Nova Tradução na Linguagem de Hoje (2000) (NTLH)
15

A parreira inútil

151O Senhor falou comigo. Ele disse:

2Homem mortal, será que se pode comparar uma parreira com uma árvore? O que vale uma parreira em comparação com as árvores da floresta? 3Você pode usá-la para fazer dela algum objeto? Será que a sua madeira serve para fazer um cabide para pendurar coisas? 4Não. Só presta para fazer fogo. E, quando as pontas viraram cinzas, e o meio está queimado, será que ela serve para alguma coisa? 5Não! Antes de ser queimada, essa madeira não prestava para nada. Agora que o fogo a queimou completamente, é mais inútil ainda.

6Pois o Senhor Deus está dizendo isto:

— Como uma parreira é tirada da floresta e queimada, assim tirarei o povo que vive em Jerusalém 7e o castigarei. Eles escaparam do fogo, mas agora o fogo acabará com eles. Quando eu os castigar, vocês ficarão sabendo que eu sou o Senhor. 8Eles têm sido infiéis a mim, e por isso farei o seu país virar um deserto. Eu, o Senhor Deus, falei.

16

Jerusalém, a cidade infiel

161O Senhor falou comigo de novo. Ele disse:

2Homem mortal, mostre a Jerusalém as coisas nojentas que ela tem feito. 3Diga a Jerusalém que o Senhor Deus lhe diz o seguinte:

— Você nasceu na terra de Canaã. O seu pai era amorreu, e a sua mãe era heteia16.3 Os israelitas consideravam os amorreus e heteus como povos idólatras e imorais.. 4Quando você nasceu, ninguém cortou o cordão do seu umbigo, nem lhe deu banho, nem esfregou sal em você, nem a enrolou em panos. 5Ninguém teve dó bastante para lhe fazer qualquer uma dessas coisas. Quando você nasceu, ninguém gostava de você, e até a jogaram no mato.

6— Então passei por perto e vi você rolando no seu próprio sangue. Embora você estivesse coberta de sangue, eu não deixei que morresse. 7Eu a fiz crescer como uma planta sadia. Você cresceu forte e alta e ficou moça. Os seus seios se formaram, e os seus cabelos ficaram compridos, mas você estava nua.

8— Quando passei de novo, vi que havia chegado o tempo de você amar. Então cobri o seu corpo nu com a minha capa16.8 Isso indicava compromisso de noivado. e prometi amar você. Sim! Fiz um contrato de casamento com você, e você se tornou minha. Sou eu, o Senhor Deus, quem está falando.

9— Eu a lavei com água e limpei o sangue que a cobria. Passei azeite na sua pele. 10Eu a vesti com roupas bordadas e lhe dei sapatos do melhor couro, um turbante de linho e uma capa de seda. 11Eu a enfeitei com joias — pulseiras e colares. 12Dei uma argola para o seu nariz, brincos para as suas orelhas e uma linda coroa para a sua cabeça. 13As suas joias eram de ouro e prata, e você sempre usou vestidos bordados, de linho e de seda. Você comeu pão feito da melhor farinha e tinha mel e azeite à vontade. Você era muito bonita e chegou a ser rainha. 14Em todas as nações falavam da sua beleza perfeita porque fui eu que a fiz assim tão linda. Sou eu, o Senhor Deus, quem está falando.

15— Mas você se aproveitou da sua beleza e da sua fama para dormir com qualquer um que passava16.15 Referência à adoração de ídolos.. 16Usou os seus vestidos para enfeitar os seus lugares de adoração e ali você se entregava a qualquer um, como uma prostituta. 17Você pegou as joias de prata e de ouro que eu lhe tinha dado e com elas fez imagens de seres humanos; você foi infiel a mim, adorando essas imagens. 18Você pegou os vestidos bordados que lhe dei e com eles vestiu as imagens e ofereceu a elas o azeite e o incenso que eu lhe tinha dado. 19Eu lhe dei comida: a melhor farinha, azeite e mel, mas você ofereceu tudo isso como sacrifício para agradar os ídolos. Sou eu, o Senhor Deus, quem está falando.

