Nova Tradução na Linguagem de Hoje (2000) (NTLH)
27

Cântico fúnebre para Tiro

271O Senhor me disse o seguinte:

2Homem mortal, cante um cântico fúnebre para Tiro, 3aquela cidade que fica à beira do mar27.3 ver Ezequiel 26.5, nota. e faz comércio com todos os povos que vivem no litoral. Diga que o Senhor Deus está dizendo isto:

“Tiro, você se orgulhava da sua beleza perfeita.

4O mar é o seu lar.

Os seus construtores a fizeram parecida com um belo navio.

5Na construção, usaram pinho do monte Hermom

e para o mastro usaram um cedro do Líbano.

6Pegaram carvalho de Basã para fazer os remos.

Fizeram o seu convés de pinho de Chipre

e o enfeitaram com marfim.

7As suas velas eram de linho bordado do Egito,

velas reconhecidas de longe.

Os seus toldos eram de tecido fino,

de púrpura da ilha de Chipre.

8Ó Tiro, os seus marinheiros eram os seus próprios homens experientes,

e os seus remadores eram das cidades de Sidom e de Arvade.

9Os carpinteiros do navio eram homens de Biblos,

bem-preparados.

Marinheiros de todos os navios do mar faziam negócios nas suas lojas.”

10— Soldados da Pérsia, Lídia e Líbia serviam no seu exército. Eles penduravam os seus escudos e capacetes nas suas barracas. Eles conquistaram a glória para você. 11Soldados de Arvade ficavam de guarda nas suas muralhas, e homens de Gamade guardavam as suas torres. Eles penduravam os escudos nas suas paredes. Foram estes que fizeram com que você ficasse bonita.

12— Você fazia negócios na Espanha e em troca das suas muitas mercadorias você recebia prata, ferro, estanho e chumbo. 13Você fazia negócios na Grécia, Tubal e Meseque e trocava as suas mercadorias por escravos e objetos de bronze. 14Você trocava as suas mercadorias por cavalos comuns, por cavalos de guerra e por mulas de Bete-Togarma. 15A gente de Rodes negociava com você. Em troca dos seus artigos, moradores de muitas terras do litoral davam a você marfim e madeira de ébano. 16O povo da Síria comprava os seus muitos produtos e as suas mercadorias. Em troca das suas mercadorias, eles davam esmeraldas, tecidos de púrpura, bordados, linho fino, corais e rubis. 17Judá e Israel pagavam as suas mercadorias com trigo de Minite, mel, azeite e especiarias. 18Damasco negociava com você e em troca dos seus muitos produtos dava vinho de Helbom e lã de Saar. 19De Uzal traziam para você vinho, ferro trabalhado e especiarias, que trocavam pelos seus artigos. 20Em troca dos seus produtos, o povo de Dedã oferecia mantas para cavalo. 21Os árabes e as autoridades de Quedar pagavam as suas mercadorias com carneirinhos, carneiros e bodes. 22Em troca das suas mercadorias, os negociantes de Sabá e Ramá davam as mais finas especiarias, pedras preciosas e ouro. 23As cidades de Harã, Cane e Éden, os comerciantes de Sabá, as cidades de Assur e Quilmade — todos faziam negócios com você. 24Eles lhe vendiam roupas de luxo, tecidos de púrpura, bordados, tapetes de várias cores e cordas e cordões bem-trançados. 25As suas mercadorias eram levadas em grupos de grandes navios cargueiros.

“Tiro, você parecia um navio no mar,

carregado com carga pesada.

26Quando os seus remadores levaram você para o mar alto,

o vento leste a fez afundar longe de terra.

27Toda a riqueza da sua mercadoria,

todos os marinheiros da tripulação,

os carpinteiros do navio e os seus comerciantes,

cada soldado que estava no navio —

todos, todos se perderam no mar

quando o navio afundou.

28Os gritos dos marinheiros que se afogavam

foram ouvidos até na praia.

29Todos os navios estão agora abandonados,

e todos os marinheiros foram para terra firme.

30Todos eles choram amargamente por você,

jogando pó na cabeça e rolando nas cinzas

em sinal de tristeza.

31Por sua causa, eles rapam a cabeça

e vestem roupa feita de pano grosseiro,

chorando com o coração amargurado.

32Eles cantam para você esta canção triste:

‘Quem pode se comparar com Tiro,

que agora está em silêncio no meio do mar?

33Quando as suas mercadorias

eram carregadas através dos mares,

você satisfazia a muitas nações.

Com a riqueza dos seus bens,

você enriqueceu os reis da terra.

