Nova Almeida Atualizada (2017) (NAA)
7

Neemias estabelece guardas em Jerusalém

71Depois de reconstruída a muralha e colocados os portões no seu lugar, estabelecidos os porteiros, os cantores e os levitas, 2eu nomeei Hanani, meu irmão, e Hananias, comandante da fortaleza, para que cuidassem da segurança de Jerusalém. Hananias era homem fiel e temente a Deus, mais do que muitos outros. 3E eu lhes disse:

— Os portões de Jerusalém não devem ser abertos antes que o sol faça sentir o seu calor. E os portões devem ser fechados e trancados enquanto os guardas ainda estão ali. Escolham guardas entre os moradores de Jerusalém, alguns para que fiquem nos postos de guarda e outros para que fiquem em frente das suas próprias casas.

4A cidade era espaçosa e grande, mas havia pouca gente nela, e as casas ainda não haviam sido reconstruídas.

A relação dos que voltaram a Jerusalém

Ed 2.1-70

5Então o meu Deus me pôs no coração que ajuntasse os nobres, os magistrados e o povo, para registrar as genealogias. Achei o livro da genealogia dos que foram os primeiros a voltar do cativeiro, e nele estava escrito:

6Estes são os filhos da província que voltaram do cativeiro, do meio dos exilados que Nabucodonosor, rei da Babilônia, tinha levado para lá. Eles voltaram para Jerusalém e para Judá, cada um para a sua cidade, 7e vieram com Zorobabel, Jesua, Neemias, Azarias, Raamias, Naamani, Mordecai, Bilsã, Misperete, Bigvai, Neum e Baaná.

Eis o número dos homens do povo de Israel: 8os filhos de Parós, dois mil cento e setenta e dois. 9Os filhos de Sefatias, trezentos e setenta e dois. 10Os filhos de Ará, seiscentos e cinquenta e dois. 11Os filhos de Paate-Moabe, dos filhos de Jesua e de Joabe, dois mil oitocentos e dezoito. 12Os filhos de Elão, mil duzentos e cinquenta e quatro. 13Os filhos de Zatu, oitocentos e quarenta e cinco. 14Os filhos de Zacai, setecentos e sessenta. 15Os filhos de Binui, seiscentos e quarenta e oito. 16Os filhos de Bebai, seiscentos e vinte e oito. 17Os filhos de Azgade, dois mil trezentos e vinte e dois. 18Os filhos de Adonicão, seiscentos e sessenta e sete. 19Os filhos de Bigvai, dois mil e sessenta e sete. 20Os filhos de Adim, seiscentos e cinquenta e cinco. 21Os filhos de Ater, da família de Ezequias, noventa e oito. 22Os filhos de Hasum, trezentos e vinte e oito. 23Os filhos de Besai, trezentos e vinte e quatro. 24Os filhos de Harife, cento e doze. 25Os filhos de Gibeão, noventa e cinco. 26Os homens de Belém e de Netofa, cento e oitenta e oito. 27Os homens de Anatote, cento e vinte e oito. 28Os homens de Bete-Azmavete, quarenta e dois. 29Os homens de Quiriate-Jearim, Cefira e Beerote, setecentos e quarenta e três. 30Os homens de Ramá e Geba, seiscentos e vinte e um. 31Os homens de Micmás, cento e vinte e dois. 32Os homens de Betel e Ai, cento e vinte e três. 33Os homens do outro Nebo, cinquenta e dois. 34Os filhos do outro Elão, mil duzentos e cinquenta e quatro. 35Os filhos de Harim, trezentos e vinte. 36Os filhos de Jericó, trezentos e quarenta e cinco. 37Os filhos de Lode, Hadide e Ono, setecentos e vinte e um. 38Os filhos de Senaá, três mil novecentos e trinta.

39Os sacerdotes: os filhos de Jedaías, da casa de Jesua, novecentos e setenta e três. 40Os filhos de Imer, mil e cinquenta e dois. 41Os filhos de Pasur, mil duzentos e quarenta e sete. 42Os filhos de Harim, mil e dezessete.

43Os levitas: os filhos de Jesua, de Cadmiel, dos filhos de Hodeva, setenta e quatro.

44Os cantores: os filhos de Asafe, cento e quarenta e oito.

