Nova Almeida Atualizada (2017) (NAA)
21

211Como correntes de águas,

assim é o coração do rei

na mão do Senhor;

este o dirige para onde quiser.

2Todo caminho de uma pessoa

é reto aos seus próprios olhos,

mas o Senhor sonda os corações.

21.2
Pv 16.2

3Fazer justiça e julgar com retidão

é mais aceitável ao Senhor

do que oferecer sacrifícios.

21.3
1Sm 15.22
Pv 15.8
Os 6.6

4Olhar arrogante

e coração orgulhoso

21.4
Sl 101.5

— a lâmpada dos ímpios —

são pecado.

5Os planos de quem é esforçado

conduzem à fartura,

mas a pressa excessiva

leva à pobreza.

21.5
Pv 10.4
19.2

6Fazer fortuna

por meio da mentira

21.6
Pv 13.11

é vaidade e armadilha mortal.

7A violência dos ímpios

os leva à ruína,

porque eles se recusam

a praticar a justiça.

8O caminho do culpado

é tortuoso,

mas, quanto ao inocente,

a sua conduta é reta.

9Melhor é morar

no canto do terraço

do que com uma mulher briguenta

na mesma casa.

10A alma do ímpio deseja o mal;

nem o seu vizinho

recebe dele compaixão.

11Quando o zombador é castigado,

os ingênuos se tornam sábios;

e, quando o sábio é instruído,

cresce no conhecimento.

21.11
Pv 19.25

12Deus, o justo, observa

a casa dos ímpios

e os faz cair em desgraça.

13Quem tapa os ouvidos

ao clamor do pobre

também clamará

e não será ouvido.

14O presente que se dá em segredo

acalma a ira,

e a dádiva em sigilo

21.14
Pv 17.8
18.16
19.6

vence a mais forte indignação.

15Praticar a justiça

é uma alegria para o justo,

mas espanto

para os que praticam o mal.

16Quem se desvia do caminho

do entendimento

repousará na congregação

dos mortos.

17Quem ama os prazeres

acabará na pobreza;

quem ama o vinho e a boa vida

nunca ficará rico.

18O ímpio serve de resgate

para o justo,

e, em lugar dos retos,

é entregue o infiel.

21.18
Pv 11.8

19Melhor é morar

numa terra deserta

do que com a mulher briguenta

e geniosa.

20Na casa do sábio

há tesouros preciosos

e o suficiente para viver,

mas o tolo desperdiça

tudo o que tem.

21Quem segue a justiça

e a bondade

achará a vida, a justiça e a honra.

22O sábio escala a cidade

dos valentes

e derruba a fortaleza

em que eles confiam.

23Quem guarda a boca e a língua

guarda a sua alma

de muitas dificuldades.

21.23
Pv 13.3

24Quanto ao orgulhoso

e arrogante,

zombador é o seu nome;

ele age com orgulho e arrogância.

25O preguiçoso

21.25
Pv 6.6
13.4
19.24
20.4
morre desejando,

porque as suas mãos

se recusam a trabalhar.

26O cobiçoso cobiça todo o dia,

porém o justo

dá com generosidade.

27O sacrifício dos ímpios

já é abominação;

21.27
Pv 15.8

ainda mais quando é oferecido

com más intenções!

28A testemunha falsa perecerá,

mas quem sabe ouvir

falará sem ser contestado.

29O ímpio aparenta determinação,

mas o justo considera

o seu caminho.

30Não há sabedoria,

nem entendimento,

nem mesmo conselho

contra o Senhor.

31O cavalo é preparado

para o dia da batalha,

mas a vitória vem do Senhor.

22

221Mais vale o bom nome

do que as muitas riquezas;

ser estimado é melhor

do que a prata e o ouro.

2O rico e o pobre

têm algo em comum:

o Senhor fez

tanto um como o outro.

22.2
Jó 31.15

3O prudente vê o mal

e se esconde;

22.3
Pv 14.16

mas os ingênuos seguem em frente

e sofrem as consequências.

4A recompensa da humildade

e do temor do Senhor

são riquezas, honra e vida.

5No caminho do perverso

há espinhos e armadilhas;

quem quer guardar a sua vida

afasta-se deles.

6Ensine a criança no caminho

em que deve andar,

e ainda quando for velho

não se desviará dele.

7O rico domina sobre o pobre,

e o que pede emprestado

é servo de quem empresta.

8O que semeia a injustiça

colhe a desgraça,

22.8
Jó 4.8

e a vara da sua indignação

será destruída.

9O generoso será abençoado,

22.9
Pv 19.17

porque reparte o seu pão

com os pobres.

10Mande embora o zombador,

e com ele se irá a discórdia;

cessarão as discussões

e a vergonha.

11Quem ama a pureza do coração

e é habilidoso no falar

terá a amizade do rei.

12Os olhos do Senhor

preservam o conhecimento,

mas ele subverte

as palavras dos infiéis.

13O preguiçoso diz:

“Um leão está lá fora!

Serei morto no meio da rua!”

14Cova profunda

é a boca da mulher estranha;

aquele contra quem

o Senhor se irar cairá nela.

15A tolice está ligada

ao coração da criança,

mas a vara da disciplina

a afastará dela.

16Quem oprime o pobre

para enriquecer a si

ou o que dá presentes ao rico

certamente empobrecerá.