34Agora, você está no fundo do mar,

está afundada nas profundezas do oceano.

Os seus bens e todos aqueles que trabalhavam para você

desapareceram junto com você no mar.’ ”

35— Todos os moradores do litoral estão apavorados com o que lhe aconteceu. Até os reis estão apavorados, e o medo está escrito na cara deles. 36Você se acabou para sempre, e os comerciantes no mundo inteiro estão apavorados, com medo que aconteça com eles o mesmo que aconteceu com você.

27.25-36
Ap 18.11-19

28

Profecia contra o rei de Tiro

281O Senhor me disse o seguinte:

2Homem mortal, diga ao rei da cidade de Tiro que eu, o Senhor Deus, digo isto a ele: “Cheio de orgulho, você diz que é um deus. E diz que, como deus, você está sentado num trono, cercado pelos mares. Você quer ser um deus, porém é mortal e não divino. 3Você pensa que é mais sábio do que Danel28.3 Ver Ez 14.14, nota., pensa que ninguém pode esconder de você nenhum segredo. 4A sua sabedoria e a sua inteligência o enriqueceram com tesouros de ouro e prata. 5Você fez bons negócios e continuou aumentando os lucros. E como você tem orgulho da sua riqueza!”

6— Pois agora eu, o Senhor Deus, digo isto: “Você pensa que é sábio como um deus, 7e por isso eu farei com que estrangeiros muito cruéis o ataquem. Eles destruirão todas as riquezas que você conseguiu com a sua inteligência e sabedoria. 8Eles o matarão e o mandarão para um túmulo de água. 9Quando eles chegarem para matá-lo, será que você ainda vai dizer que é um deus? Quando enfrentar os seus assassinos, você será mortal e não divino. 10Você morrerá como um cachorro, nas mãos de estrangeiros pagãos. Eu, o Senhor Deus, dei esta ordem.”

A queda do rei de Tiro

11O Senhor falou comigo outra vez. Ele disse:

12Homem mortal, cante uma canção de tristeza por causa do fim que o rei de Tiro vai ter. Diga-lhe que eu, o Senhor Deus, digo isto: “Você era um exemplo de perfeição. Como era sábio e simpático! 13Você vivia no Éden28.13 Figura que indica perfeição e felicidade., o jardim de Deus, e usava pedras preciosas de todo tipo: rubis e diamantes; topázio, berilo, ônix e jaspe; safiras, esmeraldas e granadas. Você tinha joias de ouro que foram feitas para você no dia em que foi criado. 14Eu fiz de você um anjo protetor, com as asas abertas. Você vivia no meu monte santo e andava pelo meio de pedras brilhantes. 15A sua conduta foi perfeita desde o dia em que foi criado, até que você começou a fazer o mal. 16Você ficou ocupado, comprando e vendendo, e isso o levou à violência e ao pecado. Por isso, anjo protetor, eu o humilhei e expulsei do monte de Deus, do meio das pedras brilhantes. 17Você ficou orgulhoso por causa da sua beleza, e a sua fama o fez perder o juízo. Então eu o joguei no chão a fim de servir de aviso para outros reis. 18Você foi tão desonesto nas compras e vendas, que os seus lugares de culto foram profanados. Por isso, pus fogo na cidade e a queimei completamente. Todos os que agora olham para você estão vendo que você virou cinzas. 19Você está acabado para sempre, e todas as nações que o conheceram estão apavoradas, com medo que aconteça a mesma coisa com elas.”

Profecia contra Sidom

20O Senhor me disse:

21Homem mortal, fale contra a cidade de Sidom. 22Diga ao povo dali que eu, o Senhor Deus, digo o seguinte: “Sidom, eu estou contra você. Por causa daquilo que vou fazer com você, todos me louvarão. Quando eu castigar os seus moradores, todos ficarão sabendo que eu sou o Senhor e que sou santo. 23Eu lhe mandarei doenças e farei com que corra sangue nas suas ruas. Você será atacada de todos os lados, e todos os seus moradores serão mortos. Assim você ficará sabendo que eu sou o Senhor.”

Bênçãos para o povo de Israel

24O Senhor disse:

— Os povos vizinhos que trataram Israel com desprezo nunca mais o ferirão, como se eles fossem espinhos e roseiras bravas. E eles ficarão sabendo que eu sou o Senhor Deus.

25O Senhor Deus disse:

— Eu vou trazer de volta o povo de Israel de todos os países por onde os espalhei, e todas as nações ficarão sabendo que eu sou santo. O povo de Israel viverá na sua própria terra, a terra que dei a Jacó, meu servo. 26Ali eles vão viver em segurança, vão construir casas e fazer plantações de uvas. Eu castigarei todos os seus vizinhos que os trataram com desprezo, e Israel ficará seguro. Aí eles ficarão sabendo que eu sou o Senhor, o Deus de Israel.