20— Depois, você pegou os nossos filhos e as nossas filhas e os ofereceu como sacrifício aos ídolos. Será que não bastou que você tivesse sido infiel a mim? 21Será que ainda precisou matar os meus filhos e oferecê-los em sacrifício aos ídolos? 22Durante a sua vida miserável de prostituta, nem uma vez você lembrou da sua juventude, quando estava nua, rolando no seu próprio sangue.

Jerusalém, a prostituta

23O Senhor Deus disse:

— Ai de você! Sim! Ai de você! Depois de ter feito todo esse mal, 24você ainda construiu altares em todas as estradas para ali adorar ídolos e praticar a prostituição. 25Você arrastou a sua beleza pela lama. E se ofereceu a todos os que passavam e se afundou cada vez mais na prostituição e na adoração de ídolos. 26Você convidou os egípcios, seus vizinhos imorais, para que fossem para a cama com você, e por isso me deixou irado.

27— Portanto, agora eu levantei a mão para castigá-la e para tirar a parte que você tinha na minha bênção. Eu a entreguei aos filisteus, que a odeiam e que estão com nojo das ações imorais que você tem praticado.

28— Não satisfeita com tudo isso, você correu atrás dos assírios. Você foi prostituta deles, mas eles também não a deixaram satisfeita. 29Depois, você serviu de prostituta para os babilônios, aquela nação de comerciantes, mas eles também não a deixaram satisfeita.

30O Senhor Deus diz o seguinte:

— Você fez tudo isso como uma prostituta sem-vergonha. 31Em todas as ruas, você construiu altares para ali adorar ídolos e praticar a prostituição. Mas você não faz isso por dinheiro, como uma prostituta qualquer. 32Você é como a mulher que, em vez de amar o seu marido, comete adultério com estranhos. 33A prostituta é paga, mas você deu presentes a todos os seus amantes e ainda lhes ofereceu lembranças para que viessem de todas as partes dormir com você. 34Você é uma prostituta diferente. Ninguém a obrigou a se tornar prostituta. Você não recebe nada, mas paga! Sim! Você é diferente!

A condenação de Jerusalém

35Por isso, agora, você, prostituta, escute o que o Senhor Deus diz. 36E o que ele diz é isto:

— Você tirou a roupa, e como prostituta se entregou aos seus amantes e a todos os seus ídolos vergonhosos, e matou os seus filhos em sacrifício aos ídolos. 37Por causa disso, eu vou reunir todos os seus antigos amantes, tanto os que você apreciava como os que detestava. Eu os colocarei ao seu redor, em círculo; então arrancarei a sua roupa, e eles verão você nua. 38Eu a condenarei por adultério e assassinato e na minha ira e furor vou castigá-la com a morte. 39Vou entregá-la a eles, e eles derrubarão os altares onde você se entregava à prostituição e onde adorava ídolos. Eles levarão as suas roupas e as suas joias e a deixarão completamente nua.

40— Eles vão atiçar a multidão para apedrejá-la e com as suas espadas cortarão você em pedaços. 41Eles destruirão com fogo as suas casas e deixarão que muitas mulheres vejam o seu castigo. Farei com que você deixe de ser prostituta, farei com que deixe de dar presentes aos seus amantes. 42Aí o meu furor passará, e eu me acalmarei. Não ficarei mais irado, nem terei ciúmes. 43Você esqueceu como eu a tratei quando era moça e me deixou irado com todas as coisas que fez. Foi por isso que a fiz pagar por tudo. Por que é que, além de todas as coisas nojentas que você fez, ainda foi imoral? Eu, o Senhor Deus, falei.

Tal mãe, tal filha

44O Senhor Deus diz o seguinte:

— Jerusalém, os outros usarão este provérbio a respeito de você: “Tal mãe, tal filha.”

45— De fato, você é a filha da sua mãe. Ela detestava o marido e os filhos. Você é como as suas irmãs, que odiavam os seus maridos e os seus filhos. Você e as cidades que são suas irmãs tiveram mãe heteia e pai amorreu16.45 Ver Ez 16.3, nota..

