Nova Almeida Atualizada (2017) (NAA)
3

31De noite, na minha cama,

busquei o amado de minha alma;

busquei-o, mas não o achei.

2Eu me levantarei agora

e rodearei a cidade,

pelas ruas e pelas praças;

buscarei o amado da minha alma.

Busquei-o, mas não o achei.

3Os guardas, que rondavam

a cidade, me encontraram.

Então lhes perguntei:

“Vocês viram o amado

da minha alma?”

4Mal os deixei, encontrei logo

o amado da minha alma.

Agarrei-me a ele

e não o deixei ir embora,

até que o fiz entrar

na casa de minha mãe

e no quarto daquela

que me concebeu.

5Filhas de Jerusalém,

jurem pelas gazelas

e pelas corças selvagens

que vocês não acordarão

nem despertarão o amor,

até que este o queira.

3.5
Ct 2.7
8.4

Terceiro cântico

Coro

6O que é aquilo que vem

subindo do deserto,

como colunas de fumaça,

perfumado de mirra, de incenso

e de todos os tipos

de pós aromáticos

do mercador?

7É a liteira de Salomão.

Vem escoltada

por sessenta valentes,

dos melhores valentes de Israel.

8Todos sabem manejar a espada

e são treinados para a guerra;

cada um leva a espada na cintura,

por causa dos temores noturnos.

9O rei Salomão mandou fazer

um palanquim

de madeira do Líbano.

10As colunas eram de prata,

o encosto de ouro,

o assento de púrpura,

e o interior foi enfeitado

com carinho pelas mulheres

de Jerusalém.

11Saiam, ó filhas de Sião,

e venham ver o rei Salomão

com a coroa

com que sua mãe o coroou

no dia do seu casamento,

no dia da alegria do seu coração.

4
Esposo

41Como você é bela,

minha querida!

Como você é linda!

Os seus olhos são como pombas

e brilham através do véu.

Os seus cabelos são como

um rebanho de cabras

que descem ondeantes

do monte de Gileade.

2Os seus dentes são como

um rebanho de ovelhas

recém-tosquiadas,

que sobem do lavadouro;

cada uma tem o seu par,

e nenhuma está faltando.

3Os seus lábios são como

um fio de escarlate,

e a sua boca é linda.

As suas faces, como romã partida,

brilham através do véu.

4O seu pescoço é como

a torre de Davi,

edificada para arsenal;

mil escudos pendem dela,

todos escudos

de soldados valentes.

5Os seus seios são como

duas crias gêmeas

de uma gazela,

que pastam entre os lírios.

6Antes que rompa o dia,

e fujam as sombras,

4.6
Ct 2.17

irei ao monte da mirra

e à colina do incenso.

7Você é toda linda,

minha querida,

e em você não há defeito.

8Venha comigo do Líbano,

minha noiva,

venha comigo do Líbano.

Desça do alto do monte Amana,

do alto do Senir e do Hermom,

dos covis dos leões,

dos montes dos leopardos.

9Você roubou meu coração,

meu amor,4.9 Lit., minha irmã minha noiva;

roubou meu coração

com um só dos seus olhares,

com uma só pérola do seu colar.

10Como são agradáveis

as suas carícias,

meu amor, minha noiva!

O seu amor é melhor

do que o vinho,

4.10
Ct 1.2

e o aroma do seu perfume

é mais suave do que

todas as especiarias!

11Os seus lábios destilam mel,

minha noiva.

Mel e leite se acham

debaixo da sua língua,

e o cheiro dos seus vestidos

é como o cheiro do Líbano.

12Meu amor, minha noiva,

você é um jardim fechado,

um manancial recluso,

uma fonte selada.

13Os seus renovos são

um pomar de romãs

com frutos excelentes:

henas com nardos,

14nardo e açafrão,

cálamo e cinamomo,

com todo tipo

de árvores de incenso,

mirra e aloés, com todas

as principais especiarias.

15Você é fonte dos jardins,

poço de águas vivas

que correm do Líbano!

Esposa

16Desperte, vento norte,

e venha, vento sul!

Soprem no meu jardim,

para que se derramem

os seus aromas.

Que o meu amado venha

ao seu jardim

e coma os seus frutos excelentes!

5
Esposo

51Já entrei no meu jardim,

meu amor, minha noiva.

Colhi a minha mirra

com as especiarias,

comi o meu favo com o mel,

bebi o meu vinho com o leite.

Coro

Comam e bebam, meus amigos;

até ficarem embriagados de amor.

Quarto cântico

Esposa

2Eu dormia, mas o meu coração

estava acordado.

Eis a voz do meu amado,

que está batendo:

Esposo

Deixe-me entrar,

meu amor, minha querida,

minha pombinha sem defeito,

porque a minha cabeça

está cheia de orvalho,

e os meus cabelos,

das gotas da noite.

Esposa

3Já tirei a minha túnica!

Como posso vesti-la outra vez?

Já lavei os pés!

Como voltar a sujá-los?

4O meu amado meteu a mão

pela fresta,

e o meu coração estremeceu.

5Eu me levantei para abrir a porta

ao meu amado.

As minhas mãos destilavam mirra,

e os meus dedos deixavam

escorrer mirra preciosa

sobre a tranca da porta.

6Abri a porta ao meu amado,

mas ele já tinha se afastado

e ido embora.

Eu tinha estremecido,

quando ele me falou.

Busquei-o, mas não o achei;

chamei-o, mas ele não respondeu.

7Os guardas, que rondavam

a cidade, me encontraram;

5.7
Ct 3.3

eles me espancaram e me feriram;

os guardas das muralhas

tomaram o meu manto.

8Filhas de Jerusalém, jurem:

se encontrarem o meu amado,

digam que estou

morrendo de amor.

Coro

9O que é que o seu amado tem

que os outros não tenham,

ó mais bela das mulheres?

5.9
Ct 1.8
6.1

O que é que o seu amado tem

que os outros não tenham,

para que você nos faça jurar?

Esposa

10O meu amado é alvo e rosado,

o mais destacado entre dez mil.

11A sua cabeça é como o ouro

mais depurado,

os seus cabelos ondulados

são pretos como o corvo.

12Os seus olhos são como pombas

5.12
Ct 1.15
4.1

junto ao ribeiro,

brancas como leite,

banhando-se junto

às correntes das águas.

13As suas faces são como

canteiros de bálsamo,

como colinas de ervas aromáticas.

Os seus lábios são como lírios

que gotejam mirra preciosa.

14As suas mãos são

cilindros de ouro

enfeitados de turquesas.

O seu ventre é como alvo marfim,

coberto de safiras.

15As suas pernas são

colunas de mármore,

assentadas sobre

bases de ouro puro.

O aspecto do meu amado

é como o do Líbano;

ele é elegante como os cedros.

16O seu falar é muito suave;

sim, ele é totalmente desejável.

Assim é o meu amado,

assim é o meu esposo,

ó filhas de Jerusalém.