Nova Almeida Atualizada (2017) (NAA)
69

Um grito de angústia

Ao mestre de canto, segundo a melodia “Os lírios”. De Davi

691Salva-me, ó Deus,

porque as águas me sobem

até a alma.

2Estou atolado

num profundo lamaçal,

que não dá pé.

Entrei em águas profundas,

e estou sendo arrastado

pela correnteza.

3Estou cansado de clamar,

e a minha garganta secou;

os meus olhos esmorecem

de tanto esperar por meu Deus.

69.3
Sl 119.82

4Os que, sem razão, me odeiam

69.4
Sl 35.19
Jo 15.25

são mais numerosos

do que os cabelos

da minha cabeça;

são poderosos os que querem

me destruir,

os que com falsos motivos

são meus inimigos;

por isso, tenho de restituir

o que não roubei.

5Tu, ó Deus, bem conheces

a minha insensatez,

e as minhas culpas

não te são ocultas.

69.5
Sl 44.21
Jr 16.17

6Não sejam envergonhados

por minha causa

os que esperam em ti,

ó Senhor, Deus dos Exércitos;

nem por minha causa

sofram vexame

os que te buscam,

ó Deus de Israel.

7Pois tenho suportado afrontas

por amor de ti,

e o meu rosto se cobre

de vergonha.

8Tornei-me um estranho

para os meus irmãos

e um desconhecido para os filhos

da minha mãe.

69.8
Jó 19.13
Sl 31.11
38.11

9Pois o zelo da tua casa

69.9
Jo 2.17

me consumiu,

e as ofensas

69.9
Rm 15.3
dos que te insultam

caem sobre mim.

10Chorei, jejuei,

mas até isto se tornou motivo

de deboche para mim.

11Pus um pano de saco por roupa

e me tornei motivo de provérbio

para eles.

12Os que se assentam

junto ao portão da cidade

falam de mim,

69.12
Jó 30.9

e sou motivo para cantigas

de bêbados.

13Quanto a mim, porém, Senhor,

faço a ti, em tempo favorável,

69.13
Is 49.8
2Co 6.2

a minha oração.

Responde-me, ó Deus,

pela riqueza da tua graça.

Pela tua fidelidade em socorrer,

14livra-me do lamaçal,

para que eu não me afunde;

que eu seja salvo

dos que me odeiam

e das profundezas das águas.

15Não deixes que

a corrente das águas

me arraste,

nem que as profundezas do abismo

me engulam,

nem que se feche sobre mim

a boca do poço.

16Responde-me, Senhor,

pois compassiva é a tua graça;

volta-te para mim

segundo a riqueza

das tuas misericórdias.

69.16
Sl 51.1
106.45

17Não escondas o rosto

ao teu servo,

69.17
Sl 27.9
102.2
143.7

pois estou angustiado;

responde-me depressa.

18Aproxima-te de minha alma

e redime-a;

resgata-me por causa

dos meus inimigos.

19Tu conheces a minha afronta,

a minha vergonha e o meu vexame;

todos os meus adversários

estão à tua vista.

20As afrontas partiram

o meu coração,

e desfaleci.

Esperei por piedade,

mas foi em vão.

Esperei por consoladores,

mas não apareceu ninguém.

21Por alimento me deram fel

e na minha sede

me deram a beber vinagre.

69.21
Mt 27.48
Mc 15.36
Jo 19.28-29

22Que a mesa deles se torne

em laço diante deles,

e a prosperidade, em armadilha.

23Que os olhos deles se escureçam,

para que não vejam;

e faze com que as suas costas

não parem de tremer.

69.22-23
Rm 11.9-10

24Derrama sobre eles

a tua indignação,

e que o furor da tua ira os alcance.

25Fique deserta a sua morada,

69.25
At 1.20

e não haja quem habite

nas suas tendas.

26Pois perseguem a quem tu feriste

e ficam falando

sobre as dores daqueles

a quem golpeaste.

27Soma-lhes iniquidade

à iniquidade,

e que não tenham acesso

à tua justiça.

28Sejam riscados

do Livro dos Vivos

69.28
Ap 3.5
13.8
17.8

e não sejam incluídos

na lista dos justos.

29Quanto a mim, porém,

estou sofrendo e aflito;

que a tua salvação, ó Deus,

me ponha num alto refúgio.

30Louvarei com cânticos

o nome de Deus;

quero exaltá-lo

com ações de graças.

31Isso será muito mais agradável

ao Senhor

do que um boi ou um novilho

com chifres e cascos.

