Nova Tradução na Linguagem de Hoje (2000) (NTLH)
12

Deus chama Abrão

121Certo dia o Senhor Deus disse a Abrão:

— Saia da sua terra, do meio dos seus parentes e da casa do seu pai e vá para uma terra que eu lhe mostrarei.

12.1
At 7.2-3
Hb 11.8
2Os seus descendentes vão formar uma grande nação. Eu o abençoarei, o seu nome será famoso, e você será uma bênção para os outros. 3Abençoarei os que o abençoarem e amaldiçoarei os que o amaldiçoarem. E por meio de você eu abençoarei todos os povos do mundo.
12.3
Gl 3.8

4Abrão tinha setenta e cinco anos quando partiu de Harã, como o Senhor havia ordenado. E Ló foi com ele. 5Abrão levou a sua mulher Sarai, o seu sobrinho Ló, filho do seu irmão, e todas as riquezas e escravos que havia conseguido em Harã. Quando chegaram a Canaã, 6Abrão atravessou o país até que chegou a Siquém, um lugar santo, onde ficava a árvore sagrada de Moré. Naquele tempo os cananeus viviam nessa região. 7Ali o Senhor apareceu a Abrão e disse:

— Eu vou dar esta terra aos seus descendentes.

Naquele lugar Abrão construiu um altar a Deus, o Senhor, pois ali o Senhor havia aparecido a ele.

12.7
At 7.5
Gl 3.16
8Depois disso Abrão foi para a região montanhosa que fica a leste da cidade de Betel e ali armou o seu acampamento. Betel ficava a oeste do acampamento, e a cidade de Ai ficava a leste. Também nesse lugar Abrão construiu um altar e adorou o Senhor. 9Dali ele foi andando de um lugar para outro, sempre na direção sul da terra de Canaã.

Abrão no Egito

10Naquele tempo houve em Canaã uma fome tão grande, que Abrão foi morar por algum tempo no Egito. 11Quando ia chegando ao Egito, Abrão disse a Sarai, a sua mulher:

— Escute! Você é uma mulher muito bonita, 12e, quando os egípcios a virem, vão dizer: “Essa aí é a mulher dele.” Por isso me matarão e deixarão que você viva. 13Diga, então, que você é minha irmã. Assim, por sua causa, eles me deixarão viver e me tratarão bem.

12.13
Gn 20.2
26.7

14Quando Abrão chegou ao Egito, os egípcios viram que Sarai, a sua mulher, era, de fato, muito bonita. 15Alguns altos funcionários do rei do Egito também a viram e contaram a ele como era linda aquela mulher. Por isso ela foi levada para o palácio do rei.

16Por causa dela o rei tratou bem Abrão e lhe deu ovelhas, bois, jumentos, escravos e escravas, jumentas e camelos. 17Mas, por causa de Sarai, o Senhor Deus castigou o rei e a sua família com doenças horríveis. 18Por isso o rei mandou chamar Abrão e perguntou:

— Por que você me fez uma coisa dessas? Por que não me disse que ela é a sua mulher? 19Você disse que ela era sua irmã, e por isso eu casei com ela. Portanto, aqui está a sua mulher; saia daqui com ela!

20Então o rei deu ordem, e os seus guardas levaram Abrão para fora do Egito, junto com a sua mulher e com todas as coisas que eram dele.

13

Abrão e Ló se separam

131Abrão saiu do Egito com a sua mulher e com tudo o que tinha e foi para o sul de Canaã. E Ló, o seu sobrinho, foi com ele. 2Abrão era muito rico; tinha gado, prata e ouro. 3Ele foi de um lugar para outro até chegar à cidade de Betel; e dali foi para o lugar que fica entre Betel e Ai, onde já havia acampado antes. 4Abrão chegou ao altar que ele havia construído e adorou a Deus, o Senhor.

5Ló, que ia com Abrão, também levava ovelhas, cabras, gado, empregados e a sua família. 6Não havia pastos que dessem para os dois ficarem juntos, pois eles tinham muitos animais. 7Por isso os homens que cuidavam dos animais de Abrão brigavam com os que tomavam conta dos animais de Ló. E nesse tempo os cananeus e os perizeus ainda estavam vivendo ali. 8Um dia Abrão disse a Ló:

— Nós somos parentes chegados, e não é bom que a gente fique brigando, nem que os meus empregados briguem com os seus. 9Vamos nos separar. Escolha! A terra está aí, toda ela. Se você for para a esquerda, eu irei para a direita; se você for para a direita, eu irei para a esquerda.

10Ló olhou em volta e viu que o vale do Jordão, até chegar à cidade de Zoar, tinha bastante água. Era como o Jardim do Senhor13.10 Referência ao Jardim do Éden (ver Gn 2.8-14). ou como a terra do Egito. O vale era assim antes de o Senhor haver destruído as cidades de Sodoma e de Gomorra.

13.10
Gn 2.10
11Ló escolheu todo o vale do Jordão e foi na direção leste. E assim os dois se separaram. 12Abrão ficou na terra de Canaã, e Ló foi morar nas cidades do vale. Ló foi acampando até chegar a Sodoma, 13onde vivia uma gente má, que cometia pecados horríveis contra o Senhor.

