Nova Tradução na Linguagem de Hoje (2000) (NTLH)
1

Elias e o rei Acazias

11Depois da morte do rei Acabe, de Israel, o país de Moabe se revoltou contra Israel.

2O rei Acazias, que ficou no lugar de Acabe, caiu do terraço do alto do seu palácio em Samaria e ficou muito ferido. Então mandou que alguns mensageiros fossem consultar Baal-Zebube, o deus da cidade filisteia de Ecrom, a fim de saber se ia sarar. 3Mas um anjo do Senhor mandou que Elias, o profeta de Tisbé, fosse encontrar-se com os mensageiros do rei Acazias e lhes perguntasse assim: “Por que vocês estão indo consultar Baal-Zebube, o deus de Ecrom? Por acaso, pensam que não há Deus em Israel? 4Digam ao rei que o Senhor Deus diz: ‘Você não vai sarar dos seus ferimentos; você vai morrer!’ ”

Elias fez o que Deus havia mandado, 5e os mensageiros voltaram para o lugar onde o rei estava. Ele perguntou:

— Por que vocês voltaram?

6Eles responderam:

— Um homem se encontrou com a gente e disse que voltássemos e disséssemos que o Senhor manda perguntar o seguinte: “Por que é que você está mandando mensageiros para consultarem Baal-Zebube, o deus de Ecrom? Será que você pensa que não há Deus em Israel? Você não vai sarar dos seus ferimentos; você vai morrer!”

7— Como era o homem que lhes disse isso? — perguntou o rei.

8E eles responderam:

— Ele estava usando uma capa de pele de animais, amarrada com um cinto de couro.

— É Elias, o profeta de Tisbé! — disse o rei.

1.8
Mt 3.4
Mc 1.6

9Então mandou que um oficial fosse com cinquenta soldados prender Elias. O oficial o encontrou sentado no alto de um morro e disse:

— Homem de Deus, o rei mandou você descer daí.

10Elias respondeu:

— Se eu sou um homem de Deus, que venha fogo do céu e mate você e os seus soldados!

No mesmo instante desceu fogo do céu e matou o oficial e os seus soldados.

11O rei enviou outro oficial com cinquenta soldados. Ele subiu e disse a Elias:

— Homem de Deus, o rei ordenou que você desça daí agora mesmo!

12Elias respondeu:

— Se eu sou um homem de Deus, que venha fogo do céu e mate você e os seus soldados!

No mesmo instante o fogo de Deus desceu e matou o oficial e os seus soldados.

1.10,12
Lc 9.54

13Mais uma vez o rei mandou um oficial com cinquenta soldados. Ele subiu o morro, ajoelhou-se em frente de Elias e pediu:

— Homem de Deus, por favor, não acabe com a minha vida nem com a vida destes cinquenta homens! 14Os outros dois oficiais e os seus soldados foram mortos pelo fogo do céu; mas tenha dó de mim, por favor!

15O anjo do Senhor disse a Elias:

— Desça com ele e não tenha medo.

Então Elias foi junto com o oficial falar com o rei 16e disse:

— O Senhor Deus diz assim: “Ó rei, você agiu como se em Israel não houvesse Deus para consultar e mandou mensageiros para consultarem Baal-Zebube, o deus de Ecrom. Por isso, você não vai ficar bom; você vai morrer!”

17E Acazias morreu, como o Senhor tinha dito por meio de Elias. Acazias não tinha filhos, e por isso o seu irmão Jorão ficou no lugar dele como rei. Isso aconteceu no segundo ano do reinado de Jeorão, filho de Josafá, rei de Judá.

18Todas as outras coisas que o rei Acazias fez estão escritas na História dos Reis de Israel.

2

Elias é levado para o céu

21Chegou o tempo de o Senhor Deus levar Elias para o céu num redemoinho. Elias saiu de Gilgal junto com Eliseu 2e no caminho Elias disse:

— Fique aqui porque o Senhor me mandou ir até Betel.

Mas Eliseu disse:

— Juro pelo Senhor Deus e pelo senhor que eu não o deixarei.

E assim os dois foram até Betel. 3Um grupo de profetas que morava ali foi falar com Eliseu e lhe perguntou:

— Você sabe que hoje o Senhor vai levar o seu mestre para longe de você?

— Sim, eu sei! — respondeu Eliseu. — Mas não vamos falar nisso.

4Então Elias disse a Eliseu:

— Fique aqui porque o Senhor me mandou ir até Jericó.

Mas Eliseu disse:

— Juro pelo Senhor Deus e pelo senhor que eu não o deixarei.

E assim os dois foram até Jericó.