46— A sua irmã mais velha é Samaria, no Norte, com os povoados que ficam ao seu redor. A sua irmã mais moça, com os seus povoados, é Sodoma, no Sul. 47Por acaso, você se contentou em seguir os passos delas e em imitar as coisas nojentas que elas fizeram? Não! Em pouco tempo, você se tornou mais imoral do que elas em tudo o que fazia.

48— Jerusalém, juro pela minha vida — diz o Senhor Deus — que a sua irmã Sodoma e os povoados que ficam ao seu redor nunca pecaram tanto quanto você e os seus povoados. 49Sodoma e as suas filhas eram orgulhosas porque tinham muita comida e viviam no conforto, sem fazer nada; porém não cuidaram dos pobres e dos necessitados. 50Elas foram orgulhosas e teimosas e fizeram as coisas que eu detesto; por isso, eu as destruí, como você sabe muito bem.

51— Samaria não cometeu a metade dos pecados que você, Jerusalém, cometeu. Você fez coisas ainda mais vergonhosas do que as suas irmãs Sodoma e Samaria fizeram. Elas até parecem inocentes quando a sua corrupção, Jerusalém, é comparada com a delas. 52E agora você terá de suportar a sua desgraça. Os seus pecados são mais graves do que os das suas irmãs, tanto que elas até são inocentes em comparação com você. Agora, Jerusalém, fique envergonhada e aguente a sua humilhação, pois você faz com que as suas irmãs pareçam puras.

Sodoma e Samaria voltam a ser o que eram

53O Senhor Deus disse a Jerusalém:

— Vou trazer progresso de novo para as suas irmãs: para Sodoma e os povoados que ficam ao seu redor e para Samaria e os seus povoados. E vou fazer com que você também prospere. 54Você terá vergonha de você mesma, e a sua desgraça mostrará às suas irmãs que elas estão em muito boas condições. 55De novo haverá progresso para elas, e você e os seus povoados também serão reconstruídos. 56No seu orgulho, você zombou de Sodoma, 57antes de ser descoberto o mal que você fazia. Agora, você se tornou igual a Sodoma: zombam de você os edomitas, os filisteus e os seus outros vizinhos que a odeiam. 58Você precisa sofrer pelas coisas imorais e vergonhosas que fez. Eu, o Senhor, falei.

Uma aliança para sempre

59O Senhor Deus diz:

— Jerusalém, eu a tratarei como merece, pois você quebrou as suas promessas e não respeitou a aliança. 60Mas eu manterei a aliança que fiz com você na sua mocidade e farei com você uma aliança que durará para sempre. 61Você lembrará do que fez e ficará envergonhada de receber de volta a sua irmã mais velha e a sua irmã mais moça. Eu as darei a você como se fossem filhas, embora isso não fizesse parte da nossa aliança. 62Renovarei a aliança que fiz com você, e você ficará sabendo que eu sou o Senhor. 63Eu perdoarei todas as coisas más que você fez, porém você lembrará delas e ficará envergonhada demais para dizer qualquer coisa. Eu, o Senhor Deus, falei.

17

A comparação da parreira e das águias

171O Senhor me disse o seguinte:

2Homem mortal, faça para os israelitas uma comparação 3para que saibam o que eu, o Senhor Deus, estou dizendo. Era uma vez uma águia gigantesca17.3 O rei Nabucodonosor, da Babilônia., de asas enormes, bem abertas, toda coberta de lindas penas. Ela voou para os montes Líbanos17.3 O país de Israel. e quebrou a ponta de um cedro17.3 O rei Joaquim, de Judá.. 4Ela levou essa ponta para uma terra de negociantes17.4 A Babilônia. e a deixou numa cidade de vendedores17.4 Babilônia.. 5Aí ela pegou na terra de Israel a muda de uma planta17.5 O rei Zedequias, de Judá. e a plantou numa terra boa, onde sempre havia água para fazê-la crescer. 6A planta cresceu e se tornou uma parreira baixa, mas esparramada. Os galhos se viraram para o lado da águia, e as raízes cresceram bem fundas. A parreira tinha galhos e estava coberta de folhas.

