Nova Tradução na Linguagem de Hoje (2000) (NTLH)
28

281Algum tempo depois os filisteus reuniram as suas tropas para lutar contra Israel. Então Aquis disse a Davi:

— Fique sabendo que você e os seus homens vão lutar ao meu lado.

2— Claro que sim! — respondeu Davi. — Estou aqui para ajudar; você vai ver o que eu sou capaz de fazer.

— Está bem! — disse Aquis. — Você vai ser o meu guarda pessoal por toda a vida.

Saul consulta uma adivinha

3Samuel havia morrido, e todos os israelitas haviam chorado a morte dele e o haviam sepultado na cidade de Ramá, onde ele tinha nascido. Saul tinha expulsado de Israel todos os médiuns e adivinhos.

28.3 a
1Sm 25.1

4Os soldados filisteus se reuniram e acamparam perto da cidade de Suném. Saul reuniu os israelitas e acampou no monte Gilboa. 5Quando Saul viu o exército dos filisteus, ficou apavorado 6e perguntou a Deus, o Senhor, o que devia fazer. Mas o Senhor não respondeu nem por sonhos, nem pelo Urim, nem através dos profetas.

28.6
Nm 27.21
7Então Saul ordenou aos seus oficiais:

— Procurem uma mulher que seja médium, e eu irei consultá-la.

— Em Endor há uma médium! — responderam eles.

8Então Saul se disfarçou, vestindo roupas diferentes. E, quando escureceu, foi com dois dos seus homens falar com a tal mulher. Ele disse:

— Consulte para mim os espíritos e me diga o que vai acontecer. Eu vou dizer o nome de um homem, e você vai mandar subir o espírito dele.

9A mulher respondeu:

— Com certeza você sabe o que o rei Saul fez: ele expulsou de Israel os adivinhos e os médiuns. Então por que é que você está tentando me pegar numa armadilha para que eu seja morta?

10Aí Saul jurou em nome de Deus, o Senhor:

— Pelo Senhor, o Deus vivo, eu prometo que você não será castigada por fazer isso.

11Então a mulher perguntou:

— Quem é que você quer que eu faça subir?

— Samuel! — respondeu ele.

12Quando a mulher viu Samuel, deu um grito e disse a Saul:

— Por que o senhor me enganou? O senhor é o rei Saul!

13— Não tenha medo! — respondeu o rei. — O que é que você está vendo?

— Estou vendo um espírito subindo da terra! — disse ela.

14— Como é o jeito dele? — perguntou Saul.

— É um velho que está subindo! — respondeu ela. — Ele está todo enrolado numa capa.

Aí Saul entendeu que era Samuel: ajoelhou-se e encostou o rosto no chão, em sinal de respeito.

15Então Samuel disse a Saul:

— Por que é que você foi me incomodar? Por que me fez voltar?

Saul respondeu:

— É que estou numa grande dificuldade! Os filisteus estão em guerra contra mim, e Deus me abandonou. Ele não me responde mais nem por profetas nem por meio de sonhos. Foi por isso que chamei o senhor para me dizer o que devo fazer.

16Samuel disse:

— Por que é que você me chamou, agora que o Senhor Deus o abandonou e se tornou seu inimigo? 17O Senhor fez com você o que ele, por meio de mim, prometeu que ia fazer: ele tirou o reino de você e o deu a outra pessoa, isto é, a Davi.

28.17
1Sm 15.28
18Você desobedeceu às ordens do Senhor e não destruiu completamente os amalequitas e tudo o que eles tinham. É por isso que o Senhor está fazendo isso com você agora.
28.18
1Sm 15.3-9
19Ele vai entregar você e o povo de Israel aos filisteus. Amanhã você e os seus filhos vão estar junto comigo. E o Senhor também vai entregar o exército de Israel aos filisteus.

20No mesmo instante Saul caiu no chão, de comprido, apavorado com o que Samuel tinha dito. Ele estava fraco porque não tinha comido nada todo aquele dia e toda aquela noite. 21A mulher chegou perto dele e, vendo que ele estava apavorado, disse:

— Eu arrisquei a minha vida fazendo o que o senhor me pediu. 22Agora, por favor, faça o que estou pedindo: deixe que eu lhe traga um pouco de comida. Coma alguma coisa para ficar forte e poder viajar.