5Um grupo de profetas que morava ali foi falar com Eliseu e perguntou:

— Você sabe que hoje o Senhor vai levar o seu mestre para longe de você?

— Sim, eu sei! — respondeu Eliseu. — Mas não vamos falar nisso.

6Aí Elias disse a Eliseu:

— Fique aqui porque o Senhor me mandou ir até o rio Jordão.

Mas Eliseu disse:

— Juro pelo Senhor Deus e pelo senhor que não o deixarei.

Então eles saíram, 7e cinquenta profetas os seguiram até o rio Jordão. Elias e Eliseu pararam perto do rio, e os profetas ficaram olhando de longe. 8Aí Elias tirou a sua capa, enrolou-a e bateu com ela na água. A água se abriu, e ele e Eliseu passaram para o outro lado, andando em terra seca. 9Ali Elias disse a Eliseu:

— Diga o que você quer que eu faça por você antes que eu seja levado embora.

Eliseu disse:

— Quero receber como herança duas vezes mais poder do que os outros profetas vão receber2.9 Eliseu pediu para ficar como profeta no lugar de Elias e apelou para a lei da herança, pela qual o filho mais velho recebia duas vezes mais do que os outros (ver Dt 21.17)..

10Elias disse:

— Esse pedido é difícil de atender. Mas você receberá o que está me pedindo se me vir quando eu estiver sendo levado para longe. Se você não me vir, não receberá.

11E assim foram andando e conversando. De repente, um carro de fogo puxado por cavalos de fogo os separou um do outro, e Elias foi levado para o céu num redemoinho. 12Eliseu viu o que aconteceu e gritou:

— Meu pai, meu pai! O senhor sempre foi como um exército para defender Israel!

E nunca mais ele viu Elias.

Muito triste, Eliseu rasgou a sua capa pelo meio.

2.12
2Rs 13.14
13Depois pegou a capa de Elias, que havia caído, voltou para a beira do rio Jordão e parou ali. 14Então bateu na água com a capa de Elias e disse:

— Onde está o Senhor, o Deus de Elias?

Aí bateu de novo na água, e ela se abriu, e ele passou para o outro lado.

15Os cinquenta profetas de Jericó viram isso e disseram:

— O poder de Elias está com Eliseu!

Então foram encontrar-se com ele, ajoelharam-se diante dele 16e disseram:

— Nós que estamos aqui somos cinquenta homens fortes. Deixe que vamos procurar o seu mestre. Talvez o Espírito do Senhor Deus o tenha carregado e deixado em alguma montanha ou em algum vale.

— Não! Vocês não devem ir! — respondeu Eliseu.

17Mas eles insistiram, até que ele mudou de ideia e deixou que fossem. Os cinquenta foram e durante três dias procuraram Elias por toda parte, porém não o acharam. 18Então voltaram a Jericó, onde Eliseu estava esperando. Eliseu disse:

— Eu não falei para vocês não irem?

A água purificada por Eliseu

19Alguns homens de Jericó foram falar com Eliseu e disseram:

— Como o senhor sabe, esta cidade é boa, mas a água não presta e provoca abortos.

20Então Eliseu mandou:

— Ponham um pouco de sal num prato novo e tragam para mim.

Eles levaram, 21e Eliseu foi até a fonte, jogou o sal na água e disse:

— O que o Senhor Deus diz é isto: “Eu fiz esta água ficar pura, e ela não provocará mais mortes nem abortos.”

22E aquela água ficou pura até hoje, como Eliseu disse que ia ficar.

Os rapazes zombadores

23Eliseu saiu de Jericó para ir a Betel. Ele ia andando pela estrada, quando alguns rapazes saíram de uma cidade e começaram a caçoar dele, gritando assim:

— Ô seu careca, fora daqui!

24Eliseu virou para trás, olhou firme para os rapazes e os amaldiçoou em nome de Deus, o Senhor. Então duas ursas saíram do mato e despedaçaram quarenta e dois deles.

25Dali Eliseu foi até o monte Carmelo e depois voltou para Samaria.

3

Guerra entre Israel e Moabe

31No ano dezoito do reinado de Josafá, de Judá, Jorão, filho de Acabe, se tornou rei de Israel e governou doze anos em Samaria. 2Ele pecou contra Deus, o Senhor, porém não foi como o seu pai ou a sua mãe Jezabel. Jorão derrubou a coluna do deus Baal que o seu pai havia mandado levantar. 3No entanto, como o rei Jeroboão, filho de Nebate, havia feito antes dele, Jorão levou o povo de Israel a cometer os mesmos pecados, sem parar.

