Nova Tradução na Linguagem de Hoje (2000) (NTLH)
16

Guerra contra Israel

1Reis 15.16-22

161No ano trinta e seis do reinado de Asa, Baasa, rei de Israel, invadiu Judá e começou a cercar de muralhas a cidade de Ramá, para assim controlar o movimento na estrada que ia até Jerusalém. 2Por isso, o rei Asa pegou prata e ouro do Templo e do palácio e entregou a alguns dos seus servidores a fim de que levassem para Damasco e dessem ao rei Ben-Hadade, da Síria. Junto foi a seguinte mensagem: 3“Vamos ser aliados como eram os nossos pais. Esta prata e este ouro são para você. Retire agora o apoio que você está dando a Baasa, rei de Israel, para que assim ele tenha de tirar os seus soldados do meu país.”

4O rei Ben-Hadade concordou com a proposta de Asa e mandou que os seus comandantes e os seus exércitos atacassem as cidades de Israel. Eles conquistaram Ijom, Dã e Abel-Maim e todas as cidades-armazém do território de Naftali. 5Quando o rei Baasa soube do que havia acontecido, parou de construir as muralhas de Ramá. 6Aí o rei Asa mandou chamar todo o povo de Judá, e eles levaram dali as pedras e a madeira que Baasa havia estado usando para construir as muralhas em volta de Ramá. Com esse material Asa construiu muralhas em volta de Geba e de Mispa.

O profeta Hanani

7Por esse tempo, o profeta Hanani foi falar com o rei Asa, de Judá, e disse:

— O senhor confiou no rei da Síria, em vez de confiar no Senhor, seu Deus, e por isso o exército do rei de Israel conseguiu fugir. 8Não é verdade que os soldados da Etiópia e da Líbia formaram um enorme exército, com muitos carros de guerra e cavaleiros? No entanto, o senhor confiou em Deus, o Senhor, e ele lhe deu a vitória. 9Deus está sempre vigiando tudo o que acontece no mundo a fim de dar forças a todos os que são fiéis a ele com todo o coração. Desta vez o senhor fez uma loucura e por isso, de agora em diante, o senhor vai estar sempre em guerra.

10Asa ficou tão zangado com o profeta, que mandou amarrá-lo com correntes e metê-lo na prisão. E foi nesse tempo também que Asa perseguiu algumas pessoas do seu próprio povo.

A morte de Asa

1Reis 15.23-24

11Todas as outras coisas que o rei Asa fez, desde o princípio do seu reinado até o fim, estão escritas na História dos Reis de Judá e de Israel. 12No ano trinta e nove do seu reinado, ele foi atacado por uma doença muito grave nos pés; mesmo assim não pediu socorro a Deus, o Senhor, mas confiou nos médicos. 13No ano quarenta e um do seu reinado, Asa morreu 14e foi sepultado no túmulo que ele tinha mandado cavar na Cidade de Davi. Encheram o túmulo de perfumes e de várias especiarias, que tinham sido preparados com muita arte, e colocaram o corpo ali dentro. Depois fizeram uma enorme fogueira em honra dele.

17

O começo do reinado de Josafá em Judá

171Josafá ficou no lugar de Asa, o seu pai, como rei de Judá e se preparou para se defender do Reino de Israel. 2Colocou soldados em todas as cidades de Judá que eram protegidas por muralhas e também pôs acampamentos militares em todo o território de Judá e nas cidades de Efraim que Asa, o seu pai, havia conquistado. 3O Senhor Deus abençoou Josafá porque ele agiu como o seu pai tinha agido no princípio do seu reinado. Ele não adorou o deus Baal, 4mas adorou o Deus do seu pai e obedeceu aos seus mandamentos, em vez de seguir o mau exemplo dos reis de Israel. 5O Senhor firmou o poder de Josafá como rei, e todos em Judá lhe davam presentes. Assim Josafá ficou muito rico e famoso. 6Continuou cada vez mais decidido a obedecer às leis de Deus e acabou com os lugares pagãos de adoração e os postes da deusa Aserá que havia no país de Judá.