45Os porteiros: os filhos de Salum, os filhos de Ater, os filhos de Talmom, os filhos de Acube, os filhos de Hatita, os filhos de Sobai, cento e trinta e oito.

46Os servidores do templo: os filhos de Zia, os filhos de Hasufa, os filhos de Tabaote, 47os filhos de Queros, os filhos de Sia, os filhos de Padom, 48os filhos de Lebana, os filhos de Hagaba, os filhos de Salmai, 49os filhos de Hanã, os filhos de Gidel, os filhos de Gaar, 50os filhos de Reaías, os filhos de Rezim, os filhos de Necoda, 51os filhos de Gazão, os filhos de Uzá, os filhos de Paseia, 52os filhos de Besai, os filhos de Meunim, os filhos de Nefusesim, 53os filhos de Baquebuque, os filhos de Hacufa, os filhos de Harur, 54os filhos de Bazlite, os filhos de Meída, os filhos de Harsa, 55os filhos de Barcos, os filhos de Sísera, os filhos de Tama, 56os filhos de Nesias e os filhos de Hatifa.

57Os filhos dos servos de Salomão: os filhos de Sotai, os filhos de Soferete, os filhos de Perida, 58os filhos de Jaala, os filhos de Darcom, os filhos de Gidel, 59os filhos de Sefatias, os filhos de Hatil, os filhos de Poquerete-Hazebaim e os filhos de Amom. 60Todos os servidores do templo e os filhos dos servos de Salomão eram trezentos e noventa e dois.

61Os seguintes voltaram de Tel-Melá, Tel-Harsa, Querube, Adom e Imer, porém não puderam provar que as suas famílias e a sua linhagem eram de Israel: 62os filhos de Delaías, os filhos de Tobias, os filhos de Necoda, seiscentos e quarenta e dois. 63Dos sacerdotes: os filhos de Habaías, os filhos de Coz, os filhos de Barzilai, que tinha casado com uma das filhas de Barzilai, o gileadita, e que foi chamado pelo nome dele. 64Estes procuraram o seu registro nos livros genealógicos, porém não acharam; por isso, foram considerados impuros para o sacerdócio. 65O governador lhes disse que não comessem das coisas sagradas, até que se levantasse um sacerdote capaz de decidir a questão por meio de Urim

7.65
Êx 28.30
e Tumim.

66Toda esta congregação junta era de quarenta e dois mil trezentos e sessenta, 67além dos seus servos e das suas servas, que eram sete mil trezentos e trinta e sete. Havia também duzentos e quarenta e cinco cantores e cantoras. 68Os seus cavalos eram setecentos e trinta e seis; as suas mulas, duzentas e quarenta e cinco. 69Os camelos eram quatrocentos e trinta e cinco e os jumentos, seis mil setecentos e vinte.

Contribuições para o templo

70Alguns dos chefes das famílias contribuíram para a obra. O governador deu para o tesouro oito quilos e quatrocentos gramas de ouro, cinquenta bacias e quinhentas e trinta vestes sacerdotais. 71E alguns mais dos chefes das famílias deram para o tesouro da obra cento e sessenta e oito quilos de ouro e mil e trezentos quilos de prata. 72O que o restante do povo deu foram cento e sessenta e oito quilos de ouro, mil e duzentos quilos de prata e sessenta e sete vestes sacerdotais.

73Os sacerdotes,

7.73
1Cr 9.2
Ne 11.3
os levitas, os porteiros, os cantores, alguns do povo, os servidores do templo e todo o Israel moravam nas suas cidades.

8

Esdras lê o Livro da Lei diante do povo

81Quando chegou o sétimo mês e os filhos de Israel já estavam morando nas suas cidades, todo o povo se reuniu, como um só homem, na praça, diante do Portão das Águas. E pediram a Esdras, o escriba, que trouxesse o Livro da Lei de Moisés, que o Senhor havia ordenado a Israel. 2Esdras, o sacerdote, trouxe a Lei diante da congregação, composta por homens, mulheres e todos os que eram capazes de entender o que ouviam. Era o primeiro dia do sétimo mês.

8.2
Lv 23.24
3Esdras leu o livro em voz alta, diante da praça que fica em frente ao Portão das Águas, desde o amanhecer até o meio-dia, na presença dos homens, das mulheres e dos que podiam entender. E todo o povo tinha os ouvidos atentos ao Livro da Lei.

