Nova Almeida Atualizada (2017) (NAA)
56

Oração de confiança em Deus

Ao mestre de canto, segundo a melodia “A pomba nos terebintos distantes”. Hino de Davi, quando os filisteus o prenderam em Gate

56, título
1Sm 21.13-15

561Tem misericórdia de mim, ó Deus,

porque os homens

querem me destruir;

todo o dia eles me oprimem

e lutam contra mim.

2Os meus inimigos sempre

querem me destruir;

são muitos os que atrevidamente

me combatem.

3Quando eu ficar com medo,

hei de confiar em ti.

4Em Deus, cuja palavra eu exalto,

neste Deus ponho

a minha confiança

e nada temerei.

Que me pode fazer um mortal?

56.4
Sl 118.6

5Todo o dia

torcem as minhas palavras;

os seus pensamentos são todos

contra mim para o mal.

6Ajuntam-se, escondem-se,

espionam os meus passos,

como aguardando a hora

de me tirarem a vida.

7Dá-lhes a retribuição

segundo a sua iniquidade.

Derruba os povos, ó Deus,

na tua ira!

8Contaste os meus passos

quando sofri perseguições.

Recolhe as minhas lágrimas

no teu odre;

não estão elas inscritas

no teu livro?

9No dia em que eu te invocar,

os meus inimigos

baterão em retirada.

Uma coisa eu sei:

que Deus é por mim.

56.9
Rm 8.31

10Em Deus, cuja palavra eu louvo,

no Senhor, cuja palavra eu louvo,

11neste Deus ponho

a minha confiança

e nada temerei.

Que me pode fazer

um simples ser humano?

56.11
Sl 56.4

12Os votos que fiz,

eu os manterei, ó Deus;

56.12
Sl 50.14

trarei as ofertas

de ações de graças.

13Pois da morte livraste

a minha alma,

sim, livraste da queda os meus pés,

para que eu ande

na presença de Deus,

na luz da vida.

56.13
Sl 116.8-9

57

Louvor pela bondade de Deus

Ao mestre de canto, segundo a melodia “Não destruas”. Hino de Davi, quando fugia de Saul, na caverna

57, título
1Sm 24.3

571Tem misericórdia de mim, ó Deus,

tem misericórdia,

pois em ti a minha alma se refugia;

à sombra das tuas asas me abrigo,

até que passem as calamidades.

2Clamarei ao Deus Altíssimo,

ao Deus que por mim

tudo executa.

3Dos céus ele me envia

o seu auxílio e me livra;

cobre de vergonha

os que procuram me destruir.

Envia a sua misericórdia

e a sua fidelidade.

4A minha alma está

rodeada de leões,

ávidos por devorar

os filhos dos homens;

lanças e flechas são os seus dentes,

espada afiada é a língua deles.

5Sê exaltado, ó Deus,

acima dos céus;

e em toda a terra

brilhe a tua glória.

57.5
Sl 108.5

6Armaram uma rede

aos meus passos,

a minha alma está abatida.

Abriram uma cova diante de mim,

mas eles mesmos caíram nela.

57.6
Sl 7.15
Pv 28.10

7Firme está o meu coração,

ó Deus,

o meu coração está firme;

cantarei e entoarei louvores.

8Acorde, ó minha alma!

Acordem, lira e harpa!

Quero acordar o alvorecer.

9Eu te darei graças

entre os povos;

57.9
Sl 18.49

cantarei louvores a ti

entre as nações.

10Pois a tua misericórdia

se eleva até os céus,

e a tua fidelidade, até as nuvens.

57.10
Sl 36.5

11Sê exaltado, ó Deus,

acima dos céus;

e em toda a terra

brilhe a tua glória.

57.7-11
Sl 108.1-5

58

O castigo dos ímpios

Ao mestre de canto, segundo a melodia “Não destruas”. Hino de Davi

581Será que vocês, juízes,

tomam decisões justas?

Julgam com retidão

os filhos dos homens?

58.1
Sl 82.2

2Longe disso!

Pelo contrário, no íntimo

vocês planejam iniquidades

e distribuem na terra

a violência de suas mãos.

3Os ímpios se desviam

desde a sua concepção;

58.3
Sl 51.5
Jó 15.14

nascem e já se desencaminham,

proferindo mentiras.

4Têm veneno semelhante

ao veneno da serpente;

são como a víbora surda,

que tapa os ouvidos,

5para não ouvir

a voz dos encantadores,

do mais fascinante

em encantamentos.

6Ó Deus, quebra-lhes

os dentes na boca;

arranca, Senhor,

as presas dos leõezinhos.

7Que eles desapareçam

como as águas que se escoam;

ao dispararem flechas,

que elas se despedacem.

8Sejam como a lesma,

que se dilui ao passar;

como o aborto de mulher,

que nunca vejam a luz do sol.

9Como espinheiros,

antes que as panelas

de vocês sintam deles o calor,

tanto os verdes

como os que estão em brasa,

serão arrebatados

como por um redemoinho.

10Os justos se alegrarão

ao verem a vingança;

banharão os pés

no sangue dos ímpios.

11Então se dirá: “Na verdade,

há recompensa para os justos;

de fato há um Deus

que julga na terra.”

58.11
Sl 67.4
75.7

Utilizamos cookies de acordo com o nossa Política de Privacidade, respeitando todos as suas informações pessoais.[ocultar]