23Saul recusou e disse que não ia comer nada. Mas os seus oficiais também insistiram para que comesse. Finalmente ele concordou. Levantou-se do chão e sentou-se na cama. 24Então a mulher matou depressa um bezerro que estava sendo engordado. Pegou também um pouco de farinha de trigo, amassou e assou alguns pães sem fermento. 25Aí colocou a comida diante de Saul e dos seus oficiais, e eles comeram. E naquela mesma noite foram embora.

29

Os filisteus desconfiam de Davi

291Os filisteus reuniram todas as suas tropas em Afeca. Enquanto isso, os israelitas acamparam perto da fonte que fica no vale de Jezreel. 2Os cinco governadores filisteus marcharam para lá com as suas tropas divididas em grupos de cem e de mil soldados. Davi e os seus homens marchavam atrás com Aquis. 3Então os comandantes filisteus perguntaram:

— O que é que estes hebreus estão fazendo aqui?

Aquis respondeu:

— Este é Davi, um oficial de Saul, o rei de Israel. Ele está comigo já faz algum tempo, desde que se revoltou contra Saul. E, desde o dia em que chegou, não o vi fazer nada de errado.

4Mas os comandantes filisteus ficaram muito zangados com Aquis e disseram:

— Mande esse homem de volta para a cidade que você lhe deu. Não deixe que ele entre na batalha conosco; ele é capaz de virar contra nós durante a luta. Pois a melhor maneira de ele conseguir a boa vontade do seu patrão seria matar os nossos homens. 5Além disso, este é Davi, a respeito de quem as mulheres cantavam enquanto dançavam: “Saul matou mil; Davi matou dez mil!”

29.5
1Sm 18.7
21.11

6Então Aquis chamou Davi e disse:

— Juro pelo Senhor, o Deus vivo, que você tem sido fiel a mim e eu ficaria muito contente se você lutasse ao meu lado nesta batalha. Não encontrei nada de errado em você, desde o dia em que chegou até hoje. Mas os outros governadores não gostam de você. 7Portanto, volte para casa em paz e não faça nada que possa desagradar a esses governadores.

8Davi respondeu:

— O que foi que eu fiz de errado? Você não encontrou em mim nenhuma falta desde o dia em que comecei a trabalhar para você. Então por que não posso ir com você, que é o meu patrão e o meu rei, para lutar contra os seus inimigos?

9Aquis respondeu:

— Eu sei disso e o considero tão fiel quanto um anjo de Deus. Mas os comandantes disseram que você não pode ir lutar conosco. 10Portanto, amanhã de manhã, você e os outros que abandonaram Saul e passaram para o meu lado, levantem-se bem cedo e vão embora logo que amanhecer.

11Assim, no dia seguinte, Davi e os seus homens se levantaram de madrugada a fim de voltar para a Filisteia. E os filisteus subiram para Jezreel.

30

Guerra contra os amalequitas

301Dois dias depois, Davi e os seus homens chegaram a Ziclague, a sua cidade. Enquanto ele havia estado fora, os amalequitas tinham invadido o Sul da terra de Judá e atacado Ziclague. Eles queimaram a cidade 2e prenderam todas as mulheres. Não mataram ninguém, mas foram embora e levaram todos como prisioneiros. 3Quando Davi e os seus homens chegaram, viram que a cidade tinha sido queimada e que as suas mulheres, os seus filhos e as suas filhas haviam sido levados embora. 4Então Davi e os seus homens começaram a chorar e choraram até ficarem sem forças. 5As duas mulheres de Davi, Ainoã, de Jezreel, e Abigail, viúva de Nabal, da cidade de Carmelo, também haviam sido levadas.

30.5
1Sm 25.42-43

6Davi ficou então numa situação muito difícil, pois os seus homens estavam tão amargurados por ficarem sem os seus filhos, que falavam até em matá-lo a pedradas. Mas o Senhor, seu Deus, lhe deu coragem. 7E ele disse ao sacerdote Abiatar, filho de Aimeleque:

— Traga aqui o manto sacerdotal para que possamos consultar a Deus.