32Que os aflitos vejam isso

e se alegrem;

quanto a vocês

que buscam a Deus,

que o seu coração se reanime.

33Porque o Senhor

ouve os necessitados

e não despreza os seus prisioneiros.

34Louvem-no os céus e a terra,

os mares e tudo

o que neles se move.

35Porque Deus salvará Sião

e edificará as cidades de Judá;

habitarão ali

e tomarão posse de Sião.

36Também a descendência

dos seus servos a herdará,

e nela habitarão os que amam

o nome de Deus.

70

Oração pedindo ajuda

Sl 40.13-17

Ao mestre de canto. De Davi. Em memória

701Agrada-te, ó Deus,

em me livrar;

apressa-te, ó Senhor,

em me socorrer.

2Que sejam envergonhados

e cobertos de vexame

os que buscam tirar-me a vida;

retrocedam e cubram-se

de vergonha

os que se alegram com o meu mal.

3Retrocedam por causa

da sua vergonha

os que dizem:

“Bem feito! Bem feito!”

4Exultem e em ti se alegrem

todos os que te buscam;

e os que amam a tua salvação

digam sempre:

“Deus seja engrandecido!”

5Eu sou pobre e necessitado;

ó Deus, apressa-te em me socorrer,

pois tu és o meu amparo

e o meu libertador.

Senhor, não te demores!

71

Súplicas de um ancião

711Em ti, Senhor, me refugio;

não seja eu jamais envergonhado.

71.1
Sl 31.1

2Livra-me por tua justiça

e resgata-me;

inclina-me os ouvidos e salva-me.

3Sê tu para mim

uma rocha habitável

em que eu sempre possa

me refugiar.

Ordenaste que eu me salve,

pois tu és a minha rocha

e a minha fortaleza.

71.3
Sl 18.2
31.3

4Livra-me, Deus meu,

das mãos do ímpio,

das garras do homem injusto

e cruel.

5Pois tu és a minha esperança,

Senhor Deus,

a minha confiança

desde a minha mocidade.

6Em ti eu tenho me apoiado

desde o meu nascimento;

71.6
Sl 22.10
Is 46.3

tu me tiraste do ventre materno.

A ti se dirige constantemente

o meu louvor.

7Para muitos sou motivo

de espanto,

mas tu és o meu forte refúgio.

8Os meus lábios estão repletos

do teu louvor

e da tua glória continuamente.

9Não me rejeites

na minha velhice;

71.9
Sl 71.18

quando me faltarem as forças,

não me desampares.

10Pois os meus inimigos

falam contra mim;

e os que querem matar-me

conspiram,

11dizendo: “Deus o abandonou.

71.11
Sl 3.2

Persigam-no e prendam-no,

pois não há quem o possa livrar.”

12Ó Deus, não te ausentes de mim;

71.12
Sl 10.1
22.11
35.22
38.21

Deus meu, apressa-te

em me socorrer.

13Que sejam envergonhados

e consumidos

os que são adversários

de minha alma;

cubram-se de vergonha

e de vexame

os que procuram o meu mal.

14Quanto a mim, esperarei sempre

e te louvarei cada vez mais.

15A minha boca proclamará

a tua justiça;

o dia inteiro contarei

os feitos da tua salvação,

71.15
Sl 35.28
71.8,24

ainda que eu não saiba

o seu número.

16Irei na força do Senhor Deus;

anunciarei a tua justiça,

a tua somente.

17Tu me tens ensinado, ó Deus,

desde a minha mocidade;

e até agora tenho anunciado

as tuas maravilhas.

18Não me desampares, ó Deus,

agora que estou velho

e de cabelos brancos,

até que eu tenha declarado

à presente geração a tua força

e às gerações vindouras o teu poder.

19A tua justiça, ó Deus,

se eleva até os céus.

Grandes coisas tens feito, ó Deus;

quem é semelhante a ti?

71.19
Sl 35.10

20Tu, que me tens feito ver

muitas angústias e males,

me restaurarás ainda a vida

e de novo me tirarás

dos abismos da terra.

21Aumenta a minha grandeza

e consola-me novamente.

22Eu também te louvo com a lira

por tua verdade,

ó Deus meu;

cantarei louvores a ti

ao som da harpa,

ó Santo de Israel.

23Os meus lábios exultarão

quando eu cantar louvores a ti;

também exultará a minha alma,

que remiste.

24Igualmente a minha língua

celebrará a tua justiça

todo o dia;

pois estão envergonhados

e confundidos

os que procuram o meu mal.