Nova Almeida Atualizada (2017) (NAA)
17

171Melhor é um bocado seco

e tranquilidade

do que a casa cheia de carnes

e brigas.

17.1
Pv 15.17

2O escravo sábio dominará sobre

o filho que causa vergonha

e, entre os irmãos,

terá parte na herança.

3O crisol prova a prata

e o forno prova o ouro;

mas o Senhor prova os corações.

17.3
Sl 26.2

4O malfeitor dá atenção

aos lábios iníquos;

o mentiroso inclina os ouvidos

para a língua maligna.

5Quem zomba do pobre insulta

aquele que o criou;

o que se alegra com a calamidade

não ficará impune.

6Coroa dos velhos

são os filhos dos filhos;

e a glória dos filhos são os pais.

7Palavras bonitas

não ficam bem ao insensato;

muito menos a mentira

na boca do príncipe!

8O suborno é pedra mágica

aos olhos de quem o oferece;

onde quer que for oferecido

dará resultado.

9Quem encobre a transgressão

fortalece a amizade,

mas o que insiste no assunto

separa os maiores amigos.

17.9
Pv 11.13
16.28

10Uma repreensão cala mais fundo

em quem tem juízo

do que cem chicotadas

no insensato.

11O rebelde só procura

fazer o mal;

por isso, um mensageiro cruel

será enviado contra ele.

12Melhor é encontrar uma ursa

da qual roubaram os filhotes

do que o insensato na sua tolice.

13Quanto àquele que paga

o bem com o mal,

o mal não se afastará da sua casa.

14Começar uma discussão é como

abrir uma represa;

por isso, desista

antes que surja o conflito.

15O Senhor detesta

quem justifica o ímpio

e quem condena o justo;

ele detesta

tanto um quanto o outro.

16De que serviria o dinheiro

na mão do tolo

para comprar a sabedoria,

se ele não tem entendimento?

17O amigo ama em todo tempo,

e na angústia nasce o irmão.

18Quem não tem juízo

se compromete,

ficando por fiador do seu próximo.

19Quem ama a discórdia

ama o pecado;

o que faz alta a sua porta

facilita a própria queda.

20O perverso de coração

jamais encontra o bem;

e o que diz coisas más

acaba em desgraça.

21Quem gera um tolo faz isso

para a sua própria tristeza;

o pai do insensato

não terá alegria.

17.21
Pv 10.1

22O coração alegre é bom remédio,

mas o espírito abatido

faz secar os ossos.

17.22
Pv 15.13

23O ímpio aceita suborno

secretamente,

para perverter

as veredas da justiça.

24A sabedoria

é o alvo do inteligente,

mas o tolo volta os olhos

para os confins da terra.

25O filho insensato

é tristeza para o pai

e amargura para quem o deu à luz.

17.25
Pv 10.1
17.21

26Não é bom punir o justo;

é contra todo direito

ferir o príncipe.

27Quem controla as suas palavras

possui conhecimento,

17.27
Pv 10.19

e o sereno de espírito

é inteligente.

28Até o insensato, quando se cala,

é tido por sábio;

se fica de boca fechada,

passa por inteligente.

18

181O solitário busca

o seu próprio interesse

e se opõe à verdadeira sabedoria.

2O tolo não tem prazer

no entendimento,

mas apenas em externar

o que pensa.

3Com a maldade

vem também o desprezo;

com a desonra vem a vergonha.

4As palavras de uma pessoa

são águas profundas,

e a fonte da sabedoria é um ribeiro

que transborda.

5Não é bom ser parcial

com os ímpios,

para torcer o direito

contra os justos.

6Os lábios do tolo

entram na discussão,

e a sua boca clama por açoites.

7A boca do tolo

é a sua própria destruição,

e os seus lábios são uma armadilha

para a sua alma.

8As palavras do difamador

são comida fina,

que desce para o mais interior

do ventre.

9Quem é negligente

no seu trabalho

já é irmão do desperdiçador.

10Torre forte é o nome do Senhor;

o justo corre para ela

e está seguro.

11Os bens do rico

são a sua cidade fortificada

18.11
Pv 10.15

e, segundo imagina,

uma alta muralha.

12Antes da ruína,

o coração humano se gaba,

18.12
Pv 16.18

mas a humildade precede a honra.

18.12
Pv 15.33

13Responder antes de ouvir

é tolice e vergonha.