Trinta provérbios dos sábios

17Preste atenção e ouça

as palavras dos sábios;

aplique o coração

aos meus ensinamentos.

18Porque será agradável

se você os guardar

em seu coração

e se tiver todos eles presentes

nos seus lábios.

19Quero que a sua confiança

esteja no Senhor;

por isso, hoje dou esta instrução

a você — a você mesmo.

20Por acaso, não lhe escrevi

trinta provérbios

de conselhos e conhecimentos?

21Fiz isso para que você

tenha certeza

das palavras da verdade,

a fim de que possa responder

claramente aos que

lhe fizerem perguntas.

— 1 —

22Não roube o pobre,

porque é pobre,

nem oprima o necessitado

no tribunal,

23porque o Senhor defenderá

a causa deles

e tirará a vida

daqueles que os exploram.

— 2 —

24Não faça amizade com quem

facilmente fica irado,

nem ande na companhia

de quem é agressivo,

25para que você não aprenda

os seus caminhos

e, assim, fique preso

numa armadilha.

— 3 —

26Não esteja entre os que

se comprometem

e ficam por fiadores de dívidas,

22.26
Pv 6.1-5
11.15
17.18

27pois, se você não tiver

com que pagar,

vão acabar lhe tirando até mesmo

a cama em que costuma

se deitar!

— 4 —

28Não remova os marcos antigos

que os seus pais colocaram.

22.28
Dt 19.14
27.17

— 5 —

29Você está vendo alguém

que é habilidoso

naquilo que faz?

Ele será posto diante de reis;

não estará a serviço da plebe.

23

— 6 —

231Quando você se assentar

para comer

com um governador,

leve bem em conta

quem está diante de você.

2Encoste uma faca

na sua própria garganta,

se você é glutão.

3Não cobice os pratos deliciosos

que ele serve,

porque essa comida

é enganadora.

— 7 —

4Não se fatigue para ficar rico;

não aplique nisso

a sua inteligência.

5Você quer pôr os seus olhos

naquilo que não é nada?

Porque certamente

a riqueza criará asas,

como a águia que voa pelos céus.

— 8 —

6Não coma o pão do invejoso,

nem cobice

os seus pratos deliciosos.

7Porque, como imagina

em sua alma, assim ele é.

Ele diz: “Coma e beba!”,

mas não está sendo sincero.

8Você vomitará

o bocado que comeu

e terá desperdiçado

as palavras amáveis

que falou.

— 9 —

9Não fale com um tolo,

porque ele desprezará

a sabedoria das suas palavras.

— 10 —

10Não remova os marcos antigos,

nem entre nos campos dos órfãos,

11porque o Redentor deles é forte

e defenderá a causa deles contra você.

— 11 —

12Aplique o seu coração ao ensino

e os seus ouvidos às palavras

do conhecimento.

23.12
Pv 22.17

— 12 —

13Não deixe a criança

sem disciplina,

porque, se você a castigar

com a vara, ela não morrerá.

14Você a castigará com a vara

e livrará a alma dela do inferno.

— 13 —

15Meu filho, se o seu coração

for sábio,

também o meu coração

se alegrará;

16o meu íntimo exultará,

quando os seus lábios

falarem coisas retas.

— 14 —

17Não tenha inveja dos pecadores;

pelo contrário, persevere

no temor do Senhor

todo tempo.

18Porque certamente

haverá um futuro,

e a sua esperança

não será frustrada.

— 15 —

19Escute, meu filho, e seja sábio;

guie o seu coração

no caminho reto.

20Não se junte com os beberrões

23.20
Pv 20.1

nem com os comilões,

21porque os beberrões

e os comilões

acabam na pobreza,

e a sonolência os levará

a vestir trapos.

— 16 —

22Escute o seu pai, que o gerou,

e não despreze a sua mãe,

quando ela envelhecer.

23Compre a verdade

e não a venda;

compre a sabedoria, a instrução

e o entendimento.

24O pai de um justo

fica muito feliz,

e quem gerar um filho sábio

terá nele a sua alegria.

25Dê essa alegria ao seu pai

e à sua mãe,

e que se encha de felicidade

aquela que o deu à luz.

— 17 —

26Meu filho, preste bem atenção

no que eu digo,

e que os seus olhos se agradem

dos meus caminhos.

27Pois uma prostituta

é como uma cova profunda,

e a mulher estranha

é como um poço estreito.

28Como assaltante,

ela fica à espreita

e multiplica entre os homens

os infiéis.

— 18 —

29Para quem são os ais?

Para quem são os pesares?

Para quem são as rixas?

Para quem são as queixas?

Para quem são os ferimentos

sem motivo?

E para quem

são os olhos vermelhos?

30Para os que se demoram

em beber vinho,

para os que andam buscando

bebida misturada.

31Não olhe para o vinho,

quando se mostra vermelho,

quando resplandece no copo

e desce suavemente.

32Pois no fim

morderá como a cobra

e picará como a víbora.

33Os seus olhos

verão coisas esquisitas,

e o seu coração o levará

a dizer coisas perversas.

34Você será como o que se deita

no meio do mar

e como o que se deita

no alto do mastro do navio.

35Você dirá: “Fui espancado,

mas não doeu;

bateram em mim,

mas eu não senti nada!

Quando vou despertar?

Então voltarei a beber.”