Nova Almeida Atualizada (2017) (NAA)
86

Súplica e confiança

Oração de Davi

861Inclina, Senhor, os teus ouvidos

e responde-me,

86.1
Sl 17.6
31.2

pois estou aflito e necessitado.

2Preserva a minha alma,

pois eu sou piedoso.

Ó Deus meu, salva o teu servo

que em ti confia.

3Compadece-te de mim, ó Senhor,

pois a ti clamo todo o dia.

86.3
Sl 25.5
88.9

4Alegra a alma do teu servo,

porque a ti, Senhor,

elevo a minha alma.

86.4
Sl 25.1
143.8

5Pois tu, Senhor,

és bom e perdoador;

rico em misericórdia

86.5
Êx 34.6
Ne 9.17
Sl 103.8

para com todos

os que te invocam.

6Escuta, Senhor, a minha oração

e atende à voz

das minhas súplicas.

86.6
Sl 55.1

7No dia da minha angústia

clamo a ti,

86.7
Sl 50.15
77.2

porque me respondes.

8Não há entre os deuses

quem seja semelhante a ti,

Senhor;

86.8
Êx 15.11
2Sm 7.22
Sl 89.6
Jr 10.6

e nada existe que se compare

às tuas obras.

9Todas as nações

86.9
Ap 15.4
que fizeste

virão, se prostrarão

diante de ti, Senhor,

e glorificarão o teu nome.

10Pois tu és grande

e operas maravilhas;

só tu és Deus!

86.10
Dt 6.4
Is 44.6
1Co 8.4

11Ensina-me, Senhor,

o teu caminho,

e andarei na tua verdade;

86.11
Sl 25.4-5
27.11

põe em meu coração o desejo

de temer o teu nome.

12Eu te darei graças,

Senhor, Deus meu,

de todo o coração,

e glorificarei para sempre

o teu nome.

13Pois grande é a tua misericórdia

para comigo,

e me livraste a alma

do mais profundo

poder da morte.

14Ó Deus, os soberbos

se levantaram contra mim,

e um bando de violentos

procura tirar-me a vida;

eles não te consideram.

86.14
Sl 54.3

15Mas tu, Senhor,

és Deus compassivo

e bondoso,

86.15
Sl 86.5

tardio em irar-se e grande

em misericórdia e fidelidade.

16Volta-te para mim

e tem compaixão de mim;

86.16
Sl 25.16

concede a tua força ao teu servo

e salva o filho da tua serva.

17Mostra-me um sinal do teu favor,

para que o vejam

e se envergonhem

os que me odeiam;

pois tu, Senhor,

me ajudas e me consolas.

87

Jerusalém, a cidade de Deus

Salmo dos filhos de Corá. Cântico

871Fundada por ele

sobre os montes santos,

2o Senhor ama as portas de Sião

mais do que todas

as habitações de Jacó.

3Coisas gloriosas são ditas

a respeito de você,

ó cidade de Deus!

4“Dentre os que me conhecem,

farei menção de Raabe87.4 Referência ao Egito

e da Babilônia.

Eis aí a Filístia e Tiro

com a Etiópia;

‘nasceram em Sião’,

é o que se diz.”

5E a respeito de Sião se dirá:

“Este e aquele nasceram nela”;

e o próprio Altíssimo

a estabelecerá.

6O Senhor, ao registrar

os povos, dirá:

“Este nasceu lá.”

7Todos os cantores,

saltando de alegria, dirão:

“Todas as minhas fontes

estão em ti.”

88

Oração de um sofredor

Cântico. Salmo dos filhos de Corá. Ao mestre de canto. Para ser cantado com cítara. Salmo didático de Hemã, ezraíta

881Ó Senhor, Deus da minha

salvação,

dia e noite clamo diante de ti.

2Chegue à tua presença

a minha oração;

inclina os teus ouvidos

ao meu clamor.

3Pois a minha alma

está cheia de angústias,

e a minha vida

já se aproxima da morte.

4Sou contado

com os que descem ao abismo.

Sou como um homem sem força,

5atirado entre os mortos;

como os feridos de morte

que jazem na sepultura,

dos quais já não te lembras;

pois foram abandonados

pelas tuas mãos.

6Puseste-me

na mais profunda cova,

nos lugares tenebrosos,

nos abismos.

7Sobre mim pesa a tua ira;

tu me abates

com todas as tuas ondas.

8Afastaste de mim

os meus conhecidos

e me fizeste objeto de abominação

para com eles;

88.8
Sl 31.11

estou preso e não vejo como sair.

9Os meus olhos desfalecem

de aflição;

dia após dia,

venho clamando a ti, Senhor,

e a ti levanto as minhas mãos.

10Será que farás maravilhas

para os mortos?

Ou será que os finados

se levantarão para te louvar?

88.10
Sl 6.5
30.9

11A tua bondade será anunciada

na sepultura?

A tua fidelidade, nos abismos?

12Acaso nas trevas se manifestam

as tuas maravilhas?

E a tua justiça,

na terra do esquecimento?

13Mas eu, Senhor,

clamo a ti por socorro,

e de madrugada dirijo a ti

a minha oração.

88.13
Sl 5.3
119.147

14Por que rejeitas, Senhor,

a minha alma

e ocultas de mim o teu rosto?

88.14
Jó 13.24
Sl 13.1

15Ando aflito e prestes a morrer

desde moço;

sob o peso dos teus terrores,

estou desorientado.

16Sobre mim passou a tua ira;

os teus terrores acabaram comigo.

17O dia todo eles me rodeiam

como água;

a um tempo me circundam.

18Para longe de mim afastaste

os amigos e companheiros;

os meus conhecidos

agora são as trevas.

Utilizamos cookies de acordo com o nossa Política de Privacidade, respeitando todos as suas informações pessoais.[ocultar]