Nova Tradução na Linguagem de Hoje (2000) (NTLH)
12

A Páscoa

121O Senhor Deus falou com Moisés e Arão no Egito. Ele disse:

2— Este mês será para vocês o primeiro mês do ano. 3Diga a todo o povo israelita o seguinte: no dia dez deste mês cada pai de família escolherá um carneirinho ou um cabrito para a sua família, isto é, um animal para cada casa. 4Se a família for pequena demais para comer o animal inteiro, então o dono da casa e o seu vizinho mais próximo o comerão juntos, repartindo-o de acordo com o número de pessoas e a quantidade que cada um puder comer. 5O animal deverá ser um carneirinho ou um cabrito sem defeito, de um ano. 6Vocês o guardarão até o dia catorze deste mês, e na tarde desse dia todo o povo israelita matará os animais. 7Pegarão um pouco do sangue e o passarão nos batentes dos lados e de cima das portas das casas onde os animais vão ser comidos. 8Nessa noite a carne deverá ser assada na brasa e comida com pães sem fermento e com ervas amargas. 9A carne não deverá ser comida crua nem cozida; o animal inteiro, incluindo a cabeça, as pernas e os miúdos, será assado na brasa. 10Não deixem nada para o dia seguinte e queimem o que sobrar. 11Já vestidos, calçados e segurando o bastão, comam depressa o animal. Esta é a Páscoa de Deus, o Senhor.

12— Nessa noite eu passarei pela terra do Egito e matarei todos os primeiros filhos, tanto das pessoas como dos animais. E castigarei todos os deuses do Egito. Eu sou o Senhor. 13O sangue nos batentes das portas será um sinal para marcar as casas onde vocês moram. Quando estiver castigando o Egito, eu verei o sangue e então passarei por vocês sem parar, para que não sejam destruídos por essa praga.

12.1-13
Lv 23.5
Nm 9.1-5
28.16
Dt 16.1-2
14Comemorem esse dia como festa religiosa para lembrar que eu, o Senhor, fiz isso. Vocês e os seus descendentes devem comemorar a Festa da Páscoa para sempre.

A Festa dos Pães sem Fermento

15— Durante sete dias vocês comerão pão sem fermento. Por isso, no primeiro dia tirem o fermento das suas casas. Pois qualquer pessoa que comer pão feito com fermento, desde o primeiro até o sétimo dia, será expulsa do meio do povo de Israel. 16No primeiro dia e também no sétimo, façam uma reunião para adorar a Deus. Nenhum trabalho será feito nesses dias, a não ser para preparar comida. 17Comemorem a Festa dos Pães sem Fermento no aniversário do dia em que eu tirei do Egito as tribos do povo de Israel. Essa comemoração será uma lei permanente, que passará de pais a filhos. 18Desde a tarde do dia catorze do primeiro mês até a tarde do dia vinte e um do mesmo mês, o pão que vocês comerem será feito sem fermento. 19Durante esses sete dias não haverá fermento nas suas casas, pois quem comer pão com fermento, seja um estrangeiro que estiver vivendo no país, seja um israelita, será expulso do meio do povo de Israel. 20Portanto, nesses dias não comam nada que tenha fermento. Em todas as suas casas só será comido pão sem fermento.

12.14-20
Êx 23.15
34.18
Lv 23.6-8
Nm 28.17-25
Dt 16.3-8

A primeira Páscoa

21Moisés mandou chamar todos os líderes do povo e disse:

— Escolham carneiros ou cabritos e os matem para que todas as famílias israelitas possam comemorar a Páscoa. 22Peguem um galho de hissopo e o molhem no sangue que estiver na bacia e passem nos batentes dos lados e de cima da porta das suas casas. E que ninguém saia de casa durante toda a noite. 23Quando o Senhor passar para matar os egípcios, verá o sangue ali nos batentes e não deixará que o Anjo da Morte entre nas suas casas para matá-los.

12.23
Hb 11.28
24Vocês e os seus descendentes devem obedecer a essa ordem para sempre. 25Quando entrarem na terra que o Senhor lhes dará, como prometeu, vocês deverão continuar realizando essa cerimônia religiosa. 26Quando os seus filhos perguntarem: “O que quer dizer essa cerimônia?”, 27vocês responderão: “É o sacrifício da Páscoa em honra do Senhor Deus, pois no Egito ele passou pelas casas dos israelitas e não parou. O Senhor matou os egípcios, mas não matou as nossas famílias.”

