Nova Almeida Atualizada (2017) (NAA)
2

21Eu sou a rosa de Sarom,

2.1
Is 33.9
35.2

o lírio dos vales.

Esposo

2Como um lírio entre os espinhos,

assim é a minha querida

entre as donzelas.

Esposa

3Como a macieira

entre as árvores do bosque,

assim é o meu amado

entre os jovens.

Desejo muito a sua sombra

e debaixo dela me assento,

e o seu fruto é doce

ao meu paladar.

4Ele me levou à sala do banquete,

e o seu estandarte sobre mim

é o amor.

5Sustentem-me com passas,

confortem-me com maçãs,

pois estou morrendo de amor.

6A sua mão esquerda

está debaixo da minha cabeça,

e a direita me abraça.

7Filhas de Jerusalém,

jurem pelas gazelas

e pelas corças selvagens

que vocês não acordarão

nem despertarão o amor,

até que este o queira.

Segundo cântico

Esposa

8Ouço a voz do meu amado.

Eis que ele vem,

saltando sobre os montes,

pulando sobre as colinas.

9O meu amado é semelhante

ao gamo

ou ao filho da gazela.

Eis que ele está

detrás de nossa parede,

olhando pelas janelas,

espreitando pelas grades.

10O meu amado fala e me diz:

Esposo

Levante-se, minha querida,

minha linda, e venha comigo.

11Porque eis que passou o inverno,

a chuva cessou e se foi,

12aparecem as flores na terra,

chegou o tempo

de cantarem as aves,

e já se ouve a voz

da rolinha em nossa terra.

13A figueira começou

a dar seus figos,

e as vinhas em flor

exalam o seu aroma.

Levante-se, minha querida,

minha linda, e venha comigo.

14Minha pombinha,

escondida nas fendas

dos penhascos,

no esconderijo

das rochas escarpadas,

mostre-me o seu rosto,

deixe-me ouvir a sua voz;

porque a sua voz é doce,

e o seu rosto é lindo.

Esposa

15Peguem as raposas,

as raposinhas,

que devastam os vinhedos,

porque as nossas vinhas

estão em flor.

16O meu amado é meu,

2.16
Ct 6.3
7.10

e eu sou dele;

ele apascenta o seu rebanho

entre os lírios.

17Antes que rompa o dia

e fujam as sombras,

volte, meu amado.

Venha correndo como o gamo

ou o filho das gazelas

sobre os montes de Beter.

3

31De noite, na minha cama,

busquei o amado de minha alma;

busquei-o, mas não o achei.

2Eu me levantarei agora

e rodearei a cidade,

pelas ruas e pelas praças;

buscarei o amado da minha alma.

Busquei-o, mas não o achei.

3Os guardas, que rondavam

a cidade, me encontraram.

Então lhes perguntei:

“Vocês viram o amado

da minha alma?”

4Mal os deixei, encontrei logo

o amado da minha alma.

Agarrei-me a ele

e não o deixei ir embora,

até que o fiz entrar

na casa de minha mãe

e no quarto daquela

que me concebeu.

5Filhas de Jerusalém,

jurem pelas gazelas

e pelas corças selvagens

que vocês não acordarão

nem despertarão o amor,

até que este o queira.

3.5
Ct 2.7
8.4

Terceiro cântico

Coro

6O que é aquilo que vem

subindo do deserto,

como colunas de fumaça,

perfumado de mirra, de incenso

e de todos os tipos

de pós aromáticos

do mercador?

7É a liteira de Salomão.

Vem escoltada

por sessenta valentes,

dos melhores valentes de Israel.

8Todos sabem manejar a espada

e são treinados para a guerra;

cada um leva a espada na cintura,

por causa dos temores noturnos.

9O rei Salomão mandou fazer

um palanquim

de madeira do Líbano.

10As colunas eram de prata,

o encosto de ouro,

o assento de púrpura,

e o interior foi enfeitado

com carinho pelas mulheres

de Jerusalém.

11Saiam, ó filhas de Sião,

e venham ver o rei Salomão

com a coroa

com que sua mãe o coroou

no dia do seu casamento,

no dia da alegria do seu coração.

4
Esposo

41Como você é bela,

minha querida!

Como você é linda!

Os seus olhos são como pombas

e brilham através do véu.

Os seus cabelos são como

um rebanho de cabras

que descem ondeantes

do monte de Gileade.

2Os seus dentes são como

um rebanho de ovelhas

recém-tosquiadas,

que sobem do lavadouro;

cada uma tem o seu par,

e nenhuma está faltando.

3Os seus lábios são como

um fio de escarlate,

e a sua boca é linda.

As suas faces, como romã partida,

brilham através do véu.

4O seu pescoço é como

a torre de Davi,

edificada para arsenal;

mil escudos pendem dela,

todos escudos

de soldados valentes.

5Os seus seios são como

duas crias gêmeas

de uma gazela,

que pastam entre os lírios.

6Antes que rompa o dia,

e fujam as sombras,

4.6
Ct 2.17

irei ao monte da mirra

e à colina do incenso.

7Você é toda linda,

minha querida,

e em você não há defeito.

8Venha comigo do Líbano,

minha noiva,

venha comigo do Líbano.

Desça do alto do monte Amana,

do alto do Senir e do Hermom,

dos covis dos leões,

dos montes dos leopardos.

9Você roubou meu coração,

meu amor,4.9 Lit., minha irmã minha noiva;

roubou meu coração

com um só dos seus olhares,

com uma só pérola do seu colar.

10Como são agradáveis

as suas carícias,

meu amor, minha noiva!

O seu amor é melhor

do que o vinho,

4.10
Ct 1.2

e o aroma do seu perfume

é mais suave do que

todas as especiarias!

11Os seus lábios destilam mel,

minha noiva.

Mel e leite se acham

debaixo da sua língua,

e o cheiro dos seus vestidos

é como o cheiro do Líbano.

12Meu amor, minha noiva,

você é um jardim fechado,

um manancial recluso,

uma fonte selada.

13Os seus renovos são

um pomar de romãs

com frutos excelentes:

henas com nardos,

14nardo e açafrão,

cálamo e cinamomo,

com todo tipo

de árvores de incenso,

mirra e aloés, com todas

as principais especiarias.

15Você é fonte dos jardins,

poço de águas vivas

que correm do Líbano!

Esposa

16Desperte, vento norte,

e venha, vento sul!

Soprem no meu jardim,

para que se derramem

os seus aromas.

Que o meu amado venha

ao seu jardim

e coma os seus frutos excelentes!

Utilizamos cookies de acordo com o nossa Política de Privacidade, respeitando todos as suas informações pessoais.[ocultar]