seus descendentes esta terra, desde a fronteira com o Egito até o rio Eufrates,

15.18
At 7.5
19incluindo as terras dos queneus, dos quenezeus, dos cadmoneus, 20dos heteus, dos perizeus, dos refains, 21dos amorreus, dos cananeus, dos girgaseus e dos jebuseus.

Utilizamos cookies de acordo com o nossa Política de Privacidade, respeitando todos as suas informações pessoais.[ocultar]