Então os israelitas se ajoelharam e adoraram a Deus, o Senhor. 28Depois foram e fizeram tudo o que ele havia ordenado a Moisés e Arão.

A décima praga: a morte dos primeiros filhos dos egípcios

29À meia-noite, o Senhor Deus matou os filhos mais velhos de todas as famílias do Egito, desde o filho do rei, que era o herdeiro do trono, até o filho do prisioneiro que estava na cadeia; e matou também a primeira cria dos animais.

12.29
Êx 4.22-23
30Naquela noite o rei, os seus funcionários e todos os outros egípcios saíram da cama. É que em todo o Egito havia gente chorando e gritando, pois em todas as casas havia um filho morto. 31Nessa mesma noite o rei mandou chamar Moisés e Arão e lhes disse:

— Saiam daqui, vocês e todos os outros israelitas! Deixem o meu país. Vão adorar a Deus, o Senhor, como vocês pediram. 32Peguem as suas ovelhas e cabras e o seu gado e vão embora. E peçam a Deus que me abençoe.

33Os egípcios insistiram com os israelitas para que saíssem do país o mais depressa possível. Eles diziam:

— Se vocês não saírem, todos nós morreremos!

34Assim, cada família israelita pegou a massa de pão sem fermento, pôs numa bacia, embrulhou a bacia num pano e carregou no ombro. 35Os israelitas fizeram como Moisés havia ordenado e pediram aos egípcios joias de prata e de ouro e roupas. 36O Senhor Deus fez com que os egípcios dessem de boa vontade aos israelitas tudo o que eles pediam. Assim o povo de Israel tomou as riquezas dos egípcios.

12.35-36
Êx 3.21-22

Os israelitas saem do Egito

37Os israelitas saíram a pé de Ramessés e foram para Sucote. Eram mais ou menos seiscentos mil homens, sem contar as mulheres, as crianças e os velhos. 38Com eles foram muitas outras pessoas, e também muitas ovelhas e cabras, e muito gado. 39Os israelitas fizeram pão sem fermento com a massa que haviam levado do Egito, pois os egípcios os haviam expulsado do país tão de repente, que eles não tinham tido tempo de preparar comida, nem de preparar massa com fermento. 40Os israelitas tinham vivido no Egito quatrocentos e trinta anos.

12.40
Gn 15.13
Gl 3.17
41No dia em que terminaram os quatrocentos e trinta anos, todas as tribos do povo de Deus, o Senhor, saíram do Egito. 42Essa foi a noite em que o Senhor ficou vigiando para tirá-los do Egito. Ela é dedicada ao Senhor para sempre, como a noite que deverá ser comemorada por todos os israelitas.

As leis a respeito da Páscoa

43O Senhor Deus disse a Moisés e a Arão:

— Esta é a lei para a Páscoa: nenhum estrangeiro poderá comer a refeição da Páscoa. 44Porém todo escravo comprado poderá comer dela depois de ser circuncidado. 45Os estrangeiros, tanto os que estiverem de passagem como os que estiverem vivendo no país, vivendo de salário, não poderão tomar essa refeição. 46Ela deverá ser comida na casa onde foi preparada: não será tirada dali. E não quebrem nenhum osso do animal.

12.46
Nm 9.12
Jo 19.36
47Todo o povo de Israel deve comemorar essa festa religiosa. 48Não poderão tomar parte nela os homens que não tiverem sido circuncidados. Porém, se algum estrangeiro estiver morando com vocês e quiser comemorar a Páscoa em honra do Senhor, vocês deverão primeiro circuncidá-lo e também todos os outros homens e meninos da sua família. Depois ele poderá tomar parte na comemoração e será como se fosse uma pessoa nascida em Israel. 49A mesma lei será para os israelitas nascidos no país e para os estrangeiros que vivem entre vocês.

50Todos os israelitas obedeceram e fizeram o que o Senhor havia ordenado a Moisés e a Arão. 51Naquele dia o Senhor tirou do Egito as tribos do povo de Israel.

13

O primeiro filho é separado para Deus

131O Senhor Deus disse a Moisés:

2— Separe para mim todo primeiro filho. Todo primeiro filho homem dos israelitas e todo primeiro filhote macho dos animais domésticos são meus.

