Nova Tradução na Linguagem de Hoje (2000) (NTLH)
18

181Saul e Davi terminaram a sua conversa. Jônatas, filho de Saul, começou a sentir uma profunda amizade por Davi e veio a amá-lo como a si mesmo. 2Daquele dia em diante Saul levou Davi para a sua casa e não deixou que voltasse para a casa do seu pai. 3Jônatas e Davi fizeram um juramento de amizade, pois Jônatas tinha grande amor por Davi. 4Ele tirou a capa que estava usando e a deu a Davi. Deu também a sua túnica militar, a espada, o arco e o cinto. 5Davi saiu-se bem em todos os lugares aonde Saul o enviou. Então Saul o promoveu a comandante do seu exército. E isso agradou a todo o exército, inclusive aos outros oficiais.

A inveja de Saul

6Quando os soldados estavam voltando para casa depois de Davi ter matado Golias, as mulheres de todas as cidades de Israel saíram para encontrar o rei Saul. Elas cantavam canções alegres, dançavam e tocavam pandeiro e lira. 7Alegravam-se e cantavam assim:

“Saul matou mil; Davi matou dez mil!”

18.7
1Sm 21.11
29.5

8E Saul não gostou disso. Ficou muito zangado e disse:

— Para mim as mulheres deram mil, mas para Davi deram dez mil. A única coisa que está faltando agora é ele ser rei!

9E desse dia em diante Saul começou a ter ciúme de Davi e a desconfiar dele.

10No dia seguinte, um espírito mau mandado por Deus dominou Saul, e ele começou a agir como louco dentro de casa. Davi estava tocando lira, como fazia todos os dias, e Saul estava segurando uma lança.

11Então Saul pensou assim:

— Vou espetar Davi na parede.

E atirou a lança contra ele, duas vezes. Porém nas duas vezes Davi se desviou.

12O Senhor estava com Davi e havia abandonado Saul; por isso, Saul tinha medo de Davi. 13Então Saul o afastou de si, pondo-o como oficial comandante de mil homens. Davi comandava os seus soldados na batalha, 14e tudo o que fazia dava certo, pois o Senhor estava com ele. 15Saul viu o sucesso de Davi e ficou ainda com mais medo dele. 16Mas em Israel e em Judá todos amavam Davi porque ele era um líder corajoso.

Davi casa com a filha de Saul

17Então Saul disse a Davi:

— Aqui está Merabe, a minha filha mais velha. Eu a darei em casamento a você, com a condição de que você me sirva como soldado valente e fiel e lute nas batalhas de Deus, o Senhor.

Saul pensava que desta maneira os filisteus matariam Davi e assim não teria ele mesmo de fazer isso.

18Davi respondeu:

— Quem sou eu, e quem é a minha família em Israel para que eu seja genro do rei?

19Mas, quando chegou a época de Merabe ser dada em casamento a Davi, ela foi dada a um homem chamado Adriel, da cidade de Meolá.

20Porém Mical, a outra filha de Saul, apaixonou-se por Davi. E, quando Saul soube disso, ficou contente. 21Ele pensou:

— Vou dar Mical em casamento a Davi, e ela servirá como uma armadilha para que ele seja morto pelos filisteus.

Então, pela segunda vez, Saul disse a Davi:

— Você será meu genro.

22Ele mandou que os seus oficiais conversassem em particular com Davi e dissessem a ele:

— O rei e todos os oficiais gostam de você. Esta é uma boa ocasião para você casar com a filha dele.

23Então eles falaram com Davi, e ele respondeu:

— Ser genro do rei é uma honra grande demais para uma pessoa pobre e sem valor como eu.

24Os oficiais contaram a Saul o que Davi tinha dito, 25e ele ordenou que dissessem o seguinte a Davi:

— Tudo o que o rei quer de você em pagamento pela noiva são os prepúcios de cem filisteus mortos, como vingança contra os inimigos dele.

