Nova Almeida Atualizada (2017) (NAA)
2

Rute vai apanhar espigas

21Noemi tinha um parente de seu marido, dono de muitos bens, da família de Elimeleque, o qual se chamava Boaz. 2Rute, a moabita, disse a Noemi:

— Deixe-me ir ao campo para apanhar espigas

2.2
Lv 19.9-10
Dt 24.19
atrás daquele que me permitir fazer isso.

Noemi respondeu:

— Vá, minha filha!

3Ela se foi, chegou ao campo e apanhava espigas atrás dos ceifeiros. Por casualidade entrou na parte do campo que pertencia a Boaz, que era da família de Elimeleque.

4Eis que Boaz veio de Belém e disse aos ceifeiros:

— Que o Senhor esteja com vocês!

E eles responderam:

— Que o Senhor o abençoe!

5Depois, Boaz perguntou ao servo encarregado dos ceifeiros:

— De quem é essa moça?

6O servo respondeu:

— Essa é a moça moabita que veio com Noemi da terra de Moabe. 7Ela me pediu que a deixasse recolher espigas e ajuntá-las entre os feixes após os ceifeiros. Assim, ela veio e ficou aqui desde a manhã até agora. Só parou um pouco para descansar no abrigo.

8Então Boaz disse a Rute:

— Escute, minha filha, você não precisa ir colher em outro campo, nem se afastar daqui. Fique aqui com as minhas servas. 9Fique atenta ao campo onde forem colher e vá atrás delas. Eu dei ordem aos servos para que não toquem em você. Quando você ficar com sede, vá até as vasilhas e beba da água que os servos tiraram.

10Então Rute se inclinou e, encostando o rosto no chão, disse a Boaz:

— Por que o senhor está me favorecendo e se importa comigo, se eu sou uma estrangeira?

11Boaz respondeu:

— Já me contaram tudo o que você fez pela sua sogra, depois que você perdeu o marido. Sei que você deixou pai, mãe e a terra onde nasceu e veio para um povo que antes disso você não conhecia. 12O Senhor lhe pague pelo bem que você fez. Que você receba uma grande recompensa do Senhor, Deus de Israel, sob cujas asas você veio buscar refúgio.

13Então Rute disse:

— Meu caro senhor, você está me favorecendo muito, pois me consolou e falou ao coração desta sua serva, e eu nem mesmo sou como uma das suas servas.

14Na hora de comer, Boaz disse a Rute:

— Venha para cá e coma do pão. Molhe o seu bocado no vinho.

Ela se sentou ao lado dos ceifeiros, e Boaz lhe deu grãos tostados de cereais. Ela comeu até ficar satisfeita, e ainda sobrou. 15Quando ela se levantou para ir apanhar espigas, Boaz deu esta ordem aos seus servos:

— Deixem que ela apanhe espigas até no meio dos feixes e não sejam rudes com ela. 16Tirem também algumas espigas dos feixes e deixem cair, para que ela as apanhe, e não a repreendam.

17E assim Rute esteve apanhando espigas naquele campo até de tarde. Depois debulhou o que havia apanhado, e foi quase vinte litros de cevada. 18Ela pegou o cereal e voltou para a cidade. E a sogra viu o quanto de cereal ela havia conseguido apanhar. Rute também deu para a sogra a comida que lhe havia sobrado, depois que ela comeu até ficar satisfeita.

2.18
Rt 2.14
19Então Noemi perguntou:

— Onde você foi colher hoje? Onde trabalhou? Bendito seja aquele que acolheu você com tanta generosidade!

E Rute contou à sua sogra onde havia trabalhado. E acrescentou:

— O nome do homem com quem trabalhei hoje é Boaz.

20Então Noemi disse à sua nora:

— Que ele seja abençoado pelo Senhor Deus, que não deixou de ser bondoso, nem para com os vivos nem para com os mortos.

E Noemi acrescentou:

— Esse homem é nosso parente chegado e um dos nossos resgatadores.

21Então Rute, a moabita, disse:

— Ele também me disse que eu posso continuar com os servos dele, até que eles terminem de fazer a colheita.

22Noemi respondeu:

— É melhor mesmo que você vá com as servas dele, minha filha. Noutro campo, poderiam maltratar você.

23Assim Rute ficou na companhia das servas de Boaz, para apanhar espigas, até que a colheita da cevada e do trigo se acabou. E continuou morando com a sua sogra.

3

Rute e Boaz na eira

31Noemi, a sogra de Rute, disse:

— Minha filha, não é verdade que eu devo procurar um lar para você, para que você seja feliz? 2E esse Boaz, na companhia de cujas servas você esteve, não é um dos nossos parentes?

3.2
Dt 25.5-10
Eis que esta noite ele estará limpando cevada na eira. 3Lave-se, ponha perfume, vista a sua melhor roupa e vá até a eira. Mas não deixe que ele perceba que você está ali, até que ele tenha acabado de comer e beber. 4Quando ele for dormir, repare bem o lugar onde ele vai se deitar. Então vá, descubra os pés dele e deite-se ali. Ele lhe dirá o que você deve fazer.

5Rute respondeu:

— Vou fazer tudo isso que a senhora está me dizendo.

6Então Rute foi para a eira e fez conforme tudo o que a sua sogra lhe havia ordenado. 7Quando Boaz terminou de comer e beber e estava já de coração um tanto alegre, foi deitar-se ao pé de um monte de cereais. Então Rute chegou de mansinho, descobriu os pés dele, e se deitou. 8Aconteceu que, no meio da noite, o homem se assustou e sentou-se; e eis que uma mulher estava deitada a seus pés.

9Boaz perguntou:

— Quem é você?

Ela respondeu:

— Sou Rute, a sua serva. Estenda a sua capa sobre esta sua serva, porque o senhor é um resgatador.

