Nova Tradução na Linguagem de Hoje (2000) (NTLH)
7

A visão dos gafanhotos

71O Senhor Deus me mostrou numa visão o seguinte: eu vi Deus criar uma praga de gafanhotos. Isso aconteceu quando já começava a crescer o capim que brota depois da colheita que pertence ao rei. 2Quando os gafanhotos acabaram de comer todas as plantas, eu disse a Deus, o Senhor:

— Eu te peço, ó Deus, que nos perdoes. O teu povo é fraco; como poderemos resistir?

3Então ele mudou de ideia e respondeu:

— O que você viu não acontecerá.

A visão do fogo

4O Senhor Deus me mostrou numa visão outra coisa: eu vi que ele estava pronto para castigar o seu povo com fogo. O fogo secou o grande mar que fica debaixo da terra7.4 Referência ao mar subterrâneo de onde, segundo Gn 7.11, brotou grande parte das águas do dilúvio. e estava acabando com as plantações. 5Aí eu disse a Deus, o Senhor:

— Ó Deus, para! O teu povo é fraco; como poderemos resistir?

6Então ele mudou de ideia e respondeu:

— Isso também não acontecerá.

A visão do prumo

7O Senhor me mostrou numa visão isto também: ele estava perto de um muro construído direito, a prumo, e tinha um prumo7.7 Instrumento composto de um pedaço de metal suspenso por um cordão, usado para se levantar um muro na direção vertical. na mão. 8Ele me perguntou:

— Amós, o que é que você está vendo?

— Um prumo! — respondi.

Então ele me disse:

— Eu vou mostrar que o meu povo não anda direito: é como um muro torto, construído fora de prumo. E nunca mais vou perdoar o meu povo. 9Todos os templos e os outros lugares de adoração da terra de Israel serão destruídos, e eu vou acabar com o rei Jeroboão e com os seus descendentes.

Amós e Amazias

10Amazias, o sacerdote de Betel, mandou o seguinte recado a Jeroboão, o rei de Israel:

— Amós está planejando uma revolta contra o senhor no meio do povo. O que ele está dizendo põe o país em perigo. 11Ele anda falando assim: “Jeroboão morrerá numa guerra, e o povo de Israel será levado como prisioneiro para fora do seu país.”

12Depois Amazias disse a Amós:

— Fora daqui, seu profeta! Volte para a sua terra de Judá e ganhe a vida por lá com as suas profecias. 13Pare de profetizar aqui em Betel, pois este é o santuário onde o rei adora, este é o templo principal do país.

14Amós respondeu:

— Não sou profeta por profissão; não ganho a vida profetizando. Sou pastor de ovelhas e também cuido de figueiras. 15Mas o Senhor Deus mandou que eu deixasse os meus rebanhos e viesse anunciar a sua mensagem ao povo de Israel. 16Portanto, escute a mensagem de Deus, o Senhor. Você, Amazias, diz que eu não devo continuar profetizando contra o povo de Israel. 17Mas o Senhor diz a você: “A sua mulher virará prostituta aqui na cidade, e os seus filhos e as suas filhas morrerão na guerra. O seu país será dividido entre outros países, e você morrerá numa terra pagã. E o povo de Israel vai ser levado como prisioneiro para fora da sua terra.”

8

A visão da cesta de frutas

81O Senhor Deus me mostrou numa visão o seguinte: estava ali uma cesta cheia de frutas maduras. 2Ele me perguntou:

— Amós, o que é que você está vendo?

— Uma cesta cheia de frutas maduras! — respondi.

Então ele me disse:

— Chegou o fim8.2 Em hebraico “fim” soa parecido com a palavra que quer dizer “frutas maduras”. para o povo de Israel, que está maduro, pronto para ser arrancado como uma fruta madura. Nunca mais vou mudar de ideia e perdoá-los. 3Naquele dia, em vez de canções haverá lamentações no palácio. Haverá tantos mortos, que os corpos serão jogados em qualquer lugar. Silêncio! Eu, o Senhor, estou falando.

A condenação de Israel

4Escutem, vocês que maltratam os necessitados e exploram os humildes aqui neste país. 5Vocês dizem: “Quem dera que a Festa da Lua Nova já tivesse terminado para que pudéssemos voltar a vender os cereais! Como seria bom se o sábado já tivesse passado! Aí começaríamos a vender trigo de novo, cobrando preços bem altos, usando pesos e medidas falsos 6e vendendo trigo que não presta. Os pobres não terão dinheiro para pagar as suas dívidas, nem mesmo os que tomaram dinheiro emprestado para comprar um par de sandálias. Assim eles se venderão a nós e serão nossos escravos!”

