Nova Almeida Atualizada (2017) (NAA)
16

161Ouvi uma voz forte, vinda do santuário, dizendo aos sete anjos:

— Vão e derramem sobre a terra as sete taças da ira de Deus.

16.1
Ap 15.7

O primeiro flagelo

2O primeiro anjo foi e derramou a sua taça sobre a terra, e apareceram úlceras malignas e dolorosas

16.2
Êx 9.10
nas pessoas que tinham a marca da besta e que adoravam a sua imagem.

O segundo flagelo

3O segundo anjo derramou a sua taça no mar, e o mar se transformou em sangue, como de um morto, e morreu todo ser vivo que havia no mar.

O terceiro flagelo

4O terceiro anjo derramou a sua taça nos rios e nas fontes de água, e eles se transformaram em sangue.

16.3-4
Êx 7.17-21
5Então ouvi o anjo das águas dizendo:

“Tu és justo, tu que és

e que eras,

16.5
Ap 1.4
11.17
o Santo,
16.5
Ap 6.10
15.4

pois julgaste estas coisas.

6Porque derramaram sangue

de santos e de profetas,

também lhes deste sangue

para beber.

16.6
Is 49.26

É o que merecem.”

7Ouvi uma voz do altar, que dizia:

“Certamente, ó Senhor Deus,

Todo-Poderoso,

verdadeiros e justos

são os teus juízos.”

O quarto flagelo

8O quarto anjo

16.8
Ap 8.12
derramou a sua taça sobre o sol, e lhe foi dado queimar a humanidade com fogo. 9As pessoas se queimaram com o intenso calor e blasfemaram contra o nome de Deus, que tem autoridade sobre estes flagelos. Porém, não se arrependeram
16.9
Ap 9.20
para darem glória a Deus.

O quinto flagelo

10O quinto anjo derramou a sua taça sobre o trono da besta. O reino da besta ficou em trevas,

16.10
Êx 10.21
e as pessoas mordiam a língua por causa da dor que sentiam 11e blasfemavam contra o Deus do céu por causa das angústias e das úlceras que sofriam. Porém, não se arrependeram de suas obras.

O sexto flagelo

12O sexto anjo derramou a sua taça sobre o grande rio Eufrates. As águas do rio secaram,

16.12
Is 11.15-16
para que se preparasse o caminho dos reis que vêm do Oriente. 13Então vi sair da boca do dragão, da boca da besta e da boca do falso profeta três espíritos imundos semelhantes a rãs. 14São espíritos de demônios, operadores de sinais,
16.14
Ap 13.13
e se dirigem aos reis do mundo inteiro a fim de ajuntá-los para a batalha do grande Dia do Deus Todo-Poderoso.

15“Eis que venho como vem o ladrão.

16.15
Mt 24.43-44
Ap 3.3
Bem-aventurado aquele que vigia e guarda as suas vestes, para que não ande nu,
16.15
Ap 3.18
e não se veja a sua vergonha.”

16Então ajuntaram os reis no lugar

16.16
2Rs 23.29
2Cr 35.22
que em hebraico se chama Armagedom.16.16 O monte de Megido, onde os israelitas travaram batalhas decisivas (Jz 5.19; 2Rs 23.29-30)

O sétimo flagelo

17Então o sétimo anjo derramou a sua taça pelo ar. E uma voz forte saiu do santuário, do lado do trono, dizendo:

— Está feito!

16.17
Ap 21.6

18E sobrevieram relâmpagos,

16.18
Ap 8.5
11.19
vozes e trovões, e ocorreu um grande terremoto, como nunca houve igual desde que há gente sobre a terra, tal foi o terremoto, forte e grande. 19E a grande cidade se dividiu em três partes, e caíram as cidades das nações. E Deus se lembrou da grande Babilônia para dar-lhe o cálice
16.19
Is 51.17
Ap 14.10
do vinho do furor da sua ira. 20Todas as ilhas fugiram, e os montes não foram achados.
16.20
Ap 6.14
20.11
21Também desabou do céu sobre as pessoas uma grande chuva de granizo,
16.21
Êx 9.23
Ap 8.7
11.19
com pedras que pesavam mais de trinta quilos. E, por causa do flagelo da chuva de pedras, as pessoas blasfemaram contra Deus,
16.21
Ap 16.9,11
porque esse flagelo do granizo era terrível.

17

A grande prostituta e a besta

171Um dos sete anjos que tinham as sete taças veio e falou comigo, dizendo:

— Venha! Vou lhe mostrar o julgamento da grande prostituta que está sentada sobre muitas águas.