10Boaz respondeu:

— Que você seja bendita do Senhor, minha filha! Você se mostrou mais bondosa agora do que no passado, pois não foi procurar um homem mais jovem, fosse rico ou fosse pobre. 11E agora, minha filha, não tenha medo. Tudo o que você falou eu vou fazer, porque todo o povo da cidade sabe que você é uma mulher virtuosa.

3.11
Pv 31.10
12Sim, é verdade que eu sou resgatador, mas há ainda outro resgatador que é parente mais chegado do que eu. 13Fique aqui esta noite. Pela manhã, se ele quiser resgatar você, muito bem; ele que o faça. Mas, se ele não quiser, eu o farei, tão certo como vive o Senhor. Deite-se aqui até de manhã.

14Rute ficou deitada aos pés dele até de manhã, mas levantou-se enquanto ainda estava escuro. Porque Boaz disse:

— Que ninguém saiba que uma mulher veio até a eira.

15Disse mais:

— Traga o manto que você está usando e segure-o.

Ela o segurou, ele o encheu com seis medidas de cevada e o pôs sobre os ombros dela. Então ela voltou para a cidade.

16Quando chegou à casa de sua sogra, esta lhe perguntou:

— Como se passaram as coisas, minha filha?

E Rute lhe contou tudo o que aquele homem tinha feito por ela. 17E disse ainda:

— Ele me deu estas seis medidas de cevada e me disse: “Não volte para a sua sogra sem nada.”

18Então Noemi disse:

— Espere, minha filha, até que você saiba em que darão as coisas, porque aquele homem não descansará enquanto não resolver este caso, ainda hoje.

4

Boaz casa com Rute

41Boaz foi até o portão da cidade e sentou-se ali. Eis que o resgatador de que Boaz havia falado

4.1
Rt 3.12
ia passando. Então ele o chamou:

— Ó fulano, chegue até aqui e sente-se.

Ele foi e se sentou. 2Então Boaz chamou dez homens dos anciãos da cidade e disse:

— Sentem-se aqui.

E eles se sentaram. 3Boaz disse ao resgatador:

— Noemi, que voltou da terra dos moabitas, pôs à venda aquele pedaço de terra que foi de nosso parente Elimeleque.

4.3
Lv 25.25
4Então resolvi informá-lo disso e dizer a você: compre essas terras na presença dos que estão sentados aqui e na presença dos anciãos do povo. Se você quer resgatá-las, faça isto; se não, diga, para que eu o saiba. Porque não há outro que possa resgatá-las a não ser você; e, depois de você, eu.

Então ele respondeu:

— Eu vou resgatar essas terras.

5Boaz, porém, lhe disse:

— No dia em que você receber essas terras da mão de Noemi, também terá de receber Rute, a moabita, já viúva, para perpetuar o nome do esposo falecido na herança dele.

4.5
Dt 25.5

6Então o resgatador disse:

— Nesse caso, não poderei fazer o resgate, para não prejudicar a minha própria herança. Faça você uso desse meu direito, porque eu não poderei fazê-lo.

7Este era, antigamente, o costume em Israel, quanto a resgates e permutas: quem queria confirmar um negócio tirava a sandália do pé e a entregava ao outro. Era assim que se confirmava um negócio em Israel. 8Por isso, quando o resgatador disse a Boaz: “Faça você o resgate”, tirou a sandália do pé.

4.7-8
Dt 25.9
9Então Boaz disse aos anciãos e a todo o povo:

— Hoje vocês são testemunhas de que comprei de Noemi tudo o que pertencia a Elimeleque, a Quiliom e a Malom. 10E também tomo por mulher Rute, a moabita, que foi esposa de Malom, para perpetuar o nome deste sobre a sua herança, para que este nome não seja exterminado dentre seus irmãos e do portão da sua cidade. Hoje vocês são testemunhas disso.

11Todo o povo que estava no portão e os anciãos disseram:

— Somos testemunhas.

E disseram a Boaz:

— Que o Senhor faça a esta mulher, que está entrando na sua família, como fez a Raquel e Lia,

4.11
Gn 29.31—35.18
que edificaram a casa de Israel. E que você, Boaz, seja um homem poderoso em Efrata, e que o seu nome se torne famoso em Belém. 12Que, com os filhos que o Senhor lhe der dessa jovem, a sua casa seja como a de Perez,
4.12
Gn 38.27-30
Rt 4.18
o filho que Tamar deu a Judá.

Rute dá à luz Obede

13Assim Boaz recebeu Rute, e ela passou a ser a sua mulher. Ele teve relações com ela, e o Senhor concedeu que ela ficasse grávida e tivesse um filho. 14Então as mulheres disseram a Noemi:

— Bendito seja o Senhor, que não deixou hoje de lhe dar um neto que será o seu resgatador. Que o nome dele venha a ser famoso em Israel! 15Nele você terá renovação da vida e consolo na velhice, pois a sua nora, que ama você, o deu à luz, e para você ela é melhor do que sete filhos.

16Noemi pegou o menino no colo e passou a cuidar dele. 17As vizinhas lhe deram nome, dizendo:

— Nasceu um filho para Noemi!

E o chamaram de Obede. Este veio a ser o pai de Jessé, pai de Davi.

18E estas são as gerações de Perez: Perez gerou Esrom,

4.18
Mt 1.3
19Esrom gerou Rão, Rão gerou Aminadabe, 20Aminadabe gerou Naassom, Naassom gerou Salmom, 21Salmom gerou Boaz, Boaz gerou Obede, 22Obede gerou Jessé, e Jessé gerou Davi.

Utilizamos cookies de acordo com o nossa Política de Privacidade, respeitando todos as suas informações pessoais.[ocultar]