Promessa de Deus a Abrão

14Depois que Ló foi embora, o Senhor Deus disse a Abrão:

— De onde você está, olhe bem para o norte e para o sul, para o leste e para o oeste. 15Eu vou dar a você e aos seus descendentes, para sempre, toda a terra que você está vendo.

13.15
At 7.5
16Farei com que os seus descendentes sejam tantos como o pó da terra. Assim como ninguém pode contar os grãozinhos de pó, assim também não será possível contar os seus descendentes. 17Agora vá e ande por esta terra, de norte a sul e de leste a oeste, pois eu a darei a você.

18Assim, Abrão desarmou o seu acampamento e foi morar perto das árvores sagradas de Manre, na cidade de Hebrom. E ali Abrão construiu um altar para Deus, o Senhor.

14

Abrão liberta Ló

141Nesse tempo Anrafel era rei de Sinar, Arioque era rei de Elasar, Quedorlaomer era rei de Elão, e Tidal era rei de Goim. 2Esses quatro fizeram guerra contra os seguintes reis: Bera, de Sodoma; Birsa, de Gomorra; Sinabe, de Admá; Semeber, de Zeboim; e contra o rei de Bela, cidade que também se chamava Zoar. 3Esses cinco reis juntaram os seus exércitos no vale de Sidim, onde fica o mar Morto. 4O rei Quedorlaomer os havia dominado por doze anos, mas no décimo terceiro ano eles se revoltaram contra ele. 5No décimo quarto ano Quedorlaomer e os seus aliados derrotaram os refains em Asterote-Carnaim, os zuzins em Hã, os emins em Savé-Quiriataim 6e os horeus nas montanhas de Seir, perseguindo-os até El-Parã, onde começa o deserto. 7Depois voltaram até Cades, que naquele tempo se chamava En-Mispate. Eles arrasaram a terra dos amalequitas e derrotaram os amorreus que viviam em Hazazão-Tamar. 8Então os reis de Sodoma, de Gomorra, de Admá, de Zeboim e de Bela saíram com os seus exércitos para o vale de Sidim a fim de lutar 9contra os reis de Elão, de Goim, de Sinar e de Elasar. Eram quatro reis contra cinco. 10Acontece que o vale de Sidim era cheio de buracos em que havia piche; e, quando tentaram fugir da batalha, os reis de Sodoma e de Gomorra caíram nesses buracos. Mas os outros reis fugiram para as montanhas. 11Os quatro reis pegaram todo o mantimento e os objetos de valor que havia em Sodoma e em Gomorra e foram embora. 12Ló, o sobrinho de Abrão, vivia em Sodoma e por isso também foi levado como prisioneiro. E levaram também tudo o que era dele.

13Mas um homem escapou e foi contar tudo a Abrão, o hebreu, que morava perto das árvores sagradas que pertenciam a Manre, o amorreu. Manre e os seus irmãos Escol e Aner eram aliados de Abrão. 14Quando Abrão ficou sabendo que o seu sobrinho tinha sido levado como prisioneiro, reuniu os seus homens treinados para a guerra, todos eles nascidos na sua casa. Eram trezentos e dezoito ao todo. Abrão foi com eles, perseguindo os quatro reis até a cidade de Dã. 15Ali Abrão dividiu os seus homens em dois grupos, atacou os inimigos de noite e os derrotou. Ele continuou a persegui-los até Hoba, que fica ao norte da cidade de Damasco, 16e trouxe de volta tudo o que os inimigos haviam levado. Abrão trouxe também o seu sobrinho Ló, e tudo o que era dele, e também as suas mulheres, e o resto da sua gente.

Melquisedeque abençoa Abrão

17Depois de haver derrotado Quedorlaomer e os outros reis, Abrão estava voltando para casa quando o rei de Sodoma foi encontrar-se com ele no vale de Savé, também chamado de vale do Rei. 18E Melquisedeque, que era rei de Salém14.18 Salém: o mesmo que Jerusalém. e sacerdote do Deus Altíssimo, trouxe pão e vinho. 19Melquisedeque abençoou Abrão, dizendo:

“Abrão seja abençoado

pelo Deus Altíssimo,

que criou o céu e a terra!

20Seja louvado o Deus Altíssimo,

que entregou os inimigos de você

nas suas mãos!”

14.18-20
Hb 7.1-10

Aí Abrão deu a Melquisedeque a décima parte de tudo o que havia trazido de volta.

21Depois o rei de Sodoma disse a Abrão:

— Fique com as coisas e me devolva somente as pessoas.

22Mas Abrão respondeu:

— Eu levanto a mão diante do Senhor, o Deus Altíssimo, criador do céu e da terra, 23e juro que não ficarei com nada do que é seu, nem um fio de linha ou uma tira de sandália. Assim você nunca poderá dizer: “Eu fiz com que Abrão ficasse rico.” 24Não quero nada para mim, a não ser a comida que os meus empregados comeram. Mas os meus aliados Aner, Escol e Manre podem ficar com a parte deles.