17.1
Jr 51.13
2Os reis da terra se prostituíram com ela, e os que habitam na terra se embriagaram com o vinho da sua prostituição.
17.2
Jr 51.7

3O anjo me transportou, no Espírito,

17.3
Ap 1.10
a um deserto, e vi uma mulher montada numa besta
17.3
Ap 13.1
escarlate, besta repleta de nomes de blasfêmia, com sete cabeças e dez chifres.
17.3
Ap 12.3
4A mulher estava vestida de púrpura e de escarlate, enfeitada com ouro, pedras preciosas e pérolas, tendo na mão um cálice de ouro
17.4
Jr 51.7
transbordante de abominações e das imundícias da sua prostituição. 5Na sua testa estava escrito um nome, um mistério: “Babilônia, a Grande,
17.5
Ap 14.8
a Mãe das Prostitutas e das Abominações da Terra”. 6Então vi a mulher embriagada com o sangue dos santos e com o sangue das testemunhas de Jesus. E, quando a vi, admirei-me com grande espanto. 7O anjo, porém, me disse:

— Por que você ficou admirado? Vou lhe explicar o mistério da mulher e da besta que tem as sete cabeças e os dez chifres e que leva a mulher: 8a besta que você viu era e não é mais, e está para emergir do abismo,

17.8
Ap 11.7
e caminha para a destruição. E aqueles que habitam sobre a terra, cujos nomes não foram escritos no Livro da Vida
17.8
Sl 69.28
Ap 3.5
desde a fundação do mundo, se admirarão, vendo a besta que era e não é mais, mas tornará a aparecer.

9— Aqui está a mente que tem sabedoria:

17.9
Ap 13.18
as sete cabeças são sete montes, nos quais a mulher está sentada. São também sete reis, 10dos quais cinco caíram, um existe e o outro ainda não chegou; e, quando chegar, tem de durar pouco tempo. 11E a besta, que era e não é mais, é também o oitavo rei, mas faz parte dos sete, e caminha para a destruição.

12— Os dez chifres

17.12
Dn 7.24
que você viu são dez reis, que ainda não receberam reino, mas recebem autoridade como reis, com a besta, durante uma hora. 13Estes têm um mesmo propósito
17.13
Ap 17.17
e oferecem à besta o poder e a autoridade que possuem.
17.13
Ap 13.4
14Lutarão contra o Cordeiro, e o Cordeiro os vencerá, pois é o Senhor dos senhores e o Rei dos reis;
17.14
Dt 10.17
Dn 2.47
1Tm 6.15
Ap 19.16
serão vencedores também os chamados, eleitos e fiéis que estão com o Cordeiro.

15O anjo disse ainda:

— As águas que você viu, onde a prostituta está sentada, são povos, multidões, nações e línguas. 16Os dez chifres que você viu e a besta, esses odiarão a prostituta. Eles a deixarão devastada e nua, comerão as carnes dela, e a queimarão no fogo. 17Porque Deus incutiu no coração deles que realizem o seu propósito, executem-no de comum acordo e deem à besta o reino que possuem, até que se cumpram as palavras de Deus.

17.17
Ap 10.7

18— A mulher que você viu é a grande cidade que domina sobre os reis da terra.

17.18
Sl 2.2

18

O anúncio da queda da Babilônia

181Depois destas coisas, vi descer do céu outro anjo, que tinha grande autoridade, e a terra se iluminou com a sua glória. 2Então exclamou com potente voz, dizendo:

— Caiu! Caiu

18.2
Is 21.9
a grande Babilônia! Ela se tornou morada de demônios,
18.2
Jr 50.39
refúgio de toda espécie de espírito imundo e esconderijo de todo tipo de ave imunda e detestável,
18.2
Is 13.21
3pois todas as nações beberam do vinho do furor da sua prostituição.
18.3
Jr 51.7
Com ela se prostituíram os reis da terra. Também os mercadores da terra se enriqueceram à custa da sua luxúria.

4Ouvi outra voz do céu, dizendo:

“Saiam dela,

18.4
Is 48.20
Jr 50.8
povo meu,

para que vocês não sejam

cúmplices em seus pecados

e para que os seus flagelos

não caiam sobre vocês.

5Porque os pecados dela

se acumularam até o céu,

18.5
Jr 51.9

e Deus se lembrou das injustiças

que ela praticou.