4O rei Mesa, do país de Moabe, criava carneiros e todos os anos entregava como imposto ao rei de Israel cem mil carneirinhos e a lã de cem mil carneiros. 5Porém, quando o rei Acabe morreu, Mesa se revoltou contra Israel. 6Por isso, o rei Jorão saiu imediatamente de Samaria e reuniu todo o seu exército. 7Ele mandou ao rei Josafá, de Judá, o seguinte recado:

— O rei de Moabe se revoltou contra mim. Você quer ir comigo guerrear contra Moabe?

O rei Josafá respondeu:

— Eu irei. Estou às suas ordens, e assim também os meus soldados e os meus cavalos. 8Que caminho pegaremos para o ataque?

— Nós iremos pelo caminho do deserto de Edom! — disse Jorão.

9E assim o rei Jorão, o rei de Edom e o rei de Judá partiram e marcharam sete dias. Então a água acabou, e não havia água nem para os homens nem para os animais de carga. 10Aí o rei Jorão exclamou:

— Estamos perdidos! O Senhor Deus nos entregou, os três, ao rei de Moabe!

11O rei Josafá perguntou:

— Existe por aqui algum profeta de Deus, o Senhor, para que consultemos o Senhor por meio dele?

Um oficial do exército do rei Jorão respondeu:

— Eliseu, filho de Safate, está por aí. Ele era o ajudante de Elias.

12— Ele é profeta e diz o que o Senhor manda! — disse o rei Josafá.

Então os três reis foram falar com Eliseu. 13Mas ele disse ao rei de Israel:

— O que é que eu tenho com isso? Vá falar com os profetas que o seu pai e a sua mãe consultavam!

Jorão disse:

— Não, pois foi o Senhor quem nos entregou, os três reis, ao rei de Moabe.

14Eliseu disse:

— Juro pelo Deus vivo, o Senhor Todo-Poderoso, a quem sirvo, que, se eu não respeitasse o seu aliado, o rei Josafá, de Judá, eu não daria nenhuma atenção ao senhor. 15Agora me tragam um músico.

Enquanto o músico tocava harpa, o poder do Senhor Deus veio sobre Eliseu, 16e ele disse:

— O que o Senhor diz é isto: “Façam muitas covas em todo o leito seco deste ribeirão. 17Pois vocês não vão ver chuva nem vento, mas mesmo assim o leito deste ribeirão vai se encher de água. E vocês, o seu gado e os seus animais de carga terão muita água para beber.”

18E Eliseu continuou:

— E para o Senhor Deus é fácil fazer isso; ele também lhes dará a vitória contra os moabitas. 19Os senhores conquistarão todas as melhores cidades deles e as cidades cercadas de muralhas, cortarão todas as suas árvores frutíferas, taparão todas as suas fontes de água e estragarão todas as suas terras de plantação, cobrindo-as de pedras.

20No dia seguinte, na hora do sacrifício da manhã, a água veio correndo da direção de Edom e cobriu o chão.

21Os moabitas ficaram sabendo que os três reis tinham vindo atacá-los. Então todos os homens que podiam lutar, tanto os mais velhos como os mais moços, foram chamados e ficaram na fronteira. 22Quando eles se levantaram na manhã seguinte, o sol estava brilhando na água, fazendo com que ela parecesse vermelha como sangue. 23Então gritaram:

— Aquilo é sangue! Com certeza os três reis lutaram entre si e mataram uns aos outros! Vamos pegar tudo o que eles deixaram no acampamento!

24Porém, quando os moabitas chegaram ao acampamento, os israelitas os atacaram e os fizeram fugir. Os israelitas perseguiram os moabitas, matando-os 25e destruindo as suas cidades. Conforme iam passando por um terreno de plantação, cada israelita jogava uma pedra nele, até que finalmente todos os campos estavam cobertos de pedras. Eles também taparam as fontes e cortaram as árvores frutíferas. No fim, somente a capital, a cidade de Quir-Heres, ficou faltando; mas os atiradores de funda a cercaram e atacaram.

26O rei de Moabe percebeu que estava perdendo a batalha. Então, com setecentos soldados armados com espadas, tentou forçar passagem através das linhas inimigas a fim de fugir para perto do rei da Síria. Porém não conseguiu. 27Então pegou o seu filho mais velho, que iria ficar no lugar dele como rei, e o ofereceu em sacrifício ao deus de Moabe, nas muralhas da cidade. Os israelitas ficaram apavorados3.27 Talvez pelo que Quemos, o deus dos moabitas, poderia fazer ou pelo que o Senhor, o Deus dos israelitas, poderia fazer. e por isso saíram dali e voltaram para o seu país.