Nova Tradução na Linguagem de Hoje (2000) (NTLH)
25

Profecia contra Amom

251O Senhor me disse o seguinte:

2Homem mortal, agora fale contra o país de Amom. 3Diga que deem atenção a isto que eu, o Senhor Deus, estou dizendo: “Vocês ficaram contentes quando viram o meu Templo profanado, quando viram a terra de Israel arrasada e o povo de Judá ser levado para o cativeiro. 4Por isso, vou deixar que as tribos do deserto oriental conquistem vocês. Esses povos montarão os seus acampamentos no país de vocês e ficarão morando aí. Eles comerão as frutas e beberão o leite que eram de vocês. 5Transformarei a cidade de Rabá num curral de camelos e toda a terra de Amom num curral de ovelhas, e assim vocês ficarão sabendo que eu sou o Senhor.”

6— O que o Senhor Deus está dizendo é isto: “Vocês, amonitas, bateram palmas e pularam de alegria. Vocês desprezaram a terra de Israel. 7Por isso, eu os entregarei a outras nações para que elas roubem o que vocês têm. Eu os destruirei completamente, de modo que não serão mais uma nação, nem terão mais um país de vocês mesmos. Aí vocês ficarão sabendo que eu sou o Senhor.”

25.1-7
Jr 49.1-6
Ez 21.28-32
Am 1.13-15
Sf 2.8-11

Profecia contra Moabe

8O Senhor Deus disse:

— Moabe disse que Judá é como todas as outras nações, 9e por isso deixarei que as cidades que defendem a fronteira de Moabe sejam atacadas. Entre elas, estarão as mais importantes: Bete-Jesimote, Baal-Meom e Quiriataim. 10Deixarei que as tribos do deserto oriental conquistem Moabe, juntamente com Amom, e assim Moabe não será mais uma nação. 11Castigarei Moabe, e os moabitas ficarão sabendo que eu sou o Senhor.

25.8-11
Is 15.1—16.14
25.10-12
Jr 48.1-47
Am 2.1-3
Sf 2.8-11

Profecia contra Edom

12O Senhor Deus disse:

— O povo de Edom foi cruel na vingança contra Judá, e essa vingança fez com que a culpa de Edom aumentasse muito. 13Agora, anuncio que castigarei Edom e matarei ali todos os homens e animais. O povo será morto na batalha, e eu farei Edom virar um deserto, desde a cidade de Temã até Dedã. 14Por meio do meu povo de Israel, eu me vingarei de Edom; ele fará Edom sentir a fúria da minha ira. Os edomitas saberão o que é sofrer a minha vingança. Eu, o Senhor Deus, falei.

25.12-14
Is 34.5-17
63.1-6
Jr 49.7-22
Ez 35.1-15
Am 1.11-12
Ob 1-14
Ml 1.2-5

Profecia contra a Filisteia

15O Senhor Deus disse:

— Os filisteus foram cruéis na vingança contra os seus antigos inimigos e os destruíram com ódio. 16Agora, eu estou anunciando que atacarei os filisteus e os queretitas e acabarei com eles. Destruirei todos aqueles que forem deixados vivos na planície da Filisteia. 17Eu os castigarei duramente, e a minha vingança será completa. Aí ficarão sabendo que eu sou o Senhor.

25.15-17
Is 14.29-31
Jr 47.1-7
Jl 3.4-8
Am 1.6-8
Sf 2.4-7
Zc 9.5-7

26

Profecia contra Tiro

261No ano décimo primeiro26.1 587 antes de Cristo. do nosso cativeiro, no primeiro dia do mês, o Senhor falou comigo de novo. Ele disse:

26.1—28.19
Is 23.1-18
Jl 3.4-8
Am 1.9-10
Zc 9.1-4
Mt 11.21-22
Lc 10.13-14

2Homem mortal, o povo da cidade de Tiro está se alegrando por causa de uma coisa. Eles estão gritando: “Jerusalém, a nossa rival no comércio, está arrasada! As suas portas se abriram para nós entrarmos, e com a sua derrota nós vamos enriquecer!”