13.2
Nm 3.13
Lc 2.23

A Festa dos Pães sem Fermento

3Moisés disse ao povo:

— Lembrem deste dia, o dia em que vocês saíram do Egito, onde eram escravos. Este é o dia em que o Senhor os tirou de lá pelo seu grande poder. Portanto, não comam pão feito com fermento. 4Vocês estão saindo do Egito neste dia, no primeiro mês, o mês de abibe. 5O Senhor jurou aos seus antepassados que daria a vocês a terra dos cananeus, dos heteus, dos amorreus, dos heveus e dos jebuseus. É uma terra boa e rica. Quando ele os levar para aquela terra, vocês deverão comemorar essa festa religiosa no primeiro mês de cada ano. 6Durante sete dias vocês comerão pão sem fermento; e no sétimo dia haverá uma festa religiosa em honra do Senhor. 7Nesses sete dias vocês comerão pão sem fermento. Em toda a sua terra não deverá haver fermento, nem pão feito com fermento. 8Nesse dia vocês contarão aos seus filhos que estão fazendo isso por causa daquilo que o Senhor fez por vocês quando saíram do Egito. 9Essa festa será como um sinal para vocês, como se fosse uma coisa amarrada na mão ou na testa, e os ajudará a lembrarem de recitar e de estudar a lei de Deus, o Senhor; pois com grande poder ele os tirou do Egito. 10Portanto, comemorem essa festa religiosa no dia certo, todos os anos.

O primeiro filho

11— O Senhor Deus fará com que vocês entrem na terra dos cananeus, conforme ele jurou a vocês e aos seus antepassados. Quando ele lhes der essa terra, 12vocês darão ao Senhor todo primeiro filho homem. Todo primeiro filhote macho também pertencerá a ele.

13.12
Êx 34.19-20
Lc 2.23
13Mas, se quiserem ficar com o primeiro filhote macho de uma jumenta, ofereçam a Deus um carneiro; se não quiserem, quebrem o pescoço do jumentinho. Fiquem com todo primeiro filho homem de vocês, pagando por ele o preço determinado13.13 Ver Nm 18.15-16.. 14No futuro, quando os seus filhos perguntarem o que isso quer dizer, vocês responderão: “Com grande poder o Senhor nos tirou do Egito, onde éramos escravos. 15Quando o rei do Egito teimou em não nos deixar sair, o Senhor matou todos os primeiros filhos no Egito, tanto das pessoas como dos animais. É por isso que oferecemos ao Senhor em sacrifício todo primeiro filhote macho. Mas pagamos o preço determinado para ficar com os nossos primeiros filhos. 16Isso será como uma lembrança, como alguma coisa amarrada nas mãos ou na testa. E nos fará lembrar que com o seu grande poder o Senhor nos tirou do Egito.”

A coluna de nuvem e a coluna de fogo

17Quando o rei deixou que o povo israelita saísse do Egito, Deus não os levou pelo caminho que vai pelo país dos filisteus, embora fosse o mais curto. Deus pensou assim: “Não quero que os israelitas mudem de ideia e voltem para o Egito, quando virem que terão de guerrear.” 18Por isso Deus fez com que o povo desse uma volta pelo caminho do deserto, na direção do mar Vermelho. Os israelitas saíram do Egito armados para guerrear. 19Moisés levou o corpo de José, pois José havia feito os israelitas jurarem que fariam isso. Ele tinha dito: “Quando Deus os libertar, levem daqui o meu corpo.”

13.19
Gn 50.25
Js 24.32

20Os israelitas saíram de Sucote e acamparam em Etã, onde começa o deserto. 21Durante o dia o Senhor ia na frente deles numa coluna de nuvem, para lhes mostrar o caminho. Durante a noite ele ia na frente deles numa coluna de fogo, para iluminar o caminho, a fim de que pudessem andar de dia e de noite. 22A coluna de nuvem sempre ia adiante deles durante o dia, e a coluna de fogo ia durante a noite.

14

Os israelitas atravessam o mar Vermelho

141O Senhor Deus disse a Moisés:

2— Diga aos israelitas que voltem e acampem em frente de Pi-Hairote, entre Migdol e o mar Vermelho, perto de Baal-Zefom. 3Assim o rei do Egito vai pensar que os israelitas estão andando sem rumo, perdidos no deserto. 4Eu farei com que o rei continue teimoso e persiga vocês. Então eu derrotarei o rei e o seu exército, mostrando assim o meu poder. E os egípcios ficarão sabendo que eu sou Deus, o Senhor.

E os israelitas obedeceram.