Saul tinha planejado isso porque assim Davi seria morto pelos filisteus. 26Os oficiais contaram a Davi o que Saul tinha dito, e ele ficou entusiasmado com a ideia de ser genro do rei. Antes do dia marcado para o casamento, 27Davi e os seus soldados foram e mataram duzentos filisteus. Aí Davi levou ao rei os prepúcios dos filisteus mortos e os contou na presença dele, para que assim se tornasse seu genro. Então Saul deu a sua filha Mical em casamento a Davi. 28Saul viu e reconheceu que o Senhor estava com Davi e que a sua filha Mical o amava. 29Por isso, ficou com mais medo ainda de Davi e pelo resto da sua vida foi seu inimigo.

30Todas as vezes que os exércitos filisteus saíam para lutar, Davi conseguia mais vitórias do que todos os outros oficiais de Saul e assim ficou muito famoso.

19

Saul persegue Davi

191Saul contou ao seu filho Jônatas e a todos os seus oficiais que ele planejava matar Davi. Mas Jônatas era muito amigo de Davi 2e por isso lhe disse:

— O meu pai está planejando matar você. Amanhã cedo, tenha cuidado. Esconda-se em algum lugar secreto e fique lá. 3Eu vou esperar pelo meu pai no campo em que você estiver escondido e vou falar com ele a seu respeito. Se descobrir alguma coisa, eu aviso você.

4Então Jônatas elogiou Davi para Saul e disse:

— Meu pai, não faça nenhum mal ao seu servidor Davi, pois ele nunca lhe fez nenhum mal. Pelo contrário, tudo o que ele tem feito tem ajudado bastante o senhor. 5Ele arriscou a própria vida quando matou Golias, e por meio dele o Senhor Deus conquistou uma grande vitória para Israel. O senhor mesmo viu isso e ficou contente. Então, por que o senhor, meu pai, faria mal a um homem inocente, matando Davi sem nenhuma razão?

6Saul atendeu o pedido de Jônatas e jurou em nome do Senhor, o Deus vivo, que Davi não seria morto. 7Então Jônatas chamou Davi e lhe contou tudo. Aí o levou a Saul, e Davi continuou a servir o rei como antes.

8E novamente houve guerra contra os filisteus. Davi os atacou e derrotou tão completamente, que eles fugiram.

9Um dia um espírito mau mandado pelo Senhor dominou Saul. Ele estava sentado em casa, com a lança na mão, e Davi estava ali tocando lira. 10Saul tentou espetar Davi na parede com a sua lança, mas ele se desviou, e a lança ficou fincada na parede. Então Davi correu e escapou.

11Naquela mesma noite Saul mandou alguns homens vigiarem a casa de Davi, para o matarem na manhã seguinte. Mical, a mulher de Davi, o avisou:

— Se você não fugir esta noite, amanhã estará morto.

19.11
Sl 59

12Aí ela desceu Davi por uma janela, e ele correu e escapou. 13Então Mical pegou o ídolo protetor do lar e o deitou na cama. Pôs uma almofada feita de pelo de cabra na cabeça dele e o cobriu.

14Quando os homens de Saul foram pegar Davi, Mical disse que ele estava doente. 15Mas Saul mandou que voltassem lá e que eles mesmos vissem Davi.

— Tragam Davi aqui na sua cama, e eu o matarei! — disse Saul.

16Eles entraram e acharam o ídolo do lar na cama e a almofada de pelo de cabra na cabeça dele. 17Então Saul perguntou a Mical:

— Por que você me enganou assim e deixou o meu inimigo escapar?

Ela respondeu:

— Ele disse que me mataria se eu não o ajudasse a fugir.

18Davi escapou, foi para Ramá e contou a Samuel tudo o que Saul tinha feito contra ele. Depois ele e Samuel foram para a casa dos profetas e ficaram lá.