7— Havia outra águia gigantesca17.7 O rei do Egito., de asas enormes e muitas penas. A parreira virou as suas raízes e os seus galhos na direção da águia17.7 Na luta contra a Babilônia, Zedequias procurou a ajuda do Egito., esperando que ela lhe desse mais água do que havia no pomar onde estava plantada. 8Mas a parreira tinha sido plantada em terra boa e bem-regada, para que fosse uma ótima planta, coberta de folhas, e que produzisse uvas.

9— Agora, eu, o Senhor Deus, pergunto: “Será que essa parreira vai crescer? Será que a primeira águia não vai arrancá-la pelas raízes, apanhar as uvas e quebrar os ramos, deixando-os secar? Não será necessária muita força nem uma nação poderosa para arrancá-la. 10Sim! Ela está plantada, mas será que vai crescer? Será que não vai secar quando o vento leste a castigar? Será que não vai secar no pomar onde está plantada?”

A comparação é explicada

11E o Senhor me disse:

12— Pergunte a esses rebeldes se entenderam o que essa comparação quer dizer. Diga-lhes que o rei da Babilônia17.12 Nabucodonosor. veio a Jerusalém, pegou o rei17.12 Joaquim, rei de Judá. e os seus oficiais e os levou para a Babilônia. 13Ele escolheu um homem da família do rei17.13 Zedequias, tio de Joaquim. Nabucodonosor pôs Zedequias como rei de Judá (2Rs 24.17)., fez um tratado com ele e o obrigou a jurar que lhe seria fiel. O rei da Babilônia também levou os homens importantes 14para evitar que a nação se levantasse outra vez e para ter certeza de que o tratado seria cumprido. 15Mas o rei de Judá17.15 Zedequias. se revoltou e enviou mensageiros ao Egito para conseguirem cavalos e um exército numeroso. Será que isso vai dar certo? E quem faz uma coisa dessas, será que vai escapar? Será que pode quebrar o tratado e escapar do castigo?

17.12-15
2Rs 24.15-20
2Cr 36.10-13

16— Juro pela minha vida — diz o Senhor Deus — que esse rei morrerá na Babilônia, pois quebrou o juramento e o tratado que havia feito com o rei da Babilônia, que o pôs no trono. 17Nem o poderoso exército do rei do Egito seria capaz de ajudá-lo na guerra, quando os babilônios construírem rampas e torres de ataque a fim de matar muita gente. 18Ele quebrou o juramento e o tratado que havia feito. E, porque fez todas essas coisas, não escapará.

19O Senhor Deus diz:

— Juro pela minha vida que eu castigarei o rei por ter quebrado o tratado que pelo meu nome ele jurou guardar. 20Estenderei uma rede de caçador e o pegarei nela. Eu o levarei à Babilônia e o castigarei ali, pois ele foi infiel a mim. 21Os seus melhores soldados serão mortos em batalha, e os que ficarem vivos serão espalhados em todas as direções. Aí vocês ficarão sabendo que eu, o Senhor, falei.

Uma promessa de esperança

22O Senhor Deus diz isto:

“Tirarei a ponta de um cedro alto17.22 Um descendente de Davi.;

cortarei um broto novo

e o plantarei num monte elevado,

23no monte mais alto de Israel17.23 O monte Sião, em Jerusalém..

Ele soltará galhos,

produzirá sementes

e se tornará um cedro muito lindo.

Pássaros de todo tipo viverão ali

e acharão abrigo na sua sombra.

24Todas as árvores dos campos ficarão sabendo

que eu sou o Senhor.

Eu derrubo as árvores altas

e faço as árvores pequenas crescerem.

Eu seco as árvores verdes

e faço com que as árvores secas fiquem verdes de novo.

— Eu, o Senhor, falei; eu cumprirei o que prometi.”