5Quando contaram ao rei do Egito que os israelitas tinham fugido, ele e os seus funcionários mudaram de ideia e disseram:

— Vejam só o que fizemos! Deixamos que os nossos escravos, os israelitas, fugissem de nós!

6Então o rei mandou preparar o seu carro de guerra e o seu exército. 7Ele saiu com todos os carros de guerra, incluindo os seiscentos melhores, que eram comandados pelos seus oficiais. 8O Senhor fez com que Faraó, rei do Egito, continuasse teimando, e ele foi atrás dos israelitas, que estavam saindo de maneira vitoriosa. 9Os egípcios, com todos os seus cavalos, carros de guerra e cavaleiros, saíram atrás dos israelitas e os alcançaram onde eles estavam acampados, na beira do mar Vermelho, perto de Pi-Hairote e de Baal-Zefom.

10Quando os israelitas viram o rei e o seu exército marchando contra eles, ficaram apavorados e gritaram pedindo a ajuda de Deus, o Senhor. 11E disseram a Moisés:

— Será que não havia sepulturas no Egito? Por que você nos trouxe para morrermos aqui no deserto? Veja só o que você fez, nos tirando do Egito! 12O que foi que lhe dissemos no Egito? Pedimos que nos deixasse em paz, trabalhando como escravos para os egípcios. Pois é melhor ser escravo dos egípcios do que morrer aqui no deserto!

13Porém Moisés respondeu:

— Não tenham medo. Fiquem firmes e vocês verão que o Senhor vai salvá-los hoje. Nunca mais vocês vão ver esses egípcios. 14Vocês não terão de fazer nada: o Senhor lutará por vocês.

15O Senhor disse a Moisés:

— Por que você está me pedindo ajuda? Diga ao povo que marche. 16Levante o bastão e o estenda sobre o mar. A água se dividirá, e os israelitas poderão passar em terra seca, pelo meio do mar. 17Eu farei com que os egípcios fiquem ainda mais teimosos, e eles entrarão no mar atrás dos israelitas. E eu ficarei famoso quando derrotar o rei do Egito, todo o seu exército, os seus carros de guerra e os seus cavaleiros. 18Quando eu derrotar os egípcios, eles saberão que eu sou Deus, o Senhor.

19Então o Anjo de Deus, que ia na frente dos israelitas, mudou de lugar e passou para trás. Também a coluna de nuvem saiu da frente deles e foi para trás, 20ficando entre os egípcios e os israelitas. A nuvem era escura para os egípcios, porém iluminava o povo de Israel. Assim, durante a noite inteira, o exército egípcio não conseguiu chegar perto dos israelitas.

21Moisés estendeu a mão sobre o mar, e Deus, o Senhor, com um vento leste muito forte, fez com que o mar recuasse. O vento soprou a noite inteira e fez o mar virar terra seca. As águas foram divididas, 22e os israelitas passaram pelo mar em terra seca, com muralhas de água nos dois lados.

14.22
1Co 10.1-2
Hb 11.29
23Os egípcios os perseguiram e foram atrás deles até o meio do mar com todos os seus cavalos, carros de guerra e cavaleiros. 24Logo antes de amanhecer, da coluna de fogo e de nuvem o Senhor olhou para o exército dos egípcios e fez com que eles ficassem apavorados. 25Os carros de guerra andavam com grande dificuldade, pois Deus fez com que as rodas ficassem atoladas. Então os egípcios disseram:

— Vamos fugir dos israelitas! O Senhor está lutando a favor deles e contra nós.

26Então o Senhor Deus disse a Moisés:

— Estenda a mão sobre o mar para que as águas voltem e cubram os egípcios, os seus carros de guerra e os seus cavaleiros.

27Moisés estendeu a mão sobre o mar, e, quando amanheceu, o mar voltou ao normal. Os egípcios tentaram escapar das águas, porém o Senhor os jogou dentro do mar. 28As águas voltaram e cobriram os carros de guerra, os cavaleiros e todo o exército egípcio que havia perseguido os israelitas no mar. E não sobrou nenhum egípcio com vida. 29Mas os israelitas atravessaram o mar em terra seca, com muralhas de água nos dois lados.

30Naquele dia o Senhor salvou o povo de Israel dos egípcios, e os israelitas os viram mortos na praia. 31Quando viram o poder com que o Senhor havia derrotado os egípcios, os israelitas o temeram. E creram em Deus, o Senhor, e no seu servo Moisés.

Utilizamos cookies de acordo com o nossa Política de Privacidade, respeitando todos as suas informações pessoais.[ocultar]