19Saul ficou sabendo que Davi estava na casa dos profetas, em Ramá, 20e mandou alguns homens lá para prendê-lo. Quando eles chegaram, viram um grupo de profetas profetizando19.20 Ver 1Sm 10.5, nota., e Samuel era o líder. Então o Espírito de Deus dominou os homens de Saul, e eles também começaram a profetizar. 21Quando Saul soube disso, mandou mais mensageiros, e eles também começaram a profetizar. Então mandou mensageiros pela terceira vez, e aconteceu a mesma coisa. 22Aí o próprio Saul foi a Ramá. Quando chegou a um poço grande na cidade de Seco, perguntou onde estavam Samuel e Davi, e lhe disseram que eles estavam na casa dos profetas. 23Enquanto Saul estava indo para lá, o Espírito de Deus o dominou também, e ele foi profetizando por todo o caminho, até chegar à casa dos profetas. 24Lá, tirou a roupa e profetizou na presença de Samuel. E ficou deitado no chão, nu, o dia inteiro e a noite inteira. E foi assim que surgiu o seguinte ditado: “Será que Saul também virou profeta?”

19.24
1Sm 10.11-12

20

Jônatas ajuda Davi

201Então Davi fugiu da casa dos profetas, em Ramá, foi até o lugar onde Jônatas estava e disse:

— O que foi que eu fiz? Qual foi o meu crime? Que mal fiz eu ao seu pai, para ele querer me matar?

2Jônatas respondeu:

— Que Deus não permita que você morra! O meu pai me conta tudo o que faz, seja importante ou não. Ele não esconderia isso de mim. Isso não é bem assim!

3Mas Davi respondeu:

— O seu pai sabe muito bem o quanto você gosta de mim. Por isso, resolveu não deixar que você fique sabendo dos planos dele, para você não sofrer muito. Eu juro pela sua vida e pela vida de Deus, o Senhor, que estou bem perto da morte!

4— O que você quer que eu faça? — perguntou Jônatas.

5Davi respondeu:

— Amanhã é a Festa da Lua Nova, e eu deveria ir sem falta ao jantar do rei. Mas, se você deixar, eu irei me esconder no campo até depois de amanhã à noite.

20.5
Nm 28.11
6Se o seu pai notar que eu não estou à mesa, diga que eu pedi a você para me deixar ir com urgência a Belém, pois está na época de toda a minha família oferecer lá o sacrifício anual. 7Se ele disser: “Está bem”, eu estarei salvo. Mas, se ele ficar com raiva, então você ficará sabendo que ele está com más intenções. 8Peço que você me faça este favor e cumpra assim a promessa sagrada que me fez. Porém, se eu sou culpado, mate-me você mesmo! Por que deixar o seu pai fazer isso?

9— Nem pense numa coisa dessas! — respondeu Jônatas. — Se eu soubesse que o meu pai estava mesmo resolvido a acabar com você, acha que eu não o avisaria?

10Então Davi perguntou:

— E, se o seu pai responder com raiva, quem vai me avisar?

11Jônatas respondeu:

— Venha comigo, vamos até o campo.

Eles foram, 12e Jônatas disse a Davi:

— Que o Senhor, o Deus de Israel, seja nossa testemunha. Amanhã e depois de amanhã, a esta hora, eu vou fazer algumas perguntas ao meu pai. Se a intenção dele para com você for boa, eu lhe mandarei dizer. 13Mas, se ele tiver a intenção de fazer alguma coisa contra você, que o Senhor Deus me mate se eu não enviar uma mensagem a você e não deixá-lo ir embora são e salvo! Que o Senhor esteja com você, assim como esteve com o meu pai! 14E agora, se eu continuar vivo, cumpra a sua promessa sagrada e seja fiel a mim. Mas, se eu morrer, 15trate sempre a minha família com bondade. E, quando o Senhor destruir completamente todos os nossos inimigos,

20.15
2Sm 9.1
16que nós não quebremos a promessa que fizemos um ao outro. Se você a quebrar, Deus o castigará.

