Nova Almeida Atualizada (2017) (NAA)
39

A vaidade da vida

Ao mestre de canto, Jedutum. Salmo de Davi

391Eu disse comigo mesmo:

“Guardarei os meus caminhos,

para não pecar com a língua;

porei mordaça à minha boca,

enquanto os ímpios estiverem

na minha presença.”

2Emudeci em silêncio,

calei a respeito do bem,

e a minha dor se agravou.

3O coração me ardia no peito;

enquanto eu meditava,

um fogo se acendeu

dentro de mim.

Então eu disse em voz alta:

4Senhor, dá-me a conhecer

o meu fim

e qual é a soma dos meus dias,

39.4
Sl 90.12

para que eu reconheça

a minha fragilidade.

5Deste aos meus dias

o comprimento

de alguns palmos;

à tua presença,

o prazo da minha vida é nada.

39.5
Jó 14.1-2
Sl 90.9
144.4

Na verdade, todo ser humano,

por mais firme que esteja,

é pura vaidade.

6De fato, o ser humano passa

como uma sombra.

Em vão se inquieta;

amontoa tesouros e não sabe

quem ficará com eles.”

39.6
Jó 27.16-17

7“E eu, Senhor, que espero?

Tu és a minha esperança.

8Livra-me de todas

as minhas iniquidades;

não permitas que os insensatos

zombem de mim.

9Emudeço, não abro os lábios

porque tu fizeste isso.

10Tira de sobre mim o teu flagelo;

pelo golpe de tua mão,

estou perecendo.

11Quando castigas alguém

com repreensões,

por causa do pecado,

destróis nele, como traça,

o que tem de precioso.

De fato, o ser humano

é pura vaidade.”

12“Ouve, Senhor, a minha oração,

escuta-me quando grito

por socorro.

Não fiques insensível

às minhas lágrimas,

porque sou forasteiro diante de ti,

peregrino como todos

os meus pais o foram.

39.12
1Cr 29.15
Hb 11.13

13Desvia de mim o olhar,

para que eu tome alento,

antes que eu passe

e deixe de existir.”

40

Cântico de louvor e pedido de ajuda

Ao mestre de canto. Salmo de Davi

401Esperei com paciência

pelo Senhor;

ele se inclinou para mim

e me ouviu quando clamei

por socorro.

2Tirou-me de um poço

de perdição,

de um atoleiro de lama;

40.2
Sl 69.2,14

colocou os meus pés

sobre uma rocha

e firmou os meus passos.

40.2
Sl 37.23

3E me pôs nos lábios

um cântico novo,

40.3
Sl 33.3
96.1
98.1
144.9

um hino de louvor ao nosso Deus.

Muitos verão essas coisas, temerão

e confiarão no Senhor.

4Bem-aventurado é aquele

que põe no Senhor

a sua confiança

40.4
Sl 34.8
84.12

e não se volta para os arrogantes,

nem para os que seguem

a mentira.

5São muitas, Senhor, Deus meu,

as maravilhas que tens operado

e também os teus desígnios

para conosco;

não há ninguém

que possa se igualar a ti.

Eu quisera anunciá-los

e deles falar,

mas são mais do que

se pode contar.

40.5
Sl 139.18

6Sacrifícios e ofertas não quiseste;

abriste os meus ouvidos;

holocaustos e ofertas pelo pecado

não requeres.

7Então eu disse: “Eis aqui estou,

no rolo do livro está escrito

a meu respeito;

8agrada-me fazer a tua vontade,

ó Deus meu;

a tua lei está dentro

do meu coração.”

40.6-8
Hb 10.5-7

9Proclamei as boas-novas

de justiça

na grande congregação;

jamais cerrei os lábios,

tu o sabes, Senhor.

10Não ocultei no coração

a tua justiça;

proclamei a tua fidelidade

e a tua salvação;

40.10
Sl 89.1

não escondi

da grande congregação

a tua graça e a tua verdade.

11Não retenhas de mim, Senhor,

as tuas misericórdias;

que a tua graça e a tua verdade

sempre me guardem.

40.11
Sl 61.7

12São incontáveis os males

que me cercam;

as minhas iniquidades

me alcançaram,

tantas, que me impedem a visão;

são mais numerosas

que os cabelos

de minha cabeça,

e o coração desfalece.

13Agrada-te, Senhor, em me livrar;

apressa-te, ó Senhor,

em me socorrer.

14Que sejam envergonhados

e cobertos de vexame

todos os que buscam

tirar-me a vida;

retrocedam

e cubram-se de vergonha

os que se alegram com o meu mal.

40.14
Sl 35.4

15Sofram perturbação

por causa da sua vergonha

aqueles que me dizem:

“Bem feito! Bem feito!”

16Exultem e em ti se alegrem

todos os que te buscam;

os que amam a tua salvação

digam sempre:

“O Senhor seja engrandecido!”

40.16
Sl 35.27

17Eu sou pobre e necessitado,

porém o Senhor cuida de mim.

Tu és o meu amparo

e o meu libertador;

não te demores, ó Deus meu!

40.13-17
Sl 70.1-5

41

Oração de um doente

Ao mestre de canto. Salmo de Davi

411Bem-aventurado é aquele

que ajuda os necessitados;

41.1
Pv 14.21

o Senhor o livra no dia do mal.

2O Senhor o protege,

preserva-lhe a vida

e o faz feliz na terra;

não o entrega à vontade

dos seus inimigos.

3O Senhor o assiste

no leito da enfermidade.

Quando doente,

tu lhe restauras a saúde.

4Eu disse: “Compadece-te

de mim, Senhor;

sara a minha alma,

porque pequei contra ti.”

5Os meus inimigos

falam mal de mim:

“Quando é que ele vai morrer

e ser esquecido?”

6Se algum deles vem me visitar,

diz coisas vãs,

amontoando maldades no coração;

ao sair, é disso que fala.

7Todos os que me odeiam

se reúnem

e ficam cochichando;

pensam o pior a respeito de mim,

dizendo:

8“Foi uma peste que deu nele”;

e: “Caiu de cama,

e não vai se levantar mais.”

9Até o meu amigo íntimo,

em quem eu confiava,

que comia do meu pão,

levantou contra mim

o seu calcanhar.

41.9
Mt 26.24
Mc 14.21
Lc 22.22
Jo 13.18
17.12

10Tu, porém, Senhor,

compadece-te de mim

e levanta-me,

para que eu lhes pague

segundo merecem.

11Com isto saberei

que te agradas de mim:

em não triunfar contra mim

o meu inimigo.

12Quanto a mim, tu me susténs

na minha integridade

e me pões na tua presença

para sempre.

13Bendito seja o Senhor,

Deus de Israel,

de eternidade a eternidade!

41.13
Sl 106.48

Amém e amém!

Utilizamos cookies de acordo com o nossa Política de Privacidade, respeitando todos as suas informações pessoais.[ocultar]