4Esdras, o escriba, estava num púlpito de madeira, que fizeram para aquele fim. Estavam em pé, ao lado dele, à sua direita, Matitias, Sema, Anaías, Urias, Hilquias e Maaseias; e à sua esquerda estavam Pedaías, Misael, Malquias, Hasum, Hasbadana, Zacarias e Mesulão. 5Esdras abriu o livro à vista de todo o povo, porque se encontrava num lugar mais elevado do que todo o povo. Quando abriu o livro, todo o povo se pôs em pé. 6Esdras louvou o Senhor, o grande Deus, e todo o povo, levantando as mãos, respondeu:

— Amém! Amém!

Inclinaram-se e adoraram o Senhor, com o rosto em terra.

7E Jesua, Bani, Serebias, Jamim, Acube, Sabetai, Hodias, Maaseias, Quelita, Azarias, Jozabade, Hanã, Pelaías e os levitas ensinavam a Lei ao povo; e o povo permanecia no seu lugar. 8Eles iam lendo o Livro da Lei de Deus, claramente, dando explicações, de maneira que o povo entendesse o que se lia.

9Neemias, que era o governador, e Esdras, sacerdote e escriba, e os levitas que ensinavam o povo disseram a todos:

— Este dia é consagrado ao Senhor, nosso Deus, e por isso vocês não devem prantear nem chorar.

Porque todo o povo chorava, ouvindo as palavras da Lei. 10Então lhes disse:

— Agora vão, comam e bebam o que tiverem de melhor. E mandem porções aos que não têm nada preparado para si. Porque este dia é consagrado ao nosso Senhor. Portanto, não fiquem tristes, porque a alegria do Senhor é a força de vocês.

11Os levitas tranquilizaram todo o povo, dizendo:

— Acalmem-se, porque este dia é santo. Não fiquem tristes.

12Então todo o povo se foi para comer, beber, mandar porções aos que nada tinham e fazer uma grande festa, porque tinham entendido as palavras que lhes foram explicadas.

A Festa dos Tabernáculos

13No dia seguinte, os chefes das famílias de todo o povo, os sacerdotes e os levitas se reuniram com Esdras, o sacerdote, para estudarem as palavras da Lei. 14Acharam escrito na Lei que o Senhor havia ordenado por meio de Moisés que os filhos de Israel deveriam morar em cabanas, durante a festa do sétimo mês. 15Assim, publicaram e anunciaram em todas as suas cidades e em Jerusalém, dizendo:

— Saiam para os montes e tragam ramos de oliveiras, ramos de zambujeiros, ramos de murtas, ramos de palmeiras e ramos de árvores frondosas, para fazer cabanas, como está escrito.

8.14-15
Lv 23.33-36,39-43
Dt 16.13-15

16O povo saiu, e trouxeram os ramos e fizeram para si cabanas, cada um no seu terraço, e nos seus pátios, nos átrios da Casa de Deus, na praça do Portão das Águas e na praça do Portão de Efraim. 17Toda a congregação dos que tinham voltado do cativeiro fez cabanas e morou nelas. Porque os filhos de Israel nunca haviam feito isto, desde os dias de Josué, filho de Num, até aquele dia. E todos estavam muito alegres. 18O Livro da Lei de Deus foi lido diariamente, desde o primeiro até o último dia da festa. E celebraram a festa durante sete dias; no oitavo dia, houve uma reunião solene, conforme estava ordenado na Lei.

8.18
Lv 23.36
Nm 29.35

9

Arrependimento e confissão de pecados

91No dia vinte e quatro deste sétimo mês, os filhos de Israel se reuniram para um jejum. Vestiam pano de saco e traziam terra sobre a cabeça. 2Os da linhagem de Israel separaram-se de todos os estrangeiros, puseram-se em pé e fizeram confissão dos seus pecados e das iniquidades de seus pais. 3Levantando-se no seu lugar, leram no Livro da Lei do Senhor, seu Deus, durante uma quarta parte do dia;

9.3
Ne 8.4
e durante outra quarta parte do dia fizeram confissão e adoraram o Senhor, seu Deus.

4Jesua, Bani, Cadmiel, Sebanias, Buni, Serebias, Bani e Quenani se puseram em pé no estrado dos levitas e clamaram em alta voz ao Senhor, seu Deus. 5Os levitas Jesua, Cadmiel, Bani, Hasabneias, Serebias, Hodias, Sebanias e Petaías disseram:

— Levantem-se e bendigam o Senhor, seu Deus, de eternidade a eternidade.