17Novamente Jônatas fez um juramento de amizade a Davi, pois ele amava Davi como a si mesmo. 18E disse a Davi:

— Amanhã é a Festa da Lua Nova, e, se você não estiver lá, a sua falta será notada. 19Depois de amanhã a sua falta será notada ainda mais. Assim vá para o lugar onde você se escondeu da outra vez e fique atrás do monte de pedras que há ali. 20Então eu atirarei três flechas, como se o monte de pedras fosse um alvo. 21Aí direi ao meu empregado para ir buscá-las. Se eu disser a ele: “Olhe, as flechas estão para cá de você, pegue-as” — isso quer dizer que tudo está bem, e você pode sair. Eu juro por Deus, o Senhor, que nesse caso você não estará em perigo. 22Mas, se disser a ele: “As flechas estão mais para lá de você” — então fuja, pois o Senhor estará mandando que você vá. 23Quanto à promessa que fizemos um ao outro, o Senhor Deus nos ajudará a cumpri-la para sempre.

24Então Davi se escondeu no campo. O rei Saul chegou para a Festa da Lua Nova 25e sentou-se para comer no lugar de costume, perto da parede. Abner sentou-se ao lado de Saul, e Jônatas, na sua frente. Mas o lugar de Davi ficou vazio. 26Naquele dia Saul não disse nada porque pensou: “Deve ter acontecido alguma coisa com ele, e de certo ele não passou pela cerimônia de purificação.”

27No dia seguinte, o segundo dia da Festa da Lua Nova, o lugar de Davi continuava desocupado. Aí Saul perguntou a Jônatas:

— Por que Davi não veio comer nem ontem nem hoje?

28Jônatas respondeu:

— Ele me pediu licença para ir a Belém. 29Ele me disse: “Deixe-me ir a Belém porque a minha família está lá fazendo a festa do sacrifício, e o meu irmão mandou que eu também fosse. Se você é meu amigo, deixe que eu vá ver os meus parentes.”

E Jônatas continuou:

— É por isso que ele não está no seu lugar, à mesa.

30Então Saul ficou muito zangado com Jônatas e disse:

— Seu filho de uma mulher à toa! Agora eu sei que você passou para o lado de Davi, trazendo desonra para você e para a sua mãe! 31Enquanto Davi for vivo, você não será rei deste país. Vá agora e traga-o aqui porque é preciso que ele morra!

32— Por que é que ele deve morrer? — perguntou Jônatas. — O que foi que ele fez?

33Então Saul atirou a sua lança contra Jônatas para matá-lo. E assim Jônatas compreendeu que o seu pai estava mesmo resolvido a matar Davi. 34Jônatas levantou-se furioso da mesa e não comeu nada naquele dia, o segundo dia da Festa da Lua Nova. Ele estava muito sentido porque Saul tinha insultado Davi. 35Na manhã seguinte ele foi ao campo a fim de encontrar Davi, como tinham combinado. Levou consigo um rapazinho 36e disse:

— Corra e vá buscar as flechas que eu atirar.

O rapaz correu, e Jônatas atirou uma flecha que passou além dele. 37Quando o rapaz chegou ao lugar onde a flecha tinha caído, Jônatas gritou:

— A flecha caiu mais para lá de você! 38Não fique aí parado! Ande logo!

O rapaz pegou as flechas e voltou para perto do seu patrão, 39não sabendo o que queria dizer tudo aquilo — somente Jônatas e Davi sabiam. 40Aí Jônatas entregou as suas armas ao rapaz e mandou que as levasse de volta para a cidade. 41Depois que o rapaz foi embora, Davi saiu de trás do monte de pedras, jogou-se no chão e encostou o rosto na terra três vezes. Então eles se beijaram chorando. E a tristeza de Davi era maior do que a de Jônatas. 42Aí Jônatas disse a Davi:

— Deus esteja com você! O Senhor Deus fará com que você, e eu, e os seus descendentes, e os meus cumpramos sempre a promessa sagrada que nós fizemos um ao outro.

Então Davi partiu, e Jônatas voltou para a cidade.