7No terceiro ano do seu reinado, Josafá enviou as seguintes autoridades para ensinarem a Lei de Deus nas cidades de Judá: Ben-Hail, Obadias, Zacarias, Netanel e Micaías. 8Junto com eles foram os seguintes levitas: Semaías, Netanias, Zebadias, Asael, Semiramote, Jônatas, Adonias, Tobias e Tobe-Adonias. Os sacerdotes Elisama e Jeorão também foram. 9Levaram consigo o Livro da Lei de Deus, o Senhor, e foram por todas as cidades de Judá, ensinando a Lei a todo o povo.

10O Senhor Deus fez com que todos os povos vizinhos de Judá ficassem com medo de Josafá, e por isso eles não fizeram guerra contra ele. 11Alguns filisteus trouxeram presentes e prata para Josafá, como imposto, e alguns árabes trouxeram sete mil e setecentas ovelhas e sete mil e setecentos bodes. 12Josafá foi ficando cada vez mais forte e construiu fortalezas e cidades-armazém, 13onde ajuntou grande quantidade de mantimentos. Em Jerusalém ele colocou oficiais valentes e experimentados. 14Esta é a lista desses oficiais, de acordo com os grupos de famílias que eles comandavam: Adna era o comandante das tropas das famílias de Judá e comandava trezentos mil soldados. 15Em seguida, vinha Joanã, que comandava duzentos e oitenta mil homens; 16e depois vinha Amasias, filho de Zicri, que comandava duzentos mil homens. Amasias tinha se apresentado de livre e espontânea vontade para servir a Deus, o Senhor. 17O comandante dos soldados das famílias de Benjamim era Eliada, um oficial valente; ele comandava duzentos mil homens armados de escudos e arcos e flechas. 18Finalmente vinha Jozabade, que comandava cento e oitenta mil homens armados. 19Todos estes estavam ao serviço de Josafá em Jerusalém; além destes, ele havia colocado outros soldados em todas as cidades de Judá que eram protegidas por muralhas.

18

O profeta Micaías avisa Acabe

1Reis 22.1-28

181Quando Josafá ficou muito rico e famoso, ele se tornou aliado do rei Acabe, de Israel, por laços de casamento18.1 Jeorão, filho de Josafá, casou com Atalia, filha de Acabe (ver 2Rs 8.18,25-27; 2Cr 21.6).. 2Depois de alguns anos, ele foi até a cidade de Samaria visitar Acabe. Em honra de Josafá e dos que haviam ido com ele, o rei Acabe deu um banquete, para o qual mandou matar muitos touros e muitas ovelhas. E procurou convencer Josafá a ir com ele atacar a cidade de Ramote-Gileade. 3Ele perguntou a Josafá:

— Você vai comigo atacar Ramote?

Josafá respondeu:

— Quando você estiver pronto para a batalha, eu também estarei; e assim também os meus soldados. Iremos lutar junto com você. 4Mas primeiro vamos consultar a Deus, o Senhor.

5Aí Acabe mandou chamar os profetas, que eram quatrocentos, e perguntou:

— Devemos atacar a cidade de Ramote ou não?

Eles responderam:

— Ataque, pois o Senhor Deus lhe dará a vitória.

6Mas Josafá perguntou:

— Não existe aqui mais nenhum profeta para nós consultarmos o Senhor por meio dele?

7Acabe respondeu:

— Existe outro, que se chama Micaías, filho de Inla. Mas eu tenho ódio dele porque nunca profetiza para mim o que é bom, mas só o que é ruim.

— Não fale desse jeito! — disse Josafá.

8Então Acabe chamou um oficial e mandou que ele fosse imediatamente buscar Micaías.

9Os dois reis, usando as suas roupas reais, estavam sentados nos seus tronos, numa praça que ficava perto do portão de entrada de Samaria; e todos os profetas estavam profetizando em frente deles. 10Um dos profetas, chamado Zedequias, filho de Quenaana, fez uns chifres de ferro e disse a Acabe:

— O que o Senhor Deus está dizendo é isto: “Com estes chifres o senhor lutará contra os sírios e os derrotará completamente.”

11E todos os outros profetas profetizaram a mesma coisa. Eles diziam:

— Marche contra a cidade de Ramote, que o senhor, ó rei, vencerá. O Senhor Deus lhe dará a vitória.