9.5
1Cr 16.36
Sl 41.13

Então se disse:

— Bendito seja o teu nome glorioso, que ultrapassa todo bendizer e louvor. 6Só tu és o Senhor! Fizeste o céu, o céu dos céus e todo o seu exército, a terra e tudo o que nela há, os mares e tudo o que há neles.

9.6
Sl 146.6
Tu conservas a todos com vida, e o exército dos céus te adora. 7Tu és o Senhor, o Deus que escolheste Abrão, e o tiraste de Ur
9.7
Gn 12.1
dos caldeus, e lhe puseste por nome Abraão.
9.7
Gn 17.5
8Achaste o seu coração fiel diante de ti e com ele fizeste aliança,
9.8
Gn 15.18-21
para dares à descendência dele a terra dos cananeus, dos heteus, dos amorreus, dos ferezeus, dos jebuseus e dos girgaseus; e cumpriste as tuas promessas, porque és justo.

9— Viste a aflição

9.9
Êx 3.7
dos nossos pais no Egito e ouviste o clamor deles junto ao mar Vermelho.
9.9
Êx 14.10-12
10Fizeste sinais e maravilhas
9.10
Êx 7.8—12.32
contra Faraó e seus servos e contra todo o povo da sua terra, porque soubeste que os trataram com arrogância; e assim adquiriste a fama que tens até o dia de hoje. 11Dividiste o mar
9.11
Êx 14.21-29
diante deles, de maneira que o atravessaram em terra seca; lançaste os seus perseguidores nas profundezas,
9.11
Êx 15.4-5
como uma pedra nas águas impetuosas. 12Tu os guiaste, durante o dia, com uma coluna de nuvem
9.12
Êx 13.21-22
e, durante a noite, com uma coluna de fogo, para iluminar o caminho por onde deviam seguir. 13Desceste sobre o monte Sinai, do céu falaste com eles e lhes deste juízos retos, leis verdadeiras, estatutos e mandamentos bons. 14Tu lhes deste a conhecer o teu santo sábado, e lhes deste mandamentos, estatutos e lei, por meio de teu servo Moisés.
9.13-14
Êx 19.18—23.33
15Quando estavam com fome lhes deste pão dos céus,
9.15
Êx 16.4-15
e quando estavam com sede fizeste brotar água da rocha;
9.15
Êx 16.4-15
e lhes disseste que entrassem para tomar posse da terra que, com juramento, prometeste dar a eles.

16— Porém eles, os nossos pais, se tornaram arrogantes e teimosos, e não deram ouvidos aos teus mandamentos. 17Recusaram ouvir-te e não se lembraram das tuas maravilhas, que fizeste no meio deles. Foram teimosos e na sua rebelião escolheram um chefe, com o propósito de voltarem para a sua servidão no Egito. Porém tu, ó Deus perdoador,

9.17
Êx 34.6
Nm 14.18
bondoso e compassivo, tardio em irar-te e grande em bondade, tu não os abandonaste,
9.16-17
Nm 14.1-4
Dt 1.26-33
18nem mesmo quando fizeram para si um bezerro de metal fundido
9.18
Êx 32.1-6
e disseram: “Este é o seu deus, que o tirou do Egito”; e cometeram grandes blasfêmias.

19— Mas tu, pela multidão das tuas misericórdias, não os abandonaste no deserto.

9.19
Dt 8.2-4
A coluna de nuvem nunca se afastou deles durante o dia, para os guiar pelo caminho, nem a coluna de fogo durante a noite, para iluminar o caminho por onde deviam seguir. 20E lhes concedeste o teu bom Espírito,
9.20
Nm 11.17
Is 63.11
para os ensinar. Não lhes negaste o teu maná, para poderem comer, e lhes deste água quando tiveram sede. 21Durante quarenta anos tu os sustentaste no deserto, e nada lhes faltou; as roupas que eles usavam não envelheceram, e os seus pés não ficaram inchados.
9.21
Dt 8.4

22— Também lhes deste reinos e povos, cujas terras repartiste entre eles. Assim, conquistaram a terra

