Nova Almeida Atualizada (2017) (NAA)

71Meu filho, guarde

as minhas palavras

e conserve os meus mandamentos

em seu coração.

2Observe os meus mandamentos

e você viverá;

7.2
Pv 4.4

guarde a minha lei

como a menina dos seus olhos.

3Amarre-os aos dedos,

escreva-os na tábua

do seu coração.

7.3
Pv 3.3

4Diga à Sabedoria:

“Você é minha irmã”;

e ao Entendimento:

“Você é meu parente.”

5Eles o guardarão

da mulher imoral,

da estranha que lisonjeia

com palavras.

A mulher imoral

6Porque da janela da minha casa,

olhando pela grade,

7vi entre os ingênuos,

e descobri entre os jovens

um que não tinha juízo.

8Ele ia e vinha pela rua

junto à esquina

da mulher estranha

e seguia o caminho da casa dela,

9no crepúsculo, ao anoitecer,

na escuridão da noite, nas trevas.

10Eis que a mulher

lhe saiu ao encontro,

com roupas de prostituta

e astúcia no coração.

11É espalhafatosa e inquieta;

os seus pés não param em casa.

12Ora está nas ruas,

ora, nas praças,

espreitando por todos os cantos.

13Ela agarrou o jovem e o beijou;

e com o maior descaramento

lhe disse:

14“Eu tinha de oferecer

sacrifícios pacíficos;

7.14
Lv 7.11,16

hoje paguei os meus votos.

15Por isso, saí ao seu encontro;

vim procurá-lo,

e agora o encontrei!

16Já cobri de colchas

a minha cama,

de linho fino do Egito,

de várias cores.

17Já perfumei o meu leito

com mirra, aloés e cinamomo.

18Venha, vamos nos embriagar

com as delícias do amor,

até o amanhecer;

gozemos amores.

19Porque o meu marido

não está em casa;

saiu de viagem para longe.

20Levou consigo uma bolsa

cheia de dinheiro;

não voltará para casa

antes da lua cheia.”

21Ela o seduziu

com as suas muitas palavras,

com as lisonjas dos seus lábios

o arrastou.

22E, num instante, ele a seguiu,

como um boi

que vai para o matadouro;

como um animal

que corre para a armadilha,

23até que uma flecha

lhe atravesse o coração.

Ele era como a ave que corre

para dentro do alçapão,

sem saber que isto

lhe custará a vida.

24Agora, meu filho,

escute o que eu digo

e dê atenção

às palavras da minha boca.

25Não deixe que o seu coração

se desvie para os caminhos

dessa mulher,

e não ande perdido

nas suas veredas.

26Porque a muitos

ela feriu e derrubou;

e são muitos os que

por ela foram mortos.

27A casa dela é caminho

para o abismo

e desce para as câmaras da morte.