E Abiatar trouxe.

30.7
1Sm 22.20-23
8Então Davi perguntou a Deus, o Senhor:

— Devo ir atrás desses invasores? Conseguirei pegá-los?

Deus respondeu:

— Vá atrás deles. Você os pegará e libertará os prisioneiros.

9Então Davi e os seus seiscentos homens saíram, e, quando chegaram ao ribeirão de Besor, alguns deles ficaram ali. 10Davi continuou o seu caminho com quatrocentos homens. Os outros duzentos estavam cansados demais para atravessar o ribeirão e por isso ficaram para trás.

11Os homens de Davi acharam no campo um rapaz egípcio e o levaram a Davi. Deram ao rapaz comida, água, 12figos secos e dois cachos de passas. Ele havia ficado três dias e três noites sem comer, nem beber. Mas, depois de comer, as suas forças voltaram. 13Então Davi perguntou:

— Quem é o seu dono? De onde você é?

— Eu sou egípcio e sou escravo de um amalequita! — respondeu ele. — O meu dono me deixou aqui há três dias porque fiquei doente. 14Nós invadimos a terra dos queretitas, a região Sul de Judá e o território do grupo de famílias de Calebe e queimamos a cidade de Ziclague.

15Então Davi lhe perguntou:

— Você pode me levar até onde os amalequitas estão?

— Sim, — respondeu ele — se o senhor prometer em nome de Deus que não me matará, nem me entregará ao meu dono.

16Então ele levou Davi. Os amalequitas estavam espalhados por toda a região, comendo, bebendo e festejando por causa da grande quantidade de coisas que haviam tomado na terra dos filisteus e na terra de Judá. 17No dia seguinte ao amanhecer, Davi os atacou e lutou até o anoitecer. E nenhum deles escapou, a não ser quatrocentos rapazes que montaram camelos e fugiram. 18Davi salvou todos os que tinham sido levados como prisioneiros, incluindo as suas duas mulheres, e trouxe de volta tudo o que os amalequitas haviam tomado. 19Não ficou faltando nada: Davi levou de volta todos os filhos e todas as filhas dos seus homens e todas as coisas, grandes e pequenas, que os amalequitas haviam tomado. 20Levou também todas as ovelhas e todo o gado. Então os homens de Davi levaram a ele os seus animais e disseram:

— Estes animais são seus.

21Aí Davi voltou para o lugar onde estavam os duzentos homens que não tinham ido com ele e haviam ficado atrás, no ribeirão de Besor, por estarem muito cansados. Eles saíram ao encontro de Davi e dos seus homens. Davi chegou perto deles e os cumprimentou. 22Mas alguns homens ordinários e de mau caráter que tinham ido com Davi disseram:

— Eles não foram conosco; por isso, não lhes daremos nada do que trouxemos. Eles podem pegar as suas mulheres e os seus filhos e ir embora.

23Mas Davi respondeu:

— Meus irmãos, vocês não podem fazer isso com o que o Senhor Deus nos deu! Ele nos salvou e nos deu a vitória sobre os inimigos. 24Ninguém pode concordar com o que vocês estão dizendo! Tudo deve ser repartido em partes iguais: quem ficou atrás com a bagagem deve receber o mesmo que aquele que lutou na batalha.

25Davi fez desta ordem uma lei. E até hoje ela é seguida em Israel.

26Quando Davi voltou para Ziclague, pegou parte do que havia tomado dos inimigos e mandou para os seus amigos, os líderes de Judá, com esta mensagem:

— Este é um presente para vocês, tirado das coisas que nós tomamos dos inimigos de Deus, o Senhor.

27Davi mandou presentes aos líderes das seguintes cidades: Betel, Ramá, que fica ao sul de Judá, Jatir, 28Aroer, Sifmote, Estemoa, 29-31Racal, Horma, Borasã, Atace, Hebrom; e também às cidades das tribos dos jerameelitas e dos queneus — todos os lugares onde Davi e os seus homens haviam estado.

Utilizamos cookies de acordo com o nossa Política de Privacidade, respeitando todos as suas informações pessoais.[ocultar]