Nova Almeida Atualizada (2017) (NAA)
1

11Cântico dos cânticos de Salomão.

1.1
1Rs 4.32

Primeiro cântico

Esposa

2Beije-me com os beijos

de sua boca!

Porque o seu amor

é melhor do que o vinho.

3Suave é o aroma

dos seus perfumes;

como perfume derramado

é o seu nome.

Por isso, as donzelas o amam.

4Leve-me com você!

Vamos depressa!

O rei me introduziu

nos seus aposentos.

Coro

Exultaremos e nos alegraremos

por sua causa;

do seu amor nos lembraremos,

mais do que do vinho.

Não é sem razão que o amam.

Esposa

5Eu sou morena e bonita,

ó filhas de Jerusalém,

como as tendas de Quedar,

1.5
Sl 120.5

como as cortinas de Salomão.

6Não olhem para a minha

pele morena,

porque o sol me queimou.

Os filhos de minha mãe

se indignaram contra mim

e me puseram por guarda

das vinhas;

mas a minha vinha,

que me pertence,

não a guardei.

7Diga-me, ó amado

de minha alma:

Onde você apascenta

o seu rebanho?

Onde você o faz repousar

ao meio-dia?

Diga, para que eu

não ande vagando

junto ao rebanho

dos seus companheiros.

Esposo

8Se você, a mais bela

das mulheres, não o sabe,

siga as pisadas dos rebanhos

e apascente os seus cabritos

junto às tendas dos pastores.

9Comparo você, minha querida,

com as éguas das carruagens

de Faraó.

10O seu rosto fica lindo

com os enfeites,

o seu pescoço, com os colares.

11Faremos para você

enfeites de ouro,

com incrustações de prata.

Esposa

12Enquanto o rei está assentado

à sua mesa,

o meu nardo exala o seu perfume.

13O meu amado é para mim

como um sachê de mirra,

posto entre os meus seios.

14O meu amado é para mim

como um ramalhete

de flores de hena1.14 Plantinha que produz flores aromáticas em forma de cachos. As mulheres ricas costumavam usar um sachê feito de flores de hena

nas vinhas de En-Gedi.

Esposo

15Como você é bela,

minha querida!

Como você é bela!

Os seus olhos são como pombas.

Esposa

16Como você é belo, meu amado!

Como é encantador!

O nosso leito é de viçosa relva.

17As vigas da nossa casa

são os cedros,

e o nosso teto são os ciprestes.

2

21Eu sou a rosa de Sarom,

2.1
Is 33.9
35.2

o lírio dos vales.

Esposo

2Como um lírio entre os espinhos,

assim é a minha querida

entre as donzelas.

Esposa

3Como a macieira

entre as árvores do bosque,

assim é o meu amado

entre os jovens.

Desejo muito a sua sombra

e debaixo dela me assento,

e o seu fruto é doce

ao meu paladar.

4Ele me levou à sala do banquete,

e o seu estandarte sobre mim

é o amor.

5Sustentem-me com passas,

confortem-me com maçãs,

pois estou morrendo de amor.

6A sua mão esquerda

está debaixo da minha cabeça,

e a direita me abraça.

7Filhas de Jerusalém,

jurem pelas gazelas

e pelas corças selvagens

que vocês não acordarão

nem despertarão o amor,

até que este o queira.

Segundo cântico

Esposa

8Ouço a voz do meu amado.

Eis que ele vem,

saltando sobre os montes,

pulando sobre as colinas.

9O meu amado é semelhante

ao gamo

ou ao filho da gazela.

Eis que ele está

detrás de nossa parede,

olhando pelas janelas,

espreitando pelas grades.

10O meu amado fala e me diz:

Esposo

Levante-se, minha querida,

minha linda, e venha comigo.

11Porque eis que passou o inverno,

a chuva cessou e se foi,

12aparecem as flores na terra,

chegou o tempo

de cantarem as aves,

e já se ouve a voz

da rolinha em nossa terra.

13A figueira começou

a dar seus figos,

e as vinhas em flor

exalam o seu aroma.

Levante-se, minha querida,

minha linda, e venha comigo.

14Minha pombinha,

escondida nas fendas

dos penhascos,

no esconderijo

das rochas escarpadas,

mostre-me o seu rosto,

deixe-me ouvir a sua voz;

porque a sua voz é doce,

e o seu rosto é lindo.

Esposa

15Peguem as raposas,

as raposinhas,

que devastam os vinhedos,

porque as nossas vinhas

estão em flor.

16O meu amado é meu,

2.16
Ct 6.3
7.10

e eu sou dele;

ele apascenta o seu rebanho

entre os lírios.

17Antes que rompa o dia

e fujam as sombras,

volte, meu amado.

Venha correndo como o gamo

ou o filho das gazelas

sobre os montes de Beter.

3

31De noite, na minha cama,

busquei o amado de minha alma;

busquei-o, mas não o achei.

2Eu me levantarei agora

e rodearei a cidade,

pelas ruas e pelas praças;

buscarei o amado da minha alma.

Busquei-o, mas não o achei.

3Os guardas, que rondavam

a cidade, me encontraram.

Então lhes perguntei:

“Vocês viram o amado

da minha alma?”

4Mal os deixei, encontrei logo

o amado da minha alma.

Agarrei-me a ele

e não o deixei ir embora,

até que o fiz entrar

na casa de minha mãe

e no quarto daquela

que me concebeu.

5Filhas de Jerusalém,

jurem pelas gazelas

e pelas corças selvagens

que vocês não acordarão

nem despertarão o amor,

até que este o queira.

3.5
Ct 2.7
8.4

Terceiro cântico

Coro

6O que é aquilo que vem

subindo do deserto,

como colunas de fumaça,

perfumado de mirra, de incenso

e de todos os tipos

de pós aromáticos

do mercador?

7É a liteira de Salomão.

Vem escoltada

por sessenta valentes,

dos melhores valentes de Israel.

8Todos sabem manejar a espada

e são treinados para a guerra;

cada um leva a espada na cintura,

por causa dos temores noturnos.

9O rei Salomão mandou fazer

um palanquim

de madeira do Líbano.

10As colunas eram de prata,

o encosto de ouro,

o assento de púrpura,

e o interior foi enfeitado

com carinho pelas mulheres

de Jerusalém.

11Saiam, ó filhas de Sião,

e venham ver o rei Salomão

com a coroa

com que sua mãe o coroou

no dia do seu casamento,

no dia da alegria do seu coração.