28.20-26
Jl 3.4-8
Zc 9.1-2
Mt 11.21-22
Lc 10.13-14

29

Profecia contra o Egito

291No décimo ano do nosso cativeiro, no dia doze do décimo mês29.1 Era janeiro de 587 antes de Cristo., o Senhor me disse o seguinte:

29.1—32.32
Is 19.1-25
Jr 46.2-26

2Homem mortal, fale contra o rei do Egito29.2 Hofra, que reinou de 588 a 569 antes de Cristo.. Diga-lhe como ele e toda a terra do Egito serão castigados. 3Diga que o Senhor Deus está dizendo isto ao rei do Egito: “Eu estou contra você, crocodilo monstruoso deitado no rio. Você diz que o rio Nilo é seu, que você mesmo o fez. 4Mas eu porei um gancho no seu focinho e farei com que os peixes do seu rio fiquem agarrados em você. Então eu o puxarei para fora do rio Nilo, com todos os peixes agarrados em você. 5Eu o jogarei no deserto e todos aqueles peixes também. O seu corpo ficará largado no chão e não será sepultado. Eu o darei às aves e aos animais selvagens como alimento. 6Assim todo o povo do Egito ficará sabendo que eu sou o Senhor.”

O Senhor diz ao Egito:

— Os israelitas se apoiaram em você, mas você foi um bastão fraco.

29.6
Is 36.6
7Quando eles se apoiaram, você quebrou, machucou o ombro deles e fez com que torcessem as costas. 8Por isso, eu, o Senhor Deus, estou lhe dizendo que farei com que homens o ataquem com espadas, e eles matarão a sua gente e os seus animais. 9O Egito vai virar um deserto vazio. Aí você ficará sabendo que eu sou o Senhor.

— Você disse que o rio Nilo é seu e que foi você que o fez, 10e por isso eu estou contra você e contra o seu rio Nilo. Farei com que todo o Egito vire um deserto vazio, desde a cidade de Migdol, no Norte, até a cidade de Assuã, no Sul, e até a fronteira da Etiópia. 11Nenhuma pessoa ou animal passará pelas suas terras. Durante quarenta anos, o Egito ficará sem moradores. 12Farei do Egito o país mais deserto do mundo. Durante quarenta anos, as cidades do Egito ficarão arrasadas, mais arrasadas do que quaisquer outras cidades. Farei com que os egípcios se tornem refugiados. Fugirão para todos os países e viverão no meio de outros povos.

13O Senhor Deus diz:

— Depois desses quarenta anos, trarei os egípcios de volta das nações por onde os espalhei. 14Eu os deixarei viver no Sul do Egito, a região de onde vieram. Ali eles serão um reino pequeno, 15o mais fraco de todos, e nunca mais dominarão outras nações. Eu os diminuirei tanto, que não serão capazes de dominá-las. 16Israel nunca mais dependerá da ajuda deles. O que aconteceu com o Egito fará com que o povo de Israel lembre como estava errado em confiar nos egípcios. Então Israel ficará sabendo que eu sou o Senhor Deus.

Nabucodonosor conquista o Egito

17No ano vigésimo sétimo do nosso cativeiro, no primeiro dia do primeiro mês29.17 Era abril de 571 antes de Cristo., o Senhor falou comigo. Ele disse:

18Homem mortal, escute. Nabucodonosor, rei da Babilônia, atacou a cidade de Tiro29.18 Em 586 antes de Cristo Nabucodonosor começou o cerco de Tiro, que durou treze anos.. Ele obrigou os seus soldados a carregarem tanto peso, que os cabelos deles caíram, e os seus ombros ficaram esfolados. Mas nem o rei nem o seu exército conseguiram nada como pagamento pelos seus esforços.

19— Agora, eu, o Senhor Deus, digo isto: “Darei a terra do Egito ao rei Nabucodonosor. Ele vai pegar toda a riqueza do Egito e vai levá-la como pagamento para o seu exército. 20Eu darei a Nabucodonosor o Egito como pagamento pelos seus serviços, pois o seu exército está trabalhando para mim. Sou eu, o Senhor Deus, quem está falando.”

21— Quando isso acontecer, farei com que o povo de Israel fique forte. E a você, Ezequiel, vou dar licença para falar onde todos possam ouvi-lo, e assim eles ficarão sabendo que eu sou o Senhor.