9.22
Nm 21.21-35
de Seom, rei de Hesbom, e a terra de Ogue, rei de Basã. 23Multiplicaste os seus filhos
9.23
Gn 15.5
22.17
como as estrelas do céu e os trouxeste à terra
9.23
Js 3.14-17
que tinhas prometido aos seus pais, dizendo que nela deveriam entrar. 24Os filhos deles entraram e tomaram posse da terra.
9.24
Js 11.23
Subjugaste diante deles os moradores da terra, os cananeus, e os entregaste nas mãos deles, com os reis e os povos da terra, para fazerem com eles o que bem quisessem. 25Conquistaram cidades fortificadas e terra fértil; tomaram posse de casas
9.25
Dt 6.10-11
cheias de todo tipo de coisas boas, cisternas cavadas, vinhas e olivais e árvores frutíferas em abundância. Comeram, se fartaram, engordaram e viveram em delícias, pela tua grande bondade.

26— Ainda assim foram desobedientes e se revoltaram contra ti; viraram as costas à tua Lei e mataram os teus profetas, que testemunhavam contra eles, para os fazerem voltar a ti; e cometeram grandes blasfêmias. 27Por isso tu os entregaste nas mãos dos seus inimigos, que os oprimiram. Mas no tempo da sua angústia, clamaram a ti e dos céus tu os ouviste; e, segundo a tua grande misericórdia, lhes deste libertadores que os salvaram das mãos dos que os oprimiam. 28Porém, quando se viam em descanso, tornavam a fazer o mal diante de ti, e tu os abandonavas nas mãos dos seus inimigos, para que dominassem sobre eles. Mas, quando se converteram e clamaram a ti, tu os ouviste dos céus e, segundo a tua misericórdia, os livraste muitas vezes.

9.26-28
Jz 2.11-16
29Testemunhaste contra eles, para que voltassem à tua lei. Porém eles se mostraram arrogantes e não deram ouvidos aos teus mandamentos. Pecaram contra os teus juízos, pelos quais aquele que os cumprir viverá.
9.29
Lv 18.5
Em sua rebeldia voltaram as costas, foram teimosos e não quiseram ouvir. 30No entanto, tu os aturaste durante muitos anos e testemunhaste contra eles pelo teu Espírito, por meio dos teus profetas.
9.30
2Rs 17.13-18
2Cr 36.15-16
Jr 7.25
Porém eles não quiseram ouvir e por isso os entregaste nas mãos dos povos de outras terras. 31Mas, pela tua grande misericórdia, não acabaste com eles nem os abandonaste, porque tu és Deus clemente e misericordioso.
9.31
Ne 9.17

32— Agora, pois, ó Deus nosso, ó Deus grande, poderoso e temível, que guardas a aliança e a misericórdia, não menosprezes toda a aflição que nos sobreveio, a nós, aos nossos reis, aos nossos príncipes, aos nossos sacerdotes, aos nossos profetas, aos nossos pais e a todo o teu povo, desde os dias dos reis da Assíria

9.32
2Rs 15.19,29
17.3-6
Ed 4.2,10
até o dia de hoje. 33Tu foste justo em tudo o que nos aconteceu, pois agiste com fidelidade, enquanto nós procedemos mal.
9.33
Sl 106.6
34Os nossos reis, os nossos príncipes, os nossos sacerdotes e os nossos pais não guardaram a tua lei, nem deram ouvidos aos mandamentos e aos testemunhos que lhes deste. 35Pois eles, no seu reino, na abundância de bens que lhes deste, na terra espaçosa e fértil que puseste diante deles não te serviram,
9.35
Dt 28.47
nem se converteram de suas obras más. 36Eis que hoje somos escravos. E até na terra que deste aos nossos pais, para comerem o seu fruto e o seu bem, eis que somos escravos nela. 37Seus abundantes produtos são para os reis que puseste sobre nós por causa dos nossos pecados.
9.37
Dt 28.33
Estes reis dominam sobre nós e sobre o nosso gado, como bem entendem. Nós estamos em grande angústia!

O povo promete guardar a Lei

38— Por causa de tudo isso, nós fazemos uma aliança fiel, por escrito. E os nossos príncipes, os nossos levitas e os nossos sacerdotes puseram o seu selo sobre ela.