6Retribuam-lhe

como também ela retribuiu,

18.6
Sl 137.8
Jr 50.29

paguem-lhe em dobro

segundo as suas obras

e, no cálice em que

ela misturou bebidas,

misturem dobrado para ela.

7O quanto a si mesma

glorificou e viveu em luxúria,

deem a ela em igual medida

tormento e pranto.

Porque ela pensa assim:

‘Estou sentada como rainha.

Não sou viúva.

Nunca saberei o que é pranto!’

18.7
Is 47.8

8Por isso, em um só dia

sobrevirão os seus flagelos:

morte, pranto e fome;

18.8
Is 47.9

e será queimada no fogo,

porque poderoso é o Senhor Deus,

que a julga.”

Os lamentos dos admiradores da Babilônia

9Os reis da terra, que com ela se prostituíram e viveram em luxúria, vão chorar e se lamentar por causa dela, quando virem a fumaça do seu incêndio.

18.9
Ez 26.16-17
Ap 17.2
10E, conservando-se de longe, com medo do seu tormento, dizem:

“Ai! Ai de você, grande cidade,

Babilônia, cidade poderosa!

Pois em uma só hora

chegou o seu juízo.”

11E, por causa dela, choram e pranteiam os mercadores da terra, porque ninguém mais compra a sua mercadoria,

18.11
Ez 27.12-13,16,22
12mercadoria de ouro, de prata, de pedras preciosas, de pérolas, de linho finíssimo, de púrpura, de seda, de escarlate; e toda espécie de madeira odorífera, todo gênero de objeto de marfim, toda qualidade de móvel de madeira cara, de bronze, de ferro e de mármore; 13e canela de cheiro, especiarias, incenso, perfume, mirra, vinho, azeite, boa farinha, trigo, gado e ovelhas; e de cavalos, de carruagens, de escravos e até almas humanas. 14Eles dizem:

“O fruto que tanto lhe apeteceu

se afastou de você,

e para você se extinguiu

tudo o que é delicado

e esplêndido,

e nunca mais serão achados.”

15Os mercadores destas coisas, que, por meio dela, se enriqueceram, ficarão de longe, com medo do seu tormento, chorando e pranteando, 16dizendo:

“Ai! Ai da grande cidade,

que estava vestida

de linho finíssimo,

de púrpura e de escarlate,

enfeitada com ouro,

pedras preciosas e pérolas,

18.16
Ap 17.4

17porque em uma só hora

18.17
Ap 18.10

ficou devastada

tamanha riqueza!”

E todos os pilotos, e todos aqueles que viajam pelo mar, e marinheiros,

18.17
Ez 27.25-36
e os que ganham a vida no mar ficaram de longe. 18Então, vendo a fumaça do seu incêndio, gritavam:

— Que cidade se compara à grande cidade?

18.18
Ez 27.32
Ap 13.4

19Lançaram pó sobre a cabeça e, chorando e pranteando, gritavam:

“Ai! Ai da grande cidade,

18.19
Ap 18.10

na qual se enriqueceram todos

os que possuíam navios no mar,

à custa da sua riqueza,

porque em uma só hora

foi devastada!

20Alegrem-se por causa dela,

18.20
Jr 51.48

ó céus,

e também vocês, santos,

apóstolos e profetas,

porque Deus julgou

a causa de vocês contra ela.”

A ruína da Babilônia é completa e definitiva

21Então um anjo forte levantou uma pedra do tamanho de uma grande pedra de moinho e lançou-a no mar, dizendo:

“Assim, com ímpeto,

será lançada Babilônia,

18.21
Jr 51.63-64

a grande cidade,

e nunca mais será achada.

18.21
Ez 26.21

22Em você nunca mais será ouvido

o som de harpistas,

18.22
Ez 26.13

de músicos, de tocadores de flauta

e de trombeta.

Em você nunca mais se achará

artífice nenhum

de qualquer arte que seja,

e nunca jamais se ouvirá em você

o ruído de pedra de moinho.

23Também nunca mais brilhará

em você a luz

de uma lamparina,

e nunca mais se ouvirá em você

uma voz de noivo ou de noiva,

18.23
Jr 25.10

pois os seus mercadores

foram os grandes da terra,

porque com a sua feitiçaria

você seduziu todas as nações.

24E nela foi encontrado

sangue de profetas,

de santos e de todos os que

foram mortos sobre a terra.”

18.24
Jr 51.49

Utilizamos cookies de acordo com o nossa Política de Privacidade, respeitando todos as suas informações pessoais.[ocultar]