3— Agora, o que eu, o Senhor Deus, estou dizendo é isto: Cidade de Tiro, eu estou contra você. Vou trazer muitas nações para lutarem contra você, e elas virão como as ondas do mar. 4Elas destruirão as muralhas da sua cidade e derrubarão as suas torres. Aí eu varrerei o pó e deixarei a rocha nua. 5Os pescadores estenderão as redes para secarem em cima dela, ali no mar26.5 A cidade de Tiro ficava numa ilha, mais ou menos a um quilômetro do litoral., onde se encontra. Sou eu, o Senhor Deus, quem está falando. As nações vão atacar e roubar Tiro 6e com as suas espadas vão matar aqueles que vivem nas cidades que estão perto, em terra firme. Aí a cidade de Tiro ficará sabendo que eu sou o Senhor.

7O Senhor Deus diz:

— Eu vou trazer da Babilônia o rei Nabucodonosor, o mais poderoso de todos os reis, para atacar Tiro. Ele virá do Norte com um forte exército, com cavalos e carros de guerra e com cavalaria. 8Aqueles que vivem perto, nas cidades que estão em terra firme, serão mortos na batalha. O inimigo cavará trincheiras, fará rampas de ataque e levantará um muro de escudos contra você. 9Com máquinas de lançar pedras, eles derrubarão as suas muralhas e com barras de ferro derrubarão as suas torres. 10Os seus cavalos levantarão nuvens de pó que cobrirão vocês. Quando eles passarem pelos portões da cidade conquistada, o barulho dos cavalos deles puxando carretas e carros de guerra fará tremer as suas muralhas. 11Os cavaleiros deles invadirão as suas ruas, matando o seu povo à espada. As suas fortes colunas serão jogadas no chão. 12Os seus inimigos roubarão as suas riquezas e as suas mercadorias. Derrubarão as suas muralhas e arrasarão as suas casas luxuosas. Eles jogarão no mar as pedras, a madeira e o entulho. 13Acabarei com as suas canções e farei parar a música das suas liras.

26.13
Ap 18.22
14De você só deixarei uma rocha nua, onde os pescadores estenderão as redes para secarem. A cidade nunca mais será reconstruída. Eu, o Senhor Deus, estou falando.

15O Senhor Deus diz isto à cidade de Tiro:

— Quando você for conquistada, o povo que vive no litoral ficará apavorado com os gritos daqueles que forem feridos de morte. 16Todos os reis das nações do litoral descerão dos seus tronos. Tirarão os seus mantos e as suas roupas bordadas e, tremendo de medo, sentarão no chão. Quando virem o que aconteceu com você, eles terão tanto pavor, que ficarão tremendo sem parar. 17Eles cantarão para você este cântico fúnebre:

“A cidade famosa está destruída!

Os seus navios foram varridos dos mares.

O povo desta cidade dominava os mares

e metia medo em todos os que viviam no litoral.

18Agora, no dia em que a cidade caiu,

as ilhas estão tremendo,

e os seus moradores estão apavorados com tanta destruição.”

26.16-18
Ap 18.9-10

19O Senhor Deus diz:

— Farei você virar uma cidade deserta como as cidades arrasadas, onde não mora ninguém. Cobrirei você com as águas profundas do mar. 20Eu a jogarei no mundo dos mortos, onde você estará com gente que morreu há muito tempo. E a abandonarei nesse mundo que fica debaixo da terra, nesse país de ruínas antigas, e você ficará junto com os mortos. Em você, Tiro, nunca mais morará ninguém, e você não voltará a ocupar o seu lugar no mundo dos vivos. 21Farei de você um exemplo horrível, e esse será o seu fim. As pessoas vão procurá-la, mas ninguém a encontrará. Eu, o Senhor Deus, falei.

26.21
Ap 18.21

27

Cântico fúnebre para Tiro

271O Senhor me disse o seguinte:

2Homem mortal, cante um cântico fúnebre para Tiro, 3aquela cidade que fica à beira do mar27.3 ver Ezequiel 26.5, nota. e faz comércio com todos os povos que vivem no litoral. Diga que o Senhor Deus está dizendo isto:

“Tiro, você se orgulhava da sua beleza perfeita.

4O mar é o seu lar.

Os seus construtores a fizeram parecida com um belo navio.

5Na construção, usaram pinho do monte Hermom

e para o mastro usaram um cedro do Líbano.

6Pegaram carvalho de Basã para fazer os remos.

Fizeram o seu convés de pinho de Chipre

e o enfeitaram com marfim.

7As suas velas eram de linho bordado do Egito,

velas reconhecidas de longe.