12Enquanto isso, o oficial que tinha ido buscar Micaías disse a ele:

— Todos os outros profetas profetizaram que o rei terá sucesso. É melhor que você faça o mesmo.

13Porém Micaías respondeu:

— Juro pelo Senhor, o Deus vivo, que eu falarei o que o meu Deus mandar!

14Quando Micaías chegou ao lugar onde estava o rei Acabe, este perguntou:

— Micaías, o rei Josafá e eu devemos atacar a cidade de Ramote ou não?

Micaías respondeu:

— Ataquem, pois vencerão. Deus lhes dará a vitória…

15Mas Acabe disse:

— Quando você falar comigo em nome do Senhor Deus, diga a verdade! Quantas vezes preciso dizer isso?

16Micaías respondeu:

— Vejo o exército de Israel espalhado pelos morros como ovelhas sem pastor. E o Senhor Deus diz: “Estes homens não têm chefe; que eles voltem para casa em paz.”

18.16
Nm 27.17
Ez 34.5
Mt 9.36
Mc 6.34

17Então Acabe disse a Josafá:

— Eu não disse que para mim ele nunca profetiza coisas boas? Ele sempre diz alguma coisa ruim!

18Micaías continuou:

— Agora escutem o que o Senhor Deus está dizendo! Eu vi o Senhor sentado no seu trono no céu, com todos os anjos à sua direita e à sua esquerda. 19Ele perguntou: “Quem enganará Acabe para que ele vá a Ramote e seja morto lá?” Alguns anjos disseram uma coisa, e outros disseram outra, 20até que um espírito chegou perto do Senhor Deus e disse: “Eu enganarei Acabe.” O Senhor perguntou: “Como?” 21E o espírito respondeu: “Eu irei e farei com que todos os profetas de Acabe digam mentiras.” Então o Senhor ordenou: “Vá e engane Acabe. Você conseguirá.”

22E Micaías terminou, dizendo a Acabe:

— O senhor está vendo agora que o Senhor Deus fez com que todos estes seus profetas mentissem. Mas ele resolveu que vai acontecer uma desgraça com o senhor, ó rei.

23Então o profeta Zedequias chegou perto de Micaías, deu um tapa na cara dele e perguntou:

— Quando foi que o Espírito do Senhor saiu de mim e falou com você?

24— Você descobrirá isso quando entrar em algum quarto dos fundos, tentando se esconder! — respondeu Micaías.

25Aí o rei Acabe deu a seguinte ordem a um dos seus oficiais:

— Prenda Micaías e o leve a Amom, o governador da cidade, e ao príncipe Joás. 26Diga a eles que o joguem na cadeia e o ponham a pão e água até que eu volte são e salvo.

27Micaías exclamou:

— Se o senhor, ó rei, voltar em paz, então, de fato, o Senhor Deus não falou por meio de mim!

E disse também:

— Todos aqui deem atenção àquilo que eu profetizei!

A morte de Acabe

1Reis 22.29-35

28Assim o rei Acabe, de Israel, e o rei Josafá, de Judá, foram atacar a cidade de Ramote-Gileade. 29Acabe disse a Josafá:

— Quando formos entrar na batalha, eu vou me disfarçar, mas você use as suas roupas de rei.

O rei de Israel se disfarçou, e eles entraram na batalha.

30O rei da Síria havia mandado que os capitães dos seus carros de guerra não atacassem ninguém, a não ser o rei de Israel. 31Por isso, quando viram o rei Josafá, pensaram que ele era o rei de Israel e foram atacá-lo. Mas Josafá gritou, e o Senhor Deus o socorreu, fazendo com que os sírios se desviassem dele. 32Quando eles viram que aquele não era o rei de Israel, pararam de atacá-lo. 33No entanto, um soldado sírio atirou uma flecha que, por acaso, atingiu o rei Acabe entre as juntas da sua armadura. Então ele gritou para o condutor do seu carro:

— Fui ferido! Dê a volta e me leve para fora da batalha!

34Enquanto a batalha ficava cada vez mais forte, o rei Acabe segurou-se de pé no seu carro de guerra, de frente para os sírios, até a tarde; ao pôr do sol, ele morreu.