Nova Almeida Atualizada (2017) (NAA)
57

Louvor pela bondade de Deus

Ao mestre de canto, segundo a melodia “Não destruas”. Hino de Davi, quando fugia de Saul, na caverna

57, título
1Sm 24.3

571Tem misericórdia de mim, ó Deus,

tem misericórdia,

pois em ti a minha alma se refugia;

à sombra das tuas asas me abrigo,

até que passem as calamidades.

2Clamarei ao Deus Altíssimo,

ao Deus que por mim

tudo executa.

3Dos céus ele me envia

o seu auxílio e me livra;

cobre de vergonha

os que procuram me destruir.

Envia a sua misericórdia

e a sua fidelidade.

4A minha alma está

rodeada de leões,

ávidos por devorar

os filhos dos homens;

lanças e flechas são os seus dentes,

espada afiada é a língua deles.

5Sê exaltado, ó Deus,

acima dos céus;

e em toda a terra

brilhe a tua glória.

57.5
Sl 108.5

6Armaram uma rede

aos meus passos,

a minha alma está abatida.

Abriram uma cova diante de mim,

mas eles mesmos caíram nela.

57.6
Sl 7.15
Pv 28.10

7Firme está o meu coração,

ó Deus,

o meu coração está firme;

cantarei e entoarei louvores.

8Acorde, ó minha alma!

Acordem, lira e harpa!

Quero acordar o alvorecer.

9Eu te darei graças

entre os povos;

57.9
Sl 18.49

cantarei louvores a ti

entre as nações.

10Pois a tua misericórdia

se eleva até os céus,

e a tua fidelidade, até as nuvens.

57.10
Sl 36.5

11Sê exaltado, ó Deus,

acima dos céus;

e em toda a terra

brilhe a tua glória.

57.7-11
Sl 108.1-5

58

O castigo dos ímpios

Ao mestre de canto, segundo a melodia “Não destruas”. Hino de Davi

581Será que vocês, juízes,

tomam decisões justas?

Julgam com retidão

os filhos dos homens?

58.1
Sl 82.2

2Longe disso!

Pelo contrário, no íntimo

vocês planejam iniquidades

e distribuem na terra

a violência de suas mãos.

3Os ímpios se desviam

desde a sua concepção;

58.3
Sl 51.5
Jó 15.14

nascem e já se desencaminham,

proferindo mentiras.

4Têm veneno semelhante

ao veneno da serpente;

são como a víbora surda,

que tapa os ouvidos,

5para não ouvir

a voz dos encantadores,

do mais fascinante

em encantamentos.

6Ó Deus, quebra-lhes

os dentes na boca;

arranca, Senhor,

as presas dos leõezinhos.

7Que eles desapareçam

como as águas que se escoam;

ao dispararem flechas,

que elas se despedacem.

8Sejam como a lesma,

que se dilui ao passar;

como o aborto de mulher,

que nunca vejam a luz do sol.

9Como espinheiros,

antes que as panelas

de vocês sintam deles o calor,

tanto os verdes

como os que estão em brasa,

serão arrebatados

como por um redemoinho.

10Os justos se alegrarão

ao verem a vingança;

banharão os pés

no sangue dos ímpios.

11Então se dirá: “Na verdade,

há recompensa para os justos;

de fato há um Deus

que julga na terra.”

58.11
Sl 67.4
75.7

59

Súplica por libertação

Ao mestre de canto, segundo a melodia “Não destruas”. Hino de Davi, quando Saul mandou que lhe vigiassem a casa,

59, título
1Sm 19.11
para o matar

591Livra-me, Deus meu,

dos meus inimigos;

põe-me fora do alcance

dos meus adversários.

59.1
Sl 143.9

2Livra-me dos que praticam

a iniquidade

e salva-me

dos homens sanguinários.

3Pois eis que armam ciladas

à minha alma;

contra mim se reúnem os fortes,

sem que eu tenha cometido

qualquer transgressão

ou pecado, ó Senhor.

4Sem culpa minha,

eles se apressam

para me atacar;

desperta, vem ao meu encontro

e vê.

5Tu, Senhor, Deus dos Exércitos,

és o Deus de Israel;

desperta, pois, e castiga

todas as nações;

não te compadeças de nenhum

dos que traiçoeiramente

praticam a iniquidade.

6Ao anoitecer, uivam como cães,

à volta da cidade.

7Proferem ameaças;

em seus lábios há espadas.

Pois dizem: “Quem vai ouvir?”

59.7
Sl 10.11
73.11
94.7
Jó 22.13

8Mas tu, Senhor, vais rir deles;

59.8
Sl 2.4
37.13

zombarás de todas as nações.

9Em ti, força minha, esperarei;

pois Deus é meu alto refúgio.

59.9
Sl 9.9
62.2

10Meu Deus virá ao meu encontro

com a sua misericórdia,

Deus me fará ver

a derrota dos meus inimigos.

11Não os mates, para que

o meu povo não se esqueça;

dispersa-os pelo teu poder

e abate-os,

ó Senhor, escudo nosso.

12Pelo pecado de sua boca,

pelas palavras dos seus lábios,

na sua própria soberba

sejam enredados

e pelas maldições

e mentiras que proferem.

13Consome-os com indignação,

consome-os,

para que deixem de existir

e se saiba que Deus reina em Jacó,

até os confins da terra.

59.13
Sl 83.18

14Ao anoitecer, uivam como cães,

à volta da cidade.

59.14
Sl 59.6

15Vagueiam à procura de comida

e, se não se fartam, então rosnam.

16Eu, porém, cantarei a tua força;

pela manhã louvarei com alegria

a tua misericórdia,

pois tu me tens sido alto refúgio

e proteção no dia

da minha angústia.

17A ti, força minha,

cantarei louvores,

porque Deus é meu alto refúgio,

59.17
Sl 59.9

é o Deus da minha misericórdia.