Os seus toldos eram de tecido fino,

de púrpura da ilha de Chipre.

8Ó Tiro, os seus marinheiros eram os seus próprios homens experientes,

e os seus remadores eram das cidades de Sidom e de Arvade.

9Os carpinteiros do navio eram homens de Biblos,

bem-preparados.

Marinheiros de todos os navios do mar faziam negócios nas suas lojas.”

10— Soldados da Pérsia, Lídia e Líbia serviam no seu exército. Eles penduravam os seus escudos e capacetes nas suas barracas. Eles conquistaram a glória para você. 11Soldados de Arvade ficavam de guarda nas suas muralhas, e homens de Gamade guardavam as suas torres. Eles penduravam os escudos nas suas paredes. Foram estes que fizeram com que você ficasse bonita.

12— Você fazia negócios na Espanha e em troca das suas muitas mercadorias você recebia prata, ferro, estanho e chumbo. 13Você fazia negócios na Grécia, Tubal e Meseque e trocava as suas mercadorias por escravos e objetos de bronze. 14Você trocava as suas mercadorias por cavalos comuns, por cavalos de guerra e por mulas de Bete-Togarma. 15A gente de Rodes negociava com você. Em troca dos seus artigos, moradores de muitas terras do litoral davam a você marfim e madeira de ébano. 16O povo da Síria comprava os seus muitos produtos e as suas mercadorias. Em troca das suas mercadorias, eles davam esmeraldas, tecidos de púrpura, bordados, linho fino, corais e rubis. 17Judá e Israel pagavam as suas mercadorias com trigo de Minite, mel, azeite e especiarias. 18Damasco negociava com você e em troca dos seus muitos produtos dava vinho de Helbom e lã de Saar. 19De Uzal traziam para você vinho, ferro trabalhado e especiarias, que trocavam pelos seus artigos. 20Em troca dos seus produtos, o povo de Dedã oferecia mantas para cavalo. 21Os árabes e as autoridades de Quedar pagavam as suas mercadorias com carneirinhos, carneiros e bodes. 22Em troca das suas mercadorias, os negociantes de Sabá e Ramá davam as mais finas especiarias, pedras preciosas e ouro. 23As cidades de Harã, Cane e Éden, os comerciantes de Sabá, as cidades de Assur e Quilmade — todos faziam negócios com você. 24Eles lhe vendiam roupas de luxo, tecidos de púrpura, bordados, tapetes de várias cores e cordas e cordões bem-trançados. 25As suas mercadorias eram levadas em grupos de grandes navios cargueiros.

“Tiro, você parecia um navio no mar,

carregado com carga pesada.

26Quando os seus remadores levaram você para o mar alto,

o vento leste a fez afundar longe de terra.

27Toda a riqueza da sua mercadoria,

todos os marinheiros da tripulação,

os carpinteiros do navio e os seus comerciantes,

cada soldado que estava no navio —

todos, todos se perderam no mar

quando o navio afundou.

28Os gritos dos marinheiros que se afogavam

foram ouvidos até na praia.

29Todos os navios estão agora abandonados,

e todos os marinheiros foram para terra firme.

30Todos eles choram amargamente por você,

jogando pó na cabeça e rolando nas cinzas

em sinal de tristeza.

31Por sua causa, eles rapam a cabeça

e vestem roupa feita de pano grosseiro,

chorando com o coração amargurado.

32Eles cantam para você esta canção triste:

‘Quem pode se comparar com Tiro,

que agora está em silêncio no meio do mar?

33Quando as suas mercadorias

eram carregadas através dos mares,

você satisfazia a muitas nações.

Com a riqueza dos seus bens,

você enriqueceu os reis da terra.

34Agora, você está no fundo do mar,

está afundada nas profundezas do oceano.

Os seus bens e todos aqueles que trabalhavam para você

desapareceram junto com você no mar.’ ”

35— Todos os moradores do litoral estão apavorados com o que lhe aconteceu. Até os reis estão apavorados, e o medo está escrito na cara deles. 36Você se acabou para sempre, e os comerciantes no mundo inteiro estão apavorados, com medo que aconteça com eles o mesmo que aconteceu com você.

27.25-36
Ap 18.11-19

Utilizamos cookies de acordo com o nossa Política de Privacidade, respeitando todos as suas informações pessoais.[ocultar]