7Portanto, o Senhor, o Deus a quem o povo de Israel louva, faz este juramento:

— Nunca esquecerei aquilo que o meu povo tem feito. 8Por causa disso, a terra tremerá, e todos os seus moradores chorarão de tristeza. A terra subirá e baixará como as águas do rio Nilo. 9Naquele dia, farei o sol se pôr ao meio-dia, e em pleno dia a terra ficará coberta de escuridão. Sou eu, o Senhor, quem está falando. 10Transformarei as suas festas em velórios; vocês vão chorar em vez de cantar. Em sinal de luto, vocês vestirão roupa feita de pano grosseiro e raparão a cabeça. Vocês serão como pais chorando a morte do filho único. E tudo terminará em amargura.

11— Está chegando o dia em que mandarei fome pelo país inteiro. Todos ficarão com fome, mas não por falta de comida, e com sede, mas não por falta de água. Todos terão fome e sede de ouvir a mensagem de Deus, o Senhor. 12Correrão do mar Morto até o mar Mediterrâneo, irão pelas regiões do Norte e do Leste do país, procurando a mensagem de Deus, o Senhor, mas não a encontrarão. 13Naquele dia, até moços e moças fortes desmaiarão de sede. 14Os que juram pelos ídolos de Samaria, os que dizem: “Eu juro pelo deus de Dã” ou: “Eu juro pelo deus de Berseba” — todos eles cairão e nunca mais se levantarão. Eu, o Senhor, estou falando.

9

A visão da queda do templo de Betel

91Eu vi o Senhor perto do altar9.1 Provavelmente o altar do templo construído em Betel (ver Am 5.5-6; 7.13).. Ele disse9.1 O texto não diz se Deus está falando com o profeta ou com um anjo.:

— Dê pancadas nas colunas do templo até que o edifício todo comece a tremer. Deixe cair pedaços das colunas nas cabeças das pessoas que estão lá dentro. Os que escaparem com vida eu matarei na guerra; nenhum deles escapará, nenhum viverá. 2Mesmo que consigam entrar pela terra adentro e chegar até o mundo dos mortos, eu os tirarei dali; mesmo que subam até o céu, eu os farei descer de lá. 3Se procurarem se esconder no alto do monte Carmelo, eu irei atrás deles e os pegarei; se eles se esconderem de mim no fundo do mar, eu darei ordem à Serpente do mar9.3 No pensamento pagão, esse monstro feroz vivia no mar. Porém, mesmo nas profundezas do mar, ninguém poderia esconder-se de Deus, pois ele tem domínio sobre tudo (Is 27.1)., e ela os morderá. 4Se forem levados como prisioneiros pelo inimigo, eu darei ordem, e eles serão mortos. Pois eu vou cuidar deles, não para protegê-los, mas para destruí-los.

5O Senhor, o Deus Todo-Poderoso, toca na terra, e ela treme,

e todos os seus moradores choram de tristeza.

A terra sobe e baixa

como as águas do rio Nilo.

6Deus constrói a sua casa nas alturas

e coloca o céu por cima da terra.

Ele chama as águas do mar

e as derrama sobre a terra.

O seu nome é Senhor!

7O Senhor Deus diz:

— Povo de Israel, eu amo o povo da Etiópia tanto quanto amo vocês. Assim como eu trouxe vocês do Egito, eu também trouxe os filisteus da ilha de Creta e os arameus da terra de Quir. 8Estou olhando para Israel, este país de pecadores, e vou fazê-lo desaparecer da terra; mas não acabarei com todos os israelitas. Sou eu, o Senhor, quem está falando.

9— Vou dar ordem e vou separar os bons dos maus em Israel, como quem separa o trigo da casca, sem perder um só grão. 10Vão morrer na guerra todos os pecadores do meu povo, isto é, todos os que dizem: “Deus não deixará que qualquer desastre chegue perto de nós.”

Um futuro feliz para Israel

11O Senhor Deus diz:

— Naquele dia, eu construirei de novo o reino de Davi, que é como uma casa que caiu. Taparei as rachaduras das paredes e levantarei a casa que estava em ruínas, e ela ficará como era antes. 12Então o meu povo conquistará o que restar do país de Edom e de todas as outras nações que eram minhas. Eu farei com que tudo isso aconteça. Sou eu, o Senhor, quem está falando.

9.11-12
At 15.16-18

13— Está chegando o dia em que o trigo crescerá mais depressa do que poderá ser colhido, as parreiras produzirão uvas mais depressa do que se poderá fazer vinho. As parreiras produzirão tantas uvas, que o vinho vai correr à vontade, como um rio. 14Trarei o meu povo de volta do cativeiro para a sua terra. Eles construirão de novo as cidades que estavam em ruínas e morarão nelas. Farão plantações de uvas e beberão do seu vinho; cultivarão pomares e comerão as suas frutas. 15Plantarei o meu povo na terra que lhes dei, e eles nunca mais serão arrancados dali. Eu, o Senhor, o Deus de vocês, falei.