14O espírito firme sustenta

a pessoa na sua doença,

mas o espírito abatido,

quem o pode suportar?

15O coração do sábio adquire

o conhecimento,

e o ouvido dos sábios

procura o saber.

16Um presente que se dá

abre portas

e leva alguém

à presença dos grandes.

17O primeiro que pleiteia

a sua causa parece justo,

até que vem o outro e o examina.

18Um sorteio põe fim às rixas

e decide questões

entre os poderosos.

19Um irmão ofendido resiste

mais que uma fortaleza,

e as rixas são como as trancas

das portas de um castelo.

20Do fruto da boca

o coração se farta;

18.20
Pv 12.14

do que produzem os lábios

ele se satisfaz.

21A morte e a vida

estão no poder da língua;

quem bem a utiliza

come do seu fruto.

22Quem acha uma esposa

acha o bem;

recebeu uma bênção do Senhor.

23O pobre fala com súplicas,

mas o rico responde com dureza.

24Quem tem muitos amigos

pode cair em desgraça;

mas há amigo mais chegado

que um irmão.

18.24
Pv 17.17

19

191Melhor é o pobre que anda

na sua integridade

do que o perverso de lábios,

que é um tolo.

2Não é bom agir sem pensar;

quem se precipita acaba pecando.

3A tolice de uma pessoa

perverte o seu caminho,

mas é contra o Senhor que

o seu coração se irrita.

4Na riqueza,

os amigos se multiplicam;

mas o pobre, até o seu único amigo

o abandona.

19.4
Pv 14.20

5A falsa testemunha

não ficará impune,

e o que profere mentiras

não escapará.

6Ao generoso, muitos o adulam,

e todos são amigos

de quem dá presentes.

7Se os irmãos do pobre

o detestam,

quanto mais se afastarão dele

os seus amigos!

Corre atrás deles com súplicas,

mas não os alcança.

8Quem adquire sabedoria

ama a sua alma;

o que conserva o entendimento

acha o bem.

19.8
Pv 16.20

9A falsa testemunha

não ficará impune,

e o que profere mentiras perecerá.

10Ao tolo não fica bem

viver no luxo;

quanto menos ao escravo

dominar os príncipes!

11O bom senso leva a pessoa

a controlar a sua ira;

a sua glória é perdoar as ofensas.

12A indignação do rei

é como o rugido do leão,

mas a sua bondade

é como o orvalho sobre a relva.

13Um filho tolo

é a desgraça do pai,

e uma esposa briguenta

é como uma goteira

que não para.

14A casa e os bens vêm

como herança dos pais,

mas a esposa sensata

vem do Senhor.

15A preguiça faz cair

em profundo sono,

e o ocioso passará fome.

19.15
6.9-10
10.4

16Quem guarda o mandamento

guarda a sua alma,

mas o que despreza

os seus caminhos,

esse morrerá.

17Quem se compadece do pobre

empresta ao Senhor,

e este lhe retribuirá o benefício.

18Corrija o seu filho,

enquanto há esperança,

mas não se exceda

a ponto de matá-lo.

19Aquele que se deixa levar pela ira

terá de sofrer o castigo;

porque, se você o livrar,

terá de livrá-lo de novo.

20Ouça os conselhos

e receba a instrução,

para que você seja sábio

a partir de agora.

21Há muitos planos

no coração do ser humano,

mas o propósito do Senhor

permanecerá.

22O que torna alguém agradável

é a sua misericórdia;

o pobre é preferível ao mentiroso.

23O temor do Senhor

conduz à vida;

aquele que o tem ficará satisfeito,

e mal nenhum o visitará.

24O preguiçoso põe a mão

no prato

e não quer ter o trabalho

de a levar à boca.

25Castigue o zombador,

e o ingênuo aprenderá

a prudência;

repreenda o sábio,

e ele crescerá

no conhecimento.

26Quem maltrata o seu pai

ou manda embora a sua mãe

é filho que causa vergonha

e traz desonra.

27Meu filho, se deixar de ouvir

a instrução,

você se desviará das palavras

do conhecimento.

28A testemunha depravada

zomba da justiça,

e a boca dos ímpios

devora a iniquidade.

29Preparados estão os juízos

para os zombadores

e os açoites para as costas

dos tolos.

Utilizamos cookies de acordo com o nossa Política de Privacidade, respeitando todos as suas informações pessoais.[ocultar]